Scielo RSS <![CDATA[Ciência & Saúde Coletiva]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1413-812320150009&lang=pt vol. 20 num. 9 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[Ética nas pesquisas em ciências humanas e sociais em saúde: identificando especificidades]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902612&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Ética em pesquisa na dinâmica do campo científico: desafios na construção de diretrizes para ciências humanas e sociais]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902615&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoA elaboração de diretrizes para a apreciação ética de pesquisas em ciências humanas e sociais (CHS) se efetiva no campo científico, espaço marcado por disputas voltadas ao estabelecimento do padrão hegemônico de cientificidade. No Brasil, cabe ao Conselho Nacional de Saúde aprovar essas diretrizes, o que envolve certas especificidades. Com base na vivência das autoras no Grupo de Trabalho CHS da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (GT CHS/CONEP), este manuscrito apresenta o processo de elaboração de uma resolução para CHS e alguns dos seus desafios: a distância entre a garantia legal e a efetivação de diretrizes; a hegemonia biomédica e a posição marginal das CHS no Sistema CEP/CONEP; a inadequação da atual resolução ante as características da pesquisa em CHS; e o emprego do conceito de risco, em diretrizes voltadas a CHS no espaço da saúde. Discutem-se ainda interfaces e tensões no debate entre mérito científico e avaliação ética. A análise evidencia importantes impasses e dificuldades concernentes ao diálogo interparadigmático na pesquisa em saúde, consideradas as características das distintas tradições, a ancoragem da CONEP na perspectiva positivista e a defesa da hegemonia dessa tradição.<hr/>AbstractThe development of guidelines on research ethics for social science and humanities (SSH) takes place in the scientific field, marked by disputes aimed at the establishment of hegemonic scientific standard. In Brazil, the National Health Council is responsible for approving these guidelines, which involve certain specificities. Based on the authors' experience in the SSH Working Group of the National Commission on Research Ethics (GT CHS / CONEP), this article presents the process of development of guidelines for SSH, and some its challenges: the distance between the statutory guarantee and the effective execution of guidelines; the biomedical hegemony and the marginal position of the SSH in the CEP / CONEP system; the inadequacy of the current resolution facing the research features in CHS; the use of the concept of risk in guidelines aimed at SSH in the health area. Some interfaces and tensions in the debate between scientific merit and ethical evaluation are also discussed. The analysis highlights important impasses and difficulties regarding inter-paradigmatic dialogue in health research, considered the characteristics of the different traditions, the CONEP's heavily relying on the positivist perspective and the defense of that paradigm hegemony. <![CDATA[A ética na pesquisa qualitativa em saúde: considerações especiais]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902625&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt AbstractA sound knowledge of the nature of qualitative research, along with an appreciation of some special ethical considerations, is needed for rigorous reviews to be conducted. The overall character of qualitative research is described with an emphasis on the tendency of qualitative researchers to explore sensitive topics using theoretically informed methods. A number of specific features of qualitative that require additional ethical attention and awareness are also examined including the following: 1) participants are frequently quite vulnerable and require protection because the data collection methods, such as in-depth interviews, can delve into personally and politically charged matters; 2) naturalistic observation can raise concerns regarding privacy and consent; 3) the potential for the identifiability of the results of this research may require extra efforts to maintain confidentiality. Ultimately, Reseach Ethics Committee members must be knowledgeable about qualitative approaches to be able to assess the potential harms and benefits in a protocol carefully. Without this knowledge gaining ethics approval can be overly difficult for researchers and the best practices for protecting human participants can be overlooked.<hr/>ResumoO caráter geral da pesquisa qualitativa é descrito com ênfase na tendência de pesquisadores qualitativos para explorar temas sensíveis, utilizando métodos teoricamente informados. Algumas características específicas de pesquisa qualitativa que requerem consciência e atenção ética adicional também são examinadas, incluindo as seguintes: 1) frequentemente os participantes são bastante vulneráveis e necessitam de proteção porque os métodos de coleta de dados, tais como entrevistas em profundidade, podem levar a uma profunda análise de questões repletas de aspectos pessoais e políticos; 2) a observação naturalística pode levantar questões específicas em matéria de privacidade e consentimento; 3) o potencial de que os resultados da pesquisa possibilitem a identificação dos participantes exige esforços adicionais para proteger a privacidade deles. Em última análise, os membros dos Comitês de Ética em Pesquisa (CEP) devem conhecer as abordagens qualitativas para avaliar cuidadosamente os potenciais danos e benefícios em um protocolo. Sem esse conhecimento, a aprovação ética pode ser excessivamente difícil para os pesquisadores e as melhores práticas para proteger os participantes podem ser negligenciadas. <![CDATA[Ética, Saúde Coletiva, pesquisa qualitativa em saúde e justiça social]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902631&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt AbstractThe scientific field is characterized by the disputes about the delimitation of the field problems, methods and theories that can be considered scientific. The recognition that it is not neutral, that a researcher is a moral subject, and its practices are moral ones, entail that moral reflections, that is, ethics, should be a core process of every researcher. Therefore ethics is not a heteronomous issue, and cannot be reduced to guidelines. In the first part of this article we examine the need to develop an open approach to the construction of guidelines in a plural scientific field that must take into account diverse paradigms, which implies different values. The Brazilian process of writing guidelines on research ethics for social science and humanities in the context of the Ministry of Health will be discussed as an example. In the second part we expand the analysis of research ethics posing a perspective that integrates qualitative research, social justice and discipline trends. In the final considerations we explore the possibility that research ethics is better discussed taking into account the ontology, epistemology and political values rather than one specific methodological approach or from a dichotomic perspective between biomedicine versus social science and humanities.<hr/>ResumoO campo científico é caracterizado por disputas sobre a delimitação do campo dos problemas, métodos e teorias que podem ser considerados científicos. O reconhecimento de que o campo científico não é neutro, que o pesquisador é um sujeito moral, e que suas práticas são morais, obriga à reflexão moral, ética, que é central para todo investigador. Portanto ética não é uma questão heterônoma e não pode ser reduzida às diretrizes. Na primeira parte deste artigo examinamos a necessidade de se desenvolver uma abordagem inclusiva para a construção de diretrizes num campo científico plural, que deve considerar os diversos paradigmas, que implicam em diferentes valores. O processo brasileiro de elaboração de diretrizes éticas para pesquisas em ciências humanas e sociais no contexto do Ministério da Saúde será discutido como exemplo. Na segunda parte ampliamos a análise sobre ética nas investigações, propondo uma perspectiva que integra pesquisa qualitativa, justiça social e tendências disciplinares. Nas considerações finais, exploramos a possibilidade de que ética em pesquisa é melhor discutida considerando a ontologia, a epistemologia e os valores políticos ao invés de uma abordagem metodológica específica ou a partir de uma perspectiva dicotômica como biomedicina e ciências humanas e sociais. <![CDATA[Restituição dos dados na pesquisa etnográfica em saúde: questões para o debate a partir de experiências de pesquisas no Brasil e França]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902641&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoO presente texto apresenta aspectos pertinentes à restituição dos dados da pesquisa antropológica aplicada à saúde, a partir do relato de experiências de pesquisas etnográficas realizadas no Brasil e na França. Tais experiências mostram que a restituição dos dados fez parte do escopo da pesquisa, com modalidades e temporalidades diversas, permitindo prolongar o tempo de trabalho de campo e as interações com os indivíduos pesquisados. Da mesma forma, possibilitou trocas entre os interlocutores e confrontos de diferentes pontos de vista, trazendo novos dados e, assim, enriquecendo as pesquisas. Esses aspectos suscitaram questões importantes para reflexão, do ponto de vista ético e epistemológico. Uma delas diz respeito às demandas feitas aos antropólogos da saúde no momento de inserção do campo e como as mesmas serão por eles tratadas: como o pesquisador restituirá os dados, sem receio de vê-los ser mal interpretados ou instrumentalizados de forma a reforçar padrões normativos? Nesse sentido, como “traduzir” o discurso antropológico? O pesquisador consciente busca validar suas análises, busca novos pontos de vista e interrogações. Assim, a restituição provoca novas inquietações e interpretações na forma de reflexividade.