Scielo RSS <![CDATA[Cadernos de Saúde Pública]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=0102-311X20010006&lang=en vol. 17 num. 6 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Tropics of risk discourse: risk-adventure as a metaphor in late modernity]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600002&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>Risco, perigo e aventura na sociedade da (in) segurança</B>: <B>breve comentário</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600003&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>Quando viver é o grande risco-aventura</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600004&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>Ariadne, Dédalo e os bondes do tigrão</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600005&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>O risco-aventura e os limites de uma teoria da história</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600006&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>Risco e imponderabilidade</B>: <B>superação ou radicalização da sociedade disciplinar?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600007&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>Naturalização do risco</B>: <B>do molde à modulação?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600008&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[Debate on the paper by Mary Jane P. Spink]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600009&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>Diferentes atitudes frente ao risco e diferentes projetos de modernidade</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600010&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[Debate on the paper by Mary Jane P. Spink]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600011&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[Debate on the paper by Mary Jane P. Spink]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600012&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[<B>La aceptabilidad del riesgo</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600013&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[Debate on the paper by Mary Jane P. Spink]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600014&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[The author replies]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600015&lng=en&nrm=iso&tlng=en This article discusses new uses of interpretative repertoires of risk, especially those related to adventure. The author argues that the language of risk as adventure has multiple uses, as both a hedge against de-traditionalizing processes typical of late modernity and a figure of speech for new sensitivities stemming from the imperative of coping with the imponderability and volatility of modern risks. The article begins with an overview of the historical meanings of risk, seeking to argue that, as language in use, risk is a useful vantage point for understanding the transformations currently under way in the forms of social control, suggesting that we are experiencing a transition from disciplinary society, typical of classic modernity, to risk society. The discussion then focuses on recent transformations in images of risk, with special emphasis on the trend to use risk-adventure as a metaphor for late modernity.<hr/>Este artigo tem como objetivo situar as novas modalidades de uso dos repertórios interpretativos sobre risco, especialmente no que se refere à perspectiva da aventura. Propõe que, como aventura, a linguagem do risco cumpre atualmente funções múltiplas, sendo tanto um anteparo aos processos de destradicionalização típicos da modernidade tardia, como uma figura de linguagem utilizada para falar de novas sensibilidades decorrentes do imperativo de enfrentar a imponderabilidade e volatilidade dos riscos modernos. Inicia com uma visão panorâmica dos sentidos históricos do risco buscando argumentar que a noção, entendida na perspectiva da linguagem em uso, permite explorar as mudanças que vêm ocorrendo nas formas de controle social que nos possibilitam falar de uma transição da sociedade disciplinar, formação típica da modernidade clássica, para a sociedade de risco, formação emergente na modernidade tardia. Finaliza apontando para as transformações que vêm ocorrendo nas imagens sobre risco, buscando destacar o uso crescente do risco-aventura como metáfora da modernidade tardia. <![CDATA[Association between dietary factors and brain tumors in adults: a review]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600016&lng=en&nrm=iso&tlng=en This paper reviews the scientific literature published from 1986 to 1999 assessing the relationship between dietary factors and brain tumors in adults. The work aimed to describe the estimated associations and to discuss methodological aspects that might influence the results. The studies generally appear to show a moderate association between dietary factors and brain tumors. There is evidence that N-nitroso compounds enhance the risk of developing such tumors and that consumption of fruits and vegetables can inhibit them. Use of proxies in most of the studies may have introduced bias, thereby contributing to some inconsistent observations. Epidemiological research on diet and brain tumors should consider other components of food besides N-nitroso compounds. It is important to carefully assess exposure periods and to prevent bias related to control selection and recall.<hr/>Desenvolveu-se uma revisão da literatura científica publicada entre 1986 e 1999, sobre a associação entre fatores da dieta e os tumores de cérebro em adultos, com o objetivo de descrever as associações observadas e discutir os aspectos metodológicos que possam influenciar os resultados observados. De um modo geral, os estudos revisados parecem apontar na direção de uma associação moderada entre os fatores da dieta e os tumores de cérebro; há evidências de que o consumo de compostos N-nitroso possa favorecer o desenvolvimento desses tumores, e de que o consumo de vegetais e frutas pode ter papel na sua inibição. A participação dos respondentes substitutos nos estudos analisados, pode ter introduzido viés de memória nas informações levantadas e contribuído para a inconsistência dos achados. As investigações epidemiológicas sobre a associação da dieta com estes tumores devem considerar a análise de outros fatores alimentares, além dos compostos N-nitroso. É necessário precisar os períodos de exposição que devem ser investigados e contar com criteriosa metodologia, de modo a prevenir a ocorrência de tendenciosidades relacionadas com a seleção dos controles e minimizar os efeitos do viés de memória. <![CDATA[Acid mist occupational exposure and oral disease: a review]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600017&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study is a review of published research findings on the oral effects of occupational exposure to acid mists. A literature search was conducted on MEDLINE, LILACS, SciELO, BBO, and DEDALUS, identifying eight articles and a doctoral dissertation focusing on this association. Findings were consistent with a positive association between occupational exposure to acid mists and dental erosion, according to the literature published since 1919. Studies on the association between acid mist exposure in the workplace and periodontal disease, or oral mucous lesions, were more recent and scarce, and their findings remain controversial. Several methodological drawbacks were observed, such as small sampling size and poorly developed analysis, as exemplified by little or no attention to confounding variables. These findings support the relevance of this research area and the need for improved research design. They also highlight the importance of considering oral health as a component of workers' health in effective preventive programs.