Scielo RSS <![CDATA[Ciência & Saúde Coletiva]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1413-812320060004&lang=en vol. 11 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<b>National health surveys in Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>The household surveys and the National Health Information System</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>Health National Survey</B>: <B>is it necessary?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>Big challenges for the National Health Information System</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>The main challenges to population surveys in the organization of an Integrated Health Information System</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>The hour and turn of Brazilian health information systems articulation?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>Report on coverage and prices of private health plans and insurance</B>: <B>perspectives toward complementary links between administrative and populational basis sources</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>Arguing priorities</B>: <B>commentaries on the article "The population surveys and the National Health Information System"</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>National health inquiries</B>: <B>the administrator and the researcher</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>Integrating population surveys to the National Health Information System</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>The authors reply</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo apresenta-se um breve histórico dos inquéritos domiciliares em saúde de abrangência nacional, que foram desenvolvidos no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Discutem-se alguns problemas metodológicos importantes envolvidos na concepção e no desenho amostral dos inquéritos de base populacional e faz-se uma breve revisão dos aspectos contemplados pelos suplementos de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que foram a campo em 1981, 1986, 1998 e 2003. Tendo em vista o compromisso já assumido pelo Ministério da Saúde e pelo IBGE quanto à inclusão de um novo suplemento na PNAD de 2008, abre-se um debate sobre as vantagens e as limitações da PNAD como instrumento capaz de gerar dados de base populacional sobre morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde. Finalmente destaca-se a necessidade de formulação de política para a geração de informações a partir de inquéritos de base populacional e sua incorporação ao Sistema Nacional de Informações em Saúde. Os inquéritos devem ser realizados periodicamente e os recursos financeiros para sua realização garantidos.<hr/>In this article the authors present a brief review of the household health surveys developed in Brazil in the last 20 years. Some important methodological problems related to their conception and sample design are discussed, and a brief review of the National Household Survey Health supplements conducted in 1981, 1986, 1998 and 2003 is presented. Given the already established agreement between the Ministry of Health and the Brazilian Institute of Geography and Statistics as to inclusion of a Health supplement in the 2008 National Household Survey, the authors propose a debate on the advantages and limitations of this instrument for the collection of data on morbidity, access to and utilization of health services. Finally, the authors stress the need for a policy towards generation of population-based information and its incorporation in the National Health Information System. Surveys must be periodically conducted and their financing must be guaranteed. <![CDATA[<B>Health self-rating in Brazil</B>: <B>analysis of data of the PNAD/2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho confirma que os principais determinantes da auto-avaliação do estado de saúde são as condições econômicas. Surgem dois resultados importantes adicionais. O primeiro mostra que além das condições atuais, medidas pela renda per capita do domicílio, têm grande importância as condições pregressas, medidas por um índice de bens que serve como indicador da capacidade de acumulação de riqueza do domicílio. Fica também demonstrada a grande importância da escolaridade como mediadora das condições econômicas na determinação da avaliação de saúde. Foram usados modelos de regressão logística, usando sexo e idade como co-variáveis para quantificar a importância dos vários determinantes, que incluíram também a área rural de residência, a cor da pele ou raça da pessoa, bem como quem forneceu a informação na entrevista. A avaliação de saúde ruim ou muito ruim é menor na área rural e aumenta marginalmente quando a pessoa que informa é "outro morador do próprio domicílio". Depois de ajustada para as co-variáveis (idade e sexo) e as condições econômicas e escolaridade, não existe nenhuma relação da avaliação ruim ou muito ruim com a cor da pele ou raça. É também feita a sugestão de mudar de posição a pergunta sobre auto-avaliação no questionário de futuros inquéritos.