Scielo RSS <![CDATA[Cadernos de Saúde Pública]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=0102-311X20070007&lang=en vol. 23 num. 7 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[Asbestos and public health policy in Brazil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Health policy effects on infant mortality trends in Brazil</B>: <B>a literature review from the last decade</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A mortalidade infantil tem sido considerada um bom indicador das condições de vida. É simples de ser calculada e reflete o estado de saúde da parcela mais vulnerável da população: os menores de um ano. A divulgação de dados oficiais que estimaram uma queda de 31% no indicador pareceu surpreendente num contexto de deterioração dos níveis de crescimento econômico, renda e trabalho e do aumento da taxa de desemprego. Entretanto, a década foi marcada por decisões políticas importantes, especialmente a implantação da Estratégia de Saúde da Família e dos incentivos da NOB-96. Este estudo objetivou avaliar como a literatura nacional analisou o comportamento da mortalidade infantil na década e sua possível associação com as mudanças na organização e financiamento do SUS. Foi realizada uma revisão sistemática de artigos científicos publicados entre 1998 e 2006. Concluiu-se que os estudos produzidos até o momento não possibilitam avaliar com clareza o possível impacto das alterações produzidas na organização e financiamento do SUS. Ficou evidente a necessidade de monitoramento do indicador e a importância dos estudos locais, especialmente nos municípios com informações incipientes.<hr/>The infant mortality rate (IMR) is considered a good indicator of living conditions. It is simple to calculate and reflects the health conditions of the most vulnerable segment of the population: children less than one year of age. Official Brazilian data indicating a decrease of 31% in the IMR seem surprising, considering the deterioration in the country's economy, income, and employment. Still, the last decade witnessed important political decisions, especially the implementation of the Family Health Strategy and incentives under the so-called Basic Operational Norm (NOB)-96. The current study assesses how the Brazilian literature analyzed the infant mortality trends and possible associations with changes in the organization and financing of the Unified National Health System (SUS). A systematic review of the literature from 1998 to 2006 highlighted both the need to monitor the IMR and the importance of local studies, especially in cities with deficient data. <![CDATA[<B>Healthcare organizations, linguistic communities, and the emblematic model of palliative care</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700003&lng=en&nrm=iso&tlng=en The linguistic-communicative paradigm offers some interesting perspectives in a context where the perception of patient needs is considered a critical step in high-quality care. This study describes healthcare organizations as linguistic communities based on the conceptual framework of Habermas' communicative action theory. Four communicative models are present in healthcare settings: objectifying-instrumental (hegemonic model), where elements of interaction are objectified for clinical purposes; dialogic model with strategic perspectives, in which conversations are used unilaterally as tools to access subjective states; non-dialogic-transmissional model, in which linguistic exchanges are replaced with artifacts to transmit information; and full communicative model (present in palliative care based in homecare and informal caregivers, emphasizing health team/family interactions). Based on these premises, we considered palliative care an emblematic communicative model based on multidisciplinary teams devoted to transdisciplinary collaboration. In these settings, linguistic interaction with patients and their families could provide a solid basis for organization of healthcare networks.<hr/>O paradigma lingüístico-comunicativo tem a oferecer perspectivas interessantes em um contexto no qual a percepção das necessidades dos pacientes é tida como um passo essencial à humanização da assistência. O presente estudo descreve as organizações de saúde como comunidades lingüísticas com base no marco conceitual da teoria da ação comunicativa de Habermas. No contexto assistencial estão presentes quatro modelos comunicativos: objetivador-instrumental (modelo hegemônico), no qual elementos da interação são objetificados em vista de propósitos clínicos; dialógico com perspectivas estratégicas, no qual as conversações são utilizadas unilateralmente como ferramentas para obter acesso a estados subjetivos; adialógico-transmissional, no qual as trocas lingüísticas são substituídas por artefatos para transmissão de informações; comunicativo pleno, presente nos cuidados paliativos organizados ao redor da assistência domiciliar e dos cuidadores informais, enfatizando a interação entre equipes de saúde e familiares. Com base em tais premissas, consideramos os cuidados paliativos como modelos comunicativos emblemáticos porque fundamentados em times multidisciplinares dedicados à mútua colaboração transdisciplinar. Nesse cenário, a interação lingüística com pacientes e seus familiares serviria como base estruturante das equipes assistenciais. <![CDATA[<B>Breastfeeding trends in a State capital in the Central West region of Brazil, 1999-2004</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Um estudo de caráter transversal foi realizado durante o primeiro dia da Campanha Nacional de Vacinação de 2004, em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, com o objetivo de conhecer a evolução do aleitamento materno entre 1999 e 2004, no primeiro ano de vida. A determinação da amostra seguiu dois passos, considerando o número de unidades de vacinação e as crianças em cada unidade. Um inquérito nutricional contendo um recordatório alimentar de 24 horas foi aplicado a 921 acompanhantes das crianças menores de um ano. Houve incremento positivo em todas as faixas etárias na modalidade de aleitamento materno exclusivo. Observou-se, ao final dos 180 dias, baixo percentual de crianças em aleitamento materno exclusivo, sendo menos de 5% (em 1999) e de 10% (em 2004). A prevalência do aleitamento materno exclusivo dobrou em cinco anos nas crianças menores de 120 dias, passou de 17,7% para 28,5%. As ações realizadas para promoção do aleitamento materno foram efetivas, porém, insuficientes para a grave situação. Mais ações são necessárias, bem como o aperfeiçoamento dos programas existentes.