<hr/>AbstractThis study examines relevant aspects about the way anthropological research data restitution has been applied in the area of health, based on data obtained from ethnographic field research conducted in Brazil and France. These experiences show that data restitution has been part of the area of research, in different forms and time frames, making it possible to extend periods spent in the field and to interact with individual respondents. This also made it possible to interact with research interlocutors and compare different points of view, adding new information and thereby enriching the research. These aspects raise important questions that require reflection, from an ethical and epistemological standpoint. One is related to the demands made on health anthropologists when they begin their field research and how they deal with these questions: how will researchers use the data they collect without worrying that this may be wrongly interpreted or used in some way to reinforce normative patterns? So, how should an anthropological debate be “translated”? Conscientious researchers will seek to validate their analysis, to discover new points of view and provoke new lines of questioning. Thus, such data should provoke reflexivity about new avenues of research and interpretations. <![CDATA[Autoria, subjetividade e poder: devolução de dados em um centro de saúde na Guariroba (Ceilândia/DF)]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902649&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoA devolução, restituição ou compartilhamento pode significar, dentre outras possibilidades, entregar produtos aos partícipes de um empreendimento de pesquisa/extensão. A entrega de resultados não é uma prática nova na antropologia, embora ainda seja pouco usual, sistematizada e valorizada. Neste artigo, relato e discuto uma experiência de devolução de materiais de um projeto de extensão da antropologia, que foi desenvolvido dentro de um centro de saúde, na região periférica do Distrito Federal. As reações aos materiais foram muito diferentes do esperado pela equipe do projeto, mas ainda assim permitiu fazer avançar o diálogo entre os envolvidos e, mais do que isso, permitiu que o conhecimento sobre as relações de trabalho dentro dessa instituição de saúde fosse aprofundado. Não é somente porque foi logrado o aval de comitês de ética que as negociações sobre a entrada e permanência em projetos acadêmicos estão garantidas continuamente. As relações de subjetividade, poder e autoria permeiam qualquer iniciativa antropológica, antes de começá-la e muito depois de, supostamente, terminá-la.<hr/>AbstractDevolution, restitution or sharing can mean, within other possibilities, to offer products to participants of a research or an extension project. Far from a new practice in Anthropology, returning results is still unusual, little organized and valued. This paper presents and discusses a devolution experience by an extension project in Anthropology that was developed in a primary care unit in the outskirts of Distrito Federal (Brazil). Local reactions were very different from what was expected by the project's staff, but still permitted dialogue with the health professionals and, more important, deepened our knowledge about work relations in this health institution. Even though IRB approval has been granted, negotiations about starting and continuing academic projects have to be negotiated continuously. Subjectivity, power and authority permeate any anthropological initiative from its beginning and much after it supposedly has been concluded. <![CDATA[Reflexões acerca da devolução dos dados na pesquisa antropológica sobre saúde]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902659&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoO artigo discute a questão da devolução dos resultados na pesquisa antropológica, a partir da interface com o campo da saúde e da relação com os movimentos sociais. Tem como ponto de partida o diálogo com algumas experiências bem-sucedidas de retorno e também com iniciativas frustradas, que nos permitem identificar negociações e limites dessa prática, bem como diferentes dimensões em que ela se inscreve. A partir dos exemplos, desenvolvemos dois questionamentos em relação às “obrigações pós-pesquisa”: o primeiro deles se refere à natureza ética e política da iniciativa, e o segundo, problematiza o “interesse” pelos resultados, para os diferentes sujeitos implicados na investigação antropológica.<hr/>AbstractThis article discusses the topic ofsharing the results of anthropological studies, such as disseminating research results to health professionals and to social movements. The starting point is a dialog with a number of successful and less successful publicizing experiences. This has allowed us to find negotiations and limits of this practice, and the different dimensions of which it is a part. We will use examples to develop two lines of questioning regarding “post-study requirements”. The first has to do with the ethical and political nature of the initiative, and the second problematizes the “interest” in the results on the part of the various subjects involved in the anthropologic investigation. <![CDATA[Ela, Zefinha – o nome do abandono]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902667&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoZefinha é a mais longa habitante mulher de um manicômio judiciário no Brasil. Há 39 anos vive em regime de prisão terapêutica por medida de segurança. Este artigo discute como o dever do anonimato pode ser suspenso quando a pesquisa é testemunho único de grave violação de direitos humanos. Minha tese é de que há casos em que nomear é proteger os interesses e os direitos das pessoas envolvidas nas pesquisas.<hr/>AbstractZefinha has been living in a forensic hospital for the last 39 years. She is the longest female inhabitant surviving under compulsory psychiatric treatment in Brazil. This paper discusses how the ethical rule of anonymity might be revised in research concerning a unique case involving severe violations of human rights. My argument is that there are cases in which disclosing the names of research participants protects their interests and rights. <![CDATA[Problematizando o conceito de risco em diretrizes éticas para pesquisas em ciências humanas e sociais na Saúde Coletiva]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902675&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste artigo problematiza o emprego do conceito de risco em diretrizes éticas direcionadas às pesquisas em ciências humanas e sociais (CHS) em saúde (coletiva), notadamente, aquelas orientadas pelo enfoque qualitativo. Na Saúde Coletiva (SC), risco assume uma semântica peculiar, vinculada a cálculos e previsibilidade, consoante às bases disciplinares que o sustentam. Tal circunstância torna incongruente o seu uso em construções justificadas pelas distinções entre as modalidades de pesquisa biomédica e compreensiva, como no caso de diretrizes especificas para CHS. Não se trata de redefinir risco, de modo a demarcá-lo mantendo o significante, mas, antes, de sustentar um efetivo distanciamento do uso desse conceito no âmbito dessas diretrizes, possibilitando, no plano discursivo, um ajuste semântico congruente com sua construção. Utilizar risco em diretrizes éticas na SC significa ativar a acepção quantitativa, hegemônica nesse campo, reificando o conceito e negligenciando dimensões fundamentais em situações onde a incerteza e a imprevisibilidade inerentes aos processos escapam ao cálculo e à mensuração, como no caso de parcela expressiva das pesquisas em CHS. Como alternativa, sustenta-se a substituição de nível de risco, como figura nas resoluções brasileiras, ilustrando-a, a título de exercício, com outra terminologia.<hr/>AbstractThis article discusses the use of the concept of risk in ethical guidelines directed to research in the humanities and social sciences (CHS), suggesting an alternative to that concept. In Public Health field (PH), risk assumes a peculiar semantics, closely linked to the idea of calculation and predictability, according to the disciplinary bases that support it. This circumstance makes incongruous its use in initiatives justified precisely by strong distinctions between biomedical and social research, as ilustrated by specific guidelines for CHS, especially to the qualitative approach. The authors do not seek to redefine risk, operating a conceptual transit, but to sustain an effective conceptual distance within these specific guidelines, keeping congruence with the objectives pursued by its construction. Taking risk in the quantitative sense, still hegemonic in PH, overlooks important dimensions, reifying the use of this concept in situations where uncertainty, unpredictability, intersubjectivity inherent to the processes beyond the calculation and measurement, as in the case of a significant portion of the research in CHS. Alternatively, it is suggested to replace the expression level of risk, as also appears in Brazilian resolutions. <![CDATA[Apontamentos críticos sobre estigma e medicalização à luz da psicologia e da antropologia]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902683&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste artigo objetiva refletir sobre os aspectos éticos envolvidos nas pesquisas das ciências sociais e humanas realizadas no contexto educacional. Nesse debate, que ultrapassa os limites da Resolução 466/2012 e da burocracia envolvida na Plataforma Brasil, tomamos como referência leituras críticas em Psicologia e Antropologia, a fim de enfatizar os riscos éticos presentes no olhar medicalizante voltado para a educação e o desenvolvimento humano, que tem contribuído para a produção de estigmas que reforçam a exclusão escolar. Como elementos centrais desta problematização, destacam-se: a ilusão de que pesquisas em ciências humanas e sociais não implicam em riscos éticos e o debate sobre a falsa dicotomia ciências biomédicas x ciências sociais e humanas no âmbito das pesquisas em psicologia e antropologia na educação. Atestando a importância de tais problematizações, são referidas pesquisas de autores nacionais e internacionais no campo da psicologia escolar/educacional e das neurociências. O artigo conclui pela importância do rigor ético nas pesquisas em ciências sociais e humanas, focalizando não apenas a construção do projeto e os procedimentos metodológicos de coleta de dados, mas também as interpretações da pesquisa e as publicações de relatórios e artigos científicos delas resultantes.