<hr/>This paper confirms the economic situation as the main determinant in the health self-rating of individuals. There are however two important additional results: The first shows that besides the current situation the former capacity of the household to accumulate wealth - measured by means of an index of assets - have independent effects on the rating of bad or very bad health. Secondly, we found that the economic status was strongly influenced by the educational level. Considering sex and age as co-variables, we developed logistic models to quantify the importance of the socio-economic determinants, including: reside in a rural area; which household member responded to the interview; skin color/race of the individual. Bad or very bad health self-rating is less frequent in rural areas and increases slightly when the respondent is "another resident of the same household". After adjustment of the co-variables (sex and age) and the economic and educational characteristics, we found that skin color/race were not significant as determinants of self-rated bad or very bad health. We also suggest that in future surveys the questions regarding health self-rating should be moved to another position in the questionnaire. <![CDATA[<B>An analysis of health services utilisation, by financing system</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo analisa, a partir de microdados de 1998 e 2003 da PNAD/IBGE, a utilização de serviços de saúde sob a perspectiva de seu financiamento ou, em outras palavras, sob o prisma do sistema de proteção à saúde pelo qual o serviço foi utilizado: se pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, pelo sistema público financiado por meio de tributos; se por planos e seguros de saúde privados e financiados por prêmios pagos por beneficiários e/ou seus empregadores; ou, finalmente, se mediante a compra direta de serviços (pagamento direto no ato da utilização de serviços). Entre os principais resultados da análise, destacam-se os seguintes: 1) o SUS financia a maioria dos atendimentos e das internações realizados no País, participação que aumentou significativamente entre 1998 e 2003; 2) embora o número absoluto de atendimentos realizados pelos três sistemas de financiamento tenha aumentado, a expansão do SUS foi muito mais significativa e a ela correspondeu uma desaceleração do crescimento do gasto privado direto; 3) o SUS é o principal financiador dos dois níveis extremos de complexidade da atenção à saúde: o de atenção básica e o da alta complexidade.<hr/>This article analyses, from micro-data of the National Sample Household Survey (PNAD/IBGE) from 1998 and 2003, the utilisation of health services according to different financing systems. In other words, it analyses if this utilisation has been done through the National Health System SUS (public and universal health insurance, financed by taxes), through private health insurance (premiums paid by the insured population and/or their employers) or through out-of-pocket payments. The main results are: 1) SUS finances most of inpatient and outpatient utilisation and its participation has strongly increased from 1998 to 2003; 2) although the absolute number of outpatient utilisation made through the three systems has increased, SUS expansion has been much stronger (it increased 44%) and it corresponded to a slower increase (6,2%) of out-of-pocket utilisation and 3) SUS is the main financing system of the two extremes of complexity of health care: primary care and high complexity services. <![CDATA[<B>Social inequalities in the prevalence of chronic diseases in Brazil, PNAD-2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400014&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os inquéritos de saúde de base populacional constituem o principal instrumento utilizado para conhecer a prevalência de doenças crônicas, de restrições de atividades e de uso de serviços de saúde. Com base nos dados da PNAD-2003, foram estimadas as prevalências das 12 doenças crônicas pesquisadas, segundo sexo, idade, cor, escolaridade, macrorregião de residência e situação urbana ou rural do domicílio. Foram analisados a presença de limitações e o uso de serviços de saúde segundo a presença de doença crônica. Utilizando regressão de Poisson, foram estimadas as razões de prevalências ajustadas por idade, sexo, macrorregião de residência e tipo de respondente. A prevalência de pelo menos uma doença crônica aumentou com a idade, foi maior entre mulheres, indígenas, pessoas com menor escolaridade, cidadãos detentores de plano de saúde, migrantes de outros estados, residentes em áreas urbanas e moradores da região Sul. A presença de doença crônica provocou aumento de limitação de atividades e da demanda por serviços de saúde. As condições mais prevalentes foram: doença de coluna, hipertensão, artrite e depressão. Foi detectada significativa desigualdade social no padrão das doenças crônicas, segundo gênero, cor/raça, nível de escolaridade, região de residência e situação do domicílio.