<hr/>A cross-sectional study was held on the first day of the National Vaccination Campaign in 2004, in Cuiabá, Mato Grosso State, Brazil, with the objective of identifying breastfeeding evolution from 1999 to 2004 during the first year of life. A two-stage sampling procedure was used, considering the numbers of vaccination units and children in each unit. A nutritional survey with a 24-hour food recall questionnaire was applied to 921 parents or accompanying persons of children less than one year of age. There was an increase in exclusive breastfeeding in all age brackets. At the end of six months, there were low percentages of infants in exclusive breastfeeding (< 5% in 1999 and < 10% in 2004). The prevalence of exclusive breastfeeding doubled in five years in infants less than four months of age, from 17.7% to 28.5%. The measures taken to promote breastfeeding were effective, although insufficient in light of the serious situation. More such measures are needed to improve the existing programs. <![CDATA[<B>Effectiveness of different iron supplementation strategies on hemoglobin and ferritin levels among schoolchildren in Teresina, Piauí State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo avaliou o efeito das intervenções com sulfato ferroso e com ferro bisglicina quelato nas concentrações de hemoglobina e ferritina sérica em escolares de 7-11 anos, de ambos os sexos, de Teresina, Piauí, Brasil. Foi desenvolvido ensaio clínico-comunitário, randomizado, envolvendo 138 escolares, com níveis de hemoglobina < 11,5g/dL, alocados, individualmente, em dois grupos de tratamento. Um grupo (n = 71) recebeu 40mg de sulfato ferroso, uma vez/semana, e o outro (n = 67) 3,8mg de ferro bisglicina quelato, fracionados em biscoitos consumidos três vezes/semana, durante oito semanas. Houve um incremento (p < 0,01) médio, nas concentrações de hemoglobina, de 1,1g/dL entre os escolares que receberam sulfato ferroso e de 0,9g/dL para aqueles que receberam ferro bisglicina quelato, embora sem diferença (p > 0,05) na comparação intergrupos. Nenhum impacto foi observado (p > 0,05) nas reservas corporais de ferro. Entretanto, escolares que apresentaram depleção das reservas corporais de ferro (< 15ng/mL), no início dos tratamentos, tiveram aumento (p < 0,01) nas concentrações médias de ferritina sérica, após a intervenção, embora com efeito similar (p > 0,05) entre os grupos de tratamento. Os resultados confirmam a efetividade das intervenções e ratificam o uso do esquema semanal com sulfato ferroso e com ferro bisglicina quelato no tratamento da deficiência do mineral e da anemia ferropriva.<hr/>This study evaluated the effectiveness of supplementation with ferrous sulfate and iron bis-glycinate chelate on hemoglobin and serum ferritin levels among schoolchildren (7-11 years) of both sexes. A randomized community-based trial including 138 anemic children (hemoglobin < 11.5g/dL) was conducted in Teresina, Piauí State, Brazil. Children were assigned to two treatment groups on an individual basis. One group (n = 71) received 40mg iron as ferrous sulfate once weekly and the other group (n = 67) received 3.8mg of iron bis-glycinate chelate-enriched cookies, 3x/week, for 8 weeks. The interventions showed a significant increase (p < 0.01) in hemoglobin levels (1.1g/dL) for children who received ferrous sulfate and 0.9g/dl in those who received iron bis-glycinate chelate, although not significant in the inter-group comparison (p > 0.05). No effect was observed on body iron for either intervention (p > 0.05). Children with depleted iron stores (< 15ng/mL) at the beginning of interventions showed increased serum ferritin concentrations after 8 weeks (p < 0.01), although no difference between treatments (p > 0.05) was observed. The results confirm the effectiveness of the iron supplementation interventions and corroborate the use of iron salts or ferrous bisglycinate chelate on a weekly basis to overcome iron deficiency and anemia. <![CDATA[<B>Hepatitis A in the city of Rio de Janeiro, Brazil</B>: <B>epidemiological pattern and socio-environmental variables. Cross-analysis of SINAN and population census data</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Objetivamos discutir a vinculação do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN) e do Censo Demográfico para conhecer o contexto sócio-ambiental da hepatite A, analisando a contribuição das variáveis ambientais e sócio-demográficas para ocorrência de casos notificados e confirmados da infecção. Também, com base nas informações individuais sobre os casos de hepatite A notificados e confirmados, obtidos no SINAN, discutimos o padrão de endemicidade no Município do Rio de Janeiro, Brasil. No estudo agregado, a unidade de análise foi o setor censitário e as informações do Censo 2000, associadas à localização dos 1.553 casos notificados e confirmados de hepatite A ocorridos na cidade entre 1999-2001. Observou-se um padrão epidemiológico entre alta e média endemicidades, indicando situação menos favorável do que a observada nos estudos soro-epidemiológicos. A média rank do número de domicílios com condições sócio-ambientais desfavoráveis foi maior nos setores censitários de sobre-risco para hepatite A (dois ou mais casos) com significância estatística pelo teste de Mann-Whitney. As variáveis sócio-demográficas mostraram ter maior influência do que as ambientais na ocorrência de casos: maior percentual de pobreza e de menores de cinco anos apresentou as maiores diferenças de médias rank.<hr/>This article discusses the linking of data from SINAN (the Reportable Diseases Database) and population census in Brazil to identify the socio-environmental context of hepatitis A, analyzing the contribution by environmental and socio-demographic variables to reported and confirmed cases of hepatitis A. Also, based on individual case data provided by SINAN, we discuss the pattern of hepatitis A endemicity in the city of Rio de Janeiro. At the aggregate level, the unit of analysis was the census tract and census data, associated with the location of 1,553 cases in the city from 1999 to 2001. The observed pattern was high to medium endemicity, indicating a less favorable situation than observed by sero-epidemiological studies. The mean rank of number of households with unfavorable conditions was higher in the census tracts with excess risk of hepatitis A (two or more cases), a statistically significant result according to the Mann-Whitney Test. Socio-demographic variables had more impact than environmental ones (poverty and children in the household less than 5 years of age showed the highest mean ranks). <![CDATA[<B>Training and challenges for the health care system in Brazil</B>: <B>an analysis of investments to expand health care service delivery</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo discute os investimentos realizados pelo governo central brasileiro, para ampliação da oferta de serviços no Sistema Único de Saúde, no período de 1995 a 2001. Apresenta dados que apontam para uma desarticulação entre a realização de investimentos para o aumento da oferta de serviços e a manutenção e otimização da capacidade instalada; e conclui que existe a necessidade de garantir a sustentabilidade econômico-financeira do sistema e a realização de novos investimentos levando em consideração a análise da capacidade instalada e as possibilidades financeiras de garantir os recursos de custeio para prestação continuada da oferta adicional de serviços.