<hr/>AbstractThis article aims to reflect on ethical aspects involved in the social sciences and humanities researches conducted in the educational context. In this debate, which goes beyond the limits of Resolution 466/2012 and the Plataforma Brasil bureaucracies, we refer to Psychology and Anthropology critical readings in order to emphasize the ethical risks in the medicalized view of education and human development, which has contributed to the production of stigmas that reinforces school exclusion. As central elements of this questioning, we highlight: the debate about the illusion that research in humanities and social sciences do not imply ethical risks and the false dichotomy of biomedical sciences x social and human sciences within the research in psychology and anthropology in education. Attesting to the importance of such problems we referred to researches of national and international authors in the field of school /educational psychology and neuroscience. Through these considerations, the article concludes for the importance of ethical rigor in humanities and social sciences researches, focusing not only in the construction of the project and the methodological procedures of data collection, but also in the research results interpretations and in the publication of reports and scientific articles. <![CDATA[Disputas científicas que transbordam para o campo da Ética em pesquisa: entrevista com Maria Cecília de Souza Minayo]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902693&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Esta entrevista foi realizada pelas Professoras Iara Coelho Zito Guerriero e Maria Lúcia Magalhães Bosi com Maria Cecília de Souza Minayo. Esta reflete o calor dos debates atuais em torno à implementação de um protocolo específico para a avaliação das Pesquisas em Ciências Sociais e Humanas (CHS), vis a vis, as atuais normas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Saúde que têm um viés claramente biomédico. A entrevista versa sobre as dificuldades de se introduzir normas adequadas e justas para julgamento dos projetos de CHS, frente a uma compreensão hegemônica do próprio conceito de ciência pelos biólogos e médicos que tendem a não reconhecer outras abordagens a não ser as que adotam seus referenciais. No caso, o Conselho Nacional de Saúde acaba por ser portador dessa polêmica, levando os pesquisadores das ciências humanas e sociais a se perguntarem se o setor saúde tem competência para criar normas para outras áreas de conhecimento.<hr/>This is an interview with Maria Cecília de Souza Minayo, by university lecturers Iara Coelho Zito Guerriero and Maria Lúcia Magalhães Bosi. It reflects the heat of the current debates surrounding implementation of a specific protocol for evaluation of research in the Human and Social Sciences (HSS), vis-à-vis the current rules set by the National Health Council, which have a clearly biomedical bias. The interview covers the difficulties of introducing appropriate and fair rules for judgment of HSS projects, in the face of a hegemonic understanding of the very concept of science by biologists and medical doctors, who tend not to recognize other approaches unless those approaches adopt their frames of reference. In this case, the National Health Council becomes the arena of this polemic, leading researchers in the human and social sciences to ask themselves whether the health sector has the competency to create rules for other areas of knowledge. <![CDATA[Questionários de Frequência de Consumo Alimentar desenvolvidos e validados para população do Brasil: revisão da literatura]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902697&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoAvaliar a ingestão alimentar é um desafio aos pesquisadores devido à complexidade envolvida, sendo, para isso, usado em estudos epidemiológicos o Questionário de Frequência de Consumo Alimentar (QFCA). Este artigo identificou os estudos que desenvolveram e/ou validaram QFCA no Brasil, analisando os métodos e os principais resultados. Foram consultadas as bases de dados PubMed, Lilacs e SciELO, e incluídos artigos publicados até 2013 sobre o desenvolvimento e/ou validação do QFCA na população brasileira, os quais foram caracterizados e analisados de acordo com: i) as principais características metodológicas do processo de elaboração e validação e ii) os principais resultados relacionados com a validação. Foram revisados 41 artigos, dos quais seis tratavam do desenvolvimento do QFCA, 17 da validação e 18 de ambos. Houve diferenças inter-regionais nas publicações e metodológicas tanto na elaboração dos questionários quanto na validação. Nos estudos de validação do QFCA, adultos e adolescentes foram os grupos mais contemplados, não sendo encontrados para crianças menores de cinco anos. O rigor metodológico e os resultados estatísticos satisfatórios observados garantem a adequação dos QFCA, validados para as respectivas populações alvo, com altas correlações para energia, carboidrato, fibras, cálcio e vitamina C.<hr/>AbstractAssessing food intake is a challenge for researchers given the inherent complexity of the issue. One of the methods used in epidemiological studies is the Food Frequency Questionnaire (FFQ). The scope of this paper was to identify studies that developed and/or validated the FFQ in Brazil, analyzing the methods used and the main results of the validation. The PubMed, LILACS and SciELO databases were researched for studies published prior to 2013 on the development and validation of the FFQ in Brazil. These studies were analyzed according to: i) the main methodological characteristics of the elaboration/validation process of the questionnaires; ii) the key results related to validation. Forty-one studies were assessed: 6 on the development of the FFQ; 18 on the development and validation of the FFQ; 17 on the validation of the FFQ. There were inter-regional differences in the publications and methodological differences in the elaboration and validation of the FFQ. Adults and adolescents were the groups most covered for the validation of the FFQ, though specific studies for children &lt; 5 years of age were not found. The methodological rigor and statistical results guarantee the suitability of the validation of the FFQ for the target populations, with high correlations for energy, carbohydrates, fibers, calcium and vitamin C. <![CDATA[Construcionismo social na atenção básica: uma revisão integrativa]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902721&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoO presente estudo propõe a análise de artigos científicos, com fins de investigar como autores/as que se apoiam no Construcionismo Social definem saúde na Atenção Básica. Foi realizada uma Revisão Integrativa, elegendo-se como materiais para discussão relatos de experiência e pesquisas publicadas na Biblioteca Virtual em Saúde Brasil, com exercícios no âmbito da Atenção Básica. A efetivação desta etapa resultou na coleta de 12 artigos. Os dados foram analisados e discutidos tendo como base as perspectivas do Construcionismo Social, o que gerou dois eixos temáticos: exercícios de cidadania – promoção de saúde nos espaços coletivos; práticas em saúde - e a superação de dicotomias e verdades absolutas. Esse processo de estudo evidenciou a relevância da noção de responsabilidade compartilhada nos sentidos de saúde produzidos nos textos analisados. Os/as autores/as afirmam que é possível ampliar as práticas em saúde para uma ação coletiva, que possibilite o contínuo diálogo entre usuários/as e trabalhadores/as da saúde. Destaca-se ainda a crítica à predominância do discurso biomédico promotor de práticas coladas a lógicas de atenção centralizadas na doença.<hr/>AbstractThis study sets out to analyze scientific articles in order to investigate how researchers in the area of Social Constructionism define “health” in Primary Health Care. An integrative review of the literature was conducted along with a decision to concentrate on those works with narrative experiences and research studies. The database researched was the Brazilian Virtual Health Library, with experiences in the scope of Primary Health Care. The effectiveness of this step resulted in 12 articles. Data were analyzed and discussed based on the perspectives of social constructionism, which generated two central themes. They were: citizenship exercises – promoting health in collective spaces; health practices – overcoming the dichotomies and absolute truths. This study revealed the relevance of the notion of shared responsibility on meanings of health contained in the texts analyzed. The researchers claim that it is possible to expand health practices into collective action to facilitate ongoing dialogue between health users and workers. However, the dominance of biomedical discourse is criticized by the researchers, because that paradigm still promotes practices of care focused on illness. <![CDATA[Sobrecarga no cuidar e suas repercussões nos cuidadores de pacientes em fim de vida: revisão sistemática da literatura]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902731&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoCuidar de um familiar com doença avançada e/ou em fim de vida pode representar uma grande sobrecarga emocional, física e financeira que afeta a qualidade de vida dos cuidadores. O presente estudo teve como objetivo realizar uma revisão sistemática da literatura sobre a sobrecarga no cuidar, os fatores relacionados e suas consequências nos cuidadores de pacientes com câncer avançado em fim de vida ou em cuidados paliativos. Foi realizada uma busca de artigos científicos publicados nas bases de dados EBSCO, Web of Knowledge e Bireme, desde os primeiros registros nas respectivas bases de dados sobre o tema até março de 2014. Dos 582 artigos encontrados, apenas 27 foram selecionados. A maioria dos artigos afirma que os cuidadores familiares estão sobrecarregados. Em alguns estudos, a sobrecarga no cuidar aparece associada a características do paciente e da sua doença; em outros, a um pior estado de saúde do cuidador, a uma maior sintomatologia psicopatológica (ansiedade, depressão, distress emocional) e também ao desenvolvimento de complicações no luto. Porém, a esperança, o apoio social, a capacidade do cuidador de atribuir um significado à experiência de cuidar e se sentir confortável com as tarefas de cuidar foram associados a menores níveis de sobrecarga.