Scielo RSS <![CDATA[Cadernos de Saúde Pública]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=0102-311X20070003&lang=en vol. 23 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<B>Brazilian policy for influenza vaccination and its impact on the health of the elderly</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Does AIDS have a race or color? Data interpretation and health policymaking in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>Debate on the paper by Fry et al</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>The authors reply</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nos últimos anos observa-se uma ênfase numa suposta associação entre a epidemia de AIDS e a "população negra" no Brasil. Após proceder uma análise do banco de dados sobre a ocorrência de HIV/AIDS no Brasil, o presente estudo examina o contexto sóciopolítico envolvido na definição de políticas públicas de recorte racial no campo da saúde. Argumentamos que questões ligadas à qualidade dos dados, à estruturação do sistema de informação e ao uso e interpretação das informações são elementos essenciais na compreensão do processo em curso. Especificamente, procuramos mostrar que os dados epidemiológicos disponíveis não são suficientes para sustentar a interpretação de que existe uma associação específica entre "população negra" e AIDS no país. Salientamos que a ênfase nessa suposta associação faz parte de uma dinâmica relacionada à construção do campo da "saúde da população negra" em anos recentes, que se vincula a processos mais amplos de inter-relação entre ativismo político e relação com o Estado, que transcendem a área da saúde.<hr/>Over the last few years we have observed a growing emphasis on a supposed relationship between the AIDS epidemic and the "black population" in Brazil. After undertaking an analysis of the national data base of HIV/AIDS in Brazil, this study examines the sociopolitical context in which public policy with a focus on "race" has been defined. We argue that questions related to the quality of the data, the structuring of the information system itself and the use and interpretation of this information are all essential elements for understanding the process underway. Specifically we aim to show that the available epidemiological data are not sufficient to warrant the interpretation that there is in fact a relationship between the "black population" and AIDS in the country. We stress that the emphasis on this supposed association is part of a more general process of construction of the field of the "health of the black population" in recent years and that this is related to interrelationships between political activism and the State which go far beyond the field of health. <![CDATA[<B>The importance of essential fatty acids and the effect of <I>trans</I> fatty acids in human milk on fetal and neonatal development</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300011&lng=en&nrm=iso&tlng=en A prática da amamentação tem grande impacto do ponto de vista da saúde pública, pois o leite materno é o melhor alimento a ser oferecido até o sexto mês de vida da criança. A fração lipídica do leite representa a maior fonte de energia para crianças e fornece nutrientes essenciais, tais como vitaminas lipossolúveis e ácidos graxos poliinsaturados (AGPI). Os ácidos graxos essenciais (AGE) linoléico (LA, 18:2n-6) e alfa-linolênico (ALA, 18:3n-3) são precursores dos ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa (AGPI-CL), incluindo os ácidos docosahexaenóico (DHA) e araquidônico (ARA). A qualidade dos lipídios no leite secretado está diretamente relacionada com a ingestão materna. Os AGPI-CL são importantes na proteção contra alergia e infecções, no processo visual e no desenvolvimento cognitivo na infância. O processamento industrial de alimentos introduziu os ácidos graxos trans (AGT) entre os nutrientes disponíveis à população. Os AGT podem interferir no metabolismo dos AGE, diminuindo a síntese de DHA e ARA. Portanto, nos parece relevante esclarecer a população sobre a importância de um aporte adequado de AGPI e reduzido de AGT durante o período de desenvolvimento pré e pós-natal.<hr/>Breastfeeding has a major impact on public health, since human breast milk is the best food for infants up to six months of age. The lipid fraction in human milk is the main source of energy for the infant and supplies essential nutrients such as fat-soluble vitamins and polyunsaturated fatty acids (PUFA). Essential fatty acids (EFA), specifically linoleic acid (LA, 18:2n-6) and alpha-linolenic acid (ALA, 18:3n-3), are precursors of long-chain polyunsaturated fatty acids (LC-PUFA), including docosahexaenoic (DHA) and arachidonic (ARA) acids. Quality of lipids in secreted milk is precisely related to maternal ingestion. LC-PUFAs protect against allergy and infection and are important for visual and cognitive development in infancy. Industrial food processing has introduced the trans fatty acids (TFA) among the nutrients available to the population. TFA can interfere with the metabolism of essential fatty acids by decreasing LC-PUFA synthesis. It is thus important to raise population awareness on the importance of adequate PUFA consumption and reduced TFA intake during prenatal and postnatal development. <![CDATA[<B>Social actors in HIV/AIDS prevention</B>: <B>opposition and interests in educational policy in Mexico, 1994-2000</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estudios y recomendaciones de organismos sanitarios han resaltado la importancia de la educación en la prevención del VIH/SIDA. En México, se han incluido temas sobre sexualidad y VIH/SIDA en los programas escolares. El hecho motiva resistencias de algunos actores sociales, este trabajo busca clarificar sus posiciones e intereses, y su influencia en los contenidos los libros de texto. Se realizó una investigación documental con fuentes hemerográficas publicadas en el periodo en que se realizó la última reforma educativa. Se hizo un análisis del discurso con el enfoque de la etnografía de la comunicación que identificó: posición de los actores, argumentos, acciones, poder económico y político y relación con otros. Los resultados muestran que los opositores se basan en una ideología de la tradición, contraria a la modernización y secularización de la vida social, sus posiciones varían del rechazo al condicionamiento. Han formado redes que les confieren poder económico y político significativos. El Estado ha cedido a algunas demandas modificando parcialmente los libros. El análisis plantea reflexionar sobre las repercusiones potenciales tales acciones en el control de la epidemia.