<hr/>The goal of this study is to discuss the investments made by the Brazilian government to expand health care service delivery in the Unified National Health System (SUS) from 1995 to 2001. The data indicate a mismatch between investments to increase service delivery and maintenance and optimization of the health service network's capacity. The paper concludes that there is a need to guarantee financial maintenance of the system and conduct new investments based on an analysis of the installed capacity and the financial possibilities to guarantee resources for continuous delivery of this additional services supply. <![CDATA[<B>Factors associated with treatment failure, dropout, and death in a cohort of tuberculosis patients in Recife, Pernambuco State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A cohort of cases initiating tuberculosis treatment from May 2001 to July 2003 was followed in Recife, Pernambuco State, Brazil, to investigate biological, clinical, social, lifestyle, and healthcare access factors associated with three negative tuberculosis treatment outcomes (treatment failure, dropout, and death) separately and as a group. Treatment failure was associated with treatment delay, illiteracy, and alcohol consumption. Factors associated with dropout were age, prior TB treatment, and illiteracy. Death was associated with age, treatment delay, HIV co-infection, and head of family's income. Main factors associated with negative treatment outcomes as a whole were age, HIV co-infection, illiteracy, alcoholism, and prior TB treatment. We suggest the following strategies to increase cure rates: further training of the Family Health Program personnel in TB control, awareness-raising on the need to tailor their activities to special care for cases (e.g., literacy training); targeting use of directly observed therapy for higher risk groups; establishment of a flexible referral scheme to handle technical and psychosocial problems, including alcoholism; and increased collaboration with the HIV/AIDS program.<hr/>Acompanhou-se uma coorte de casos de tuberculose que iniciou o tratamento entre maio de 2001 e julho de 2003, em Recife, Pernambuco, Brasil, com o objetivo de investigar a associação de fatores biológicos, clínicos, sociais, de hábitos de vida e acesso aos serviços de saúde com falência terapêutica, abandono e óbito, separadamente e de forma agregada. Falência do tratamento esteve associada com demora para o início do tratamento, analfabetismo e consumo de álcool. Associação com o óbito foi encontrada com grupo etário, demora para o início do tratamento, co-infecção pelo HIV e renda do chefe da família. Fatores associados ao abandono foram grupo etário, tratamento prévio para tuberculose e analfabetismo. Os fatores associados aos desfechos de forma agregada foram grupo etário, co-infecção pelo HIV, analfabetismo, consumo de álcool e tratamento prévio para tuberculose. Sugere-se, para aumentar os percentuais de cura, a capacitação continuada das equipes do Programa Saúde da Família para o controle da tuberculose, adaptação das atividades de controle para situações especiais como analfabetismo, alcoolismo e co-infecção pelo HIV, direcionando o uso da terapia diretamente observada para estes grupos de risco. <![CDATA[<B>Factors associated with sexual debut among adolescents enrolled in a family health unit in East Side São Paulo, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Com o objetivo de analisar os aspectos individuais e familiares associados ao início da vida sexual, foram entrevistados, entre junho e dezembro de 2002, 383 adolescentes solteiros entre 15 e 19 anos de idade, residentes na área de abrangência de uma unidade de saúde da família da zona leste do Município de São Paulo, Brasil. Os dados foram analisados por meio de regressão logística múltipla separadamente para homens e mulheres. Os resultados mostraram que o namoro e a idade foram associados ao início da vida sexual dos adolescentes. No entanto, somente entre os homens, observou-se como fatores associados variáveis relacionadas aos pais e mães e, apenas entre as mulheres, variáveis relacionadas à propriedade do domicílio e aos irmãos. Dessa forma, o namoro e as questões familiares, tais como os valores parentais no tocante às práticas sexuais de adolescentes e a presença de irmão(ã) que já passou por gravidez antes de uma união, são aspectos que necessitam ser incorporados na formulação de políticas de saúde reprodutiva e sexual voltadas aos adolescentes, pois mostraram ser determinantes na iniciação sexual dos jovens entrevistados.<hr/>This study aimed to analyze the individual and family factors associated with sexual debut among adolescents. From June to December 2002, a cross-sectional study was conducted with 383 15-19-year-old single adolescents enrolled in a family health unit on the East Side of the city of São Paulo, Brazil. Multiple logistic regression analysis was conducted separately for males and females. Dating and age were positively associated with sexual debut for both boys and girls. Parental factors were only associated with male sexual debut, while factors related to siblings and housing were only associated with female sexual debut. Thus, dating and family factors like parents' opinions on sexual practices in adolescence and having a sibling with a history of teenage pregnancy are aspects that need to be incorporated into reproductive and sexual health promotion policies targeting adolescents, since they appear as determinants of sexual debut among these young people. <![CDATA[<B>Physical activity and associated factors among adults in Joaçaba, Santa Catarina, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estimou-se a prevalência de inatividade física na população adulta do Município de Joaçaba, Santa Catarina, Brasil, e os fatores associados. Foi realizado um estudo transversal de base populacional domiciliar, com indivíduos de 20 a 59 anos, de ambos os sexos (n = 579). Utilizou-se o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), na forma curta, para estimar o nível de atividade física. Foram realizadas análises descritivas e regressão de Poisson. A taxa de resposta foi de 99,6%. A prevalência de indivíduos classificados como inativos fisicamente foi de 57,4% (IC95%: 53,4-61,4). A presença de inatividade física apresentou-se associada positivamente a indivíduos que não trabalhavam ou não eram aposentados, àqueles com renda familiar superior a mil reais mensais, idade superior a trinta anos, presença de índice de massa corporal maior ou menor que o padrão normal e a indivíduos que auto-avaliaram dificuldades de locomoção, independentemente do sexo. A prevalência de inatividade física encontrada foi menor que nos outros estudos de base populacional já realizados no país. Os resultados podem auxiliar a implantação de políticas públicas que estimulem a população à prática regular de exercícios.<hr/>We investigated the prevalence of physical inactivity and associated factors among the adult population in Joaçaba, Santa Catarina, Brazil, using a cross-sectional, population-based model with subjects from 20 to 59 years of age (n = 579). The short version of the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) was used to define the level of physical activity. Descriptive crude analyses and Poisson regression were performed to test the associated variables. The response rate was 99.6%, and prevalence of physical inactivity was 57.4% (95%CI: 53.4-61.4). Physical inactivity was associated with not working or not being retired, income (> U$500/month), age > 30, body mass index above or below standard, and self-reported difficulty with mobility, regardless of gender. The physical inactivity level was lower than in other population-based Brazilian studies. The results may help promote regular physical activity through appropriate public policies. <![CDATA[<B>Inequalities in clinical breast examination in São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foi realizado um estudo transversal de base populacional com o objetivo de estabelecer o nível de cobertura de exame clínico de mamas entre as mulheres de 20 a 60 anos residentes em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil, e descrever as características associadas à sua não-realização. O desfecho foi definido como realização de exame clínico de mamas por médico no ano que antecedeu a entrevista. Foram utilizados dois modelos de análise multivariada. Entre as 1.026 mulheres incluídas na amostra, 556 (54,2%; IC95%: 51,1-57,2) foram submetidas ao exame clínico de mamas. A análise multivariada incluindo todas as mulheres demonstrou que somente a variável classe econômica estava associada com a não-realização de exame médico de mama. No outro modelo constatou-se associação entre classe econômica e cor da pele. Assim, classe econômica influenciou a realização de exames de mama nos modelos. Entretanto, no modelo restrito àquelas mulheres que haviam se consultado no ano, cor da pele foi determinante para a realização do exame, ou seja, superadas as diferenças de acesso, as mulheres brancas terão maior probabilidade de serem examinadas.