<hr/>Population-based health surveys are the main tool for obtaining data on the prevalence of chronic diseases, disabilities and use of healthcare services. Based on the data of the PNAD-2003, this study estimated the prevalence of 12 chronic diseases according to: gender, age, skin color, educational level, macro-region and urban or rural situation of the households. We analyzed the relation between presence of disabilities and use of healthcare services due to the presence of a chronic disease. The prevalence ratios adjusted according to age, gender, macro-region and type of respondent were estimated using Poisson's regression. The prevalence of at least one chronic disease increased with age, was higher among women, the indigenous population, individuals with low educational level, individuals affiliated with a health plan, immigrants from other states, residents of urban areas and among the inhabitants of the southern region of the country. The presence of a chronic disease resulted in an increase of disability and demand for healthcare services. The most prevalent conditions were: backbone conditions, hypertension, arthritis, and depression. The survey detected marked social inequality in the pattern of prevalent chronic diseases related to gender, color/race, education, macro-region of residence, and urban and rural households. <![CDATA[<B>Methods and measures for the evaluation of functional capacity</B>: <B>a preliminary analysis based on the National Household Sample Survey Health Interviews - PNAD, Brazil, 2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400015&lng=en&nrm=iso&tlng=en A avaliação das conseqüências dos problemas de saúde é um tema marcado pela diversidade conceitual e metodológica. Diferentes modelos conceituais são utilizados para o desenvolvimento de métodos para avaliação dos níveis de saúde de populações humanas. A avaliação das limitações e restrições da atividade física, devido a sua importância no âmbito das conseqüências das doenças crônicas, tem sido contemplada em inquéritos populacionais. Tais análises baseiam-se nas escalas de avaliação das atividades diárias da vida ou das atividades instrumentais diárias da vida. A PNAD, por meio do seu Suplemento Saúde realizado em 1998 e 2003, tem possibilitado a análise dos padrões de limitação das atividades habituais na população brasileira com idade superior a 13 anos. Neste estudo foram apresentados indicadores de diferentes graus de limitação, desenvolvidos com os dados da PNAD 2003. Os resultados preliminares mostram perfis diferenciados de limitação das atividades, segundo categorias das variáveis sexo e faixa etária. As mulheres e os indivíduos com mais idade apresentaram limitações com maior freqüência e em maior grau. A preocupação com o viés do informante se justifica pelo fato de metade das respostas ter sido fornecida por terceiros.<hr/>The evaluation of the consequences of health problems is a subject characterized by conceptual and methodological diversity. Different conceptual models have been used for developing methods aimed at evaluating the health of populations. In the context of chronic diseases, the evaluation of physical activity restrictions and limitations based on scales of activities of daily living and instrumental activities of daily living is particularly important. Both the 1998 and 2003 National Household Survey Health Interviews have allowed for an analysis of activity limitation patterns of the Brazilian population aged 14 years and older. In the present study we present different indicators of varying degrees of limitation elaborated using data from the 2003 survey. Preliminary results showed varying patterns of activity limitation according to sex and age. In general, limitations were referred more frequently and to a higher degree among women and the elderly. The concern with information bias is justified by the fact that half of the questions were answered by proxy informants. <![CDATA[<B>Health inequality trends among Brazilian adults and old-aged</B>: <B>a study based on the National Household Sample Survey (PNAD 1998, 2003)</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400016&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste trabalho foi verificar se as desigualdades sociais em saúde de adultos (20-64 anos) e idosos (> 65 anos) brasileiros se alteraram entre 1998 e 2003. O estudo foi realizado em uma amostra de 203.455 e 239.700 participantes da PNAD 1998 e 2003, respectivamente. As condições de saúde e função física, uso de serviços de saúde e filiação a plano de saúde daqueles pertencentes ao quintil inferior da distribuição da renda domiciliar per capita foram comparadas às daqueles com renda mais alta, utilizando-se métodos multivariados de análise. Os resultados mostraram que nos dois anos considerados, os indivíduos no estrato mais baixo de renda apresentavam piores condições de saúde, pior função física e menor uso de serviços de saúde, tanto na faixa etária de 20-64 quanto na de > 65 anos de idade. As forças das associações entre renda domiciliar per capita, condições de saúde e uso de serviços de saúde não se modificaram entre 1998 e 2003, indicando que não houve alterações nas desigualdades sociais em saúde no período estudado. A persistência dessas desigualdades aponta para a ineficiência de políticas, nos últimos cinco anos, que as reduzissem.