<hr/>Studies and recommendations by health agencies have emphasized the importance of education in HIV-AIDS prevention. Mexico has included topics on sexuality and HIV-AIDS in school programs, triggering resistance by some social actors. The current study seeks to clarify the various positions and interests and their influence on the textbook content. A literature search was conducted on the period during which the last educational reform was implemented in Mexico. The discourse analysis focused on the ethnography of communication, which identified: the various actors' positions, arguments, actions, economic and political power, and relations to others. The results show that those who oppose the inclusion of these themes in the school curriculum base their position on tradition, contrary to modernization and secularization of social life, and that their positions range from refusal to raising conditions. Networks have been formed that provide such groups with significant economic and political power. Government has given in to some demands by partially modifying the textbook contents. The current analysis proposes to reflect on the potential repercussions of such actions on the control of the epidemic. <![CDATA[<B>Tuberculosis in Rio de Janeiro prisons, Brazil</B>: <B>an urgent public health problem</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Em 2004, a taxa de incidência da tuberculose nas prisões do Estado do Rio de Janeiro, Brasil, foi trinta vezes superior à da população geral do Estado. Essa taxa provavelmente é subestimada, especialmente pela dificuldade de acesso ao serviço de saúde nesse ambiente. Com o objetivo de melhor avaliar a situação, um primeiro inquérito radiológico sistemático foi realizado e mostrou taxa de prevalência de 4,6% (prisão A, n = 1.052). Dois inquéritos adicionais revelaram, nas unidades B (n = 590) e C (n = 1.372), taxas maiores (6,3% e 8,6%, respectivamente). A comparação das características sócio-demográficas das prisões A, B e C mostrou que a população encarcerada não é homogênea. Em comparação com prisão A, os indivíduos encarcerados nas prisões B e C são oriundos de comunidades mais desfavorecidas e têm mais freqüentemente história de encarceramento anterior e de tuberculose. Essas diferenças, coerentes com os dados de prevalência, implicam a adaptação das medidas de controle da tuberculose ao perfil epidemiológico e sócio-demográfico de cada unidade prisional.<hr/>The tuberculosis incidence rate in prisons in Rio de Janeiro State, Brazil, was 30 times higher in 2004 than in the general population and is probably underestimated, particularly given the difficult access to care in the prison setting. To obtain a better estimate, a survey used systematic X-ray screening and showed a prevalence rate of 4.6% in one such detention facility, A (n = 1,052). Two additional surveys, in facilities B (n = 590) and C (n = 1,372), showed even higher prevalence rates (6.3% and 8.6% respectively). A comparison of socio-demographic characteristics between A, B, and C showed a heterogeneous prison population. As compared to facility A, inmates in B and C come from poorer urban communities and have more frequent histories of incarceration and tuberculosis. These differences, consistent with the prevalence data, imply the necessary adaptation of tuberculosis control programs to each detention facility's epidemiological and socio-demographic profile. <![CDATA[<B>Dietary factors and oral cancer</B>: <B>a case-control study in Greater Metropolitan São Paulo, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300014&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste estudo, investigou-se os fatores dietéticos associados com o câncer oral, em um estudo tipo caso-controle de base hospitalar no Município de São Paulo, Brasil, entre 1998 e 2002. Participaram 835 indivíduos, sendo 366 casos incidentes de câncer de cavidade oral ou faringe e 469 controles. Os dados de consumo alimentar foram obtidos por um Questionário de Freqüência Alimentar (QFA). Os valores de odds ratio (OR) e intervalos com 95% de confiança (IC95%) foram estimados por regressão logística não condicional, ajustada por potenciais fatores de confusão. Verificaram-se associações inversas entre o câncer oral e o consumo mais elevado de feijão, OR = 0,37 (IC95%: 0,22-0,64), vegetais crus, OR = 0,51 (IC95%: 0,29-0,93) e para o tercil intermediário de arroz e massas, OR = 0,56 (IC95%: 0,38-0,83). Associações diretas foram observadas para o mais elevado consumo de ovos, OR = 1,84 (IC95%: 1,23-2,75), batata, OR = 2,22 (IC95%: 1,53-3,25) e leite, OR= 1,80 (IC95%: 1,09-2,98). Alimentos básicos da dieta do brasileiro, como arroz e feijão, emergiram como fatores de proteção para o câncer oral, independente de outros fatores de risco.<hr/>Dietary factors associated with oral cancer were investigated in a case-control hospital-based study in the city of São Paulo, Brazil, from 1998 to 2002. A total of 835 subjects, 366 with histologically confirmed incident cases of oral-cavity or pharyngeal cancer and 469 controls participated in the study. Dietary data were collected with a food frequency questionnaire (FFQ). Odds ratios (OR) and 95% confidence intervals (95%CI) were obtained from unconditional logistic regression, adjusted for potential confounders. Inverse associations with risk of oral cancer were found for the highest intake of beans, OR = 0.37 (95%CI: 0.22-0.64), raw vegetables, OR = 0.51 (95%CI: 0.29-0.93) and the intermediate tertile of rice and pasta intake, OR = 0.56 (95%CI: 0.38-0.83). Positive associations were observed for the highest intake of eggs, OR = 1.84 (95%CI: 1.23-2.75), potatoes, OR = 2.22 (95%CI: 1.53-3.25), and milk, OR= 1.80 (95%CI: 1.09-2.98). Some traditional Brazilian foods like rice and beans emerged as protective factors against oral cancer, independently of other risk factors. <![CDATA[<B>Why do men use health services less than women?</B> <B>Explanations by men with low versus higher education</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300015&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo tem como objetivo analisar as explicações presentes em discursos masculinos para a pouca procura dos homens por serviços de saúde. O método do estudo baseia-se numa abordagem de pesquisa qualitativa. A representação do cuidar como tarefa feminina, as questões relacionadas ao trabalho, a dificuldade de acesso aos serviços e a falta de unidades especificamente voltadas para a saúde do homem são os principais motivos expressos pelos sujeitos para a pouca procura pelos serviços de saúde. Conclui-se, dentre outros aspectos, que o imaginário social que vê o homem como ser invulnerável acaba contribuindo para que ele menos se cuide e mais se exponha a situações de risco.