Scielo RSS <![CDATA[Cadernos de Saúde Pública]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=0102-311X19940008&lang=en vol. 10 num. lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>A hierarchical model for analysis of socio-economic variables and water contact patterns associated with the hepatosplenic form of schistosomiasis</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Um estudo dos fatores associados à forma hepatoesplênica foi desenvolvido em uma área endêmica (Comercinho, Minas Gerais), onde a prevalência da infecção pelo Schistosoma mansoni era 70,4%. Dos 1408 habitantes com > 2 anos de idade, 1162 (82,5%) participaram do estudo. As características sócio-demográficas e os motivos de contatos com águas dos pacientes com forma hepatoesplênica (n = 73) foram comparados aos daqueles sem esplenomegalia que apresentavam (controles positivos; n = 804) ou não (controles negativos; n = 285) ovos de S. mansoni nas fezes. A análise multivariada foi feita, considerando a existência de colinearidade entre a situação sócio-econômica da família, a fonte de água do domicílio e o tomar banho nos córregos. Os resultados mostram que a presença da forma hepatoesplênica em crianças estava fortemente associada à ocupação do chefe de família (trabalhadores manuais) (OR = 11,4; IC 95% = 1,4-91,8), à ausência de água encanada (OR = 7,7; IC 95% = 2,6-23,1) e ao hábito de tomar banho nos córregos (OR e IC 95% = 7,6); 2,5-22,9 e 5,7; 1,3-25,5 para contatos mais (> uma vez/semana) e menos freqüentes, respectivamente esse hábito implicava contatos mais intensos e era conseqüência dos primeiros fatores. Os resultados são sugestivos de que o abastecimento de água no domicílio pode reduzir a morbidade da esquistossomose por diminuir a necessidade de contatos intensos com águas naturais.<hr/>A study of factors associated with the hepatosplenic clinical form of schistosomiasis was carried out in an endemic area (Comercinho, Minas Gerais) where prevalence of Schistosoma mansoni infection was 70.4%. Of the 1,408 inhabitants aged two years and over, 1,162 (82.5%) participated in the study. Socio-demographic characteristics and reasons for water contacts of individuals with the hepatosplenic form (n = 73) were compared to those who did not present splenomegaly and eliminated (positive controls; n + 804) or did not eliminate S. mansoni eggs in stools (negative controls; n = 285). Multivariate analysis was performed, considering the existence of colinearity among socio-economic status of the family, running water in the household, and bathing in streams. The hepatosplenic form in children was strongly associated with occupation of the head of the family (manual workers) (OR = 11.4; 95% CI = 1.4 - 91.8), absence of running water in the household (OR = 7.7; 95% CI = 2.6 - 23.1), and bathing in streams (OR and 95% CI 7.6; 2.5-22.9 and 5.7; 1.3-25.5 for frequencies > weekly and <= weekly, respectively); bathing in streams, which implies intense contacts, was a consequence of the first two factors. Our results suggest that running water in the household can decrease morbidity from schistosomiasis because it reduces the need for intense contacts with streams. <![CDATA[<b>Epidemiology of schistosomiasis mansoni in a low endemic area</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Discutem se padrões epidemiológicos da esquistossomos mansônica em áreas brasileiras de baixa endemicidade que possuem prevalência inferior a 10%, menos de 96 ovos por grama de fezes (epg) e onde os infectados são assintomáticos. Apresentam-se dados do município de Pedro de Toledo (Vale do Ribeira, SP) área de baixa endemicidade cujos resultados foram obtidos de amostragem aleatória devida à agregação de Schistosoma mansoni. Sugere-se substituição de métodos parasitológicos por técnicas sorológicas com maiores sensibilidade e especificidade. O principal fator de risco é o lazer. A infecção predomina nos grupos etários de 10-14, 15-19 e 20-24. A intensidade de infecção foi baixa, com 58,5 epg (média geométrica). Há boa correlação (rs = 0,745) entre intensidade de infecção e prevalência. Os mais altos índices de potencial de contaminação ocorreram nas idades de 5 a 20 anos (57,6%). Os casos autóctones mantêm íntimo contato com Biomphalaria tenagophila, com infecção inferior a 2%. Os padrões de prevalência, de incidência e de intensidade de infecção são semelhantes aos de áreas de moderada e alta endemicidade. Questões sócio-culturais merecem estudo para visão global da epidemiologia.