<hr/>The aim of this study was to verify whether health inequalities among Brazilian adults (20-64 years) and old-aged (> 65 years) have changed from 1998 to 2003. The study was conducted in samples of 203.455 and 239.700 participants of the National Household Sample Survey in 1998 and 2003 respectively. The health characteristics of those in the lower quintile of the per capita family income were compared to those with higher income by means of multivariate analysis methods. The characteristics considered in this study were health conditions and physical functioning, use of medical and dental services and health plan affiliation. The results from both years showed poorer health conditions, poorer physical functioning and less use of medical and dental services among those with lower per capita family income in both age groups, 20-64 and > 65 years. The associations between per capita family income, health status and use of health services were similar in 1998 and 2003, indicating that health inequalities have not changed in the period under study. The persistence of these inequalities shows the inefficiency of public policies in the last five years to reduce such inequalities. <![CDATA[<B>The market of health plans and insurances in Brazil</B>: <B>an exploratory approach to the stratification of demands based on the 2003 PNAD</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400017&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir dos dados do Suplemento Saúde da PNAD 1998, diversos estudos evidenciaram a presença de diferenças significativas nos padrões socioeconômicos, acesso, utilização de serviços de saúde e condições de saúde entre os segmentos populacionais cobertos e não cobertos por planos de saúde. Buscando contribuir para aprimorar o acervo dos conhecimentos sobre a estrutura e a dinâmica do mercado de planos e seguros de saúde no Brasil, admite-se e procura-se evidenciar a heterogeneidade dessas demandas. Para tanto, foi definida uma tipologia de planos de saúde, fundamentada nas origens institucionais das demandas e, subseqüentemente, pelas relações de dependência com titulares de planos e seguros de saúde, integrada por três categorias principais: os planos empresariais privados, os planos empresariais públicos e os planos individuais. As características etárias, socioeconômicas e de condições de saúde variam segundo os diferentes tipos de plano, sugerindo a presença de padrões distintos de demandas, especialmente entre os planos empresariais privados e os planos individuais.<hr/>Several studies based on the 1998 PNAD Health Supplement data have shown significant differences in socioeconomic standards, access to and use of health services among population segments covered or not by health plans. Seeking to improve our knowledge on the structure and dynamics of the market of health plans and insurances in Brazil, we sought first to identify and then to highlight the different demands. To this effect, we conceived a typology of health plans on the basis of the institutional origin of the demands and on the relation between insurance and health plan holders and their dependents for three major categories: private employer plans, public employer plans and individual plans. Age, socioeconomic patterns and health conditions vary according to different health plan profiles, suggesting distinct patterns of demands, markedly between private employer and individual plans. <![CDATA[<B>Disability prevalence among the elderly in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400018&lng=en&nrm=iso&tlng=en O processo de envelhecimento brasileiro tende a se intensificar nas próximas décadas, de tal forma que, em 2050, projeta-se um número absoluto de idosos em torno de 64 milhões. Considerando que os estudos internacionais vêm apontando redução do declínio funcional entre os idosos nos países desenvolvidos, este estudo tem por finalidade analisar como vêm ocorrendo as mudanças na incapacidade funcional dos idosos, no Brasil, segundo alguns indicadores sociodemográficos selecionados. Foram utilizadas as informações dos Suplementos de Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), de 1998 e 2003, realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os microdados, para o cálculo das taxas de prevalência de incapacidade funcional, foram processados usando o Banco Multidimensional Estatístico (BME/IBGE). Os resultados apontam que houve redução nas taxas de prevalência de incapacidade funcional dos idosos, embora diferenciada entre os grupos sociodemográficos.