<hr/>AbstractCaring for a family member with an advanced and/or terminal illness can be a great emotional, physical and financial burden that has an impact on the quality of life of the caregivers. The scope of this study was to conduct a systematic review of the literature on the burden of caregiving, related factors and the consequences for family caregivers of advanced stage cancer patients or patients in end-of-life or palliative care. A search for scientific papers published in the EBSCO, Web of Knowledge and BIREME databases was conducted since records on this topic began in the databases through March 2014. Of the 582 articles found, only 27 were selected. The majority of the articles found that family caregivers were overburdened. Some studies found that the care-giving burden was associated with characteristics of the patients and their illnesses while, in other studies, it was associated with poor health of the caregiver, greater psychopathological symptoms (anxiety, depression, emotional distress) and with the development of complications in the grieving process. However, hope, social support, the ability of the caregiver to attribute meaning to the experience of caring and feeling comfortable with the tasks of caring were associated with lower levels of burden. <![CDATA[Um sanitarista chamado Walter Leser]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902749&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoFaz uma breve revisão da trajetória profissional do médico sanitarista Walter Sidney Pereira Leser, falecido em 2004 aos 94 anos. Autodidata, a partir de sua tese de doutoramento de 1933, torna-se referência no campo da estatística e epidemiologia no país, com dezenas de estudos e orientações. No campo clínico é um dos fundadores do Laboratório Fleury, e participa da criação do CREMESP. Como acadêmico, foi catedrático da Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Escola Paulista de Medicina e Faculdade de Farmácia e Odontologia da USP. Introduziu os testes objetivos no exame vestibular, e esteve à frente da criação do CESCEM e Fundação Carlos Chagas. Na Escola Paulista criou o primeiro Departamento de Medicina Preventiva do país. Como administrador público, foi secretário de Estado da Saúde entre 1967 e 1971 e entre 1975 e 1979, responsável por extensas reformas e inovações. Entre as mais lembradas, a criação da carreira de médico sanitarista. Por todo esse legado, emprestou seu nome à “Medalha de Honra e Mérito da Gestão Pública em Saúde” do governo paulista.<hr/>AbstractA brief review of the career of the public health physician Walter Sidney Pereira Leser, who died in 2004 aged 94. Self-taught, from his 1933 doctoral thesis he became a country reference in the field of statistics and epidemiology, with dozens of studies and supervisions. In the clinical field he is one of the founders of Fleury Laboratory, and participates in the creation of CREMESP. As an academic, Leser was a professor at the Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Escola Paulista de Medicina e Faculdade de Farmácia e Odontologia da USP. Also, Leser introduced objective tests in the college entrance examination, and led the creation of CESCEM and Carlos Chagas Foundation. In the Escola Paulista de Medicina he created the first Preventive Medicine Department of the country. As a public official, he was secretary of the State Department of Health of São Paulo between 1967 and 1971 and between 1975 and 1979, responsible for extensive reforms and innovations. Among the most remembered, the creation of sanitary medical career. Throughout this legacy, he lent his name to the “Medal of Honor and Merit Public Health Management” of the State of São Paulo. <![CDATA[O que estão fazendo os homens maduros que não trabalham, não procuram trabalho e não são aposentados?]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902757&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoA redução da participação da população masculina nas atividades econômicas é resultado de sua entrada mais tarde e saída mais cedo do mercado de trabalho. Esta saída não está associada apenas à aposentadoria “precoce”. Entre 1993 e 2013, observou-se um crescimento no número de homens de 50 a 59 anos que não trabalhavam, não procuravam trabalho e não eram aposentados e nem pensionistas (nem nem). A literatura aponta que o trabalho é o evento social mais importante da vida dos homens e os contratos tradicionais de gênero estabelecem os papéis de provedor para eles e o de cuidadora para as mulheres. Esse crescimento sugere mudanças nas relações de gênero, pois se observou uma diminuição na proporção de homens chefes de família e um aumento na de cônjuges bem como de homens morando com os pais. Isto pode ser reflexo das dificuldades experimentadas por eles na inserção no mercado de trabalho, dada, também, a sua baixa escolaridade. Isto requer uma maior participação das mulheres. Essa tendência é contraditória com o novo regime demográfico. A saída tardia das atividades econômicas é um requisito importante para minimizar os desafios trazidos pela redução da força de trabalho e pelo envelhecimento populacional.<hr/>AbstractReduced participation of the male population in economic activities is the result of their later entry and earlier leave from the labor market. This earlier exit is not only associated to “early” retirement. Between 1993 and 2013, there was an increase in the number of men aged 50-59 who were not working, not looking for a job, and were not retired (NER) . The literature stresses that work is the most important social event of a man's life, and the traditional gender contract establishes the breadwinner role for men and the caregiver one for women. This growth suggests changes in gender relations since a decrease was observed in the proportion of male household heads, and an increase in that of male spouses, and of those living with their parents. This may be a consequence of their difficulties in participating in the labor market, also given their low education level; therefore, requiring greater participation from women. This trend is contradictory with the new demographic regime. A later leave from economic activities is an important requirement to minimize the challenges brought about by the reducing workforce and aging population. <![CDATA[A inserção do nutricionista na Atenção Básica: uma proposta para o matriciamento da atenção nutricional]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902765&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEm 2008 houve a integração do nutricionista nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Com foco no desenvolvimento de apoio assistencial e técnico-pedagógico às Equipes de Saúde da Família, o objetivo do trabalho foi desenvolver uma proposta de ações matriciais de nutrição dirigidas à mulher e à criança na Estratégia de Saúde da Família. O trabalho foi desenvolvido em uma Unidade Básica de Saúde e dividido em Ciclo I, a partir das entrevistas com famílias de crianças de 0 a 6 anos para compor o reconhecimento do território; e Ciclos II e III, a partir do desenvolvimento de atividades intersetoriais de campo para promover a segurança alimentar e nutricional com base no apoio matricial. Com o diagnóstico de vulnerabilidade social, risco nutricional das crianças, indicadores de desmame precoce e consumo alimentar inadequado, foram desenvolvidas ações com o objetivo de propor um modelo matricial de ações de nutrição em três cenários: comunidade, família e indivíduo. Dentre as atividades desenvolvidas destacam-se oficinas culinárias, atenção ao pré-natal e capacitação de agentes comunitários de saúde. Este trabalho testou formas de desenvolver assistência nutricional a partir da clínica ampliada e reconhecimento do território, visando aprimorar a atuação do nutricionista como educador em saúde.