<hr/>We discuss the epidemiological patterns of schistosomiasis mansoni in areas with low transmission in Brazil. We define as areas of low endemicity those where the prevalence is less than 10%, the number Schistosoma mansoni eggs per gram of feces (epg) is less than 96, and carriers are asymptomatic. Data are from the county of Pedro de Toledo in the Ribeira Valley (São Paulo State) and were collected randomly according to the aggregate pattern of S. mansoni within the hosts. We suggest the replacement of parasitological methods by more sensitive and specific serological techniques. The main risk factor for infection is type of leisure activity. Infection is more frequent in the 10-14, 15-19, and 20-24-year age brackets. Geometric mean epg is 58.5. Intensity of infections correlates well (rs = 0.745) with prevalence. The highest index of potential contamination is in the 5-20-year age bracket (57.6%). Autochthonous cases show close association with Biomphalaria tenagophila, which has a low infection rate (2%). Prevalence, incidence, and intensity of infection patterns are similar to those of moderate and high endemic areas. Social and cultural aspects must be studied in order to obtain a global epidemiological view of schistosomiasis. <![CDATA[<b>Evaluation of the efficacy of the Chagas' Disease Control Program</b>: <b>methodological aspects</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A eficácia do Programa de Controle da Doença de Chagas (PCDCh) foi estimada em um estudo conduzido no Estado de Minas Gerais. Áreas com diferentes tempos de intervenção (cinco e 10 anos) e sem intervenção (controle) foram comparadas para verificar possível redução na incidência da infecção pelo Trypanosoma cruzi nos habitantes nascidos após a implantação do PCDCh. A eficácia do PCDCh foi estimada pela comparação dos resultados da infecção pelo T. cruzi, com resultados obtidos pelo Inquérito Sorológico Nacional (1975-1980), realizado antes do início do Programa. A comparação seccional para a faixa etária de 2-6 anos indicou redução nos índices de infecção de 94,7% (área de 10 anos), 63,2% (área de cinco anos) e 65,2% (área sem intervenção). Entretanto, a análise de coorte, para as faixa etárias de 2-6 anos e 7-14 anos, mostrou que a redução observada (52,6%) ocorreu somente na área com 10 anos de intervenção. A análise dos dados sobre triatomíneos coletados na rotina do PCDCh estabeleceu correlação com a redução de infecção pelo T. cruzi, observada na área com intervenção. Os resultados encontrados mostraram associação entre as ações do PCDCh e a redução da infecção pelo T. cruzi, estimada por testes sorológicos.<hr/>The efficacy of the Chagas' Disease Control Program was estimated in Minas Gerais State. Areas with different intervention times (10 and 5 years) and without intervention (control) were compared in order to verify a possible reduction in Trypanosoma cruzi infection incidence rates among those born after the Control Program. The Program efficacy was estimated comparing this study's infection rates with rates published by the Chagas' Disease Serological Survey, conducted between 1975-1980. The cross-sectional comparison for the 2-6-year age group showed a reduction of 94.7%, 63.2%, and 65.2% respectively, in areas where interventions had been carried for 10 years, 5 years, and in control areas. Cohort comparison, however indicated that reduction (52.6) occurred only in the area with 10 years of intervention. The data routinely collected by the Control Program were also analyzed and correlated with the incidence of T. cruzi infection. The results showed association between the Control Program and reduction in T. cruzi infection, measured by serological tests. <![CDATA[<b>Impact of Chagas' infection on some demographic characteristics</b>: <b>results of an ecological study</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este estudo teve por objetivo analisar o impacto da infecção pelo T. cruzi sobre algumas características demográficas do Estado da Bahia, local em que a doença de Chagas se apresenta em forma endêmica. Nas áreas endêmicas, em geral, observam-se taxas de infecção similares entre homens e mulheres, entretanto, entre os primeiros, principalmente na faixa etária de 30 anos e mais, têm-se observado maiores taxas de mortalidade. Foram analisados secundários referentes à prevalência da infecção pelo T. cruzi, à estrutura etária e a taxas de mortalidade, provenientes de diferentes fontes e agregados em dois níveis, municípios e microrregiões homogêneas. Observaram-se correlações positivas entre a prevalência da infecção chagásica e os indicadores de mortalidade. Esses indicadores, por sua vez, apresentaram correlações significativas com a proporção de viúvos e viúvas na população, com maior magnitude no segundo grupo. Assim, nas áreas com taxas de infecção pelo T. cruzi de 15% ou mais, observaram-se 22% mais viúvas entre as mulheres do que nas áreas indenes. Observou-se ainda que, áreas com maior prevalência da infecção apresentaram desvios em sua estrutura etária, destacando-se menor percentual de homem nas faixa de 35-44 anos de idade. A possível influência do processo migratório nesses achados não foi demonstrada.