<hr/>International studies point to a decrease in the prevalence rate of disability in the elderly in developed countries. Brazil is undergoing an accelerated aging process likely to intensify in the course of the next decades. Thus, this study aims to analyze the changes occurring in the Brazilian disability profile for the population aged 60 years or more on national and regional level using the data of the 1998 and 2003 National Household Sample Survey (PNAD). The results show a general but socio-demographically differentiated reduction in the prevalence of disability during the period under study. <![CDATA[<B>Geographic and social inequalities in the access to health services in Brazil</B>: <B>1998 and 2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400019&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este estudo objetivou avaliar o padrão das desigualdades geográficas e sociais no acesso aos serviços de saúde em 2003 e compará-lo com o padrão existente em 1998, usando os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). A população estudada foi de crianças e adultos residentes em áreas urbanas que referiram restrição de atividades nos últimos 15 dias nas duas pesquisas. A variável dependente foi o uso de serviços de saúde nos 15 dias que antecederam a entrevista. Os modelos de uso de serviços de saúde testados foram controlados por idade e sexo, e incluíram renda familiar per capita, escolaridade, grande região e alguns estados da federação. O estudo reafirmou o padrão de que no Brasil o acesso é fortemente influenciado pela condição social das pessoas e pelo local onde residem. Este padrão existe tanto para os adultos como para as crianças. Houve alguma diminuição das desigualdades sociais no acesso, mas as desigualdades geográficas no acesso aumentaram no período de estudo. Na região Sul, uma das mais desenvolvidas do país, persiste um padrão de forte desigualdade social e o estado do Rio Grande do Sul destaca-se pela magnitude das desigualdades sociais no acesso. A amostra da PNAD apresenta limitações para estudos de eqüidade na utilização de serviços de saúde no âmbito estadual.<hr/>The objective of this study was to evaluate geographical and social inequalities prevailing in Brazil in 2003 and to compare these data to the pattern of 1998, using data from the national household surveys of 1998 and 2003. The population under study involved children and adults living in urban areas, who referred activity restrictions in the last 15 days. The dependent variable was actual use of health services in the 15 days preceding the interviews. Use of services was controlled by age and sex and included per capita family income, years of schooling and geographical areas regions and states. The results confirm the pattern of social and geographical inequalities in the access to health services in Brazil. This is true for children and adults. There was a slight decrease in social inequalities as refers to access, but the geographical disparities increased in the course of the studied period. In 2003, the Southern region, one of the most developed in the country, presented an extremely high degree of social inequalities and the state of Rio Grande do Sul stands out for the magnitude of social inequalities in the access to health services. The PNAD sample presents limitations for equity studies in the use of health services at state level. <![CDATA[<B>Social inequalities in hospital admissions in Brazil</B>: <B>what has changed from 1998 to 2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400020&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste artigo foi comparar os fatores associados às internações hospitalares no Brasil em 1998 e 2003. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2003 foi analisada utilizando modelo de regressão logística com pesos normalizados, tendo o Modelo Comportamental de Andersen como base teórica, e os resultados foram comparados aos da PNAD 1998 anteriormente publicados. Houve diminuição dos coeficientes de internação para mulheres em idade reprodutiva e para idosos; e aumento dos coeficientes para crianças. Para adultos, houve aumento da desigualdade por renda no uso de internações hospitalares. Para crianças, aquelas sem renda tiveram uma maior chance de internação. Não houve efeito de raça e escolaridade nas internações. Algumas tendências mais gerais do uso das internações hospitalares no Brasil puderam ser verificadas neste estudo: o aumento da participação dos procedimentos cirúrgicos, em detrimento dos partos; a diminuição dos tempos médios de permanência; o aumento da participação dos hospitais públicos; o aumento da participação do SUS, em detrimento da participação dos planos de saúde e do financiamento do próprio bolso; a diminuição da existência de fonte dupla de financiamento para as internações e uma grande proporção de pessoas satisfeitas com o atendimento recebido.<hr/>The objective of this paper was to compare hospital admission associated factors in Brazil in 1998 and 2003. The data of the 2003 National Household Survey Health Supplement were analyzed using a logistic regression model with normalized weights, using Andersen's Behavioral Model, and the results were compared to those published in the PNAD 1998. There was a decrease in hospital admission coefficients for women in reproductive age and older adults, and an increase in the coefficient for children. For adults, there was an increase in inequality in hospital admissions according to the income. Among children, those with no income had more chances for hospital admission. Race and educational level had no influence in hospital admissions. Some general trends with respect to hospital admissions in Brazil could be verified in this study: the increase in admissions for surgical procedures, the decrease in admissions related to