<hr/>The objective of this study was to analyze explanations in male discourse for men's relatively limited use of health services, using a qualitative methodology. Representation of caring as a female task, work-related issues, difficult access to services, and lack of services specifically targeting men's health were the main reasons for their limited use of health services. By way of conclusion, the social imaginary by which men are viewed as invulnerable leads them to take less care of their own health and expose themselves to greater risk. <![CDATA[<B>Governance and regulation in health</B>: <B>challenges for health management in Greater Metropolitan São Paulo, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300016&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo discute a relação público/privado no Sistema Único de Saúde (SUS) da perspectiva do gestor municipal, a partir de pesquisa cujo objetivo foi identificar estratégias e mecanismos de governança na relação público/privado do setor saúde na busca da eqüidade na Região Metropolitana de São Paulo, Brasil. Governança é ferramenta analítica. O problema é a regulação do sistema de saúde. O material para análise foi obtido por meio de entrevistas com secretários municipais e estaduais de saúde, conselheiros e técnicos do SUS. Assim, foi possível agregar os resultados em: (a) mecanismos e instrumentos de regulação; (b) espaços de poder; e (c) posição do ator SUS sobre a relação público/privado. Há mecanismos e instrumentos de regulação utilizados nos municípios para serviços estatais. Para o setor complementar e suplementar a ação regulatória, neste nível de gestão, praticamente inexiste. Os espaços de poder institucionais são inúmeros e reconhecidos como lugares para encaminhamento de demandas mais do que fóruns de pactuação. Apesar dos avanços, a governança se apresentou como de tipo formalista. O debate da regulação na relação público/privado mostrou-se necessário para avanços na gestão do sistema.<hr/>This paper discusses the relationship between the public and private sectors in the Unified National Health System (SUS), based on research whose objective was to identify governance strategies and mechanisms for public/private relations in the health sector, considering the search for equity in Greater Metropolitan Sao Paulo, Brazil. Governance was used as an analytical category, with health system regulation as the issue. Municipal and State health secretaries, members of health councils, and SUS staff were interviewed, and the empirical material was classified as: (a) regulatory mechanisms and instruments; (b) power loci; and (c) actors' positions concerning the SUS and its relationship to the private sector. Mechanisms and instruments have been created and used in the municipalities for regulation of their own services. Regulatory measures for the complementary and supplementary healthcare sector are practically nonexistent. There are numerous institutional power loci, seen more as places for submitting demands than as forums for negotiation. Despite some progress, governance appears to be more of a formal issue. Discussion is needed on the relationship between the public and private sectors and its regulation by municipalities in order to improve the health system. <![CDATA[<B>Risk of repeated hospitalizations in elderly users of an academic health center</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300017&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste trabalho foi estratificar 305 idosos com 65 anos ou mais, atendidos em um Centro de Saúde Escola (Botucatu, São Paulo, Brasil), quanto à probabilidade de admissão hospitalar repetida. Os dados foram coletados por meio de um instrumento de avaliação do risco de admissão hospitalar repetida, constituído por oito indicadores de saúde: autopercepção da saúde, hospitalização, consultas médicas, diabetes, doença cardiovascular, sexo, apoio social e idade. Verificou-se que 56,4% dos entrevistados apresentaram baixa probabilidade de admissão hospitalar repetida; 26,9%, média; 10,5%, média-alta; e 6,2%, alta. Na associação dos indicadores de saúde com a probabilidade de admissão hospitalar repetida, observou-se que, para idosos classificados como sendo de riscos médio, médio-alto e alto, em relação àqueles com baixo, os riscos relativos foram significativos: saúde média ou ruim (2,31); hospitalização (2,38); mais de três consultas médicas (1,75); diabetes (2,10); doença cardiovascular (2,76); homens (1,68); e 75 anos ou mais (1,62). Constatou-se que o instrumento utilizado possibilitou a estratificação dos idosos quanto ao risco de serem hospitalizados repetidas vezes, o que pode contribuir para propostas de reorganização dos serviços de saúde.<hr/>The aim of this study was to stratify 305 elderly (> 65 years) treated at an academic health center (Botucatu, São Paulo, Brazil) according to risk of repeated hospitalization. Data collection used an instrument to evaluate risk of repeated hospital admissions, including eight health indicators: self-rated health, hospitalizations, doctor visits, diabetes, cardiovascular disease, gender, social support, and age. 56.4% of interviewees presented low probability of repeated hospitalization, as compared to 26.9% medium, 10.5% medium-high, and 6.2% high probability. Combining health indicators with the probability of repeated hospitalization, for elderly classified as medium, medium-high, and high risk compared to low, the relative risk was significant: medium or bad health (2.31); hospitalization (2.38); > 3 doctor visits (1.75); diabetes (2.10); cardiovascular disease (2.76); male gender (1.68); and > 75 years of age (1.62). The instrument was able to stratify elderly at risk of repeated hospitalization and is thus useful for reorganizing public health services. <![CDATA[<B>Dental caries activity in primary dentition, Indaiatuba, São Paulo, Brazil, 2004</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300018&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os objetivos deste trabalho foram verificar a atividade de cárie, além de conhecer a experiência de cárie (ceod), necessidades de tratamento e defeitos de esmalte em pré-escolares de cinco anos de idade. Examinaram-se 624 crianças de Indaiatuba, São Paulo, Brasil, em 2004, selecionadas por meio de processo amostral aleatório sistemático. Para medir a experiência de cárie e necessidade de tratamento adotou-se os critérios da OMS. Para a atividade de cárie, optou-se por uma simplificação dos critérios de diagnóstico de Nyvad et al. Na análise estatística utilizaram-se os testes Mann Whitney e qui-quadrado com nível de significância de 5%. 40,5% dos pré-escolares apresentaram atividade de cárie. O ceod foi de 1,62 (IC95%: 1,35-1,89). Entre os doentes (ceod > 0) o ceod foi 3,81 (IC95%: 3,36-4,26), ainda neste grupo, 91,4% das crianças apresentaram atividade de cárie. O índice de cuidados foi de 12,3%. Sugere-se que medidas de prevenção e tratamento direcionadas a essa população continuem sendo priorizadas, uma vez que as medidas de controle e paralisação da cárie em seus estágios iniciais são bem conhecidas. Além disso, recomenda-se cuidado direcionado aos pré-escolares com maior experiência de cáries.<hr/>This study aimed to verify caries activity and analyze caries experience, treatment needs, and enamel defects in 5-year-old preschool children in Indaiatuba, São Paulo State, Brazil. 624 children were selected by systematic random sampling in 2004. WHO criteria were used to measure caries experience and treatment needs. Nyvad et al. diagnostic criteria were used to analyze caries activity. Mann-Whitney and qui-square tests were used to analyze the results, with 5% significance. 