<hr/>This cross-sectional population-based survey focused on the coverage of clinical breast examination (CBE) in women 20 to 60 years of age in São Leopoldo, Rio Grande do Sul State, Brazil, and described the factors associated with lack of CBE. The outcome was defined as having received a CBE by a physician during the year prior to the interview. Two different multivariate models were analyzed. Among the 1,026 women included in the sample, 556 (54.2%; 95%CI: 51.1-57.2) had received CBEs. Multivariate analysis including the entire sample of women showed that low socioeconomic status (SES) was the only variable associated with not having a CBE. In the other multivariate model (only women who had consulted physicians in the previous year, with or without CBE), a statistically significant effect was found for both SES and skin color. Thus, low SES was significantly associated with lack of CBE in both models. However, in the model limited to women with physician consultations in the previous year, skin color was the main factor for receiving CBE, suggesting that once differences in initial access to the health service were overcome, white women had a higher probability of receiving a clinical breast examination as part of their consultation. <![CDATA[<B>Compliance with <I>Constitutional Amendment 29</I> in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A aprovação da Emenda Constitucional nº. 29 (EC-29) em 2000 determinou a vinculação de percentuais mínimos de recursos orçamentários que a União, Estados, Distrito Federal e municípios seriam obrigados a aplicar em ações e serviços públicos de saúde. O objetivo deste artigo é verificar o cumprimento da EC-29 no Brasil no período de 2000 a 2003. O estudo é descritivo utilizando-se dados disponíveis no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS). Apresenta como resultado uma dívida acumulada com o Sistema Único de Saúde de R$ 1,8 bilhão na União e de R$ 5,29 bilhões nos Estados. O total de Estados que cumpriram a EC-29 foi de 59% em 2000, 33% em 2001, 41% em 2002 e 52% em 2003. Os dados do SIOPS mostraram que a média percentual de aplicação de recursos próprios municipais em ações e serviços de saúde era superior ao mínimo exigido de 7% previsto na Constituição Federal. A média percentual de recursos próprios aplicados pelos municípios ficou em 13,67% em 2000, 14,82% em 2001, 16,54% em 2002 e 17,40% em 2003.<hr/>Constitutional Amendment 29, passed in 2000, set the minimum percentages of budget resources that the Federal, State, and Municipal governments are required to spend on public health. Taking a descriptive approach, this article aims to verify the compliance with Amendment 29 at various levels of government, from 2000 to 2003. Data were obtained from the Public Health System Budget Database (SIOPS). From 2000 to 2003, there was a cumulative deficit with the Unified National Health System (SUS) of R$1.8 billion on the part of the Federal government and R$5.29 billion by the States. In 2000, 59% of the States complied with Amendment 29. In 2001, only 33% complied. Some 41% reached the target in 2002 and 52% in 2003. The SIOPS database showed that the average spending on health by Municipalities reached 13.67%, 14.82%, 16.54%, and 17.4% in 2000, 2001, 2002 and 2003, respectively. <![CDATA[<B>Representations, myths, and behaviors among Chagas disease patients with pacemakers</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estudo antropológico sobre o modo de incorporação e as repercussões do implante do marcapasso na vida do indivíduo portador da doença de Chagas. Foi realizada uma pesquisa etnográfica baseada no instrumento de entrevista aberta, buscando identificar a percepção do estado de saúde de um grupo de 15 pacientes portadores de cardiopatia Chagásica crônica que necessitaram de implante de marcapasso, atendidos no Ambulatório de Marcapasso do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Utilizou-se o referencial da qualidade de vida para observar os recursos culturais, físicos e psicológicos que os pacientes utilizam para enfrentar, explicar e aceitar o processo de adoecimento, incluindo as representações mentais que constroem o sentido cultural da doença e definem as relações sociais. O estudo pretende contribuir para que os profissionais de saúde atendam seus pacientes em sua integralidade. A orientação decodificada e integrada no âmbito cultural assume um papel importante para evitar que a desinformação perpetue a difusão de mitos populares, que, por vezes, se tornam preconceitos e elementos sociais ativos de estigma do indivíduo portador de cardiopatia.<hr/>This anthropological study aimed to evaluate the incorporation of pacemakers into the lives of individuals with Chagas disease. An ethnographic methodology was used, based on an open interview focusing on the personal perceptions of 15 patients with chronic Chagas cardiopathy who had required pacemaker implants at the Federal University Hospital in Belo Horizonte, Minas Gerais State, Brazil. As part of a broader quality of life analysis, the study investigated the cultural, physical, and psychological resources used by patients to confront, explain, and accept the disease process, including mental representations on the cultural perception of the illness and definition of social relations. The study was intended to contribute to comprehensive patient care by health professionals, including psychosocial aspects. Decoded and integrated orientation in the cultural sphere assumes an important role in order to prevent disinformation from perpetuating the dissemination of popular myths as active elements in patient stigmatization. <![CDATA[<B>Self-reported history of physician-diagnosed asthma and common mental disorders among civil servants at a public university in Rio de Janeiro, Brazil</B>: <B>the Pró-Saúde study</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700014&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este estudo investiga a associação entre história de asma e transtornos mentais comuns em funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro, Brasil. Dados seccionais da Fase 1 (1999) de um estudo de coorte (Estudo Pró-Saúde) foram coletados entre 4.030 funcionários. A asma foi avaliada mediante auto-relato de diagnóstico médico e a presença de transtornos mentais comuns pelo General Health Questionnaire (GHQ-12). Modelos lineares generalizados foram utilizados para o cálculo de razões de prevalência. A prevalência de asma foi de 11% (444), dos quais 39,7% (176) apresentavam transtornos mentais comuns. História de asma associou-se com renda mais elevada (p = 0,01) e sexo feminino (p = 0,001). A análise ajustada por sexo, idade e renda mostrou associação entre história de asma e transtornos mentais comuns (RP = 1,37; IC95%: 1,22-1,55), e aqueles com menos de dez anos de diagnóstico apresentaram uma prevalência de transtornos mentais comuns mais elevada do que aqueles sem diagnóstico de asma (RP = 1,88; IC95%: 1,32-2,70). Esses achados reforçam a necessidade de atenção por parte das equipes multidisciplinares dos aspectos emocionais dos pacientes com asma, em especial daqueles com menos tempo de convivência com a doença.