<hr/>Neste estudo de revisão, sistematizam-se os achados de pesquisas sobre os efeitos das exposições ocupacionais a névoas ácidas na saúde bucal. Utilizaram-se como bases de dados MEDLINE, LILACS, SciELO, BBO e DEDALUS, das quais foram selecionados oito artigos e uma tese de doutorado, que focalizavam as associações de interesse. Os achados são consistentes em torno de uma associação positiva entre exposição a névoas ácidas e erosão dental, confirmando os dados de pesquisas conduzidas desde 1919. Estudos sobre a associação entre névoas ácidas e a doença periodontal ou lesões da mucosa oral são mais recentes e raros, e os achados, controversos. Muitos estudos apresentam limites metodológicos, especialmente tamanho insuficiente da população de estudo, e análise apenas descritiva, ou sem a consideração de variáveis de confusão. A importância deste tema revela-se no grande número de trabalhadores potencialmente expostos e na necessidade da incorporação de aspectos da saúde bucal no campo da saúde do trabalhador, a fim de que programas de prevenção efetivos possam ser implementados. <![CDATA[<B>The Bambuí Health and Aging Study (BHAS)</B>: <B>factors associated with hospitalization of the elderly</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600018&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study aimed to identify factors associated with hospital admissions of the elderly. All residents of Bambuí, Minas Gerais State > or = 60 years (n = 1,742) were selected. Some 1,606 of these (92.2%) participated in the study. The dependent variable was the number of hospital admissions (none, one, and two or more) during the previous 12 months. Independent variables were grouped as enabling, predisposing, and need-related factors. The strongest associations with multiple hospital admissions were: living alone; financial constraints to purchase of medication; and various indicators of need (worse self-perceived health, more visits to physician, greater use of prescription medications, and history of coronary heart disease). Such variables could help identify older adults at greatest risk and thus prevent hospitalization.<hr/>O estudo procura identificar fatores associados com internação hospitalar entre idosos. Foram selecionados todos os adultos residentes em Bambuí, Minas Gerais, com 60 ou mais anos (n = 1.742). Deste total, 1.606 (92,2%) participaram no estudo. A variável dependente era o número de internações hospitalares (0, 1 ou > ou = 2) nos últimos 12 meses. As variáveis independentes foram classificadas como facilitadoras, predisponentes e relacionadas a necessidades. As variáveis independentes que demonstraram associações mais fortes com o número de internações hospitalares foram: o fato de viver sozinho(a); restrições financeiras à aquisição da medicação prescrita e diversos indicadores de necessidade (percepção negativa da própria saúde, número maior de consultas médicas, maior uso de medicação com receita médica e história de doença coronariana). Estas variáveis poderiam ajudar a identificar os idosos com risco elevado de hospitalização e contribuir para medidas preventivas. <![CDATA[Factors contributing to the development of community-acquired infections in type-2 diabetics admitted to the Cayetano Heredia National Hospital]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600019&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study aims to identify factors contributing to the development of community-acquired infections in hospitalized type-2 diabetics, using an unmatched case-control design. A total of 105 pairs of diabetic patients with community-acquired infections as compared to non-infectious diseases, respectively, were chosen randomly from the discharge registry of the clinical wards of a teaching hospital from 1991 to 1998. Bivariate and multivariate analysis was conducted with estimation of the adjusted odds ratio. According to stratified analysis controlling for age and sex, autonomic neuropathy proved to be a contributing factor to development of urinary tract infections (OR = 4.07). In the multivariate model, peripheral vasculopathy was isolated (R²: 0.24) as a contributing factor in the development of soft-tissue infections (OR = 6.79). Confidence intervals were significant at 0.05. In conclusion, peripheral vasculopathy and neurogenic bladder contribute to the development of community-acquired infections in hospitalized type-2 diabetics.<hr/>El propósito del estudio es identificar factores contribuyentes al desarrollo de infecciones adquiridas en la comunidad en diabéticos tipo 2 hospitalizados. De tal forma, se siguió el diseño de un estudio de casos y controles no apareado. Consecuentemente, se eligieron en forma aleatoria 105 diabéticos con infección adquirida en la comunidad y 105 diabéticos con patología no infecciosa, obtenidos de los Servicios de Medicina de un hospital universitario, entre 1991 y 1998. Mediante el análisis bivariado y multivariado, se obtuvo la estimación ajustada del valor de odds ratio. Los resultados permitieron, según análisis estratificado por edad y sexo, obtener a neuropatía autonómica como factor contribuyente de infecciones urinarias (OR = 4,07). En el modelo multivariado se aisló a vasculopatía periférica (R²: 0,24) como contribuyente de infección de piel y partes blandas (OR = 6,79). Los intervalos de confianza fueron significativos y de 95% de confiabilidad. En conclusión, vasculopatía periférica y vejiga neurogénica contribuyen al desarrollo de infecciones adquiridas en la comunidad en diabéticos tipo 2 hospitalizados. <![CDATA[<B>Assessment of weight gain during pregnancy in general prenatal care services in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600020&lng=en&nrm=iso&tlng=en Obesity is an emerging major health risk for women around the world. In this regard, little attention has been given to pregnancy, a moment of risk not only for major weight gain in these women, but also for macrosomia in their offspring. The objective of this study is to evaluate weight gain during pregnancy. Data pertains to a cohort of pregnant women attending general prenatal care clinics in six state capitals in Brazil, from 1991 to 1995. We studied women aged 20 years and over with singleton pregnancies and no diagnosis of diabetes outside pregnancy, enrolled at approximately 20 - 28 weeks of gestation. According to the Institute of Medicine criteria, 38% (95%CI: 36-40%) of the women studied gained less and 29% (95%CI: 28-31%) had more than the recommended total weight gain. These proportions vary according to pre-pregnancy nutritional status. Given the increasing epidemic of obesity, the high prevalence of overweight and obesity in Brazilian women prior to pregnancy, and the lack of achievement of recommended weight gain during pregnancy, more effective means of managing weight gain during pregnancy are necessary.