<hr/>This study aimed to analyze the impact of T. cruzi infection on some demographic characteristics in the State of Bahia. It is a place where Chagas' disease is endemic in general. In the endemic areas, similar infection rates were observed in males and females. However, males, mainly those aged 30 or more, had higher mortality rates than females. Analyses were conducted on a set of secondary data from several different sources. They included prevalence of T. cruzi infection, specific mortality related to Chagas' disease, and demographic characteristics. The data were aggregated at two different levels: municipality and homogeneous micro-regions. Significant positive correlations were observed between prevalence of T. cruzi infection and mortality rates. These indicators, in turn, were correlated with the proportion of widows and widowers in the population. Findings were higher for widows. In areas where prevalence of T. cruzi infection was 15% or greater, there were 22% more widows as compared to infection free areas. Places with high prevalence presented some skew in the age structure, and there was a consistent decrease in the proportion of males in the 35-44 age group. A possible confounding effect of migration on these finding was not demonstrated. <![CDATA[<b>Factors associated with household and family in leprosy transmission in Rio de Janeiro, Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi analisar algumas características dos domicílios e dos chefes de família como possíveis fatores de determinação da hanseníase. Compararam-se unidades domiciliares onde existiam casos de hanseníase com dois grupos de domicílios de não hansenianos. Como grupos de domicílios sem casos de hanseníase, estudaram-se os domicílios vizinhos dos doentes e os domicílios fora dos focos ou áreas sem casos de hanseníase. Todos os domicílios localizam-se no município de São Gonçalo, área endêmica urbana na periferia da região metropolitana do Rio de Janeiro. Em um mapa aerofotogramétrico, contendo a descrição dos 584 setores censitários, marcaram-se todos os 2412 casos diagnosticados residentes. Compararam-se os domicílios com casos de hanseníase, Grupo I, com os seus respectivos vizinhos (Grupo II) e com os domicílios fora do foco (Grupo III). Os domicílios do Grupo I foram pareados com os seus respectivos vizinhos (Grupo II) e processados pelo método condicional. Para a comparação entre os grupos I e grupo III, usou-se o método incondicional. O Grupo I comparado com o II apresentou associação entre idade e nível de escolaridade do chefe da família. A comparação das características dos chefes de família e dos domicílios com casos de hanseníase em relação aos localizados fora do foco mostrou, como fatores diferenciais, idade, tipo de casa e disponibilidade de pontos de água intradomiciliar. Os autores discutem que os contrastes da área fora do foco são indicativos de um assentamento populacional mais recente e não de fatores associados à hanseníase. Somente na análise pareada dos doentes com seus vizinhos, estando então os fatores ambientais da área de foco controlados, confirmou-se a associação da idade e do grau de escolaridade. Com os determinantes do nível particular próprio do grupo social, interagem, no nível individual, a idade e o grau de escolaridade como fatores que contribuem na morbidade da hanseníase nessa área do Estado do Rio de Janeiro.<hr/>A cross-sectional study was carried out to characterize the contribution of several household characteristics to the transmission of leprosy. Households with diagnosed cases of illness were compared to two healthy groups. All randomly selected households were located in the municipality of Sao Goncalo, in the State of Rio de Janeiro. Using an aerial map with the description of the census tract, 2,412 cases were marked. Three groups were established, while the household was the analytical unit: group I - households with cases; group II - neighboring households; and group III - households located in tracts with no reported case of illness, that is, outside disease foci. Group I was compared with that of neighboring households using a multiple logistic regression model by conditional methods. Unconditional methods were used to compare groups I and III. Group I as compared to Group II showed an association with age and educational level for households and heads of families. Comparison of characteristics of the heads of families and households with cases of leprosy with those located outside the focus showed that the differential factors were age, type of dwelling, and availability of running water. This is probably due to more recent settlement in a peripheral region where water resources are not available yet. Households are the basic ecological unit, and age and educational level are determinant factors for leprosy morbidity in this area. <![CDATA[<b>Present status of bancroftian filariasis in Maceió, State of Alagoas, Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Com o objetivo de determinar a prevalência e a