Scielo RSS <![CDATA[Cadernos de Saúde Pública]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=0102-311X20090015&lang=en vol. 25 num. lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<b>Reviews in Epidemiology</b>: <b></b><b>diversity in the research agenda</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Non classical risk factors for gestational diabetes mellitus</B>: <B>a systematic review of the literature</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Age, obesity and family history of diabetes are well known risk factors for gestational diabetes mellitus. Others are more controversial. The objective of this review is to find evidence in the literature that justifies the inclusion of these other conditions among risk factors. The MEDLINE, Cochrane, LILACS and Pan American Health Organization databases were searched, covering articles dating from between 1992 and 2006. Keywords were used in combination (AND) with gestational diabetes mellitus separately and with each one of the risk factors studied. The methodological quality of the studies included was assessed, resulting in the selection of 41 papers. Most studies investigating maternal history of low birth weight, low stature, and low level of physical activity have found positive associations with gestational diabetes mellitus. Low socioeconomic levels, smoking during pregnancy, high parity, belonging to minority groups, and excessive weight gain during pregnancy presented conflicting results. Publication bias cannot be ruled out. Standardization of techniques, cutoff points for screening and diagnosis, as well as studies involving larger sample sizes would allow future meta-analyses.<hr/>Idade, obesidade e história familiar de diabetes são fatores de risco bem conhecidos para diabetes mellitus gestacional. Outros são controversos. O objetivo desta revisão é encontrar evidências na literatura que justifiquem a inclusão dessas condições entre os fatores de risco. Bases de dados MEDLINE, Cochrane, LILACS e Organização Pan-Americana da Saúde foram procuradas. A revisão incluiu artigos de 1992 a 2006. Palavras-chave foram usadas em combinação com diabetes mellitus gestacional separadamente e com cada um dos fatores de risco estudados. A qualidade metodológica dos estudos incluídos foi medida, totalizando 41 estudos. A maioria dos trabalhos que investigaram história materna de baixo peso, baixa estatura e baixa atividade física encontrou associação positiva com diabetes mellitus gestacional. Baixo nível sócio-econômico, fumo durante a gestação, alta paridade, pertencer a minorias e excessivo ganho de peso apresentam resultados conflitantes. Padronização de técnicas, pontos de corte para rastreamento e diagnóstico, assim como estudos envolvendo maiores amostras podem permitir futuras metanálises. <![CDATA[<B>Adverse drug events in hospitals</B>: <B>a systematic review</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en The objective of this study was to evaluate studies on the occurrence of adverse drug events (ADEs) in hospitals in order to learn about their frequency and characteristics, comparing the methods for identifying them and the various definitions. A search was conducted on MEDLINE and identified studies published from 2000 to 2009. Inclusion criteria were: studies in populations not selected for specific diseases or drugs and ADEs that occurred during hospitalization. Twenty-nine studies were selected, displaying multiple sources of heterogeneity, including differences in the study populations, surveillance techniques, definitions of ADEs, and indicators. The proportion of patients with ADEs ranged from 1.6% to 41.4% of inpatients and the rates ranged from 1.7 to 51.8 events/100 admissions. A considerable share of these events could have been avoided. The findings show that ADEs in inpatients are a public health problem. However, further studies are needed to monitor these adverse events in order to effectively promote safe drug use.<hr/>O objetivo foi avaliar estudos sobre a ocorrência de eventos adversos a medicamentos (EAM) em hospitais para conhecer as suas freqüências e características, comparando os métodos de identificação e as definições utilizadas para caracterizá-los. A busca foi realizada no MEDLINE e identificou estudos publicados entre 2000 e 2009. Os critérios de inclusão foram estudos em população não selecionada por patologias ou medicamentos específicos e os EAM ocorridos durante a internação. Foram selecionados 29 estudos e encontradas múltiplas fontes de heterogeneidade entre eles, incluindo diferenças nas populações estudadas, nas técnicas de vigilância, nas definições de EAM e nos indicadores. A freqüência de