<hr/>Obesidade é um fator de risco para a saúde da mulher que vem crescendo em muitos países. A esse respeito, pouca atenção real tem sido dada à gravidez, um momento de risco não apenas pelo elevado ganho de peso das mulheres, mas também pela macrossomia em seus recém-nascidos. O objetivo deste estudo é avaliar o ganho de peso durante a gravidez. Trata-se de um estudo de coorte de mulheres atendidas em serviços de pré-natal geral do Sistema Único de Saúde, em seis capitais brasileiras, entre 1991 e 1995. Participaram da pesquisa mulheres com 20 ou mais anos de idade, sem diagnóstico de diabetes fora da gravidez, com aproximadamente 21-28 semanas de gestação, sem gestações múltiplas. De acordo com o critério do Institute of Medicine, 38% (IC95%: 36-40%) das mulheres estudadas ganharam abaixo e 29% (IC95%: 28-31%) acima do ganho total recomendado. Essas proporções variam de acordo com as categorias de peso pré-gravídico. Dado o aumento na epidemia de obesidade, a alta prevalência de sobrepeso e obesidade prévios à gravidez em mulheres brasileiras e a falta de controle do ganho de peso recomendado durante a gestação, pode-se ver que meios mais eficientes de conduzir o ganho de peso durante a gestação são necessários. <![CDATA[Rural work-related accidents in Pelotas, Rio Grande do Sul State, Brazil: a population-based cross-sectional study]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600021&lng=en&nrm=iso&tlng=en Epidemiological literature on occupational accidents among rural workers is scarce in Brazil. This population-based cross-sectional study was designed to investigate the characteristics of farming accidents occurring in the rural area of Pelotas, Southern Brazil. A multi-stage sampling scheme was used to select a representative sample of farms. From January to April 1996, a total of 258 rural families were visited, and all 580 rural workers identified in these families answered a standardized questionnaire. Sixty-three rural workers (11%) reported at least one work-related accident in the previous twelve months. There were 82 accidents during the study period, mainly related to the use of hand farm tools (29%) and handling farm animals (27%). The main types of injuries were cuts (50%), bruises (13%), and burns (9%). The body areas most frequently involved were hands (34%), feet (29%), and legs (18%). Among the injured rural workers, only 32% used health services to treat the resulting lesions (46% went to primary health care facilities and 36% to emergency services).<hr/>São escassos os estudos de base populacional sobre a ocorrência de acidentes de trabalho rural. Para investigar este tema, realizou-se em Pelotas, Rio Grande do Sul, um estudo transversal com o objetivo de verificar a ocorrência e as características dos acidentes do trabalho rural. Uma amostra representativa da população foi obtida através de amostragem em estágios múltiplos, utilizando-se os setores censitários da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Em quatro meses, no ano de 1996, foram estudadas 258 famílias, e 580 trabalhadores rurais foram entrevistados, utilizando-se questionários padronizados e pré-codificados. Os acidentes de trabalho nos últimos doze meses atingiram 63 trabalhadores (11%), que referiram, pelo menos, um acidente no período. O total de acidentes ocorridos foi de 82, e foram causados, principalmente, por ferramentas manuais (29%) e por animais domésticos (27%). A principal lesão provocada foi corte (50%), seguida por contusão (13%) e queimadura (9%). As partes do corpo mais atingidas foram as mãos (34%), os pés (29%) e as pernas (18%). Em apenas 32% dos casos, o trabalhador rural acidentado procurou tratamento. Desses, 46% procuraram o posto de saúde, e 36%, o pronto-socorro municipal. <![CDATA[<B>Anogenital warts in children</B>: <B>sexual abuse or unintentional contamination?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600022&lng=en&nrm=iso&tlng=en Anogenital warts (AGW) were recently recognized in children, and their significance as an index of childhood sexual abuse is controversial. We report our transdisciplinary approach (including a pediatric surgeon, psychologist, social worker, ethics expert, and occasionally law enforcement agents) and its results in a group of 17 children with AGW treated at the public pediatric referral hospital in Rio de Janeiro, Brazil, during a 3-year period (1996-1999). All children were treated by electrocauterization of the warts, tested for other STDs, and submitted to perineal examination under anesthesia. Families received psycho-social counseling as necessary and cases were referred to child protection and law enforcement agents when indicated according to Brazilian legislation. We identified a high incidence of sexual abuse (8 children, 5/7 > 5 years old), with 3 patients inconclusive as to sexual abuse and 7 cases of perinatal transmission (5/8 < 4 years old). We conclude that AGW are indeed a strong sign of suspicion for sexual abuse in children, especially but not exclusively > 5 years of age. However, strong support and a transdisciplinary approach to the children and their families is necessary to identify it.<hr/>Verrugas anogenitais (VAG) são de reconhecimento recente na criança e seu significado como sinal de abuso sexual é controverso. Relatamos nossa abordagem multidisciplinar (cirurgião pediatra, psicólogo, assistente social, conselheiro de ética e eventualmente agente legal) e seus resultados, num grupo de 17 crianças com VAG tratadas em um hospital público de referência no Rio de Janeiro, Brasil, em um período de três anos (1996-1999). Todos foram tratados por eletrocoagulação das verrugas, testadas para outras DSTs, e submetidos a um exame perineal sob anestesia. Todas as famílias foram amparadas pelos assistentes sociais e psicólogos na medida do necessário, e casos de violência comprovada ou suspeita foram encaminhados de acordo com as leis brasileiras. Foi descoberta uma alta incidência de abuso sexual previamente insuspeito (oito crianças, 5/7 dos maiores de cinco anos de idade), três casos foram inconclusivos quanto à presença de abuso sexual e sete foram considerados transmissão não agressiva (5/8 dos menores de quatro anos de idade). Concluímos que VAG em crianças são muito sugestivas de abuso sexual, em especial, mas não exclusivamente, em idade escolar, mas é necessário amplo suporte e abordagem multidisciplinar para evidenciar o abuso ocorrido. <![CDATA[Reliability of diagnostic instruments: investigating the psychiatric DSM-III checklist applied to community samples]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600023&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study focused on the reliability of the DSM-III inventory of psychiatric symptoms in representative general population samples in three Brazilian cities. Reliability was assessed through two different designs: inter-rater reliability and internal consistency. Diagnosis of lifetime (k = 0.46) and same-year generalized anxiety (k = 1.00), lifetime depression (k = 0.77), and lifetime alcohol abuse and dependence (k = 1.00) was consistently reliable in the two methods. Lifetime diagnosis of agoraphobia (k = 1.00), simple phobia (k = 0.77), non-schizophrenic psychosis (k = 1.00), and psychological factors affecting physical health (1.00) showed excellent reliability as measured by the kappa coefficient. The main reliability problem in general population studies is the low prevalence of certain diagnoses, resulting in small variability in positive answers and hindering kappa estimation. Therefore it was only possible to examine 11 of 39 diagnoses in the inventory. We recommend test and re-test methods and a short time interval between interviews to decrease the errors due to such variations.