40.5% of schoolchildren displayed caries activity. The dfmt was 1.62 (95%CI: 1.35-1.89). Among children with dfmt > 0, the index was 3.81 (95%CI: 3.36-4.26), and 91.4% of these children presented caries activity. Care Index was 12.3%. These results suggest that treatment measures and health promotion should continue to be prioritized, since the control measures and caries interruption during the initial stages are well known. Dental care should especially target schoolchildren with more significant caries experience. <![CDATA[<B>Determinants of linear growth retardation in Brazilian preschool children</B>: <B>a multilevel approach</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300019&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este estudo teve como objetivo identificar os determinantes do déficit de crescimento linear em crianças menores de cinco anos, utilizando modelagem multinível. Foi estudada uma amostra de 3.746 pré-escolares de 15 municípios brasileiros (dez do Estado da Bahia e cinco do Estado de São Paulo), construída em três estágios (municípios, domicílios e crianças). Os dados municipais foram obtidos do censo demográfico de 1991. Os dados referentes aos indivíduos e domicílios foram coletados entre 1999 e 2001, constando de questionários estruturados e medições de peso e altura das crianças. Para análise utilizou-se o programa MLwiN. No modelo multinível final observou-se que baixo IDH e inadequada assistência pré-natal, no nível dos municípios; baixas condições ambientais, econômicas e da escolaridade materna, no nível dos domicílios; o baixo peso ao nascer, esquema vacinal incompleto, história prévia de desnutrição e ausência do aleitamento ao peito, no nível das crianças, mostraram-se fortemente associados ao déficit do crescimento linear das crianças estudadas. A variabilidade total da desnutrição explicada pelo modelo foi de 27,4%, desta, 51,3%, 33% e 15,7% foram explicadas, respectivamente, pelas variáveis dos níveis da criança, do domicílio e do município.<hr/>This study focuses on the determinants of linear growth deficit in under-five children using multilevel modeling. The sample included 3,746 preschoolers from 15 Brazilian municipalities (ten from the State of Bahia and five from São Paulo), with a three-tier analysis (municipalities, households, and children). Municipal data were obtained from the 1991 National Census. Individual and household data were collected from 1999 to 2001 using structured questionnaires and measuring children's weight and height. Analysis used the MLwiN software. In the final multilevel model, low HDI and prenatal care at the municipal level, poor environmental and economic conditions and maternal schooling at the household level, and low birth weight, incomplete immunization, prior history of malnutrition, and no report of breastfeeding at the individual level were strongly associated with linear growth deficit. Total variability of deficit explained by the model was 27.4%, of which 51.3%, 33%, and 15.7% were explained, respectively, by individual, household, and municipal variables. <![CDATA[<B>Analysis of rulings by the Brazilian Ministry of Health and reflections on national health policy management</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300020&lng=en&nrm=iso&tlng=en As portarias ministeriais são importantes instrumentos de regulação de políticas e visam a definir instruções para a execução das leis aprovadas pelo Poder Legislativo, tal como previsto na Constituição Federal de 1988. No contexto do setor saúde, as portarias têm assumido um papel de grande destaque, não só pelo quantitativo de documentos apresentados a partir dos últimos anos da década 90, mas principalmente pelo forte poder de indução que este instrumento assumiu na definição da política setorial. O objetivo do artigo é avançar na reflexão sobre a condução nacional da política de saúde no Brasil e os principais obstáculos na operacionalização da reforma. Foi realizada a classificação e análise das portarias do Ministério da Saúde editadas no período de 1990 a 2002. O estudo revela a manutenção de uma prática centralizadora por parte do Ministério da Saúde e o uso de instrumentos de indução política e financeira que submetem os níveis subnacionais de governo às regras do sistema, sem a composição de uma política acordada e sustentada de saúde nas diversas realidades institucionais do país.<hr/>Ministry of Health rulings and provisions are important policy regulation tools that aim to orient the enforcement of health-related laws passed by the Legislative Branch, under the terms of the 1988 Federal Constitution. Such provisions have played a major role in the health sector, due not only to the number of documents submitted since the late 1990s, but mainly because of this tool's persuasive power in defining health sector policy. The current article aims to foster reflection on both national health policy management in Brazil and the main obstacles to the implementation of health reform operational aspects. The article classified and analyzed Ministry of Health rulings issued from 1990 to 2002. The study highlights the Ministry's centralizing approach and the use of financial and political persuasion tools that subject State and Municipal governments to the system's rules without creating a negotiated and sustained health policy that the country's institutional realities ratify and support. <![CDATA[<B>Descriptive cross-sectional study of hearing-disabled children at the National Institute for Education of the Deaf in Rio de Janeiro, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300021&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo das deficiências múltiplas em geral e da surdez em especial é escasso em nosso país. Os pesquisadores iniciaram estudo pioneiro desde 1992, avaliando alunos da educação especial das redes governamentais de ensino do Estado, estando atualmente focados na surdez. Avaliamos 232 alunos com idade variando de 1 a 39 anos, com média de 10,9 anos. O sexo masculino prevaleceu na amostra. A consangüinidade ocorreu 7,6% e a história familiar de surdez em 19% dos casos. Observamos 33% de intercorrências gestacionais. O parto normal foi utilizado em 59% de nossos casos, sendo a termo em 75%. As intercorrências neonatais estiveram presentes em 35% das vezes. As causas ambientais foram responsáveis por 58,5% da amostra, as causas genéticas por 20,7% dos casos. Sendo o restante considerado idiopático. Nossos achados corroboram os dados da literatura. Acreditamos que este estudo possa servir como o início de uma preocupação maior com esta população, e que através do melhor conhecimento de suas características seja possível implementar estratégias de intervenção facilitando a sua interação produtiva na sociedade.