<hr/>AbstractNutritionists were integrated into the Family Health Support Centers back in 2008. Focusing on the development of technical and pedagogical support and assistance to Family Health Teams, the aim of this study was to develop a proposal for a matrix model for nutrition aimed at women and children in the Family Health Strategy. The study was conducted in a Basic Health Unit and was divided into Cycle I, including interviews with families of 0 to 6-year-old children to establish the confines of the territory; and Cycles II and III, with the development of intersectorial field activities to promote food and nutritional security based on matrix support. Following the diagnosis of social vulnerability, children's nutritional risk, indicators of early weaning and inadequate food intake, actions were developed in order to propose a matrix model of nutritional measures in three scenarios, namely at the community, family and individual level. Among the activities that were developed, the main ones included cooking classes, prenatal care, and the training of Community Health Agents. This study tested ways to develop nutritional care by broadened clinical action and territory recognition, seeking to enhance the activities of nutritionists as health educators. <![CDATA[Distribuição espacial da obesidade em área urbana no Brasil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902779&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoA distribuição espacial de uma doença é importante para o diagnóstico e o conhecimento epidemiológico da situação e das tendências de saúde, permitindo uma melhor compreensão acerca dos fatores que determinam o estado de saúde das populações. O objetivo do estudo foi analisar a distribuição espacial da obesidade em adultos em Belo Horizonte, a partir da base de dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e de Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico de 2008 a 2010. A obesidade foi definida como índice de massa corporal 30 kg/m2. Foi desenvolvida uma base georreferenciada com os dados ambientais a partir do endereço e CEP do local. Empregou-se a estatística de varredura espacial. Uma análise comparativa das variáveis ambientais referentes aos conglomerados de maior e menor prevalência de obesidade foi realizada. Foi encontrado um conglomerado de indivíduos obesos na área central da cidade, sem significância estatística. Verificou-se, também, agrupamento significativo de indivíduos não obesos no leste da cidade. Esses resultados sugerem que as razões para a baixa prevalência de obesidade em áreas urbanas brasileiras podem estar relacionadas à melhor organização social e alta disponibilidade de comércios de alimentos e de locais para a prática de atividade física.<hr/>AbstractThe spatial distribution of a disease is important for the diagnosis and epidemiological understanding of the health situation and trends, enabling a better grasp of the factors that determine the health status of populations. The scope of the study was to analyze the spatial distribution of obesity in adults in Belo Horizonte. This cross-sectional study was developed by Telephone Survey from the database for 2008 to 2010 of the Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic Diseases. Obesity was defined as body mass index 30 kg/m2. A georeferenced base with the environmental data of addresses and zip codes of the location was developed and spatial scan statistics were employed. A comparative analysis of environmental variables related to clusters of higher and lower prevalence of obesity was conducted. A cluster of obese individuals without statistical significance was found in the central area of the city. Also, a significant cluster of non-obese individuals was found in the eastern area of the city. These findings suggest that reasons for low prevalence of obesity in urban Brazilian areas could be related to better social organization and high availability of places for food stores and the practice of physical activity. <![CDATA[Sofrimento e preconceito: trajetórias percorridas por nutricionistas obesas em busca do emagrecimento]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902787&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoA obesidade, problema de saúde pública, é vista como “pânico moral” que inabilita o obeso à aceitação social. Para nutricionistas obesas, o paradoxo das premissas de sua profissão e seu estado de morbidade torna complexo o debate pelo conflito com a identidade profissional. O objetivo do estudo foi discutir significados do cuidado em saúde adotados por nutricionistas obesas de Salvador e compreender a experiência delas com a obesidade no cotidiano de vida. O estudo foi de abordagem qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas com oito narrativas sobre a experiência de ser nutricionista obesa, analisadas por meio da hermenêutica. A pesquisa revelou que ser obesa gera estigma ampliado para a nutricionista vista simultaneamente como incompetente no cuidado de si e na condição social de obesa. Estranhamento do corpo, exclusão social, estratégias de defesa na relação profissional-paciente, recurso desesperado das dietas “milagrosas” distantes do discurso científico e o corpo obeso como cárcere são algumas condições de sofrimento desveladas no cotidiano de trabalho. Conclui-se sobre a necessidade das instituições de saúde pública se apropriarem da dimensão do problema e estabelecerem estratégias para a condição de nutricionista obesa, considerando que essa contradição ocorre em diversas profissões.<hr/>AbstractObesity is a problem of public health, seen as a “moral panic,” which disables the obese person from social acceptance. For obese nutritionists the paradox between the premises of their jobs and their state of morbidity makes the debate complex by the conflict with the professional identity. This study sought to bring to discussion the meanings of health care adopted by obese nutritionists in Salvador and to understand their experiences with their obesity in everyday life. The study was based on a qualitative approach, through semi-structured interviews with eight narratives on being an obese nutritionist, analysed under hermeneutics basis. The research revealed that being obese generates a stigma which is worse to the nutritionist, now seen simultaneously as unable to care for oneself and on being obese. Some of the stories of suffering seen on job routine are: strangeness of the body, social exclusion, strategies for defence on the relation professional-patient, desperate rely on miraculous diet plans which are far away from the scientific discourse, and the obese body seen as imprisonment. It is concluded that institutions of public health must have knowledge of this problem and must establish strategies to the condition of obese nutritionists, considering that this contradiction may happen on different occupations. <![CDATA[Mudança no perfil sociodemográfico de consumidores de produtos orgânicos]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902797&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste estudo teve como objetivo verificar o perfil sociodemográfico, as condições de saúde e a relação com o consumo de produtos orgânicos de consumidores que frequentavam diferentes feiras agroecológicas no município de Pelotas – RS. Aplicou-se um questionário aos consumidores de produtos orgânicos durante as compras nas feiras agroecológicas. Observou-se que os consumidores com menor nível de escolaridade e renda passaram a frequentar mais as feiras agroecológicas consumindo mais alimentos orgânicos. Os consumidores estavam preocupados com saúde e alimentação, sendo pequena a parcela dos que apresentavam diagnóstico de doença, ocorrendo diferentes motivações que influenciavam a compra de alimentos orgânicos.<hr/>AbstractThe scope of this study was to establish the socio-demographic profile, health status and the relationship with the consumption of organic produce among consumers who frequent different agroecological street markets in Pelotas in the state of Rio Grande do Sul. A questionnaire was given to the consumers of organic produce while shopping in the agroecological street markets. It was found that the consumers with lower education levels and lower income began to frequent the agroecological street markets more often and consume more organic foods. The consumers were concerned about their health and nutrition status with very few of them having a diagnosis of disease, there being different motivations influencing the purchase of organic food. <![CDATA[Correlação entre produção agrícola, variáveis clínicas-demográfcas e câncer de próstata: um estudo ecológico]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902805&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoFatores de risco para câncer de próstata são pouco conhecidos. O objetivo deste estudo foi explorar correlações entre variáveis relativas à produção agrícola, ao uso de serviços de saúde e sociodemográfcas e às taxas de mortalidade por câncer de próstata entre 2005-2009, nos estados brasileiros. Foi efetuada análise univariada dos dados espaciais para investigação de autocorrelação espacial global das taxas de mortalidade por câncer de próstata nos estados brasileiros entre 2005-2009. Procedeu-se a análise bivariada da correlação entre variáveis sociodemográfcas, de produção agrícola, de utilização de serviços de saúde e de hábitos alimentares e as taxas de mortalidade por câncer de próstata. As produções de soja e milho correlacionaram-se positivamente com mortalidade por câncer de próstata. Na análise de regressão linear espacial múltipla, as variáveis que apresentaram associação com a taxa de mortalidade por câncer de próstata foram toneladas de soja produzidas (p = 0,030), proporção da população com 80 anos e mais (p &lt; 0,001) e consumo de bebidas (p &lt; 0,001). Foi encontrada uma correlação positiva entre toneladas de soja plantada e mortalidade por câncer de próstata. Sendo possível a existência de uma relação entre exposição a agrotóxicos e câncer de próstata.