<hr/>O objetivo foi estudar a confiabilidade do inventário de sintomas psiquiátricos do DSM-III aplicado em amostras representativas da população geral de três cidades brasileiras. Foram utilizados os métodos do entrevistador-observador e de consistência interna para medir a confiabilidade. Os diagnósticos de ansiedade generalizada, na vida (k = 0,46), no ano (k = 1,00), depressão na vida (k = 0,77) e os diagnósticos de abuso e dependência de álcool na vida (k = 1,00) foram confiáveis de forma consistente nos dois métodos empregados. Os diagnósticos de agorafobia (k = 1,00), fobia simples (k = 0,77), transtorno psicótico não esquizofrênico (k = 1,00) e o de fatores psicológicos que afetam o físico (1,00), todos feitos para a vida, apresentaram confiabilidade excelente medidos por meio do Kappa. O principal problema de medir a confiabilidade em estudos populacionais é a baixa prevalência de alguns diagnósticos que resulta em uma pequena variabilidade nas respostas positivas, o que impossibilita o cálculo do Kappa. Por causa disso, apenas 11 dos 39 diagnósticos que compõem o inventário puderam ser examinados. Recomenda-se a utilização do método de teste e re-teste com um tempo curto entre as entrevistas para diminuir esse problema. <![CDATA[The various meanings of Brazil's certification as free of Chagas disease]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600024&lng=en&nrm=iso&tlng=en The article discusses Brazil's recent certification as free of Chagas disease transmission by Triatoma infestans, analyzing the various meanings ascribed to this position. Resulting mainly from measures by both the Chagas Disease Control Program (PCDCh) established in Brazil in 1975 and the Southern Cone Initiative launched in 1991, this certification has been interpreted in ways that lead to confusion between the elimination of Chagas disease transmission by T. infestans and eradication of the disease. The present status of vector transmission control in Brazil is discussed, with emphasis on the Northeast, in most States of which T. infestans is not the main species involved in transmission. The article highlights the need to broaden the discussion of the readings and consequences involved in the present control achievements in light of possible harm from misinterpretations that might jeopardize further efforts to control the disease.<hr/>Discutem-se as diferentes repercussões da certificação concedida em março de 2000 a alguns estados do Brasil, em virtude da eliminação da transmissão da doença de Chagas pelo Triatoma infestans. Resultado, em grande parte, das ações do Programa de Controle da Doença de Chagas (PCDCh), estruturado no Brasil a partir de 1975, e das ações definidas pela Iniciativa dos Países do Cone Sul, em 1991, o significado desta certificação foi incorporado de diferentes formas. A questão principal discutida no artigo é a confusão estabelecida entre eliminação da transmissão vetorial da doença de Chagas pelo T. infestans e erradicação da doença de Chagas. Discute-se o controle vetorial da endemia chagásica no País, em especial na Região Nordeste, onde o T. infestans não representa a principal espécie vetora na maioria dos seus estados. Ressalta-se a importância de discutir amplamente a questão do controle dessa endemia no Brasil, no sentido de evitar que informações inapropriadas sejam difundidas, confundindo a opinião pública, com possíveis prejuízos para o efetivo controle da doença de Chagas. <![CDATA[<B>Perinatal health and mother-child health care in the municipality of São Luís, Maranhão State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600025&lng=en&nrm=iso&tlng=en The purpose of this article was to evaluate socioeconomic and demographic indicators, reproductive health, use of prenatal, childbirth, and neonatal services, and anthropometric data for mothers and infants. The authors performed a cross-sectional analysis of a systematic sample of 2,831 hospital births in São Luís, Maranhão State, from March 1997 to February 1998 at ten public and private maternity hospitals. The sample was stratified proportionally according to the number of births in each maternity hospital. Mothers answered a standard questionnaire. Of the total, 97.9% were live births and 98% were singletons. Prenatal coverage was 89.5%, and prevalence of cesarean sections was 33.8%. A physician provided prenatal care in 75.7% of cases and performed 73.8% of the deliveries. The Unified Health System covered the costs of 76.4% of the prenatal visits and 89.7% of the deliveries. A pediatrician was present in the delivery room in 50.2% of cases. The low birth weight rate was 9.6% and the preterm birth rate 13.9%. Reasons for concern included a high percentage of adolescent mothers, single mothers (or without partners), the high cesarean rate, and the high percentage of births attended by unqualified personnel.<hr/>Este artigo teve o objetivo de estimar indicadores sócio-econômicos, demográficos, saúde reprodutiva, utilização de serviços pré-natais e de atenção ao parto e ao recém-nascido, dados antropométricos da mãe e da criança. Foi realizado estudo transversal em amostra sistemática de 2.831 nascimentos hospitalares ocorridos em São Luís, estratificada por maternidades, com partilha proporcional ao número de nascimentos em cada unidade, no período de março de 1997 a fevereiro de 1998. Utilizou-se questionário padronizado respondido pela puérpera. Analisaram-se nascimentos em dez unidades de saúde, públicas e privadas, dos quais, 97,9%, eram nascidos vivos e 98% de parto único. A cobertura do pré-natal foi de 89,5%. A prevalência de cesarianas 33,8%. O médico realizou 75,7% do atendimento pré-natal e 73,5% dos partos. O Sistema Único de Saúde custeou 76,4% do atendimento pré-natal e 89,7% da assistência ao parto. O atendimento por pediatra em sala de parto foi de 50,2%. A taxa de baixo peso ao nascer foi de 9,6% e de prematuridade 13,9%. Alta porcentagem de mães adolescentes e sem companheiro, alta taxa de cesáreas e de partos assistidos por pessoal não qualificado, são razões para preocupação. <![CDATA[Body mass index and its relationship to nutritional and socioeconomic variables: a linear regression approach to a Brazilian adult sub-population]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600026&lng=en&nrm=iso&tlng=en This paper focuses on the relationship between body mass index (BMI) and family energy intake, occupational energy expenditure, per capita family expenditure, sex, age, and left arm circumference for a group of Brazilian adults randomly selected among those interviewed for a survey on food consumption and family budgets, called the National Family Expenditure Survey. The authors discuss linear regression methodological issues related to treatment of outliers and influential cases, multicollinearity, model specification, heteroscedasticity, as well as the use of two-level variables derived from samples with complex design. The results indicate that the model is not affected by outliers and that there are no significant specification errors. They also show a significant linear relationship between BMI and the variables listed above. Although the hypothesis tests indicate significant heteroscedasticity, its corrections did not significantly change the model's parameters, probably due to the sample size (14,000 adults), making hypothesis tests more rigorous than desired.<hr/>O artigo estuda, para um grupo de adultos brasileiros selecionados aleatoriamente dentre os entrevistados no ENDEF, a relação entre o índice de massa corporal (IMC) e as seguintes variáveis: ingestão de energia média na família; gasto energético para atividades laborais; despesa corrente per capita da família, sexo, idade e perímetro braquial. Também discute problemas inerentes ao uso de regressão linear no estabelecimento da relação entre variáveis de mais de um nível de observação (família e pessoa) obtidas por amostras complexas, e técnicas para o diagnóstico e tratamento da influência de pontos extremos, de multicolinearidade, de erros de especificação do modelo e de violação da pressuposição de homocedasticidade. Os resultados mostram que o modelo não é afetado por pontos extremos nem por multicolinearidade, não havendo indicação de erro de especificação. Testes aplicados indicam, no entanto, a presença de heterocedasticidade, cuja correção não acarreta modificação significativa nos parâmetros do modelo estimado. O artigo ressalta que o tamanho da amostra (cerca de 14.000 pessoas) faz com que os testes sejam mais rigorosos do que o desejado e conclui que há associação linear significativa entre o IMC e as variáveis indicadas. <![CDATA[Association between socioeconomic factors and infant deaths due to diarrhea, pneumonia, and malnutrition in a metropolitan area of Southeast Brazil: a case-control study]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600027&lng=en&nrm=iso&tlng=en A population-based case-control study was carried out to identify determinant factors for post-neonatal infant deaths due to diarrhea, pneumonia, and malnutrition in Greater Metropolitan Belo Horizonte, Southeast Brazil. From May 1, 1991, to April 30, 1992, 511 post-neonatal deaths due to diarrhea, pneumonia, and malnutrition were selected after investigation of medical records to validate cause of death. Of this total, 396 deaths were compared to a neighborhood control group, matched for age. The study was carried out in a low-income area with a high proportion of families living in shantytowns. The article discusses the methodology and selected socioeconomic factors. Logistic regression analysis indicated that number of household appliances, mother's and father's education, and mother's marital and work status were significantly associated with risk of infant death, i.e., they were determinants of infant deaths due to avoidable causes.