pregnancy, childbirth and puerperium, shorter in-patient care, the increase in admissions to public hospitals, the increase in admissions financed by the Brazilian Unified Health System (SUS) in comparison to admissions covered by private health insurances and out-of-pocket payment, the decrease in admissions financed by more than one system and the great proportion of users satisfied with the care they received. <![CDATA[<B>Access to oral health services between Brazilian States</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400021&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste trabalho foi analisar a relação entre as características dos indivíduos e do contexto no uso de serviços odontológicos no Brasil, e analisar as diferenças entre grupos populacionais nas proporções de uso destes serviços entre os anos de 1998 e 2003. Foram analisados os dados da Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílios (PNAD) de 2003, a partir de modelo logístico hierárquico das chances de um indivíduo nunca ter consultado o dentista segundo características do indivíduo e do contexto das unidades da federação. Foi observado que a chance de nunca ter visitado o dentista foi 20% maior para os homens; maior para os idosos em comparação com os de 50 a 64 anos; 3,4% menor para os de raça branca; 46,6% menor para os que possuem plano de saúde; e 42,9% menor para os que residem em região urbana. Para cada ano a mais de estudo, a chance foi 17% menor. Comparando com os 20% mais pobres, a chance de nunca ter consultado o dentista foi 27,1% menor para os indivíduos do segundo quintil de renda familiar per capita e 74,1% menor para os 20% mais ricos. Variáveis contextuais mostraram associação com o uso de serviços odontológicos que foi menor entre as unidades da federação mais pobres, com menor estrutura, com menor oferta de serviços odontológicos, médicos e serviços de saúde de maior complexidade.<hr/>The aim of this study is to analyze the relationship between individual and contextual characteristics and use of oral health services in Brazil and to compare the 2003 data with those of 1998. Data from the 2003 National Household Sample Survey were analyzed with regard to the possibility of an individual never having seen a dentist according to individual and State characteristics and using a multilevel logistic model. The possibility was 20% higher for men and for the old-aged in comparison to individuals bewteen 50 and 64 years of age, 3.4% lower for white individuals, 46.6% lower for persons with health insurance, and 42.9% lower for residents of urban areas. The possibilities decreased according to the educational level. Compared to the 20% making up the poorest part of the population, the possibilities of an individual never having had oral health care were 27.1% lower for individuals in the second quintile of the per capita family income and 74.1% lower for the richest 20%. Contextual variables associated to the use of oral health services showed that these services were less used in the poorer states of the federation and in areas with less complex health services, offering less odontological and medical care. <![CDATA[<B>Sociodemographic profile and utilization patterns of the public health care system (SUS) - PNAD 2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400022&lng=en&nrm=iso&tlng=en A utilização de serviços de saúde é resultante da oferta e das características sociodemográficas e do perfil de saúde dos usuários. Os dados da PNAD 2003 permitem analisar as diferenças regionais,do perfil sociodemográfico dos usuários e não-usuários do SUS. As variáveis dependentes foram: atendimento em serviço de saúde (SUS ou sistema privado). Foram utilizadas as variáveis: sexo, idade, cor da pele, anos de estudo, renda familiar e posse de plano de saúde, através de um modelo de regressão logística para avaliar a probabilidade de ser atendido pelo SUS. Nos usuários do SUS há predomínio de mulheres, crianças, pretos e pardos, baixa escolaridade e renda. Há associação entre estado de saúde regular/ruim e utilização dos serviços do SUS, entre o atendimento pelo SUS e usuários de baixa escolaridade e renda. O padrão de busca de serviços foi semelhante nos usuários e não usuários do SUS. Os resultados apontam para a contribuição do SUS na universalização e eqüidade de acesso aos serviços de saúde. No entanto, os não atendidos (4%) são indivíduos adultos, pretos e pardos e de baixa escolaridade e renda.