<hr/>This study investigates the association between history of asthma and common mental disorders among employees at a public university in the State of Rio de Janeiro, Brazil. Phase 1 cross-sectional data from a cohort study (the Pró-Saúde Study) were collected from 4,030 employees. Asthma was ascertained by self-reported medical diagnosis, and the occurrence of common mental disorders was based on the General Health Questionnaire (GHQ-12). Generalized linear models were used to calculate prevalence rates. Asthma prevalence was 11% (444), of whom 39.7% (176) presented common mental disorders. History of asthma was associated with higher income (p = 0.01) and female gender (p = 0.01). The analysis adjusted by gender, age, and per capita income revealed an association between asthma and common mental disorders (PR = 1.37; 95%CI: 1.22-1.55). Employees with less than 10 years since their asthma diagnosis showed a higher prevalence of common mental disorders (PR = 1.88; 95%CI: 1.32-2.70). These findings suggest that multidisciplinary teams should consider emotional aspects of asthma patients, especially those recently diagnosed. <![CDATA[<B>When, how, and what to drink</B>: <B>alcoholism among Indian peoples in the Upper Rio Negro, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700015&lng=en&nrm=iso&tlng=en O texto analisa o processo de alcoolização em populações indígenas do Alto Rio Negro, Amazonas, Brasil. Baseando-se num enfoque compreensivo sobre o que se bebe, como se bebe e quando se bebe, a etnografia privilegia o estudo do contexto sócio-cultural e histórico no qual se dá o consumo de álcool e a interpretação nativa sobre a questão; discute as transformações históricas nas formas de beber e suas correlações com as permanências e mudanças da vida social. Conclui que as formas atuais de consumo de álcool estão ligadas à adoção de comportamentos e valores engendrados na fronteira das relações interétnicas e às ressignificações da cultura tradicional que hoje enfrenta dificuldade para oferecer parâmetros para a ação e para a simbolização da vida social pelas gerações mais jovens, frente aos desafios do mundo contemporâneo.<hr/>This paper analyzes the development of alcoholism among Indian peoples in the Upper Rio Negro, Amazonas State, Brazil. Based on a comprehensive approach to what, how, and when individuals drink, this ethnography emphasizes the socio-cultural and historical context in which alcohol is consumed and interpretation of the issue by Indian people themselves. The article discusses historical transformations in the forms of drinking and their correlations with the status quo and changes in social standards of living. The article concludes that current forms of alcohol consumption are linked to the behaviors and values emerging on the frontier of interethnic relations and the resignification of the traditional culture, currently experiencing difficulties in offering parameters for action and symbolization of social life by the younger generations as they deal with challenges from the modern world. <![CDATA[<B>Attributable fraction of work accidents related to occupational noise exposure in a Southeastern city of Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700016&lng=en&nrm=iso&tlng=en Noise is the most frequent type of occupational exposure and can lead to both auditory and extra-auditory dysfunction as well as increasing the risk of work accidents. The purpose of this study was to estimate the attributable fraction of work accidents related to occupational noise exposure in a medium-sized city in Southeast Brazil. In this hospital-based case-control study, including 600 cases and 822 controls, the odds ratio of work accidents (controlled for several covariables) was obtained classifying occupational noise exposure into four levels and determining the prevalence at each level. Based on these data, the calculated attributable fraction was 0.3041 (95%CI: 0.2341-0.3676), i.e., 30% of work accidents in the study area were statistically associated with occupational noise exposure. The authors discuss the causes of this association and the implications for the prevention of work accidents.<hr/>O ruído é o mais freqüente dos agentes de exposição ocupacional. Pode proporcionar o desenvolvimento de disfunções auditivas e extra-auditivas, bem como o aumento do risco para acidentes do trabalho. O objetivo deste estudo foi estimar a fração de acidentes do trabalho atribuível à exposição ocupacional ao ruído, ocorridos em uma cidade de porte médio localizada no Sudeste do Brasil. A partir de um estudo caso-controle de base hospitalar, com 600 casos e 822 controles, obtiveram-se os odds ratio de acidentes do trabalho controlados para diversas covariáveis, relacionando trabalhadores expostos ao ruído em quatro níveis, bem como da prevalência destas exposições. Com estes resultados, estimou-se a fração atribuível como 0,3041 (IC95%: 0,2341-0,3676), o que equivale a dizer que mais de 30% dos acidentes do trabalho ocorridos nesta localidade são estatisticamente associados à exposição ocupacional ao ruído. Discute-se a causalidade dessa relação e suas implicações para a prevenção dos acidentes do trabalho. <![CDATA[<B>Dengue Control Program in São José do Rio Preto, São Paulo State, Brazil</B>: <B>problems with health agents' work and population adherence</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700017&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do trabalho foi identificar aspectos que interferem na atuação dos agentes de controle de vetores e comunitários de saúde no Programa de Controle do Dengue e na adesão da população. Utilizou-se metodologia de grupos focais, nos quais foi discutida a relação agente-serviço-população. O controle e prevenção do dengue foram considerados atividades de menor importância, e o agente ideal seria aquele capaz de encaminhar todas as demandas e não só aquelas relacionadas ao dengue. Os agentes de controle de vetores apontaram para problemas como recusa e falta de adesão, identificação como coletores de lixo, diferenciação de status em relação aos agentes comunitários de saúde. Entre as mulheres, identificaram-se a relação de culpabilização entre vizinhos, a associação do problema do dengue à falta de higiene e a relação entre casa limpa e ausência de criadouros. Os aspectos destacados interferem negativamente na atuação dos agentes e são condicionados pela característica vertical do programa. Encaminhamentos possíveis: incorporação dos agentes de controle às Unidades de Saúde, investimento na integração intersetorial e criação de condições para que os agentes atuem sobre o meio ambiente.