<hr/>Para investigar fatores determinantes da mortalidade infantil pós-neonatal por diarréia, pneumonia e desnutrição, abordadas como um mesmo grupamento de causas, realizou-se um estudo caso-controle de base populacional na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No período de maio de 1991 a abril de 1992, foram estudados 396 óbitos após investigação hospitalar da causa de óbito, os quais foram comparados a crianças residentes na mesma vizinhança, emparelhadas por idade. A pesquisa foi realizada em uma população de baixa renda, sendo que a maioria das famílias entrevistadas residiam em favelas. Neste artigo se discute a metodologia utilizada e resultados relevantes relativos aos fatores sócio-econômicos associados às mortes infantis. Verificou-se que a existência de eletrodomésticos no domicílio, o nível de escolaridade materna e paterna, a situação conjugal da mãe e o fato desta trabalhar fora permaneceram estatisticamente associados ao risco de óbito infantil, após ajuste pelas variáveis sócio-econômicas consideradas, utilizando-se modelo de regressão logística condicional. Estes resultados evidenciam a importância do nível sócio-econômico na determinação dos óbitos infantis por causas evitáveis. <![CDATA[Traffic accidents in a city in Southern Brazil: an evaluation of coverage and quality of data]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600028&lng=en&nrm=iso&tlng=en The aim of this study was to analyze police coverage and the validity of data on emergency and hospitalization records as well as on death certificates for traffic casualties in Londrina, Paraná State, Brazil. Victims (3,643) of road accidents during the first semester of 1996 were investigated and followed up after 180 days to confirm whether death was due to the accident. Police data recorded only 32.5% of the casualties, the coverage being higher for car occupants (71.6%) and lower for cyclists (8.1%) and pedestrians (24.8%). Agreement was low between original information and that derived from investigation of death certificates (Kappa coefficient 0.10; 95% CI: 0.02-0.17), fair for hospitalization records (Kappa coefficient 0.33; 95% CI: 0.27-0.40), and substantial for emergency records (Kappa coefficient 0.63; 95% CI: 0.61-0.65). Results suggest that police data underestimate the number of traffic casualties and that it is necessary to improve the validity of medical records.<hr/>O objetivo do estudo foi o de avaliar a cobertura policial e a validade dos dados registrados em fichas de pronto-socorro, internação e nas declarações de óbito de vítimas de acidentes de transporte terrestre ocorridos em Londrina, Paraná, Brasil. Foram estudadas 3.643 vítimas resultantes de acidentes ocorridos no primeiro semestre de 1996, para as quais observou-se um prazo de seguimento de 180 dias para verificar a ocorrência de óbito devido ao acidente. A cobertura policial desses acidentes foi bastante baixa (32,5%) sendo maior para os ocupantes de carro (71,6%) e menor para ciclistas (8,1%) e pedestres (24,8%). A concordância entre as informações registradas originalmente e a obtida após investigação foi pequena nas declarações de óbito (coeficiente Kappa 0,10; IC 95%: 0,02-0,17) regular nas fichas de internação (coeficiente Kappa 0,33; IC 95%: 0,27-0,40) e substancial nas fichas de pronto-socorro (coeficiente Kappa 0,63; IC 95%: 0,61-0,65). Os resultados indicam que os registros policiais subestimam o número de vítimas por esses acidentes. Sugerem, ainda, ser necessário investir na melhoria da qualidade dessas informações, principalmente nos níveis de internação e óbito. <![CDATA[Access to food stamps and nutritional status of adults from Northeast and Southeast Brazil, 1997]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600029&lng=en&nrm=iso&tlng=en Access by adults ( > or = 20 years of age) to the Workers' Food Program was investigated in a probabilistic sample of the Brazilian population living in the Northeast and Southeast regions. Only 19.9% (Northeast = 11.7% and Southeast = 24.9%) of the working population were beneficiaries of the Program. Receiving the benefit increased in direct proportion to income in both regions, but with a huge gap in the NE: 19.% of individuals in the 5th income quintile and only 3.6% in the 1st quintile were beneficiaries of the Program. Overweight (BMI > or = 25kg.m-2) was more prevalent (38.5%) than underweight (BMI < 18.5). Underweight was more prevalent in women (6.1%) than men (3.4%). More overweight than underweight individuals were beneficiaries of the Program (31.7 and 23.5%, respectively). These data indicate that the Program fails to provide food supplementation to the most needy workers in the two regions of Brazil, i.e., its original target population.<hr/>Analisou-se, a partir dos dados da Pesquisa sobre Padrões de Vida (PPV) inquérito de base domiciliar realizado em 1996/97, nas regiões Sudeste e Nordeste do Brasil, a distribuição do recebimento de vale-refeição/cesta básica e sua relação com o estado nutricional (índice de massa corporal <FONT FACE=Symbol>-</FONT> IMC) de adultos com idade > ou = 20 anos. Do total da população ocupada, somente 19,9% recebia o benefício (24,9% no Sudeste e 11,7% no Nordeste) concentrando-se na área urbana (15,8% no Nordeste e 25,9% no Sudeste) e com aumento conforme a elevação da renda domiciliar per capita. Observou-se um quadro de sobrepeso (IMC > ou = 25) importante (38,5%) particularmente no Sudeste e na área urbana (<FONT FACE=Symbol>@</FONT> 41%). O baixo peso (IMC < 18,5) foi maior nas mulheres (6,1%) do que entre os homens (3,4%) e mais indivíduos com sobrepeso recebiam o benefício do que os com baixo peso (31,7 e 23,5%, respectivamente). Aparentemente, há uma inadequação entre as características do grupo alvo e o acesso a vale refeição (ou cesta básica) no Nordeste e Sudeste. <![CDATA[Socioeconomic and demographic indicators and nutritional status of children in a rural land settlement in Rio de Janeiro]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600030&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study evaluated socioeconomic indicators and nutritional status in 201 children and adolescents in a rural land settlement in São José da Boa Morte, Rio de Janeiro. Nutritional deficit was defined as a value below -2 z score for the reference median from the National Center for Health Statistics (NCHS) for weight-for-age (W/A) and stature-for-age (S/A) for children under five years of age and weight-for-stature (W/S) and S/A for children from 5.0 to 9.9 years. For adolescents, the study used cut-off points at the 5th percentile (thin) and 85th percentile (overweight) from the distribution of body mass index (BMI) in the Brazilian population. According to the study, 53.8% of the households had 4 to 6 members, 34.5% had rudimentary cesspools, 31.2% had no running water, 11.0% had no bathroom, 58.2% burned or buried their garbage, and 13.6% of the mothers were illiterate. No case of nutritional deficit was found in the 0-4.9 year age bracket, and in the 5-9.9 year bracket there were one underweight and three overweight children. The authors concluded that the low prevalence of nutritional deficits in the study group, despite the exposure to risk factors, may be related to the presence of protective factors like access to health services, and that there was an important rate of overweight among adolescents (13.3%).