<hr/>The use of health care services varies with sociodemographic and health patterns and according to the supply of health services. The Brazilian health system is composed by a free public health system (SUS) and a private system. Data from PNAD 2003 were used for analyzing regional and sociodemographic differences in both public and private systems. The dependent variable was use of public or private health care services and the variables used were sex, age, skin color, educational level, per capita family income and affiliation with a private health insurance. Logistic regression analysis was used to identify the variables of users of the public health system. The users of the public system were mainly women, children, the black population, and individuals with low educational level and income. There is a relation between bad/regular health status, low education and income and use of the public health system. The demand for health care is similar for users of the public and private systems. Results point to a positive role of the public health system in promoting equal access to health care. However, 4% of the population, composed by black adults with low income and education has poor access to health services. <![CDATA[<B>Factors associated to the performance of preventive cancer exams in Brazilian women, PNAD 2003</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400023&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estudar fatores associados à realização dos exames Papanicolaou e mamografia por mulheres brasileiras. Foram analisadas informações sobre mulheres com 25 anos ou mais, no suplemento Saúde da Pesquisa Nacional de Amostras Domiciliares (PNAD) do IBGE 2003, de realização de Papanicolaou nos últimos 5 anos e mamografia nos últimos 2 anos, sua prevalência por variáveis demográficas, socioeconômicas e saúde, acesso e utilização de serviços de saúde. Foram realizadas análise estatística bivariada e regressão logística para os dois procedimentos. A prevalência para Papanicolaou foi 75,5% e mamografia 36,1%. A regressão logística mostrou como principais fatores preditivos para Papanicolaou: ter filhos, consulta médica no último ano, renda elevada, médio a alto grau de escolaridade, ter plano de saúde e morar em zona urbana. Para mamografia mostraram-se fatores preditivos importantes: distribuição etária (40-59 anos), consulta médica no último ano, morar em zona urbana, renda elevada e ter plano de saúde. No Papanicolaou há maior incorporação na assistência, e o acesso à consulta médica fator essencial para a realização do exame. Na mamografia, a prevalência é mais elevada nas faixas etárias recomendadas, perfil diferenciado por acesso à consulta médica e condição socioeconômica, e muitos exames em mulheres em faixas etárias não recomendadas.<hr/>To study factors associated to prevalence of Papanicolaou and mammography, in Brazilian women. We analyzed information for women 25 years and more in Brazilian National Household Sample Survey (PNAD) of IBGE in 2003 for Papanicolaou in the last 5 years and mammography in the last 2 years, and their prevalence according to demographic, socioeconomic and health, access and health services utilization variables. Bivariate and logistic regression statistical analysis were performed. Papanicolaou exams prevalence was 75.5% and mammography 36.1%. Logistic regression indicated as the main predictive factors for Papanicolaou: having children, medical consultation in previous year, high income, medium to high schooling, private health care plan and living in an urban zone. For mammography the important predictive factors were age (40-59 years), medical consultation in previous year, living in an urban zone, high income and private health care plan. The results for Papanicolaou showed significant presence in care of the public health system, and access to medical consultation as essential. For mammography prevalence was higher for the recommended ages, and a very different prevalence profile according to access to medical consultation and socioeconomic condition. Large number of exams were made by women in not recommended ages. <![CDATA[<B>Can lessons from public health disease surveillance be applied to environmental public health tracking?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400024&lng=en&nrm=iso&tlng=en Disease surveillance has a century-long tradition in public health, and environmental data have been collected at a national level by the U.S. Environmental Protection Agency for several decades. Recently, the CDC announced an initiative to develop a environmental public health tracking (EPHT) network with "linkage" of existing environmental and chronic disease data. On the basis of experience with established disease surveillance systems, we suggest how a system capable of linking routinely collected disease and exposure data should be developed. The primary operational goal of EPHT has to be the "treatment" of the environment to prevent and/or reduce exposures and minimize population risk for developing chronic diseases. Thus, EPHT should be synonymous with a dynamic process requiring regular system updates to a) incorporate new technologies to improve population-level exposure and disease assessment, b) allow public dissemination of new data that become available, c) allow the policy community to address new and emerging exposures and disease "threads," and d) evaluate the effectiveness of EPHT over some time interval. It will be necessary to weigh the benefits of surveillance against its costs, but the major challenge will be to maintain support for this important new system.