pacientes com EAM está entre 1,6% e 41,4% dos pacientes internados e as taxas entre 1,7 e 51,8 eventos/100 internações. Uma parte considerável desses eventos poderia ter sido evitada. Os resultados mostram que EAM em pacientes internados são um problema de saúde pública. Entretanto, são necessários novos estudos de monitoramento desses eventos adversos para a efetiva promoção do uso seguro dos medicamentos. <![CDATA[<B>Risk factors for healthcare-associated infection in pediatric intensive care units</B>: <B>a systematic review</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A systematic review of observational studies on risk factors for healthcare-associated infection in pediatric Intensive Care Units (ICU) was carried out. Studies indexed in MEDLINE, LILACS, Cochrane, BDENF, CAPES databases published in English, French, Spanish or Portuguese between 1987 and 2006 were included and cross references added. Key words for search were "cross infection" and "Pediatric Intensive Care Units" with others sub-terms included. 11 studies were selected from 419 originally found: four studies had healthcare-associated infection as the main outcome without a specific site; three articles identified factors associated with lower respiratory tract infection (pneumonia or tracheitis); three articles were concerned with laboratory-confirmed bloodstream infection; and a single retrospective study analyzed urinary tract infection. The production of evidence on risk factors Paediatric ICU has not kept up the same pace of that on adult - there are few studies with adequate design and statistical analysis. The methodological diversity of the studies did not allow for a summarized measurement of risk factors.<hr/>Realizou-se revisão sistemática de estudos observacionais sobre fatores de risco para infecção relacionada aos cuidados de saúde em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica. Foram incluídos estudos em inglês, francês, espanhol ou português indexados no MEDLINE, LILACS, Cochrane Library, BDENF, CAPES, entre 1987 e 2006. As palavras-chave foram "Infecção Hospitalar" e "Unidades de Terapia Intensiva Pediátricas", com diferentes formas de escrever. Onze artigos foram selecionados a partir de 419 resumos encontrados: quatro tinham como desfecho infecção em qualquer topografia; três eram sobre infecções de vias aéreas inferiores; três estudaram infecção da corrente sanguínea confirmada laboratorialmente e um analisou infecção do trato urinário. A produção de evidências na UTI pediátrica não vem acompanhando o ritmo dos estudos em adultos - existem poucos estudos com desenhos e análise estatística adequados. A diversidade metodológica não permitiu a realização de medição sumarizada dos fatores de risco. <![CDATA[<B>Assessing patient adherence to chronic diseases treatment</B>: <B>differentiating between epidemiological and clinical approaches</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en This review discusses the concepts and methods for assessing patient adherence to treatment, as applied to both epidemiological and clinical approaches within real health care practices. For the epidemiological approach, the assessment must be as accurate as possible. Self-reported questionnaires are the most feasible option in most circumstances, but most demonstrate low sensitivity combined with high specificity. We suggest that self-reported outcomes, where feasible, can increase the sensitivity for non-adherence of these questionnaires. In the clinical approach an accurate distinction between adherents and non-adherents is less useful. For the health provider, it is more important to be aware of the particular situation that each patient is currently experiencing with his/her treatment. Self-reported questionnaires applied in clinical settings can help the health provider to form an objective opinion. In any event, the patient-provider dialogue is still the best approach to assess patient adherence as well as to deliver good care.<hr/>Esta revisão discute conceitos e métodos de avaliação da adesão do paciente ao tratamento de saúde, aplicáveis para a abordagem epidemiológica e para a abordagem clínica. Na abordagem epidemiológica, a avaliação deve ter a melhor acurácia possível. Os questionários de auto-relato são a opção mais viável na maioria dos contextos. Entretanto, a maior parte dos questionários apresenta baixa sensibilidade aliada a alta especificidade. Sugere-se que o desfecho clínico auto-relatado, quando factível, é capaz de aumentar a sensibilidade desses questionários. Para a abordagem clínica, uma acurada discriminação entre aderentes e não aderentes é pouco útil. Para o profissional de saúde, é mais importante conhecer a situação particular pela qual o paciente está, no momento, passando com seu tratamento. Questionários de auto-relato aplicados no contexto clínico podem auxiliar a melhorar a objetividade da opinião do profissional. Em qualquer caso, contudo, o diálogo paciente-profissional é ainda a melhor abordagem para avaliar a adesão, assim como para prover um bom cuidado. <![CDATA[<B>Impact of methodology on the results of economic evaluations of varicella vaccination programs</B>: <B>is it important for decision-making?