<hr/>In Brazil, research is scarce on multiple disabilities and hearing disability in particular. Researchers began a pioneering study in 1992, evaluating students from public special education programs, currently focused on hearing disability. The authors evaluated 232 students ranging from 1 to 39 years of age (mean 10.9 years), with male gender prevailing. Consanguinity was present in 7.6% and a family history of deafness in 19%. Gestational complications were recorded in 33% of cases. Normal labor occurred in 72%, and delivery at term in 75%. Neonatal complications were present in 35% of the sample. Environmental causes accounted for 56% of the sample, genetic causes 20.7%, and the remaining 20.7% were classified as idiopathic. The current findings corroborate those from the literature. We believe that this study can spark greater concern for the hearing-disabled and that through increased knowledge of this group's characteristics it may foster strategies to facilitate interaction with society as a whole. <![CDATA[<B>Impact of periodontal disease on quality of life for dentate diabetics</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300022&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi avaliar a possibilidade da doença periodontal comprometer a qualidade de vida de indivíduos portadores de diabetes mellitus. Foram examinados e entrevistados 159 diabéticos dentados, cadastrados no Hospital Municipal de Itaúna, Minas Gerais, Brasil. Os parâmetros clínicos periodontais registrados foram: sangramento gengival à sondagem, profundidade de sondagem e nível clínico de inserção. A influência da doença periodontal na qualidade de vida foi avaliada utilizando-se o formulário OHIP-14. Em relação à condição periodontal, 15,7% apresentaram periodonto saudável, 35,2% gengivite e 49,1% periodontite, sendo 27,7% na forma leve a moderada e 21,4% na avançada. Associação entre diagnóstico da doença periodontal e qualidade de vida foi significativa nos indivíduos com periodontite (p < 0,001). A presença de sangramento gengival à sondagem, profundidade de sondagem e nível clínico de inserção > 4mm associaram-se com impactos negativos intensificados na qualidade de vida (respectivamente, p = 0,013, p < 0,001 e p = 0,012). Diabéticos com periodontites leve a moderada e avançada apresentaram maiores impactos negativos na qualidade de vida que diabéticos periodontalmente saudáveis ou com gengivite.<hr/>The aim of this study was to evaluate the potential impact of periodontal disease on quality of life in diabetics. A total of 159 dentate diabetic individuals registered at the Municipal Hospital in Itaúna, Minas Gerais, Brazil, were examined and interviewed. The clinical periodontal parameters recorded were: gingival bleeding, probing depth, and clinical attachment level. The OHIP-14 form was used to evaluate the impact of periodontal disease on quality of life. In relation to periodontal status, 15.7% of individuals were healthy, 35.2% presented gingivitis, and 49.1% periodontitis (27.7% in the mild-to-moderate and 21.4% in the advanced stages). Association between diagnosis of periodontal disease and impact on quality of life was significant in individuals with periodontitis (p < 0.001). Gingival bleeding, probing depth, and clinical attachment level > 4mm were associated with intensely negative impact on quality of life (p = 0.013, p < 0.001, and p = 0.012 respectively). Diabetics with mild-to-moderate and advanced periodontitis had more negative impact on quality of life than those who were periodontally healthy or with gingivitis. <![CDATA[<B>Profiles of multiple causes of death related to HIV/AIDS in the cities of São Paulo and Santos, Brazil, 2001</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300023&lng=en&nrm=iso&tlng=en Após a introdução da terapia anti-retroviral de alta potência (TARV), o perfil da morbimortalidade relacionada ao HIV alterou-se, passando de óbitos causados por doenças oportunistas para quadros mórbido-crônicos de doenças "pré-AIDS", ou não definidoras de AIDS, causadas pelos efeitos adversos da terapia. Investigou-se a mortalidade relacionada ao HIV/AIDS através das causas múltiplas de morte, utilizando-se as declarações de óbito de residentes nos municípios de São Paulo e Santos, Brasil, que faleceram de causas relacionadas à doença pelo HIV em 2001. Utilizou-se o método Grade of Membership (GoM), que possibilitou criar perfis de causas de morte. Foram encontrados três perfis de mortalidade: o primeiro, relacionado às causas de morte identificadas no período pré-TARV, com predominância de doenças oportunistas; no segundo, houve uma mistura de características do período pré e pós-TARV; o terceiro perfil, residual, não contemplou a doença pelo HIV, mas incorporou grupos de causas de morte associadas aos períodos pré e pós-TARV. Espera-se que este estudo contribua para a elaboração de políticas direcionadas à adequação dos serviços de saúde ao novo cenário de morbimortalidade relacionada ao HIV.<hr/>Following the introduction of highly active antiretroviral therapy (HAART), the HIV-related morbidity-mortality profile has changed. Opportunistic infections are not as prevalent as before, and "pre-AIDS" diseases have become more common, related mostly to the side effects of HAART. This study focused on HIV/AIDS-related mortality, based on multiple causes of death among individuals who died of HIV-related causes in the cities of São Paulo and Santos, Brazil, in 2001. Grade of Membership (GoM) analysis was used. Three mortality profiles were detected: (1) causes of death normally observed before the introduction of HAART, marked by opportunistic infections; (2) causes of death with mixed characteristics, both pre- and post-HAART; and (3) a residual profile, which did not contemplate HIV disease, but incorporated causes of death associated with the pre and post-HAART periods. It is hoped that the current study will contribute to the understanding of the HIV/AIDS morbidity-mortality scenario and help improve the treatment and care provided by public health services. <![CDATA[<B>Prevalence and characteristics associated with metabolic syndrome in Japanese-Brazilians with and without periodontal disease</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300024&lng=en&nrm=iso&tlng=en Verificou-se, num estudo transversal, a relação entre as doenças periodontais e a síndrome metabólica. Foram analisados dados de 1.315 nipo-brasileiros com idade entre 30 e 92 anos. Os indivíduos foram submetidos a exames físicos, odontológicos e laboratoriais. Os dados foram descritos através de médias e porcentagens e a associação entre as variáveis foi verificada por meio de regressão logística. Do total de sujeitos examinados, 215 (16,4%) apresentaram higidez periodontal, 484 (36,8%) edentulismo total, 513 (39%) gengivites, 85 (6,5%) periodontite inicial ou moderada e 18 (1,4%) periodontite avançada. A prevalência de síndrome metabólica entre os nipo-brasileiros foi 54,3%, e apesar de esta ter sido maior entre os que apresentaram periodontites quando comparados aos sem nenhum comprometimento da saúde bucal (51,5% vs. 48,8%) essa associação não foi estatisticamente significante. Neste estudo os indivíduos com síndrome metabólica se caracterizaram por pior perfil antropométrico e metabólico.