<hr/>Avaliou-se indicadores sócio-econômicos e perfil nutricional de 201 crianças e adolescentes do assentamento rural de São José da Boa Morte, Rio de Janeiro. Considerou-se déficit nutricional valores abaixo de -2 escore z da mediana da referência National Center for Health Statistics (NCHS) para os índices peso para idade (P/I) e estatura para idade (E/I) para os menores de 5 anos e peso para estatura (P/E) e E/I entre 5,0 a 9,9 anos. Para os adolescentes utilizou-se os cortes inferiores ao percentil 5 (magreza) e superiores ao percentil 85 (sobrepeso) da distribuição de índice de massa corporal (IMC) da população brasileira. Encontrou-se: 53,8% dos domicílios com 4 a 6 moradores, 34,5% com fossa rudimentar, 31,2% sem água canalizada, 11,0% sem banheiro, 58,2% queimavam ou enterravam o lixo e 13,6% das mães eram analfabetas. A faixa de 0 a 4,9 anos não apresentou nenhum tipo de déficit nutricional e entre 5 a 9,9 anos apenas um apresentou baixo peso e três sobrepeso. Concluiu-se que a baixa prevalência de déficits nutricionais no grupo estudado, apesar da exposição a fatores de risco, pode relacionar-se com a presença de fatores de proteção como o acesso a serviços de saúde e que o sobrepeso em adolescentes (13,3%) foi relevante. <![CDATA[HIV, HPV, and syphilis prevalence in a women's penitentiary in the city of São Paulo, 1997-1998]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600031&lng=en&nrm=iso&tlng=en Incarcerated women as a group are particularly vulnerable to infections. The lack of public programs for prevention, early diagnosis, and treatment contribute to the increase in the incidence and prevalence of diseases in general and especially sexually transmitted diseases. This article aims to estimate the prevalence of infection by the human immunodeficiency virus (HIV), human papillomavirus (HPV), and syphilis among inmates at the Women's Penitentiary in the State capital of São Paulo, Brazil. All inmates were invited to participate in the study, which was divided into two stages: 1. STD/AIDS preventive workshops including interviews and 2. laboratory tests. The interview covered knowledge of STD/AIDS, risk behavior, and individual reproductive health history. A total of 262 women, with a mean age of 32.4 years and limited schooling, participated in more than one stage of the study. Prevalence rates were 14.5% for HIV, 16.3% for high-oncogenic-risk HPV probes, 4.8% for low-oncogenic-risk HPV probes, and 5.7% for syphilis. The authors conclude that STD/HIV constitute a serious health problem in the prison system, requiring urgent preventive measures.<hr/>Mulheres encarceradas constituem um grupo especialmente vulnerável a infecções. A inexistência de programas oficiais de diagnóstico precoce, tratamento e prevenção contribuem para o aumento da incidência e prevalência de doenças, sobretudo as transmitidas sexualmente. Este artigo objetiva estimar a prevalência de infecção por HIV, HPV e sífilis em mulheres da Penitenciária Feminina da Capital <FONT FACE=Symbol>-</FONT> São Paulo/Brasil. Todas as mulheres da unidade prisional foram convidadas a participar do estudo que foi dividido em duas fases: (1) oficinas de prevenção às DST/AIDS e entrevista; (2) exames laboratoriais. A entrevista abordou conhecimento sobre as DST/AIDS, comportamento de risco e história reprodutiva. O total de 262 mulheres, com idade média de 32,4 anos e baixo nível de escolaridade, participou em mais de uma etapa do estudo. Foram observadas prevalências de 14,5% para infecção por HIV, 16,3% com sondas de HPV de alto potencial oncogênico, 4,8% com sondas de HPV de baixo potencial oncogênico e 5,7% para sífilis. Conclui-se que as DST/HIV constituem grave problema de saúde no sistema penitenciário que justificam medidas preventivas urgentes. <![CDATA[Arterial hypertension among oil-drilling workers exposed to noise]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600032&lng=en&nrm=iso&tlng=en A cross-sectional study with a retrospective component was conducted to evaluate occupational noise exposure as a potential risk factor for arterial hypertension among 775 workers from an oil-drilling industry. Hypertension was defined as > or = 140/90mmHg. Occupational noise exposure was measured as: (1) exposure to sound pressure levels > or = 85dbA for 10 years or more and (2) moderate-to-severe noise-induced hearing loss (NIHL). The effects of age, education, shift work, and obesity were evaluated by stratification and logistic regression analysis. A positive association between occupational noise exposure and hypertension was found, using both the level/duration of noise exposure (RP = 1.8; 95% CI: 1.3-2.4) and NIHL (RP = 1.5; 95% CI: 1.1-2.0) as exposure indicators. Considering the study limits, long-term occupational noise exposure thus appears to be a risk factor for arterial hypertension.<hr/>Realizou-se um estudo transversal, com componente retrospectivo, buscando analisar a exposição ocupacional a ruído como possível fator de risco para a hipertensão arterial entre 775 trabalhadores de uma área de perfuração de petróleo. Considerou-se hipertensos os trabalhadores com pressão sangüínea > ou = 140/90mmHg. A exposição ocupacional a ruído foi avaliada através de dois indicadores: (1) exposição à pressão sonora > ou = 85dbA por 10 ou mais anos e (2) perda auditiva induzida pelo ruído (PAIR) de moderada a severa. Os efeitos da idade, escolaridade, trabalho de turno e obesidade foram avaliados através de técnicas de estratificação e análise de regressão logística. Associação positiva entre exposição ocupacional a ruído e hipertensão arterial foi evidenciada, usando-se tanto nível/duração de exposição a ruído (RP = 1,8; IC 95%: 1,3-2,4), quanto diagnóstico de PAIR (RP = 1,5; IC 95%: 1,1-2,0) como indicadores de exposição. Considerados os limites do estudo, exposição ocupacional prolongada a ruído parece ser um fator de risco para a hipertensão arterial. <![CDATA[Changes in the Declaration of Helsinki: economic fundamentalism, ethical imperialism and social control]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600033&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study is a critical reflection on attempts to alter the Declaration of Helsinki, a key document of the democratic theses achieved in the latter half of the 20th century and thus a legacy for humanity because of its ethical guidelines for research involving human beings. Therefore, there must be worldwide social control over such a document, and any change in it demands ample debate with international participation to avoid any reversal in its humanitarian thrust. The study analyzes current aspects of research with human subjects in so-called "outlying" or "developing" countries. It also brings a social and political focus to the matter, highlighting that the economic fundamentalism exercised by wealthy countries inevitably leads to an ethical imperialism, exposing communities of poor countries to even greater vulnerability, discrimination, and social exclusion.