distribuição da filariose linfática bancroftiana na área urbana de Maceió, estado de Alagoas, assim como identificar os insetos vetores na região, foram realizados inquéritos hemoscópicos e entomológicos. Foram examinadas, pelo método da gota espessa, amostras de sangue de 10.450 escolares oriundos de diferentes regiões da cidade, sendo detectado 0,66% de indivíduos microfilarêmicos por Wuchereria bancrofti. A parasitose tem distribuição focal com 80% dos indivíduos com infecção patente detectados em duas regiões vizinhas, cujas prevalências atingiram 1,24% e 5,25%. Estudos paralelos feitos em amostras populacionais com indivíduos de diferentes faixas etárias mostraram prevalências semelhantes às detectadas entre os escolares. No entanto, o exame dos familiares de indivíduos infectados pela W. bancrofti mostrou prevalência seis vezes mais alta, sugerindo maior transmissão no intradomicílio. A percentagem de parasitados foi maior no grupo etário mais jovem (< 20 anos). Mosquitos Culex quinquefasciatus capturados nos bairros onde a parasitose foi detectada apresentavam taxas de infecção natural de 0,28% até 4,62%. Esses dados descrevem a ocorrência da transmissão natural da filariose bancroftiana na área urbana de Maceió, Alagoas. Baseadas nesses dados, medidas de controle da filariose foram planejadas para conter sua expansão na região analisada.<hr/>Epidemiological and entomological surveys were carried out in the human and mosquito populations in Maceió, Alagoas, in order to assess the present status of bancroftian lymphatic filariasis. Examination of thick blood smears of 10,450 students from different areas of the city revealed 0.66% Wuchereria bancrofti microfilaria carriers. The distribution of filariasis is focal in the city, 80% of the individuals with patent infection living in two neighboring areas with 1.24% and 5.25% prevalence. Parallel studies performed with samples of all age groups in the human population showed similar microfilaria prevalence rates observed previously in the student survey. However, thick blood smears taken from members of families with at least one subject with patent infection gave a prevalence six times greater suggesting, increased transmission in households. The percentage of carriers was higher in the youngest age group (< 20 years). Culex quinquefasciatus mosquitos caught at the locations where the autochthonous cases were found presented natural infection rates ranging from 0.28% to 4.62%. The combination of all these findings indicates occurrence of active transmission of W. bancrofti in the urban area of Maceió, Alagoas State. Based on these data, measures for the potential control of filariasis were planned. <![CDATA[<b>Comparative studies on endemic areas of bancroftian filariasis in Greater Recife, Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Para se realizar o estudo comparativo da filariose bancroftiana na área metropolitana do Recife, foram selecionados dois bairros da cidade do Recife (Santo Amaro e Campo Grande) e dois bairros da cidade de Olinda (Sapucaia e Salgadinho), segundo critério apoiado na semelhança das características sócio-econômicas e demográficas e dos níveis endêmicos de filariose. As áreas foram divididas em conglomerados, com 25 casas em média. A amostra populacional foi estratificada por sexo e faixa etária de 0-4, 5-9, 10-14, 15-19, 20-29, 30-39, 40-49, 50-59 e igual ou superior a 60 anos. Os dados parasitológicos foram obtidos por meio da gota espessa mensurada (60µl de sangue), coletada entre as 20 e 24 horas, processada e corada pelo método de Carrazi. Os dados obtidos foram descritos em tabelas, e a densidade parasitária e freqüência microfilarêmica analisadas através de gráficos com expressão logarítima. De maneira global, Recife apresentou prevalência de 13,5%, e Olinda, 12,3%. Quando comparamos a densidade parasitária, Olinda apresentou valor médio de 70 microfilárias por 60µl de sangue, e Recife, 41. Em relação aos índices microfilarêmicos, o maior ocorreu na faixa etária de 20-29 anos. Em Olinda, por outro lado, situou se entre 30-39 anos e em indivíduos do sexo masculino. Os autores concluem que a endemia apresenta níveis endêmicos do passado, e os dados descritos alertam para uma reavaliação das campanhas de controle realizadas pela Fundação Nacional de Saúde (FNS), já que a endemia atinge dimensões ainda não mensuradas.