<hr/>AbstractRisk factors involved in the etiology of prostate cancer are not well known. The objective of this study was to explore correlations among variables relating to agricultural production, the use of health services, food consumption and socio-demographic characteristics and prostate cancer mortality rates in Brazilian states. Univariate analysis of spatial data for investigation of global spatial autocorrelation in prostate cancer mortality rates in Brazilian states between 2005 and 2009 was conducted. Using bivariate analysis, the correlation between socio-demographic indicators, agricultural production data, variables related to the use of health services dietary intake variables and prostate cancer mortality rates were examined. The production of soybeans and corn were positively correlated with prostate cancer mortality. In multiple linear spatial regression, the variables that showed an association with mortality rates from prostate cancer were tons of soybeans produced (p = 0.030), proportion of the population aged 80 and over (p &lt; 0.001) and consumption of beverages (p &lt; 0.001). A positive correlation between tons of soybeans planted and mortality from prostate cancer was identifed, suggesting the possible existence of an association between exposure to pesticides and prostate cancer. <![CDATA[Por uma filosofia do medicamento]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902813&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoMedicamento e pensamento, em que coincidem estes conceitos? A proposta do presente ensaio é demonstrar, sob uma perspectiva biopolítica, a existência de novos desafios para aqueles que lidam com a temática da farmaceuticalização na sociedade contemporânea. As análises realizadas demonstram que abordagens essencialmente tecnicistas são insuficientes para o confronto de questões como: os lucros exorbitantes obtidos com a comercialização de medicamentos, a relação desproporcional desses valores com o número de novas moléculas inovadoras e o difícil acesso aos poucos novos fármacos. A proposta de uma filosofia do medicamento, no campo da saúde coletiva, parece oportuna para a tomada de posicionamentos mais críticos e para o estabelecimento de espaços de resistência às condutas farmacoterapêuticas. Afinal, o medicamento não é um elemento isolado constitutivo da vida humana; embora, tenha se tornado um componente central no governo da vida contemporânea, o seu emprego adequado requer o exercício do pensamento.<hr/>AbstractMedicine and philosophy: where do these concepts intersect? From a biopolitical standpoint, the scope of this essay is to highlight the existence of new challenges for those who deal with the issue of pharmaceuticalization in contemporary society. The analyses revealed that essentially technical approaches are insufficient to confront issues such as: the exorbitant profits from the sale of medication; the disproportionate ratio of these amounts with the number of new innovative molecules; and the difficulty of access to the few new drugs. It would seem to be the opportune moment for adopting a more critical stance for drafting a philosophy of medication in the field of public health with the establishment of areas of resistance to the omnipresent pharmacotherapeutic onslaught. After all, medication is not a constitutive element that is isolated from human life; although, it has become a central component in the management of contemporary life, its adequate use requires the exercise of in-depth introspection. <![CDATA[Classificação das perdas dentárias: fatores associados a uma nova medida em uma população de adultos]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902825&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoO objetivo deste estudo foi avaliar a perda dentária e os fatores associados com uma nova classificação, que considera não apenas o número de dentes perdidos mas a posição que os mesmos ocupavam na boca. Foram examinados por amostragem probabilística 248 adultos (20 – 64 anos), de Piracicaba-SP, Brasil, segundo a cárie e a doença periodontal, critérios da OMS. Dados socioeconômicos, demográficos e de uso de serviço odontológico foram obtidos por questionário. O desfecho perdas dentárias, considerando a posição e o número de dentes perdidos, foi analisado por regressão logística multinomial hierárquica, utilizando modelo conceitual. A média de dentes perdidos foi 8,52 (± 9,24) e apenas 28,3% não perderam dentes devido a doenças bucais. Dos que haviam perdido até 12 dentes posteriores, idade (RP = 1,1) e classe social baixa (RP = 2,6) foram significativas: os que perderam até 12, incluindo anteriores, idade (RP = 1,1) e bolsa periodontal &gt; 4mm (RP = 2,9); para perda acima de 13, a idade (RP = 1,3), classe social baixa (RP = 3,8); e ida ao dentista por emergência (PR = 9,4). Idade foi associada a perdas dentárias no presente estudo. A classificação permitiu diferenciar variáveis de acordo com a posição ou o número de dentes perdidos.<hr/>AbstractThis study evaluated tooth loss and factors associated with a new classification, which considers not only the number of teeth lost, but also the number and position that they occupied in the mouth. In Piracicaba, State of São Paulo, Brazil, 248 adults (20–64 year-olds) were examined using a household probability sample. The oral examinations followed the WHO criteria for caries and periodontal disease. Socioeconomic, demographic and dental service use data were collected. The tooth loss outcome, based on tooth position and number of missing teeth, was analyzed by hierarchical multinomial logistic regression using a conceptual model. The mean number of missing teeth was 8.52 (DP = 9.24). For those who had lost up to 12 posterior teeth, age (PR = 1.1) and low social class (PR = 2.6) were significant; for those who lost up to 12 including anterior teeth, age (PR = 1.1) and clinical attachment loss&gt;4mm (PR = 2.9); and for tooth loss in excess of 13 teeth, age (PR = 1.3), low social class (PR = 3.8), and visiting a dentist due to emergency (PR = 9.4) were significant. Age was associated with tooth loss. The classification made it possible to differentiate variables in accordance with position or the number of teeth lost. <![CDATA[É preciso “<em>ikarar</em> os <em>kutipados</em>“: interculturalidade e assistência à saúde na Amazônia Peruana]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902837&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEsta pesquisa qualitativa visou descrever e analisar como a população indígena Kukama Kukamiria da Amazônia peruana percebe e avalia o atendimento oferecido pelos profissionais no posto de saúde de San Regis. Foi realizado estudo de base etnográfica na comunidade de San Regis, do rio Marañón, na região Loreto no Peru, incluindo entrevistas e observação participante com pacientes mulheres e homens, assim como curadores tradicionais e profissionais de saúde. O prisma da interculturalidade é adotado para discutir sobre a avaliação que os Kukamas Kukami-rias fazem a respeito do atendimento à saúde realizado pelos profissionais do posto de saúde local. Aborda-se sobre os (des)encontros interculturais que afetam aos grupos populacionais vulneráveis nas suas interações com os serviços de saúde. A frequente preferência pelos cuidados tradicionais implica uma aproximação entre cuidador e doente, pelo que deve ser levada em conta na organização dos serviços de saúde, e articulado às formas convencionais de assistência, em uma perspectiva intercultural.<hr/>AbstractThe scope of this qualitative research was to describe and analyze how the Kukamas Kukamirias indigenous population from the Peruvian Amazon perceives and evaluates the healthcare offered by health workers at the local San Regis health post. An ethnographic-based study was conducted among the San Regis community on the Marañon River in the Loreto district of Peru, including interviews and participative observations with female and male patients as well as with traditional healers and professional health workers. An intercultural perspective is adopted to discuss the evaluations made by the Kukamas Kukamirias about the healthcare offered by professionals at their local health post. Issues examined include the intercultural matches and mismatches that affect vulnerable groups of the population in their interactions with the health services. The frequent preference shown for traditional treatment implies a close relationship between the healer and the person who is sick. This means that conventional forms of healthcare should be seen from an intercultural perspective and taken into account when organizing and articulating health services. <![CDATA[Estratégia do apoio matricial: a experiência de duas equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) da cidade de São Paulo, Brasil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902847&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoOs Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) objetivam ampliar e qualificar as ações da Atenção Primária em Saúde. Para tanto, no trabalho junto às Equipes de Saúde da Família (EqSF), utilizam-se da estratégia do matriciamento. Este artigo buscou apresentar e discutir como os profissionais do NASF desenvolvem seu trabalho, com ênfase na apropriação e incorporação do matriciamento no cotidiano das práticas. Os resultados apresentados compõem estudo de caso sobre o processo de trabalho dos NASF de uma região de São Paulo. Para investigar esta temática foram introduzidas questões específicas nas diversas etapas da Análise Ergonômica do Trabalho. A implantação do NASF sem a revisão dos documentos norteadores das EqSF criou alguns paradoxos: as diferentes exigências de produtividade e de estratégias de trabalho entre NASF e EqSF; demandas distintas de atendimento populacional e diferentes prioridades de ação, com reflexos na divisão das tarefas e do tempo destinado a cada uma delas, etc. A prática acumulada desde a criação dos NASF pode favorecer uma revisão destes documentos no intuito de transformar as organizações de trabalho previstas para criar maiores condições para o trabalho compartilhado.