<hr/>O presente trabalho consiste em uma reflexão crítica sobre as tentativas de alterações na Declaração de Helsinki, entendida como um dos documentos que representam as teses democráticas vencedoras da segunda metade do século passado, portanto, patrimônio da humanidade, pelo seu valor de referência como diretrizes éticas a serem observadas em pesquisas envolvendo seres humanos. Assim, o controle sobre tal documento deve ser coletivo, mundial, societário, e qualquer mudança suscita amplo debate, participação e discussão, visando-se evitar algum retrocesso humanitário. Este estudo analisa alguns fatos atuais relacionados com pesquisas com sujeitos humanos, desenvolvidas em países chamados "periféricos" ou "em desenvolvimento". E, também, faz uma interpretação sócio-política da questão, em que se evidencia que o fundamentalismo econômico por parte dos países ricos resulta em um inevitável imperialismo ético, expondo ainda mais as comunidades dos países pobres à vulnerabilidade, discriminação e exclusão social. <![CDATA[Prevalence of canine filariasis by <I>Dirofilaria immitis</I> and <I>Dipetalonema reconditum</I> in Maceió, Alagoas State, Brazil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600034&lng=en&nrm=iso&tlng=en A survey on the prevalence of Dirofilaria immitis and Dipetalonema reconditum was conducted in 1,519 dogs from Maceió and two coastal areas in the State of Alagoas, Northeast Brazil, from 1995 to 1999, by testing for microfilariae in blood. All blood samples were from exclusively domiciled dogs with a known history, showing that the infections were autochthonous, confirming transmission of canine filariasis in these areas. In Greater Metropolitan Maceió, 15 (1.3%) microfilaremic dogs were detected with D. immitis and 15 (1,3%) with D. reconditum. In the southern coastal area there was an estimated prevalence of 12.7% for D. immitis. D. immitis and D. reconditum microfilaria were 298.1µm and 249.2µm long and 7.3µm and 4.4µm wide, respectively. A Witness immunotest that detects D. immitis antigen was used to confirm parasitological results and reveal occult dirofilariasis cases. Of the total 6,579 females examined, 8 (0.1%) Culex quinquefasciatus were observed to be naturally infected with D. immitis larvae. These results proved dirofilariasis transmission in Maceió and demonstrated D. reconditum in the same geographic area.<hr/>A prevalência da filariose canina causada por Dirofilaria immitis e Dipetalonema reconditum, foi estimada após a realização de inquérito hemoscópico em 1.519 cães domiciliados. Foram examinados 1.097 cães nos sete distritos sanitários da cidade de Maceió, Alagoas, 204 na Ilha de Santa Rita e 218 na cidade de Paripueira. Em Maceió, foram detectados 15 (1,3%) cães com microfilárias (MF) de D. immitis e 15 (1,3%) com MF de D. reconditum. Todos os casos positivos foram considerados autóctones. As MF de D. immitis e de D. reconditum mediram 298,1µm e 249,2µm de comprimento e 7,3µm e 4,4µm de largura, respectivamente. Além do diagnóstico parasitológico pela técnica de gota espessa (100µL), foi utilizado o teste imunológico Witness, para detecção de antígeno filarial circulante, o qual confirmou os dados parasitológicos e permitiu a detecção de casos de infecção oculta. De um total de 6.579 fêmeas examinadas, pertencentes a seis espécies de mosquitos, oito (0,1%) fêmeas de Culex quinquefasciatus foram encontradas naturalmente infectadas com larvas de D. immitis. Estes resultados demonstram a presença simultânea de D. immitis e D. reconditum na mesma área geográfica. <![CDATA[A biographical profile of Nelson Chaves and his contribution to nutrition in public health in Brazil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600035&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study focuses on the academic and intellectual career of scientist Nelson Chaves, founder of the Nutritionists School and the Institute of Nutrition at the Federal University in Pernambuco. The methodology was based on quantitative and qualitative analyses of this author's scientific production, published from 1932 to 1982. Beginning with his search for solutions to malnutrition children from the Zona da Mata region in Pernambuco, this scientist created what is commonly called the humanist-ecological paradigm of the Brazilian nutritional issue, thus contributing to the institutionalization of the field of nutrition in public health throughout Brazil.<hr/>O objetivo deste trabalho foi investigar a trajetória acadêmico-intelectual do cientista Nelson Chaves, fundador do Curso de Nutricionistas e do Instituto de Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco. A metodologia utilizada baseou-se em uma análise quanti-qualitativa da produção científica deste autor, publicada no período de 1932 a 1982. Os resultados do estudo procuram demonstrar que, valendo-se das suas preocupações em buscar soluções para a problemática da desnutrição infantil na Zona da Mata pernambucana, este cientista construiu o que chamamos de paradigma ecológico-humanista da questão nutricional brasileira, contribuindo para a institucionalização do campo da nutrição em saúde pública em todo território nacional. <![CDATA[Biological warfare, bioterrorism and public health]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600036&lng=en&nrm=iso&tlng=en Biological agents as weapons are not new to mankind. For centuries and into the present, biological warfare has been the subject of much research and speculation, but little action. Their limited use has probably been due to fear of unexpected counter-effects and doubts about their efficiency as weapons. Recently a new form of terrorism employing infectious agents has emerged slowly and without much fanfare, until the recent events with Bacillus anthracis in the United States. Smallpox is potentially the most devastating of these agents. Less than 25 years after the eradication of smallpox, the public health field is now forced to deal with the possibility of its re-introduction. The author discusses the scenario of smallpox re-introduction into Brazil.<hr/>O uso de agentes biológicos como arma não é novidade para a humanidade. Durante séculos, até a atualidade, a guerra biológica tem sido objeto de muita pesquisa e especulação, mas de pouca ação. O medo de efeitos contrários e dúvidas sobre sua eficiência como armas devem ter limitado seu uso. Recentemente, se verificou uma nova forma de terrorismo, empregando agentes infecciosos, devagar e sem muito alarde, até as ocorrências recentes com o Bacillus anthracis nos Estados Unidos. A varíola é possivelmente o mais devastador desses agentes. Menos de 25 anos passados desde sua erradicação, a saúde pública tem que lidar com a possibilidade de sua re-introdução. O cenário da re-introdução da varíola no Brasil é discutido. <![CDATA[Smallpox, an old foe]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600037&lng=en&nrm=iso&tlng=en Smallpox has accompanied mankind for centuries, causing deaths and permanent lesions. Used in the past as a biological weapon during wars, it has come into focus again precisely because of this renewed possibility, although the disease has been eradicated in the Americas since 1971 and worldwide since 1977. Data gathered during the eradication campaigns show that the disease spread relatively slowly through close contacts between patients and susceptibles. Sub-clinical infection in non-vaccinated individuals was a rare event, and blockade vaccination surrounding new cases (as long as these cases were confirmed early) was able to prevent the disease from spreading in the community. Even with only one dose, vaccinated individuals rarely developed a serious case of the disease upon reinfection. The use of smallpox as a biological weapon should be considered a real possibility, although according to the available data, highly virulent viral suspensions spread very close to the target population would be necessary to infect a large number of persons.