<hr/>Two districts in Recife (Santo Amaro and Campo Grande) and two districts in Olinda (Sapucaia and Salgadinho), were selected for a comparative study of bancroftian filariasis in Greater Recife. Selection parameters included similar socio-economic, demographic, and endemic levels of lymphatic filariasis. In the districts studied, streets were chosen randomly. These clusters consisted of 110 people each. A population sample was stratified by sex and age: 0-4, 5-9, 10-14, 15-19, 20-29, 30-39, 40-49, 50-59 and 60 years old and over. The parasitological data were obtained by measuring thick blood smears (60µl), collected from 8:00 to 12:00 PM and processed and stained with hematoxylin. The data were described in tables, and logarithimic expression graphics were used to analyze parasitic densities. In general, Recife showed a prevalence of 13.5%, and Olinda 12.3%. Mean parasitic densities were 41 and 70 microfilariae/60µl (mf/60µl), respectively. Higher microfilaremic rates were observed in Recife for the 20-29-year age bracket and in Olinda in the 30-39-year bracket. The authors concluded that the disease has returned to former endemic levels, and the data described call for a reevaluation of control campaigns carried out by the Brazilian National Health Foundation, since the endemic has already reached serious proportions. <![CDATA[<b>Malaria vaccines</b>: <b>lessons from field trials</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Malaria vaccine candidates have already been tested and new trials are being carried out. We present a brief description of specific issues of validity that are relevant when assessing vaccine efficacy in the field and illustrate how the application of these principles might improve our interpretation of the data being gathered in actual malaria vaccine field trials. Our discussion assumes that vaccine evaluation shares the same general principles of validity with epidemiologic causal inference, i.e., the process of drawing inferences from epidemiologic data aiming at the identification of causes of diseases. Judicious exercise of these principles indicates that, for meaningful interpretation, measures of vaccine efficacy require definitions based upon arguments conditional on the amount of exposure to infection, and specification of the initial and final states in which one believes the effect of interest takes place.<hr/>Vacinas candidatas contra a malária já foram testadas, e novos ensaios estão sendo realizados. Os autores apresentam uma breve descrição das questões específicas de validade que são relevantes para uma avaliação da eficácia de vacinas em campo e mostram como a aplicação desses princípios poderiam melhorar a interpretação dos dados coletados atualmente pelos ensaios de campo de vacinas anti-maláricas. A discussão pressupõe que a avaliação de vacinas compartilha os mesmos princípios gerais de validade com a inferência causal epidemiológica, i.é., o processo de fazer inferências a partir dos dados epidemiológicos, objetivando identificar as causas das doenças. A aplicação criteriosa desses princípios indica que, para haver uma interpretação significativa, as medidas de eficácia vacinal requerem definições baseadas em argumentos condicionais à quantidade de exposição à infecção e a especificação dos estados inicial e final onde acredita-se que ocorre o evento de interesse para o ensaio. <![CDATA[<b>Epidemiological, social, and sanitary aspects in an area of the Rio Negro, State of Amazonas, with special reference to intestinal parasites and Chagas' disease</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Um estudo seccional foi realizado na população residente em um de cada quatro domicílios habitados na cidade de Barcelos (no norte do Estado do Amazonas, na margem direita do Rio Negro, a 490km de Manaus por via fluvial), visando a avaliar as condições sociais, sanitárias e os indicadores específicos para as parasitoses intestinais e para infecção chagásica. No inquérito, foram aplicados dois questionários, um domiciliar para avaliar os aspectos sociais e sanitários, e outro individual, para a avaliação das condições sociais e epidemiológicas da população. Uma amostra por conglomerado familiar de 171 domicílios foi estudada. De cada um dos 658 habitantes, foi requisitada uma amostra de fezes para exame parasitológico pelas técnicas de sedimentação de Lutz e de Baermann-Moraes-Coutinho, modificado por Willcox & Coura (1989, 1991) e coletada uma amostra de sangue em papel de filtro para a reação de imunofluorescência para anticorpos anti-T. cruzi pelo método de Fife & Muschel modificado por Camargo (1966) e Souza & Camargo (1966) e Petana & Willcox (1975). O exame de fezes mostrou 69,4% das amostras com um ou mais parasitos. O Ascaris lumbricoides foi predominante, com 51% de positividade, e o Entamoeba histolytica, embora com exame não específico, foi positivo em 19,7%. Surpreendentemente, 20,1% das 658 amostras de sangue foram reativas para anticorpos anti-T. cruzi na diluição de 1:20, e 13,7%, na diluição de 1:40. Houve forte correlação entre esses resultados e o nível de contato da população humana com triatomíneos silvestres, conhecidos localmente como piolho-da-piaçava, e conseguimos isolar por xenodiagnóstico uma cepa de T. cruzi de um paciente (nº 209-1) com sorologia positiva para infecção chagásica, natural da área e que havia trabalhado na agricultura, transportando piaçava, e que conhecia muito bem o piolho-da-piaçava.