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study aims to review the literature on economic evaluation of childhood varicella vaccination programs and to discuss how heterogeneity in methodological aspects and estimation of parameters can affect the studies' results. After applying the inclusion criteria, 27 studies published from 1980 to 2008 were analyzed in relation to methodological differences. There was great heterogeneity in the perspective adopted, evaluation of indirect costs, type of model used, modeling of the effect on herpes zoster, and estimation of vaccine price and efficacy parameters. The factor with the greatest impact on results was the inclusion of indirect costs, followed by the perspective adopted and vaccine price. The choice of a particular methodological aspect or parameter affected the studies' results and conclusions. It is essential that authors present these choices transparently so that users of economic evaluations understand the implications of such choices and the direction in which the results of the analysis were conducted.<hr/>O presente trabalho tem por objetivo rever a literatura sobre avaliação econômica de programas de vacinação infantil contra varicela, e discutir como a heterogeneidade em aspectos metodológicos e na estimativa dos parâmetros pode afetar os resultados dos estudos. Após aplicação dos critérios de inclusão, 27 estudos do período de 1980 a 2008 foram analisados com relação às diferenças metodológicas. Observou-se grande heterogeneidade na perspectiva adotada, valoração dos custos indiretos, tipo de modelo empregado, modelagem do efeito no herpes zoster, e na estimativa dos parâmetros de preço e eficácia da vacina. O fator que mais impactou os resultados foi a inclusão dos custos indiretos seguido da perspectiva e preço de vacina adotados. A escolha de um determinado aspecto metodológico ou parâmetro afetou os resultados e conclusões dos estudos. É de fundamental importância que os autores apresentem essas escolhas com transparência para que os usuários das avaliações econômicas compreendam as repercussões dessas escolhas, e em qual direção os resultados das análises foram conduzidos. <![CDATA[<B>Physical activity in Brazil</B>: <B>a systematic review</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500007&lng=en&nrm=iso&tlng=en The purpose of this study, based on a systematic literature review, was to describe the prevalence of physical activity (or inactivity) in the Brazilian population. The databases consulted were: LILACS, SciELO, MEDLINE, Web of Science, and the Google Scholar portal. The terms "physical activity", "physical exercise", "physical inactivity", "sedentary" "Brazil", and "Brazilian" were used in the search. Overall, 47 studies (all cross-sectional) with random samples were found, and in 26 studies physical activity was the main variable. Only two studies were published before the year 2000, as compared to 12 in 2008 alone. The studies were heavily concentrated in the South and Southeast of Brazil, and there were few studies on physical activity in children and adolescents. In all the studies, physical activity was measured subjectively, mainly with questionnaires, and the most widely studied domain was leisure time. The criteria for defining physical activity varied widely, as did prevalence. The study highlighted the need for standardization of instruments, criteria, and nomenclature in epidemiological studies on physical activity.