<hr/>A varíola acompanhou o homem por muitos séculos, causando mortes e lesões graves e irreversíveis. Usada como arma biológica em situações de guerra, volta a ser tema de discussão no mundo exatamente por essa possibilidade, apesar de ter sido erradicada das Américas em 1971, e do mundo em 1977. Os dados acumulados durante as Campanhas de Erradicação, mostram que a infecção se disseminava com relativa lentidão, através de contato muito próximo do receptor com o paciente. Infecções sub-clínicas em não-vacinados eram raras e vacinações de bloqueio em torno de novos casos, desde que estes fossem identificados e confirmados com rapidez, eram capazes de impedir a disseminação da infecção. As transmissões indiretas através de aerossóis eram menos comuns. Vacinados mesmo uma única vez, raramente apresentavam doença grave, no caso de reinfecção. A possibilidade de uso do vírus da varíola como arma biológica deve ser considerada como real, apesar de, com base nos conhecimentos atuais, serem necessárias suspensões virais de alta potência, lançadas muito próximo das pessoas a serem atingidas em grande número. <![CDATA[<B>Common vampire bat attacks on humans in a village of the Amazon region of Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600038&lng=en&nrm=iso&tlng=en Many people in Amazonian communities have reported bat bites in the last decade. Bites by vampire bats can potentially transmit rabies to humans. The objective of this study was to analyze factors associated with bat biting in one of these communities. A cross-sectional survey was conducted in a village of gold miners in the Amazonian region of Brazil (160 inhabitants). Bats were captured near people's houses and sent to a lab. Of 129 people interviewed, 41% had been attacked by a bat at least once, with 92% of the bites located on the lower limbs. A logistic regression found that adults were bitten around four times more often than children (OR = 3.75, CI 95%: 1.46-9.62, p = 0.036). Males were bitten more frequently than females (OR = 2.08, CI 95%: 0.90-4.76, p = 0.067). Nine Desmodus rotundus and three frugivorous bats were captured and tested negative for rabies. The study suggests that, in an area of gold miners, common vampire bats are more likely to attack adults and males. The control strategy for human rabies developed in this region should therefore place special emphasis on adult males. There should also be more research on how the search for gold in the Amazonian region places people and the environment at risk.<hr/>Agressões de morcegos a pessoas vêm sendo notificadas em várias comunidades amazônicas nesta última década. Isto constitui um risco potencial para a raiva humana transmitida por morcegos. O objetivo deste estudo foi de analisar fatores associados a estas agressões em uma destas comunidades. Foi realizado um estudo transversal em um povoado de garimpeiros na Região Amazônica brasileira (160 habitantes). Foi realizada a captura de morcegos junto às casas e foram enviadas amostras para o laboratório. Das 129 pessoas entrevistas, 41% foram agredidas por morcegos pelo menos uma vez, com 92% das mordidas localizadas nos dedos dos pés. Por meio de regressão logística, encontrou-se que adultos eram agredidos ao redor de quatro vezes mais do que crianças (OR = 3,75, IC: 1,46-9,62, p = 0,036). Homens foram agredidos com maior freqüência do que mulheres (OR = 2,08, IC: 0,90-4,76, p = 0,067). Nove Desmodus rotundus e três morcegos frugívoros foram capturados e resultaram negativos para a raiva. O estudo sugere que, em áreas de garimpo, adultos do sexo masculino têm maior probabilidade de serem agredidos por morcegos. As ações de controle para a raiva humana a serem desenvolvidas nestes lugares devem dar ênfase especial a adultos homens. Recomendam-se mais investigações sobre o modo como o garimpo na Região Amazônica está colocando em risco as pessoas e o ambiente. <![CDATA[Risk factors for breast cancer among rural Teréna Indian women in the State of Mato Grosso do Sul, Brazil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600039&lng=en&nrm=iso&tlng=en In order to evaluate the distribution of selected risk factors for breast cancer among Teréna Indian women in the State of Mato Grosso do Sul, Brazil, two samples were interviewed, respectively, in 1995 (330 women from ten Indian villages) and 1997 (40 women from the Limão Verde village). Reproductive history, diet characteristics, and family and personal medical history were investigated and body mass index was measured. In the larger sample, mean age at menarche was 12.3 years (30% at 13 years old or later), 86% of women reported one or more pregnancies (42% reporting 5 or more), 71% reported three or more pregnancies, mean age at first pregnancy was 18.9 years (3.8% after 28 years), mean duration of breastfeeding was 84 months, and 70% reported menopause before age 50. Dietary pattern in the smaller sample revealed a high intake of fruits, vegetables, pasta, and tubers and scarce intake of red meat and chicken; 50 of the women (95% CI: 34.1-65.9) presented overweight (BMI 25-29) and 27% (95% CI: 15.1-44.1) obesity (BMI > 29).<hr/>Com o objetivo de se avaliar a distribuição de fatores de risco em mulheres indígenas Teréna no Estado do Mato Grosso do Sul, duas amostras destas foram entrevistadas, respectivamente em 1995 (330 mulheres voluntárias de dez aldeias teréna de área rural) e em 1997 (quarenta mulheres da Aldeia de Limão Verde). Os padrões de vida reprodutiva, dieta, antecedentes patológicos pessoais e familiares foram levantados, bem como a determinação do índice de massa corporal (IMC). Na maior amostra, observou-se que a idade média à menarca foi de 12,3 anos (30% das mulheres referindo-a aos 13 anos ou mais), 86% das mulheres com antecedentes de uma ou mais gestações (42% com cinco ou mais), 71% com antecedentes de três ou mais gestações, idade média à primeira gestação de 18,9 anos (3.8% com 28 anos ou mais), aleitamento materno com duração média de 84 meses, e 70% das mulheres menopausadas antes dos cinqüenta anos de idade. O padrão referido de dieta na menor amostra revela elevado consumo de frutas, legumes, raízes e macarrão, com ingestão escassa de carne vermelha e frango, observando-se que 50% (IC 95%: 34.1-65.9) das mulheres apresentaram sobrepeso (IMC 25-29) e 27% (IC 95%: 15.1-44.1) obesidade (IMC > 29). <![CDATA[Dental mutilation: rural workers' concepts of responsibility for tooth loss]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600040&lng=en&nrm=iso&tlng=en Brazilian oral hygiene institutions have promoted tooth extraction as a dental health practice. This article investigates the issue of dental loss within a rural drought area in the State of Bahia. Based on verbal information provided by local inhabitants, the author investigates dental extraction as perceived by the community, i.e., as a commonplace fact. The main goal is to analyze both representations of the oral cavity based on individual experiences and their associations with oral care practices, derived from the social reality in which they are immersed. The author considers the issues of both individual responsibility and that of government agencies and dentists.<hr/>O desdentamento no Brasil é uma prática instituída pelas instâncias de Saúde Bucal como cuidado sanitário. Este artigo apresenta a questão da perda de dentes, investigada em uma área rural de um município da Bahia, localizado no polígono das secas. A autora examina o desdentamento como fato corriqueiro entre os membros desse segmento rural, apoiada no discurso como elemento básico de informação. Seu objetivo principal é analisar as representações sobre a boca, reveladas a partir das experiências individuais, assim como as associações feitas pelos atores sobre práticas corporais (bucais), decorrentes da realidade social onde eles se encontram imersos, sendo a partir daí colocada a responsabilidade individual da perda dentária, assim como a do Estado e a dos praticantes da Odontologia. http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600041&lng=en&nrm=iso&tlng=en http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600042&lng=en&nrm=iso&tlng=en http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600043&lng=en&nrm=iso&tlng=en http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000600044&lng=en&nrm=iso&tlng=en