<hr/>This study aimed to identify the aspects that interfere with the performance of vector control agents and community health workers and population adherence to dengue control programs. The focal group methodology was applied to discuss the relations between the program, health agents, and population. According to the results, dengue control and prevention were considered relatively unimportant activities, i.e., ideal community health workers would be capable of solving other (supposedly more important) problems. Vector control agents emphasized the population's lack of adherence and the fact that they (the control agents) were confused with garbage collectors (considered less important than community health workers, and with a focus more on productivity than quality). Women frequently blamed neighbors for the dengue problem and associated the disease with lack of hygiene. These aspects have a negative impact on dengue control agents' work and result from the program's vertical structure. Possible solutions would be to incorporate the agents into community health clinics, encourage cooperation between departments, and provide the conditions for them to intervene in the environment. <![CDATA[<B>Prevalence and factors associated with mammograms in the 50-69-year age group</B>: <B>a study based on the <I>Brazilian National Household Sample Survey</I> (PNAD-2003)</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700018&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente trabalho foi desenvolvido utilizando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2003 (PNAD 2003), com o objetivo de estimar a prevalência e os fatores associados à realização da mamografia entre mulheres brasileiras com 50-59 e 60-69 anos de idade. Participaram do estudo 16.570 e 10.722 mulheres nas respectivas faixas etárias. Quarenta e três por cento das participantes com 50-69 anos haviam realizado uma mamografia nos últimos dois anos. Essa prevalência foi mais baixa na faixa etária superior (37%) em comparação à inferior (46%). Em ambas as faixas etárias, a realização da mamografia apresentou associações positivas e independentes com a localização urbana do domicílio, a macrorregião de residência, a escolaridade, a renda domiciliar, o exame de Papanicolau, o número de consultas médicas e a cobertura por plano de saúde. Esses resultados mostram que a cobertura da mamografia ainda é baixa entre mulheres brasileiras, sobretudo entre as mais velhas, e que existem profundas desigualdades associadas à sua realização. Recomenda-se a condução de investigações mais profundas que permitam um melhor entendimento dessas desigualdades, visando a sua superação.<hr/>This study was developed to estimate the prevalence and factors associated with mammograms among Brazilian women, based on data from the National Household Sample Survey (PNAD) in 2003. 16,570 and 10,722 women aged 50-59 and 60-69 years participated in the study. 43% of participants aged 50-69 years had received a mammogram in the previous two years. The rate was lower among older women (37%) as compared to the younger group (46%). In both age groups, having received a mammogram in the previous two years was positively and independently associated with urban residence, region of residence, years of schooling, family income, Papanicolaou exam, number of physician visits, and health plan coverage. The results showed that the prevalence of mammograms in the previous two years is low among older Brazilian women, mainly in the 60-69-year group. The study identified striking inequalities in mammogram coverage. Further research is needed to better understand the reasons for such inequalities and thus help overcome them. <![CDATA[<B>Nutrition and health promotion</B>: <B>recent perspectives</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700019&lng=en&nrm=iso&tlng=en A promoção da saúde tem ao longo dos últimos anos se apresentado como uma estratégia promissora para o campo da Saúde Pública. Este estudo propõe articular o tema da nutrição no debate contemporâneo da promoção da saúde, analisando o papel dos nutricionistas neste processo. Frente ao reconhecimento da complexidade do quadro alimentar brasileiro advindo da transição nutricional em curso no país, a proposta de promoção da saúde aponta perspectivas, mas também desafios ao campo da alimentação e nutrição. Em linhas gerais, novas exigências relacionadas à formação acadêmica e ao modelo de atenção tendem a fortalecer a busca de parcerias, inovação das práticas alimentares à educação nutricional voltada à construção da cidadania alimentar.<hr/>In recent years, health promotion has been introduced as a promising strategy for the public health field. The current study is intended to link nutrition into the recent debate on health promotion, analyzing the role of nutritionists in this process. Given the complexity of the Brazilian nutritional situation due to the nutritional transition currently under way in the country, the health promotion proposal points to both new perspectives and challenges for eating and nutrition. New demands in academic training and the nutritional care model tend to foster a search for partnerships, innovation in eating practices, and nutritional education aimed at the achievement of nutritional citizenship. <![CDATA[<B>Preliminary evidence that synanthropic flies contribute to the transmission of trachoma- causing <I>Chlamydia trachomatis</I> in Latin America</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700020&lng=en&nrm=iso&tlng=en Synanthropic flies have been shown to be important mechanical vectors of Chlamydia trachomatis, which causes trachoma. However entomological studies have not been forthcoming in Latin America. This study assesses the relationship between household dipteran fly densities and active childhood trachoma in a village on Marajó Island, Pará state, Brazil. For 78 households, members were examined for signs of trachoma, relative abundance of potential trachoma vectors (Diptera, Chloropidae and Diptera, Muscidae) was quantified by trap counts, and additional measures of household hygiene associated with C. trachomatis transmission were assessed. Active childhood trachoma prevalence was 24.1% (45/187), present in 46.2% of sampled households with evidence of case clustering. Childhood prevalence was positively associated with increased fly densities, whereas indirect measures of sanitary conditions (latrine ownership and perceived importance of flies) showed a protective effect. This study indicates that C. trachomatis can be transmitted by synanthropic flies in this region of Latin America.<hr/>Insetos sinantrópicos são importantes vetores mecânicos de Chlamydia trachomatis, causadora de tracoma, contudo, estudos entomológicos não são freqüentes na América Latina. Esse estudo determina a relação entre densidade de dípteros domésticos e tracoma ativo na infância em uma vila na Ilha do Marajó, Estado do Pará, Brasil. Moradores de 78 residências foram examinados para sinais de tracoma e a relativa abundância de potenciais vetores de tracoma (Diptera, Chloropidae e Diptera, Muscidae) foi quantificada junto com medidas adicionais de higiene doméstica associada com a transmissão de C. trachomatis. A prevalência de tracoma ativo na infância foi 24,1% (45/187), presente em 46,3% das residências amostradas com evidência de aglomeração de casos. A prevalência na infância foi positivamente associada com o aumento das densidades de insetos, enquanto medidas indiretas de condições sanitárias (possuir latrina e perceber a importância dos insetos) foram protetoras. Esse estudo indica que C. trachomatis pode ser transmitida por insetos sinantrópicos nessa região da América Latina. <![CDATA[<B>Impact of the <I>Haemophilus influenzae</I> type b vaccination program on HIB meningitis in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700021&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study aimed to evaluate the impact of vaccination against Haemophilus influenzae type b (HIB) in Brazil on the morbidity, mortality, and case fatality of HIB meningitis, using the Ministry of Health database and population data from the Brazilian Institute of Geography and Statistics (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE). Impact was evaluated through a time series analysis (1983-2002), using regression forecasting (RF) by dividing the time series into two periods: (a) historical (1983-1998) and (b) validation (1999-2002). Impact of the vaccination was positive, although more significant for incidence and mortality than for case fatality rates.