<hr/>This cross-sectional study focused on the relationship between periodontal disease and metabolic syndrome. Data were analyzed from 1,315 Japanese-Brazilians ranging from 30 to 92 years of age, submitted to physical, laboratory, and dental exams. Means and percentages were used in the data description and logistic regression pattern in the analysis of associations among variables. 484 (36.8%) of the 1,315 were edentulous, 215 (16.4%) enjoyed periodontal health, 513 (39%) had gingivitis, 85 (6.5%), showed initial or moderate periodontitis, and 18 (1.4%) suffered from chronic periodontits. Prevalence of metabolic syndrome was 54.3%, higher among individuals with periodontitis than in the healthy (51.5% vs. 48.8%), but this association was not statistically significant. Individuals with metabolic syndrome showed a worse metabolic and anthropometric profile. <![CDATA[<B>Dengue</B>: <B>sero-epidemiological survey and virological surveillance in Campinas, São Paulo, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300025&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estudou-se a epidemiologia do dengue no Município de Campinas, São Paulo, Brasil, por meio de um inquérito populacional aleatório realizado em 1998, visando à detecção dos níveis de anticorpos para dengue, e de dados de vigilância epidemiológica do período de 1996 a 2003, com ênfase na vigilância virológica. Foram coletadas 1.260 amostras, por meio de punção digital, utilizando-se papel de filtro, sendo as amostras testadas pelo teste imunoenzimático em culturas celulares infectadas (EIA-ICC). Observou-se que a prevalência de soro reagentes (14,79%) é mais baixa que as encontradas em outros inquéritos realizados no país e superior às encontradas em dois inquéritos realizados em cidades do Estado de São Paulo. Detectou-se uma prevalência de soro reagentes muito superior à incidência de casos notificados e confirmados laboratorialmente durante as epidemias de 1996, 1997 e 1998. Não se encontrou proporcionalidade entre a prevalência de anticorpos para dengue e a incidência de casos durante a epidemia nos diferentes Distritos de Saúde da cidade. Sugerem-se um estudo aprofundado do significado dos indicadores de transmissão utilizados em epidemias e uma vigilância virológica mais intensa, principalmente em anos com níveis de transmissão baixos.<hr/>The epidemiology of dengue in the municipality of Campinas, São Paulo, Brazil, was studied in 1998 using a randomized sero-epidemiological survey. Epidemiological surveillance data from 1996-2003 were also analyzed, with an emphasis on virological surveillance. 1,260 individuals participated in the survey and had blood samples drawn by finger stick on filter paper. Blood samples were tested by EIA-ICC, an enzyme immunoassay using infected cells as antigen. Dengue antibody prevalence (14.79%) was lower than in other surveys in other States of Brazil, but higher than in two other serological surveys in São Paulo State. Dengue antibody prevalence was far higher than the reported case incidence during the 1996, 1997, and 1998 epidemics. Antibody prevalence and reported case incidence in different health districts were disproportional. The article concludes by recommending further research on the significance of transmission rates during epidemics and more intensive virological surveillance, especially in years with few reported cases. <![CDATA[<B>Cultural aspects in the understanding of chronic periodontitis</B>: <B>a qualitative study</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300026&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo teve como objetivo analisar concepções, crenças, atitudes e modelos explicativos para a doença em portadores de periodontite crônica, visando a colaborar na comunicação clínica entre cirurgiões-dentistas e pacientes, e contribuir para a adesão consciente ao tratamento. A amostra da pesquisa constou de vinte pacientes provenientes dos cursos de especialização em periodontia da Universidade de Fortaleza e da Associação Brasileira de Odontologia, em Fortaleza, Ceará, Brasil. A coleta de dados deu-se no período de outubro de 2004 a janeiro de 2005. Referencial metodológico qualitativo foi utilizado para a interpretação da subjetividade dos pacientes. Entrevistas semi-estruturadas foram realizadas no intuito de obter relatos de "experiências vividas" dos doentes. Para a análise temática do discurso, empregaram-se: as categorias empíricas constituídas no próprio estudo, as freqüências simples e os percentuais calculados e o refinamento das classificações por temas. A partir dos relatos examinados, foi possível analisar que os pacientes compreendem o processo saúde-doença periodontal por meio da intermediação do conhecimento popular e científico, do envolvimento das condições de vida e de trabalho e do acesso ao serviço de qualidade, ou seja, eles não incorporam somente o discurso biomédico.<hr/>This study aimed to analyze the concepts, beliefs, attitudes, and explanatory models related to chronic periodontitis among individuals with this disease in order to facilitate communications between dentists and patients and foster conscientious treatment adherence. The study sample consisted of 20 patients from the Periodontics Specialization Courses at Fortaleza University and the Brazilian Dental Association in Fortaleza, Ceará State. Data were gathered from October 2004 to January 2005. A qualitative methodological framework was used to interpret the patients' subjective expression. Semi-structured interviews were applied to obtain patients' accounts of their individual experience with the disease condition. Thematic discourse analysis used: empirical categories established within the study itself, simple frequencies and calculated percentages, and refinement of thematic classifications. According to their reports, patients understand the periodontal heath-disease process through the intermediation of both popular and scientific knowledge, involvement of living and work conditions, and access to quality care, i.e., they do not incorporate only the biomedical discourse. <![CDATA[<B>Depression and clinical illness: comorbidity in a geriatric outpatient clinic</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300027&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este estudo investiga a associação entre depressão e comorbidade clínica em idosos em Salvador, Bahia, Brasil. A população estudada consistiu de uma amostra de idosos (n = 1.120) atendidos em um ambulatório de referência. Razões de prevalência brutas entre depressão e doenças clínicas foram calculadas, com subseqüente estratificação por sexo, faixa etária e estado nutricional. Noventa e cinco por cento dos indivíduos apresentavam pelo menos uma patologia crônica, sendo as principais: hipertensão arterial (62,2%), osteoartrose (40%) e incontinência urinária (35%). A depressão foi diagnosticada em 23,4%, sendo mais freqüente entre as mulheres (RP = 1,28; IC95%: 0,99-1,65) e entre os menores de 75 anos (RP = 1,24; IC95%: 1,00-1,53). O número de doenças crônicas maior que três foi associado com depressão (RP = 1,31; IC95%: 1,04-1,66). Observou-se associação, ainda, entre depressão e doença de Parkinson, sobretudo no sexo feminino (RP = 1,59; IC95%: 1,05-2,41) e na faixa etária de 70-79 anos (RP = 2,02; IC95%: 1,28-3,20). Como muitos idosos apresentam doenças crônicas e múltiplas, os profissionais de saúde devem estar atentos para a possibilidade de sintomatologia depressiva nesses pacientes.