<hr/>A cross-sectional study was carried out on the residents of one in every four dwellings in the town of Barcelos (in the northern part of the State of Amazonas, on the right bank of the Rio Negro, 490 kilometers from Manaus by river), in order to evaluate social and sanitary conditions and specific indicators for intestinal parasites and Chagas' infection. During the survey, two questionnaires were applied, a household one to evaluate social and sanitary aspects, and an individual one, for social and epidemiological evaluation of the population conditions. A conglomerate family sample of 171 dwellings was studied. From each of the 658 habitants, a sample was requested for stool examination by Lutz sedimentation and Baermann-Moraes-Coutinho techniques modified by Willcox & Coura (1989), and blood was collected in filter paper for immunofluorescence test by Camargo (1966) and Souza & Camargo (1966) methods modified by Petana & Willcox (1975). The stool examination showed 69.4% of samples with one or more parasites. Ascaris lumbricoides was predominant with 51% of positivity and Entamoeba histolytica, although surveyed by a non-specific method, was present in 19.7%. Surprisingly, 20.1% of the 658 sera samples were reactive for T. cruzi antibodies at a dilution of 1:20 and 13.7% at 1:40. There was a strong correlation between this result and the level of human contact with wild triatomines, known locally as "piasava lice", and we succeeded in isolating by xenodiagnosis one strain of T. cruzi from one patient, a sixty-one-year old man (n. 209 -1), a native of the area, with positive serology for Chagas' disease and who worked in agriculture and transporting piasava and was very familiar with "piasava lice". <![CDATA[<b>Environmental intervention as a tool for control of schistosomiasis</b>: <b>suggestions from a field study in Northeast </b><b>Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800011&lng=en&nrm=iso&tlng=en The present survey from the State of Alagoas (Brazil) emphasized, once again, the importance of peridomestic or neighbourhood foci in the transmission of schistosomiasis mansoni. Although the study area consisted of a compact and densely populated urban community (Bairro Frio, União dos Palmares county), prevalence as well as the distribution of high egg counts was quite patchy, exhibiting a spatial pattern correlated with the distribution of ditches and other small-sized collections of surface water. Despite the availability of satisfactory water supply in most households, as well as the absence of any major body of water capable of furthering transmission, egg counts in Bairro Frio exceeded any other in our previous experience. Morbidity, however, appeared to be insignificant, a trend which has been observed over the last decade in several other highly endemic areas. It appears clear to the authors that the control of transmission requires investment in environmental intervention and that this proposal, far from being utopic, can be furthered by quite modest means and through the participation of community or neighbourhood groups.<hr/>O presente estudo, realizado no Estado de Alagoas, mais uma vez demonstrou o papel relevante dos focos peridomiciliares ou de vizinhança na transmissão da esquistossomose. Embora se trate de uma área urbana, compacta e densamente povoada (Bairro Frio, município de União dos Palmares), a distribuição tanto da prevalência como dos indivíduos com contagem de ovos elevada nas fezes obedeceu a nítido padrão espacial, altamente correlacionado com a distribuição de valetas de drenagem e outras pequenas coleções de água. Embora a maioria dos habitantes tenha acesso a água potável e, não obstante a ausência de coleções de água de algum vulto, capazes de manter a transmissão, a intensidade das contagens de ovos superou quaisquer dados anteriormente obtidos em outras áreas. Ainda assim, a morbidade mostrou-se inexpressiva, tendência já observada na última década em outras regiões hiperendêmicas. Os autores estão convencidos que o controle da transmissão requer esforços na sentido de melhorar as condições ambientais e que semelhante proposta é inteiramente viável, podendo ser concretizada com o emprego de recursos bastante modestos e contando com a participação da comunidade. <![CDATA[<b>An epidemiological approach to study congenital Chagas' disease</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Transplacental transmission of Trypanosoma cruzi has been the focus of much attention in highly endemic areas in South America. Frequency of congenital transmission and factors associated with risk of it are still not well understood. Parasite strains may account for part of the geographical variation observed. Methodological differences between the studies do not permit a combined interpretation of results. This paper examines the epidemiological data available from Brazil, Bolivia, and Argentina and discusses possible epidemiological study design to investigate risk factors for transmission.