<hr/>A proposta deste trabalho foi avaliar o impacto da vacinação contra Haemophilus influenzae tipo b (HIB) no Brasil sobre a morbi-mortalidade e a letalidade das meningites por HIB, a partir de base de dados fornecida pelo Ministério da Saúde e as estimativas populacionais provenientes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para a avaliação do impacto utilizou-se análise de tendência temporal (1983-2002), aplicando-se a técnica RF (regression forecasting), dividindo-se a série em dois períodos: (a) período histórico (1983-1998) e (b) período de estimação (1999-2002). O impacto da vacinação foi positivo, embora tenha se revelado mais expressivo sobre a morbi-mortalidade que sobre a letalidade. <![CDATA[<B>Social representations concerning dengue, dengue vectors, and control activities among residents of São Sebastião on the northern coast of São Paulo State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700022&lng=en&nrm=iso&tlng=en Buscou-se, neste trabalho, identificar conhecimentos da população sobre a dengue e biologia do vetor, a fim de propiciar, através desse conhecimento, o diálogo entre a lógica técnica e a leiga, para conseguir avanços concretos na participação e no controle social da dengue e do vetor. Foi realizada pesquisa em área infestada pelo Aedes aegypti, com transmissão de dengue, no Município de São Sebastião, litoral norte do Estado de São Paulo, Brasil. Foram feitas cem entrevistas, com cinco questões abertas, abordando aspectos de interesse para o tema do controle da dengue e do vetor. Utilizou-se, para análise, a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Os discursos revelam que a população não está conseguindo discriminar adequadamente o tipo ou modalidade de coleção de água mais apropriada para a criação do mosquito e que desconhece a fase de ovo no desenvolvimento do vetor. Observou-se consciência inadequada da relação de vários elementos da biologia do vetor, bem como da necessária integração entre poder público e a população. Sugere-se que as atividades educativas adotem resultados desta pesquisa como insumo, visando ao incremento da eficiência e eficácia social das ações participativas de combate ao dengue e controle do vetor.<hr/>This study sought to identify people's knowledge on dengue and its vector biology, aimed at promoting a communications channel between technical and lay reasoning in order to foster community involvement in dengue and dengue vector control activities. A survey was conducted in an Aedes aegypti-infested area with dengue transmission in São Sebastião on the northern coast of São Paulo State, Brazil. One hundred interviews were held, with five open questions on topics related to dengue and vector control. Collective Subject Discourse methodology was used in the analysis. People were not able to properly identify the kinds of accumulated water sources that serve as breeding places for mosquitoes and were unaware of the egg phase in vector development. There was inadequate awareness of vector biology and a need for greater government-community integration. Educational activities should incorporate the study results as insight for improving the social efficiency and efficacy of joint actions to fight dengue and control the mosquito vector. <![CDATA[<B>The impact of oral health on daily performance of municipal waste disposal workers in Porto Alegre, Rio Grande do Sul State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700023&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi investigar a prevalência do impacto bucal no desempenho diário em adultos brasileiros. Uma amostra representativa, composta por 276 funcionários do Departamento Municipal de Limpeza Urbana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, entre 35 e 44 anos, responderam a entrevista e permitiram a realização do exame clínico. O Oral Impacts on Daily Performances (OIDP) foi utilizado para avaliar o impacto bucal no desempenho diário. Do total de participantes, 73,6% tiveram pelo menos um desempenho diário afetado por problemas odontológicos nos últimos seis meses. O mais afetado foi comer e apreciar a comida (48,6%). O desconforto (40,6%) e a insatisfação com a aparência (31,5%) foram os sintomas mais prevalentes. A falta de dentes (21,7%) e a dor de dente (20,7%) foram as principais causas percebidas de impacto no desempenho diário. O OIDP mostrou-se útil para avaliar os impactos odontológicos nas dimensões físicas, psicológicas e sociais do desempenho diário.<hr/>This study aimed to investigate the prevalence of oral health impact on daily performance in Brazilian adults. 276 civil servants 35 to 44 years of age from the Public Works and Waste Disposal Department of Porto Alegre, in southern Brazil, were interviewed and clinically examined. Oral Impacts on Daily Performance (OIDP) was used to evaluate the impact of oral health status on daily performance. 73.6% of all subjects had at least one daily performance affected by an oral impact in the previous six months. The most commonly affected performance was eating (48.6%), while the most common symptoms were discomfort (40.6%) and dissatisfaction with one's appearance (31.5%). Missing teeth (21.7%) and toothache (20.7%) were recognized as the main causes of oral impacts on daily performance. OIDP was useful for measuring (physically, psychologically, and socially) the oral impacts on daily performance. <![CDATA[<B>Natural infection of <I>Lutzomyia longipalpis</I> by <I>Leishmania</I> sp. in Teresina, Piauí State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700024&lng=en&nrm=iso&tlng=en No Brasil, o controle do vetor Lutzomyia longipalpis é uma das principais estratégias utilizadas para limitar a expansão da leishmaniose visceral americana. Entretanto, poucos são os estudos sobre a infecção natural destes flebotomíneos por espécies de Leishmania. Um estudo sobre a infecção natural de Lu. longipalpis por Leishmania sp. foi realizado no bairro Bela Vista, Teresina, Piauí, um dos principais focos urbanos da leishmaniose visceral americana no Brasil. Entre fevereiro de 2004 e janeiro de 2005 realizaram-se 180 capturas usando-se armadilhas luminosas do tipo CDC. Foram dissecadas e examinadas, em média, dez fêmeas por captura para detecção de formas evolutivas de Leishmania sp., identificando-se 1.832 exemplares de Lu. longipalpis e seis de Lu. whitmani. Vinte (1,1%) espécimes, todas de Lu. longipalpis, estavam infectadas com as formas procíclica e nectomonada de Leishmania sp., localizadas, principalmente, na porção posterior do trato digestivo. O maior percentual de insetos infectados foi encontrado quatro meses após o período de maior precipitação pluviométrica, sugerindo que variáveis climáticas podem contribuir para a predição não apenas da abundância destes dípteros, mas também do seu grau de infecção natural.