<hr/>The aim of this study was to investigate the association between depression and clinical illness among a group of elderly in the city of Salvador, Bahia, Brazil. The study population included 1,120 individuals over 60 years of age treated at a geriatric outpatient clinic. Crude and stratified prevalence ratios were calculated. Data were stratified by gender, age, and nutritional status. Ninety-five percent of the sample presented at least one chronic disease, the most frequent being hypertension (62.2%), osteoarthritis (40%), and urinary incontinence (35%). Depression was diagnosed in 23.4%, more commonly among women (PR = 1.28; 95%CI: 0.99-1.65) and those under 75 years (PR = 1.24; 95%CI: 1.00-1.53). There was an association between number of chronic diseases (> 3) and depression (PR = 1.31; 95%CI: 1.04-1.66). Parkinson's disease was associated with depression, more evident among females (PR = 1.59; 95%CI: 1.05-2.41) and in the 70-79-year age group (PR = 2.02; 95%CI: 1.28-3.20). The study demonstrates an association between depression and chronic comorbidity. Since many elderly present multiple chronic diseases, health professionals should be alert to the possibility of depressive symptoms in these patients. <![CDATA[<B>Evaluation of quality of epidemiological and demographic variables in the Live Births Information System, 2002</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300028&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho avalia a qualidade da informação do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) quanto à clareza metodológica da documentação, completitude do preenchimento e consistência para o país, grandes regiões e Unidades da Federação no ano 2002. Adicionalmente, correlaciona-se a completitude com indicadores de pobreza, desigualdade e recursos humanos. As variáveis analisadas são: raça/cor do recém-nascido, instrução materna, estado civil materno, ocupação materna, idade materna, consulta pré-natal, filhos nascidos vivos, filhos nascidos mortos e peso do bebê ao nascer. Mostrou-se que o SINASC possui boa completitude de preenchimento e consistência da informação na maioria das variáveis; porém, observaram-se sérios problemas de qualidade nas variáveis sobre filhos anteriores e ocupação. Quanto à raça, encontraram-se tanto problemas metodológicos de definição da variável como incompletitude do preenchimento no Distrito Federal, São Paulo, Bahia e Sergipe, Brasil. Por intermédio da análise estatística, confirmou-se a relação significativa entre completitude e indicadores de pobreza e desigualdade. Espera-se que melhorias da qualidade da informação do SINASC possam contribuir para que esse sistema seja uma robusta fonte de dados epidemiológicos que permita identificar fatores de risco e condicionantes sócio-econômicos.<hr/>This study evaluates the quality of data in the Brazilian Live Births Information System (SINASC), focusing on the methodological clarity of documentation and adequate data completeness and consistency at the national, regional, and State levels in 2002. The variables analyzed were: skin color/race of newborn, maternal schooling, maternal marital status, maternal occupation, maternal age, prenatal visits, live births, stillbirths, and birth weight. For most of the variables, SINASC shows good data completeness and consistency, but there were serious problems with the quality of data on previous children and maternal occupation. Related to race, there were some methodological problems in the definition and incomplete filling-in for the Federal District (Brasília) and the States of São Paulo, Bahia, and Sergipe. Statistical analysis confirmed a significant association between data completeness and indicators of poverty and inequality. The study showed that improvements in SINASC data quality could make this system a good epidemiological source for identifying risk factors and socioeconomic conditioning factors. <![CDATA[<B>Secular plague trend in Ceará State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300029&lng=en&nrm=iso&tlng=en Após a sua introdução no Ceará, Brasil, em 1900, a peste focalizou-se em sete complexos ecológicos: Chapada do Araripe e Serras da Ibiapaba, do Baturité, do Machado, das Matas, da Pedra Branca e de Uruburetama. As atividades de vigilância nesses focos no período de 1935/2004 foram desenvolvidas sucessivamente pelo Departamento Nacional de Saúde, Serviço Nacional de Peste, Departamento Nacional de Endemias Rurais, Superintendência de Campanhas de Saúde Pública, Fundação Nacional de Saúde e finalmente pela Secretaria de Vigilância em Saúde. A análise dos dados levantados sobre a ocorrência de casos humanos nesses 70 anos permite identificar diferentes padrões de circulação da enfermidade na população humana, caracterizados pela alternância de momentos de elevadas incidências e de silêncio, possibilitando estabelecer uma periodização cronológica com características epidemiológicas próprias. Conclui-se desses resultados que a peste ainda deve ser considerada uma ameaça potencial, o que justifica revitalizar as ações de vigilância epidemiológica, o que só ocorrerá com o fortalecimento de todas as instâncias do Sistema Único de Saúde.<hr/>After its introduction into the State of Ceará, Brazil, in 1900, the plague was established in seven ecological complexes: Chapada do Araripe and the Ibiapaba, Baturité, Machado, Matas, Pedra Branca, and Uruburetama mountains. These natural foci were monitored successively from 1935 to 2004 by the National Health Department, National Plague Service, National Department of Rural Endemics, Superintendency of Public Health Campaigns, National Health Foundation, and finally by the National Health Surveillance Secretariat. Data analysis on human cases during these 70 years allowing identifying different plague circulation patterns in the human population, alternating high incidence with silent periods and characterizing a chronological periodicity with unique epidemiological characteristics, besides concluding that plague should still be considered a potential threat, thus justifying the revitalization of surveillance measures by strengthening all levels in the Unified National Health System. <![CDATA[<B>Data on sand fly fauna (Diptera, Psychodidae, Phlebotominae) in Itatiaia National Park, Rio de Janeiro State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300030&lng=en&nrm=iso&tlng=en The sand fly fauna in Itatiaia National Park, Rio de Janeiro, Brazil, was investigated in different habitats ranging from sylvatic areas to those altered by human activity related to ecotourism, specifically identifying species that have been suggested as potential leishmaniasis vectors. Sand flies were captured from June 2002 to March 2004, using CDC light traps and Shannon traps. A total of 1,256 sand fly specimens were captured, from species belonging to genera Lutzomyia and Brumptomyia: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola, and L. misionensis. Worthy of special attention were four species that are considered potential vectors for cutaneous leishmaniasis in Brazil: L. ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei, and L. davisi, representing 19.19% of the specimens captured in this study.<hr/>A fauna flebotomínica do Parque Nacional de Itatiaia, Rio de Janeiro, Brasil, foi investigada, em diferentes ambientes, envolvendo áreas silvestres e os ambientes ecologicamente alterados, principalmente por atividades ligadas ao ecoturismo, identificando espécies potencialmente vetoras de leishmanioses. As coletas de flebotomíneos foram realizadas no referido parque, no período de junho de 2002 a março de 2004, com armadilhas luminosas do tipo CDC e armadilha de Shannon. Foram coletados 1.256 flebotomíneos, correspondendo às seguintes espécies: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola e L. misionensis. Merecem especial atenção por sua importância epidemiológica L.ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei e L. davisi, representando 19,19% dos exemplares capturados. <![CDATA[<B>Epidemiologia dos agravos à saúde da mulher</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300031&lng=en&nrm=iso&tlng=en The sand fly fauna in Itatiaia National Park, Rio de Janeiro, Brazil, was investigated in different habitats ranging from sylvatic areas to those altered by human activity related to ecotourism, specifically identifying species that have been suggested as potential leishmaniasis vectors. Sand flies were captured from June 2002 to March 2004, using CDC light traps and Shannon traps. A total of 1,256 sand fly specimens were captured, from species belonging to genera Lutzomyia and Brumptomyia: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola, and L. misionensis. Worthy of special attention were four species that are considered potential vectors for cutaneous leishmaniasis in Brazil: L. ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei, and L. davisi, representing 19.19% of the specimens captured in this study.<hr/>A fauna flebotomínica do Parque Nacional de Itatiaia, Rio de Janeiro, Brasil, foi investigada, em diferentes ambientes, envolvendo áreas silvestres e os ambientes ecologicamente alterados, principalmente por atividades ligadas ao ecoturismo, identificando espécies potencialmente vetoras de leishmanioses. As coletas de flebotomíneos foram realizadas no referido parque, no período de junho de 2002 a março de 2004, com armadilhas luminosas do tipo CDC e armadilha de Shannon. Foram coletados 1.256 flebotomíneos, correspondendo às seguintes espécies: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola e L. misionensis. Merecem especial atenção por sua importância epidemiológica L.ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei e L. davisi, representando 19,19% dos exemplares capturados. <![CDATA[<B>No name fever</B>: <B>AIDS in the age of globalization</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300032&lng=en&nrm=iso&tlng=en The sand fly fauna in Itatiaia National Park, Rio de Janeiro, Brazil, was investigated in different habitats ranging from sylvatic areas to those altered by human activity related to ecotourism, specifically identifying species that have been suggested as potential leishmaniasis vectors. Sand flies were captured from June 2002 to March 2004, using CDC light traps and Shannon traps. A total of 1,256 sand fly specimens were captured, from species belonging to genera Lutzomyia and Brumptomyia: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola, and L. misionensis. Worthy of special attention were four species that are considered potential vectors for cutaneous leishmaniasis in Brazil: L. ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei, and L. davisi, representing 19.19% of the specimens captured in this study.<hr/>A fauna flebotomínica do Parque Nacional de Itatiaia, Rio de Janeiro, Brasil, foi investigada, em diferentes ambientes, envolvendo áreas silvestres e os ambientes ecologicamente alterados, principalmente por atividades ligadas ao ecoturismo, identificando espécies potencialmente vetoras de leishmanioses. As coletas de flebotomíneos foram realizadas no referido parque, no período de junho de 2002 a março de 2004, com armadilhas luminosas do tipo CDC e armadilha de Shannon. Foram coletados 1.256 flebotomíneos, correspondendo às seguintes espécies: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola e L. misionensis. Merecem especial atenção por sua importância epidemiológica L.ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei e L. davisi, representando 19,19% dos exemplares capturados. <![CDATA[<B>Abordagem ecossistêmica em saúde</B>: <B>ensaios para o controle do dengue</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000300033&lng=en&nrm=iso&tlng=en The sand fly fauna in Itatiaia National Park, Rio de Janeiro, Brazil, was investigated in different habitats ranging from sylvatic areas to those altered by human activity related to ecotourism, specifically identifying species that have been suggested as potential leishmaniasis vectors. Sand flies were captured from June 2002 to March 2004, using CDC light traps and Shannon traps. A total of 1,256 sand fly specimens were captured, from species belonging to genera Lutzomyia and Brumptomyia: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola, and L. misionensis. Worthy of special attention were four species that are considered potential vectors for cutaneous leishmaniasis in Brazil: L. ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei, and L. davisi, representing 19.19% of the specimens captured in this study.<hr/>A fauna flebotomínica do Parque Nacional de Itatiaia, Rio de Janeiro, Brasil, foi investigada, em diferentes ambientes, envolvendo áreas silvestres e os ambientes ecologicamente alterados, principalmente por atividades ligadas ao ecoturismo, identificando espécies potencialmente vetoras de leishmanioses. As coletas de flebotomíneos foram realizadas no referido parque, no período de junho de 2002 a março de 2004, com armadilhas luminosas do tipo CDC e armadilha de Shannon. Foram coletados 1.256 flebotomíneos, correspondendo às seguintes espécies: Brumptomyia guimaraesi, B. troglodytes, Lutzomyia (Lutzomyia) amarali, L. lanei, L. migonei, L. sallesi, L. edwardsi, L. tupynambai, L. (Pintomyia) pessoai, L. (P.) bianchigalatie, L. rupicola, L. (Psathyromyia) shannoni, L. pascalei, L. (Psychodopygus) matosi, L. (P.) davisi, L. (P.) hirsuta hirsuta, L. (P.) ayrozai, L. peresi, L. monticola e L. misionensis. Merecem especial atenção por sua importância epidemiológica L.ayrozai, L. hirsuta hirsuta, L. migonei e L. davisi, representando 19,19% dos exemplares capturados.