<hr/>A transmissão transplacentária do Trypanosoma cruzi vem despontando como tema de interesse em anos recentes, especialmente em áreas endêmicas da América do Sul. A freqüência da infecção e os possíveis fatores associados à transmissão congênita ainda não estão bem esclarecidos. Diferenças regionais em relação às taxas de transmissão têm sido explicadas por variações nas cepas de parasitas. Os aspectos metodológicos inerentes à formulação das hipóteses e os respectivos delineamentos dos diferentes estudos não permitem uma combinação de resultados para auxiliar a interpretação das diferenças observadas. Neste artigo explora-se as evidências epidemiológicas relativas às variações nas taxas de infecção congênita do Brasil, Bolívia e Argentina e propõe-se um modelo para investigação de fatores de risco para transmissão. <![CDATA[<b>Ecological aspects of the vectorial control of Chagas' disease in Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800013&lng=en&nrm=iso&tlng=en The feasibility and most important ecological aspects of vectorial Chagas' disease control are discussed. The spread and maintenance of this disease involve multiple ecological and sociopolitical factors that must be taken into account when control programs are planned, executed and evaluated. In spite of its complexity, Chagas disease can be controlled using methods that target specific mechanisms of transmission, the most important being vectorial and transfusional. Major ecological problems in Chagas' disease control do not exist, even in the case of the chemical control of triatomine vectors. The main challenges for the Brazilian Control Program at this moment are: its maintenance as a political priority; the threat of peridomestic vectors; and the consolidation of permanent horizontal and participative epidemiological surveillance systems against the vector.<hr/>A importância da doença de Chagas e de seu controle é assinalada para o Brasil e demais países endêmicos da América Latina, enfatizando-se os aspectos ecológicos envolvidos. Os principais insumos e estratégias de combate à doença humana já existem e estão disponíveis, devendo-se priorizar o controle dos vetores domiciliados e das transfusões de sangue. Os programas de controle devem levar em conta os elementos ecológicos e sociais pertinentes, inclusive para se prevenir novas situações epidemiológicas no futuro. Não se assinalam problemas ecológicos de importância quando os programas de controle são planejados e executados com racionalidade. Os maiores desafios ao programa brasileiro, são hoje, a manutenção de sua continuidade a nível nacional, o controle de vetores secundários no peridomicílio e a consolidação de uma vigilância epidemiológica horizontalizada e participativa. <![CDATA[<b>Tegumentary and visceral leishmaniases in Brazil</b>: <b>emerging anthropozoonosis and possibilities for their control</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000800014&lng=en&nrm=iso&tlng=en The existence of a number of different species of Leishmania, the persistent increase in the infection rate of diseases caused by this parasite (tegumentary and visceral forms), the different epidemiological situations found in regions of both recent and older colonization, and the trend towards urbanization have led to the adoption of different strategies to control leishmaniases in Brazil. The control measures involve studies related to the parasite, vectors, sources of infection (animal and human), clinical aspects, geographical distribution, historical and socioeconomic factors, integration of health services, and adequate technologies for diagnosis, treatment, and immunoprophylaxis. Finally, successful control requires work with human communities, involving education, provision of information, health promotion, and participation of these communities in the planning, development, and maintenance of control programs.<hr/>A ocorrência de várias espécies de Leishmania, o contínuo aumento das afecções causadas por esses parasitas (formas tegumentares e visceral) e as diferentes situações epidemiológicas encontradas, tanto em regiões de colonização recente quanto de colonização antiga, com tendência a urbanização, vem requerendo a adoção de diferentes estratégias para o controle dessas endemias no Brasil. Essas medidas demandam estudos relacionados aos parasitas, insetos vetores, fontes de infecção, aspectos clínicos, distribuição geográfica, fatores históricos e sócio-econômicos, integração dos serviços de saúde, tecnologias apropriadas de diagnóstico, tratamento e imunoprofilaxia. Finalmente, para o sucesso do controle, são requeridos esforços junto as comunidades humanas, envolvendo educação, provisão de informação, promoção da saúde e participação dessas comunidades no planejamento, desenvolvimento e manutenção dos programas adotados.