<hr/>AbstractThe aim of Family Health Support Centers (NASFs) is to expand and qualify primary health care initiatives. Working together with Family Health Teams (EqSFs) they use matrix support strategies. This paper discusses how NASF professionals develop their work, emphasizing how matrix support approaches are appropriated and incorporated into daily working practices. The results that are presented are based on a case study of the work process of NASFs in a region of the city of São Paulo, Brazil. In order to investigate this issue, specific questions were introduced at different stages of the ergonomic work analysis. The implementation of the NASF, without a review of the guidance documents provided by the EqSF, created the following paradoxes: the different requirements of productivity and the working strategies between the NASF and the EqSF; the different demands of care for the population and different priorities for action, which were reflected in the division of tasks and the time allocated to each of them, etc. The practices that have been accumulated since the creation of the NASF suggests a review of these documents in order to transform the organization of planned work of these organizations in order to create better conditions for shared working practices. <![CDATA[Fatores associados à sobrecarga subjetiva de homens e mulheres cuidadores de pacientes psiquiátricos]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902857&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEstudos têm avaliado os fatores associados à sobrecarga dos familiares cuidadores de pacientes psiquiátricos. A pesquisa visou identificar os fatores associados à sobrecarga subjetiva de grupos de homens e mulheres, analisados separadamente. Participaram da pesquisa 50 homens e 50 mulheres cuidadores de pacientes psiquiátricos que responderam às questões da Escala de Avaliação da Sobrecarga dos Familiares de Pacientes Psiquiátricos e a um questionário sociodemográfico. Os resultados mostraram que diferentes fatores estiveram associados à sobrecarga subjetiva em cada grupo. No grupo de mulheres, os fatores preditores de maior sobrecarga foram: ausência de crianças em casa, maior número de pessoas morando com o familiar, o paciente não desempenhar atividades fora de casa, presença de comorbidade e maior número de comportamentos problemáticos dos pacientes. No grupo de homens, os fatores associados foram: o familiar não morar com o paciente, possuir renda, relatar doença resultante do papel de cuidador, maior número de filhos do familiar, o paciente não possuir quarto individual na casa, ter doença física, idade do paciente e quantidade de medicamentos ingeridos pelo paciente. É necessário adotar abordagens diferenciadas para cada grupo nas ações desenvolvidas pelos serviços de saúde mental.<hr/>AbstractVarious studies have investigated the factors associated with the overburden of family caregivers of psychiatric patients. This research sought to identify the factors associated with overburden in groups of male and female caregivers, analyzed separately. Fifty people of each sex participated in the study of family caregivers of psychiatric patients who filled out the Family Overburden Interview Schedule and a standardized sociodemographic data questionnaire. The results showed that different factors were associated with overburden in male and female groups. In the female group, the predictors of a greater degree of overburden were: no children at home, greater number of people living with the family, the patient not performing activities outside the home, the presence of comorbidity and greater incidence of patient problematic behavior. For men, the associated variables were: the family caregiver member not living with the patient, having income, reporting illness resulting from the caregiver role, number of children of the family caregiver, the patient not having a single room at home, patient's age, physical illness and quantity of drugs taken by the patient. These results point to the need for differentiated strategies in the family interventions developed by the mental health services. <![CDATA[Gestações subsequentes em mulheres que tiveram sífilis na gestação]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902867&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste estudo incluiu gestantes positivas para sífilis atendidas por parto ou aborto, entre 1997 e 2004, no Hospital São Lucas, Porto Alegre, RS. Foram levantados desfechos obstétricos subsequentes das mesmas, até dezembro 2011, para investigar a recorrência da doença. De 450 gestantes com sorologia positiva, atendidas de 1997 a 2004, 166 tiveram pelo menos mais um atendimento obstétrico até dezembro de 2011, sendo incluídos 266 novos desfechos obstétricos. A sífilis congênita (SC) foi evidenciada em 81,9% das gestações iniciais e em 68,4% das subsequentes. As principais causas da SC nas gestações subsequentes foram positivação do VDRL no parto e tratamento não documentado. Os títulos de VDRL foram superiores a 1:4, em 50,4% nas gestações iniciais, e em 13,3% nas subsequentes (p &lt; 0,001). A taxa de natimortalidade foi de 119/1000, nas gestações iniciais, e de 41/1000, nas subsequentes (p &lt; 0,01). A recorrência da SC foi frequente em gestações sucessivas da mesma paciente. A ausência ou inadequação de pré-natal foi o principal fator de risco para SC, tanto nas gestações iniciais quanto nas subsequentes. Os dados obtidos sugerem que, nas gestações subsequentes, mais neonatos não infectados podem ter sido definidos como casos de SC, pela insuficiência de informação sobre os antecedentes pré-natais da gestante.<hr/>AbstractThis study included data on syphilis-positive pregnant women seen for delivery or miscarriage, between 1997 and 2004, in Sao Lucas Hospital, Porto Alegre, RS. Their subsequent obstetric outcomes were studied, until December 2011, to see if the disease recurred. From 450 pregnant women with positive syphilis serology, seen from 1997 to 2004, 166 had at least one more obstetric attendance until December 2011, with 266 new obstetric outcomes. Congenital syphilis (CS) was demonstrated in 81.9% of the initial pregnancies and in 68.4% of the subsequent ones. The main causes of CS in subsequent pregnancies were a negative VDRL that turned positive at delivery, and undocumented treatment. VDRL titers were higher than 1:4 in 50.4% of the initial and 13.3% of the subsequent pregnancies (p &lt; 0.01). Perinatal mortality rate was 119/1000 in initial and 41/1000 in subsequent pregnancies (p &lt; 0.01). CS recurrence was frequent in subsequent pregnancies of women who tested positive for syphilis in a preceding pregnancy. No or inadequate prenatal care was the main risk factor for CS, both in initial and in subsequent pregnancies. These data suggest that non-infected neonates could have been defined as CS cases because of insufficient information about the mother's history. <![CDATA[Autopercepção de saúde em quilombolas do norte de Minas Gerais, Brasil]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902879&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoComunidades quilombolas vivenciam situação de vulnerabilidade social, mesmo mais de um século da abolição da escravatura, principalmente em relação aos cuidados de saúde. O estudo objetivou conhecer a autopercepção da saúde (APS) em comunidades quilombolas do Norte de Minas Gerais e os fatores associados à percepção negativa da própria saúde. Inquérito domiciliar com amostra representativa das comunidades quilombolas da região estudada. Foram utilizados instrumentos validados para coleta de dados sobre a APS, condições socioeconômicas e demográficas, hábitos de vida e morbidade autorreferida. Após análise bivariada, conduziu-se análise de regressão logística hierarquizada. A prevalência de APS negativa foi de 46,0%. As seguintes variáveis mostraram-se estatisticamente associados a uma APS negativa: idade e escolaridade, como variáveis distais e hipertensão, diabetes, artrite, depressão e problemas de coluna como variáveis proximais. A APS mostrou-se associada a dimensões demográficas, socioeconômicas e, especialmente, à morbidade autorreferida. O conceito de saúde para as comunidades quilombolas estudadas parece estar intimamente ligado à ausência de doenças, especialmente as crônicas.<hr/>AbstractOver a century has passed since slavery was abolished in Brazil, yet quilombola communities remain socially vulnerable, especially when it comes to health. The goal of this study was to understand self-perceived health (SPH) in quilombola communities in Northern Minas Gerais, and the factors associated with their negative -perceived their own health. A household survey of a representative sample of quilombola communities in the study region. Validated tools were used to gather data about SPH, socioeconomic conditions, demographics, lifestyle and self-referred morbidity. Following a bivariate analysis, we proceeded to conduct a hierarchical logistics regression analysis. The prevalence of negative SPH was 46.0%. The following variables were statistically associated with negative SPH: age and years of schooling as distal variables, and high blood pressure, diabetes, arthritis, depression and back problems as proximal variables. SPH is associated with demographic and socioeconomic dimensions, and in particular with self-referred morbidity. The concept of health among the quilombola communities included in this study seems to be intimately linked to the absence of disease, especially chronic disease. <![CDATA[Avaliação da incompletude da declaração de óbitos de menores de um ano em Pernambuco, Brasil, 1999-2011]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902891&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoCom o objetivo de avaliar a incompletude no preenchimento da declaração de óbito (DO) nas Regionais de Saúde do estado de Pernambuco foi realizado um estudo descritivo a partir de informações sobre óbitos de menores de um ano residentes dos municípios de Pernambuco, provenientes do Sistema de Informação sobre Mortalidade, nos triênios de 1999-2001 e 2009-2011. Foi calculado o percentual de incompletude considerando o preenchimento em branco/ignorado dos campos da DO por Regional de Saúde e a taxa de variação proporcional da incompletude entre os dois triênios. Observou-se que o preenchimento não apresentou um padrão bem definido para as Regionais, ocorrendo redução da incompletude para a maioria das variáveis, entretanto, apenas as variáveis sexo, faixa etária e local de ocorrência do óbito atingiram incompletude ≤ 5% no segundo triênio de estudo, considerado excelente nos escores de Romero e Cunha. Apesar do decréscimo da incompletude das variáveis relacionadas à gestação e parto e relacionadas à mãe, foi observado no segundo triênio incompletude entre 10 e 20%, atingindo escore regular no triênio 2009-2011. Apesar da melhoria do preenchimento no Estado, faz-se necessário o fortalecimento da vigilância e dos Comitês de Prevenção do Óbito Infantil para qualificação do preenchimento da DO.