<hr/>O objetivo deste estudo foi descrever, por meio de uma revisão sistemática, a prevalência de atividade (ou inatividade) física no Brasil. As bases de dados consultadas foram: LILACS, SciELO, MEDLINE, Web of Science e o portal Google Acadêmico. Os termos de busca foram: "atividade física", "exercício físico", "inatividade física", "sedentarismo", "Brasil" e "brasileiros". Foram localizados 47 estudos (todos transversais) com dados sobre prevalência de atividade física em amostras aleatórias, sendo que em 26, esta foi a principal variável. Apenas dois estudos foram publicados antes de 2000, e 12 em 2008. Houve uma grande concentração de trabalhos nas regiões Sul e Sudeste, e poucos estudos com crianças. Em todos os trabalhos, a atividade física foi mensurada de forma subjetiva, principalmente por meio de questionários, e o domínio mais estudado foi o lazer. Os critérios para definir atividade física variaram amplamente, assim como a sua prevalência. Evidencia-se a necessidade de padronização dos instrumentos, critérios e nomenclatura nos estudos epidemiológicos sobre atividade física. <![CDATA[<B>Childhood poverty and abdominal obesity in adulthood</B>: <B>a systematic review</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Adverse socioeconomic conditions in childhood can have lasting effects on health, but evidence is lacking from prospective studies concerning the effects of early poverty on abdominal obesity in adulthood. Cross-sectional studies in adults from middle and high-income countries show that current socioeconomic status is inversely related to obesity in women, but the pattern in men is not consistent. A systematic review was undertaken to assess the influence of early socioeconomic status on waist circumference, hip circumference, and waist-hip ratio in adulthood. Thirteen relevant articles were located (five cross-sectional and eight cohort), including only one from a middle-income country and the remainder from high-income settings. In all the studies, childhood poverty was associated with higher levels of abdominal obesity in women. In men, the associations were weaker, and no clear pattern emerged.<hr/>Condições sócio-econômicas adversas na infância podem exercer efeitos duradouros sobre a saúde de adultos, mas são poucos os estudos longitudinais que avaliaram os efeitos sobre a obesidade abdominal. Estudos transversais em adultos de países de renda média e alta mostram uma associação inversa entre obesidade e posição sócio-econômica atual em mulheres, mas para os homens não se observa um padrão consistente. Entre homens e crianças de ambos os sexos não existe um padrão definido. Foi realizada uma revisão sistemática dos estudos que avaliaram a posição sócio-econômica precoce e o seu efeito na circunferência da cintura, a circunferência do quadril e/ou na razão cintura-quadril em adultos. Dos 13 trabalhos incluídos (cinco transversais e oito coortes), apenas um foi realizado em um país de renda média, sendo os demais provenientes de países de renda alta. Em todos os estudos, a pobreza na infância esteve associada com maiores níveis de obesidade abdominal em mulheres. Em homens, as associações foram de menor magnitude e não houve consistência entre os estudos em termos da direção do efeito da posição sócio-econômica. <![CDATA[<B>Magnetic fields and acute lymphoblastic leukemia in children</B>: <B>a systematic review of case-control studies</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Leukemia incidence in children has increased worldwide in recent decades, particularly due to the rise in acute lymphoblastic leukemia. Studies have associated exposure to non-ionizing radiation generated by low frequency magnetic fields with childhood leukemia. The current article reviews the case-control studies published on this subject. Of 152 articles tracked in different databases, ten studies from North America, Asia, and Europe met the defined selection criteria, with patients diagnosed from 1960 to 2004. Methodological limitations were observed in these articles, including difficulties with the procedures for assessing exposure. An association may exist between exposure to low frequency magnetic fields and acute lymphoblastic leukemia in children, but this association is weak, preventing the observation of consistency in the findings. Future studies from a wider range of geographic regions should focus on the analysis of acute lymphoblastic leukemia, which is the subtype with the greatest impact on the increasing overall incidence of childhood leukemia.<hr/>A incidência de leucemias em crianças tem aumentado nas últimas décadas no mundo, com influência predominante da leucemia linfocítica aguda, principal subtipo em crianças. Estudos têm relacionado a exposição às radiações não-ionizantes geradas pelos campos magnéticos de baixa freqüência com leucemia infantil. Neste artigo foram revisados os estudos caso-controle publicados sobre essa questão. Dos 152 artigos localizados em diferentes bases de dados, dez estudos da América do Norte, Ásia e Europa preencheram os critérios de seleção, comportando pacientes diagnosticados entre 1960 e 2004. Algumas limitações metodológicas foram observadas como dificuldades nos procedimentos de avaliação da exposição. É possível a existência de associação entre exposição a campos magnéticos de baixa freqüência e leucemia linfocítica aguda em crianças, porém, a