<hr/>In Brazil, control of the vector Lutzomyia longipalpis is one of the main strategies used to limit the expansion of American visceral leishmaniasis. However, studies on the ecology of this sand fly are rare, especially regarding its natural infection with species of Leishmania. A study of the natural infection of Lu. longipalpis by Leishmania sp. was carried out in the Bela Vista neighborhood in the city of Teresina, Piauí State, Brazil, an important area of American visceral leishmaniasis transmission. From February 2004 to January 2005, sand flies were captured with CDC light traps. Approximately 10 female sand flies in each capture were dissected and examined for the presence of evolutionary forms of Leishmania sp. Two sand fly species were identified: 1,832 were Lu. longipalpis and six Lu. whitmani. Twenty female sand flies (1.1%), all Lu. longipalpis, were infected with procyclic and nectomonad forms of Leishmania sp., found mostly in the hindgut. Higher proportions of infected sand flies were found four months after the rainy season, suggesting that environmental factors may predict not only vector abundance (as already known) but also their level of infection. <![CDATA[<B>The burden of hospitalization due to overweight and obesity in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700025&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os custos de hospitalização associados ao sobrepeso/obesidade e às doenças associadas no Brasil foram estimados utilizando-se os dados das hospitalizações de homens e mulheres de 20 a 60 anos do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH-SUS) para o ano de 2001. O SUS cobre mais de 70% das hospitalizações. A fração atribuível a hospitalizações associadas com obesidade/sobrepeso ou doenças relacionadas foi estimada com base na combinação dos riscos relativos de coortes americanas e européias. O custo direto total do sobrepeso/obesidade foi estimado pela soma do risco atribuível à população para cada morbidade multiplicada pelo valor de reembolso de cada morbidade. O total de custos foi equivalente a 3,02% dos custos totais de hospitalização em homens e 5,83% em mulheres, correspondendo a 6,8 e 9,3% de todas as hospitalizações (excluindo gestantes). O excesso de peso no Brasil tem um impacto nas hospitalizações e nos custos similar ao observado em países desenvolvidos. Sendo a transição nutricional um processo em andamento no Brasil, o sobrepeso teve maior impacto nos custos do que a obesidade.<hr/>This article estimates the burden of hospitalization associated with overweight and obesity in Brazil. The analysis of all hospitalizations for men and women from 20 to 60 years of age was based on the National Healthcare Expenditure Database (SIH-SUS), covering more than 70% of all hospital admissions. Data were for the year 2001. Attributable fraction of hospitalizations associated with diseases related to obesity and overweight was based on the combined risks of United States and European cohorts. The population-attributable fraction for each disease studied was multiplied by values reimbursed to the hospitals and summed to obtain total direct costs. Overall costs of overweight and obesity represent 3.02% of total hospitalization costs for men and 5.83% for women, corresponding to 6.8 and 9.3% of all hospitalization (excluding pregnancy). Diseases associated with overweight and obesity had a significant impact on hospitalizations and economic costs in Brazil, and overall percentages were similar to those from developed countries. Since the nutritional transition is still under way in Brazil, overweight had a higher impact than obesity on disease prevalence and costs. <![CDATA[<B>Tuberculosis among the indian population in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700026&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county. <![CDATA[<B>Scaling up the Brazilian Schistosomiasis Control Program</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700027&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county. <![CDATA[<B>Cenários possíveis, experiências e desafios do mestrado profissional na saúde coletiva</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700028&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county. <![CDATA[<B>Oswaldo Cruz</B>: <B>a construção de um mito na ciência brasileira</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700029&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county. <![CDATA[<B>A construção da clínica ampliada na atenção básica</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700030&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county. <![CDATA[<B>A ciência como profissão</B>: <B>médicos, bacharéis e cientistas no Brasil (1895-1935)</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700031&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county. <![CDATA[<B>Epidemiologia crítica</B>: <B>ciência emancipadora e interculturalidade</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000700032&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo descreve a situação da tuberculose no Município de São Gabriel da Cachoeira, Estado do Amazonas, Brasil, no período de 1997 a 2002. Este município de população predominantemente indígena constitui uma importante noso-área da Amazônia para o problema da tuberculose, cuja magnitude se expressa por intermédio do coeficiente 2,4 vezes mais elevado que a média estadual e até quatro vezes mais que a média nacional. Análises estatísticas utilizadas para avaliar a tendência em relação à associação com a idade, o sexo e a forma clínica revelaram diferenças no comportamento da endemia, quando comparados os coeficientes de incidência entre os casos de procedência urbana e rural. As taxas padronizadas mostraram a população masculina com uma incidência mais elevada que a feminina nas duas áreas de residência. A faixa etária mais atingida foi acima de 50 anos, porém a proporção de menores de 15 anos se mostrou acima dos valores esperados na população geral do país, além de apresentar diferentes níveis de gravidade nas subáreas rurais estudadas. Os achados indicam que esta situação pode ser explicada pelas desigualdades, sobretudo, relativas à acessibilidade aos serviços de saúde que, contraditoriamente, parecem menos resolutivos na área urbana.<hr/>This study describes the tuberculosis situation in São Gabriel da Cachoeira, Amazonas State, Brazil, from 1997 to 2002. The county, which has a predominantly Indian population, is a relevant tuberculosis area in Amazonas, since the infection rate is 2.4 to 4 times that of the overall State and national rates. The statistical analyses used to assess its association with age, gender, and clinical form showed differences in the endemic behavior, comparing the urban and rural incidence rates. Males had higher standardized incidence rates than females in both the urban and rural areas. The most heavily affected age group was greater than 50 years, but the rate among individuals under 15 years was above the overall national rate, in addition to presenting different severity levels in the rural sub-areas that were studied. The situation can be explained mainly by inequalities in access to health services, which paradoxically appear to show lower case-resolving capacity in urban areas of the county.