<hr/>AbstractIn order to assess the incompleteness in filling out death certificates (DC) in the regional health offices of the State of Pernambuco a descriptive study was conducted on data for infant mortality information on deaths of children under one year of age in the municipalities of Pernambuco in the 1999-2001 and 2009-2011 threeyear periods. The percentage of incompleteness was based on the blank/unknown responses in the DCs per regional health office and the proportional variation rate of incompleteness between the two periods. It was observed that the filling out of information did not show a well-defined pattern per office, with a reduction in incompleteness occurring for most variables, though the sex, age and place of occurrence of death variables alone revealed ≤ 5% incompleteness in the second term of study, which was considered excellent in terms of the Romero and Cunha scores. Despite the decrease in incompleteness related to pregnancy, childbirth and mother-related variables, in the second triennium incompleteness between 10 and 20% was observed, with a regular score in the 2009-2011 triennium. Despite the improvement in the filling out of details in the State, it is necessary to strengthen surveillance and training for completing the DCs by the Committees for Prevention of Infant Mortality. <![CDATA[A estrutura das representações sociais sobre saúde e doença entre membros de movimentos sociais]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902899&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste estudo buscou analisar as representações sociais de saúde e doença dos integrantes dos movimentos sociais da saúde do Distrito Federal, a fim de destacar potencialidades e limitações à ampliação da garantia da integralidade da atenção à saúde. Aplicou-se questionário a 66 participantes para verificar o seu perfil, além do emprego da técnica de associação livre e hierarquização de itens com termo indutor saúde e doença para identificação da estrutura das representações sociais, que foram analisados com o software EVOC (Ensemble de Programmes Permettant l'Analyse des Évocations) versão 2000. Os integrantes dos oito movimentos identificados são majoritariamente adultos jovens, masculinos, militantes há mais de seis anos, que estudaram além do ensino médio, renda acima de dois salários mínimos e usuários do SUS. A estrutura das representações sociais demonstra que o elemento qualidade de vida compõe o núcleo central do termo saúde e o elemento sofrimento do termo doença. As representações sociais do processo saúde-doença indicam avanços na sua concepção, entretanto necessitam ser consubstanciadas na perspectiva do modelo de determinação social. Os movimentos sociais são essenciais para mobilizar a sociedade na definição do padrão de saúde desejável por meio do desenvolvimento de políticas públicas.<hr/>AbstractThe scope of the study was to identify the structure of social representations regarding health and illness as expressed by representatives of social movements. The study included 66 members of social movements in the Federal District of Brazil. A questionnaire was applied to obtain the socio-economic profile of the participants and the free association technique was used in order to identify the likely peripheral and central core of the social representations analyzed by version 2000 EVOC software (Ensemble de Programmes Permettant l'Analyse des Évocations). The study results indicate that the majority of the participants have been activists for longer than six years, male, young adults, with above high school level education, monthly income over two minimum salaries, and are users of the Brazilian Unified Health System. Concerning the social representations of health structure, it was found that “quality of life” comprised the core system, while in the case of the social representations of illness, the core was found to be “suffering.” The study suggests that the respondents’ social representations of health and illness remain distant from a Social Determinants paradigm considered necessary for the assertion of the right to health and for achieving quality of life. <![CDATA[Marcas visíveis e invisíveis: danos ao rosto feminino em episódios de violência conjugal]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902911&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste artigo aborda os danos ao rosto feminino provocados por parceiro íntimo à luz do pressuposto cultural da face como locus corporal privilegiado e de alto valor simbólico. Com aporte quanti-qualitativo, o estudo objetivou: estimar a prevalência de lesões na face, cabeça e pescoço de mulheres agredidas pelo parceiro; apreender os significados, na visão das vítimas, das marcas originárias da violência; e investigar questões acerca do cuidado em saúde no tratamento dos agravos. Os dados estatísticos foram obtidos em boletins de ocorrência da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Salvador, Bahia, e a fase qualitativa da pesquisa constou de entrevistas com mulheres que recorreram à delegacia para denunciar o agressor. Estimou-se que, em 63,2% dos casos estudados, houve trauma na face e/ou cabeça e/ou pescoço da mulher agredida. A análise das falas revelou que os danos faciais, sobretudo os permanentes, tendem a produzir sentimentos de autodepreciação, humilhação e vergonha na vítima, gerando acentuado sofrimento psíquico. Ficou evidenciado que a atenção em saúde limitou-se aos aspectos físicos da vitimização, sem a percepção da violência conjugal como problema de saúde e consequente ausência de referenciamento das usuárias à rede de assistência à mulher em situação de violência.<hr/>AbstractThis article focuses on female facial injuries caused by domestic partners in the light of the cultural assumption that the face is the most valued area of the human body. Through a quantitative/qualitative approach, the study aimed to estimate the prevalence of lesions on the face, head and neck of women abused by their partners. The intention is to comprehend the significance, from the victim's standpoint, of the marks originated in the violent episode and investigate issues concerning healthcare in the treatment of injuries. Statistical data were obtained from reports of the Special Police Department for Women in Salvador, Bahia, and the qualitative phase of research consisted of interviews with women who filed such reports. The results showed that, in 63.2% of studied cases, there were injuries to the face and/or head and/or neck of battered women. Speech analysis revealed that facial injuries, especially permanent ones, tend to result in feelings of low self-esteem, shame and humiliation in the victim, causing severe psychological distress. It was revealed that healthcare was limited to the physical aspects of victimization, without the perception of domestic violence as a health problem and the consequent lack of referral of patients to the centers for women in situations of violence. <![CDATA[Como se fosse da família: a relação (in)tensa entre mães e babás]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902921&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ResumoEste artigo aborda os danos ao rosto feminino provocados por parceiro íntimo à luz do pressuposto cultural da face como locus corporal privilegiado e de alto valor simbólico. Com aporte quanti-qualitativo, o estudo objetivou: estimar a prevalência de lesões na face, cabeça e pescoço de mulheres agredidas pelo parceiro; apreender os significados, na visão das vítimas, das marcas originárias da violência; e investigar questões acerca do cuidado em saúde no tratamento dos agravos. Os dados estatísticos foram obtidos em boletins de ocorrência da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Salvador, Bahia, e a fase qualitativa da pesquisa constou de entrevistas com mulheres que recorreram à delegacia para denunciar o agressor. Estimou-se que, em 63,2% dos casos estudados, houve trauma na face e/ou cabeça e/ou pescoço da mulher agredida. A análise das falas revelou que os danos faciais, sobretudo os permanentes, tendem a produzir sentimentos de autodepreciação, humilhação e vergonha na vítima, gerando acentuado sofrimento psíquico. Ficou evidenciado que a atenção em saúde limitou-se aos aspectos físicos da vitimização, sem a percepção da violência conjugal como problema de saúde e consequente ausência de referenciamento das usuárias à rede de assistência à mulher em situação de violência.<hr/>AbstractThis article focuses on female facial injuries caused by domestic partners in the light of the cultural assumption that the face is the most valued area of the human body. Through a quantitative/qualitative approach, the study aimed to estimate the prevalence of lesions on the face, head and neck of women abused by their partners. The intention is to comprehend the significance, from the victim's standpoint, of the marks originated in the violent episode and investigate issues concerning healthcare in the treatment of injuries. Statistical data were obtained from reports of the Special Police Department for Women in Salvador, Bahia, and the qualitative phase of research consisted of interviews with women who filed such reports. The results showed that, in 63.2% of studied cases, there were injuries to the face and/or head and/or neck of battered women. Speech analysis revealed that facial injuries, especially permanent ones, tend to result in feelings of low self-esteem, shame and humiliation in the victim, causing severe psychological distress. It was revealed that healthcare was limited to the physical aspects of victimization, without the perception of domestic violence as a health problem and the consequent lack of referral of patients to the centers for women in situations of violence.