força desta associação é tênue, impedindo observar consistência entre os resultados. Futuros estudos, com maior diversidade de regiões, deveriam concentrar-se na análise da leucemia linfocítica aguda, pois é o subtipo com maior influência na incidência crescente da leucemia infantil. <![CDATA[<B>Association between stress and breast cancer in women</B>: <B>a meta-analysis</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500010&lng=en&nrm=iso&tlng=en The objective of the current meta-analysis was to verify the association between stressful life events and primary breast cancer incidence in women. A total of 618 studies from 1982-2007 were found in the PubMed, LILACS, and Cochrane Library databases. Methodological quality was evaluated according to the Downs & Black criteria. Eight studies were selected (six case-controls and two cohorts). The studies were grouped in three analyses, two of which based on the categories widowhood and divorce and the other based on self-rated intensity and frequency of stressful events. Relative risks were: widowhood 1.04 (95%CI: 0.75-1.44; p = 0.800); divorce 1.03 (95%: 0.72-1.48; p = 0.850); and intensity/frequency of stress 1.73 (95%CI: 0.98-3.05; p = 0.059). We conclude that stressful life events as a whole are not associated with risk of breast cancer in women. However, it is not possible to rule out high-intensity stress as a risk factor for breast cancer.<hr/>O objetivo da presente metanálise foi verificar a associação de eventos de vida produtores de estresse com a incidência primária do câncer de mama entre as mulheres. Foram encontrados 618 estudos nas bases PubMed, LILACS e Biblioteca Cochrane Library, no período de 1982-2007. A qualidade metodológica foi avaliada pelos critérios de Downs & Black. Foram selecionados oito estudos, sendo seis caso-controle e dois de coorte. Os estudos foram agrupados em três análises, duas em virtude das categorias viuvez e divórcio, e uma considerando a intensidade autopercebida e freqüência de eventos. O risco relativo em relação à viuvez foi 1,04 (IC95%: 0,75-1,44; p = 0,800); ao divórcio foi 1,03 (IC95%: 0,72-1,48; p = 0,850), e em relação ao grau intensidade/freqüência de estresse foi 1,73 (IC95%: 0,98-3,05; p = 0,059). Concluímos que os eventos de vida produtores de estresse não têm associação de risco com câncer de mama feminino. O estresse de alta intensidade não permite eliminar a possibilidade de associação de risco para o câncer de mama. <![CDATA[<B>Gender and incidence of functional disability in the elderly</B>: <B>a systematic review</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001500011&lng=en&nrm=iso&tlng=en This systematic review aimed to assess the effect of gender on the incidence of functional disability in the elderly. The search for publications in the MEDLINE, EMBASE, and ProQuest electronic databases from January 1990 to March 2008 identified 879 publications, from which 21 cohort studies were selected that evaluated gender as an independent variable and incidence of functional disability in elderly as the outcome. Review of the studies found that after adjusting for socioeconomic, health, and social relations indicators, incidence of functional disability was similar between genders. The main risk factors for functional disability in the elderly, regardless of gender, were: lack of schooling, living in rental housing, chronic diseases, arthritis, diabetes, visual impairment, body mass index above 25, poor self-perceived health, cognitive impairment, depression, slow gait, sedentary lifestyle, tiredness while performing daily activities, and limited diversity in social relations.<hr/>Esta revisão sistemática teve por objetivo avaliar o efeito do gênero sobre a incidência de incapacidade funcional em idosos. A pesquisa de publicações nas bases eletrônicas de dados MEDLINE, EMBASE e ProQuest no período de janeiro de 1990 a março de 2008 identificou 879 publicações, das quais foram selecionados 21 estudos de coortes que avaliaram gênero como variável independente e incidência de incapacidade funcional em idosos como desfecho. A revisão dos estudos selecionados demonstrou que após ajuste para indicadores sócio-econômicos, de saúde e de relações sociais a incidência de incapacidade funcional foi semelhante entre os gêneros. Os principais fatores de risco para incapacidade funcional, independente do gênero dos idosos, foram: falta de escolaridade, moradia alugada, doenças crônicas, diabetes, déficit visual, índice de massa corporal acima de 25, autopercepção de saúde como não boa, déficit cognitivo, depressão, marcha lenta, sedentarismo, cansaço ao realizar as atividades diárias e pouca diversidade nas relações sociais.