<hr/>A prática de vigilância epidemiológica tem tradição secular nos Estados Unidos, e dados sobre ambiente vêm sendo recolhidos pelas agências de proteção ambiental americanas há várias décadas. Recentemente o Centro de Controle de Doenças (CDC) anunciou nova iniciativa para desenvolver monitoramento de enfermidades crônicas associadas à questão ambiental. Com base na experiência em sistemas de vigilância epidemiológica, sugerimos um sistema capaz de articular a coleta de informações epidemiológicas com dados de exposição ambiental. O objetivo operacional desse monitoramento é o tratamento do ambiente visando prevenir ou reduzir exposição e minimizar riscos de a população desenvolver doenças crônicas. Essas doenças resultantes de múltiplos fatores não podem ser avaliadas apenas por dados rotineiros de vigilância. Assim, essa nova proposta precisa se apoiar num processo dinâmico de: a) incorporar novas tecnologias para avaliar o nível de exposição e de doenças associadas; b) disseminar dados acessíveis ao público; c) incorporar a comunidade para levantar exposições e ameaças; d) avaliar periodicamente a efetividade da nova proposta. É preciso saber os benefícios dos mecanismos de vigilância frente aos custos para dar suporte a esse novo sistema. <![CDATA[<B>Health information in Brazil</B>: <B>the Ripsa contribution</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400025&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Rede Interagencial de Informações para a Saúde (Ripsa) é uma iniciativa conjunta do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde, que há dez anos congrega instituições responsáveis pela geração, análise e disseminação de dados aplicados a políticas públicas de saúde no Brasil. Apóia esforços colaborativos para disponibilizar uma base de indicadores periodicamente atualizada, e promove consenso sobre temas de interesse para a melhoria da informação em saúde. A interação conseguida é relevante no contexto do sistema de saúde brasileiro e tem potencial a ser mais explorado.<hr/>The Inter-Agency Health Information Network (Ripsa) is a joint initiative of the Ministry of Health and the Pan-American Health Organization, set up ten years ago to convene institutions responsible for the production, analysis and dissemination of data oriented to public health policies in Brazil. It supports collaborative efforts towards an updated database of indicators and promotes consensus on critical issues for the improvement of health information. The level of interaction achieved is relevant in the context of the Brazilian health system and has shown potentiality for further contribution. <![CDATA[<B>Genetic information in the written media</B>: <B>sickle cell anemia at issue</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400026&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo analisa o discurso da mídia sobre a anemia falciforme. O objetivo é conhecer e analisar o conteúdo das mensagens veiculadas pela mídia impressa sobre a anemia falciforme, doença genética mais prevalente no País. Foram analisadas todas as matérias publicadas sobre o tema da anemia falciforme, entre 1998 e 2002, nos jornais A Tarde (BA, 41 matérias) e Folha de S. Paulo (SP, 25 matérias). Para a análise foram selecionadas quatro variáveis: a prevenção, a conscientização do risco, o aconselhamento genético e o recorte racial da doença. A análise das matérias identificou um forte apelo preventivo que acompanha as informações sobre anemia falciforme. O tema da prevenção em genética traz uma série de desafios éticos, em especial dada a impossibilidade legal de interrupção da gestação em casos de diagnóstico de anemia falciforme no feto, o que faz com que haja uma ênfase nos cuidados reprodutivos pré-concepção. No caso da anemia falciforme, a pesquisa mostra ainda que há um apelo no sentido de chamar as pessoas a identificar a doença e buscar atendimento especializado. Mas há também a ênfase na idéia de que as pessoas informadas podem contribuir para prevenir o avanço da doença. Mediar essa tênue fronteira entre prevenção e reconhecimento das liberdades individuais pode ser considerado um desafio não só para a saúde pública, mas também para os meios de comunicação.<hr/>This article examines the strategies used by the media to approach and disseminate information about the most prevalent genetic disease in Brazil, sickle cell anemia. In this investigation we analyzed all articles on this matter published between 1998 and 2002 in two newspapers: A Tarde (State of Bahia, 41 articles) and Folha de S. Paulo (State of São Paulo, 25 articles). We selected four variables: prevention, risk awareness, genetic counseling and the racial dimension of the disease. The results revealed that the national media were giving strong emphasis to prevention. The topic genetic prevention poses a number of ethical dilemmas, particularly in Brazil where selective abortion is illegal. Consequently, the discourse of the media concentrates on pre-conception counseling. The media also appeal to risk groups and carriers to seek for identification of their condition and specialized care. Strong emphasis is further given to the idea that informed people can help to prevent the disease. The subtle line between genetic prevention and recognizing the individual right to reproductive autonomy represents an ethical challenge not only for every public health initiative but also for the media. <![CDATA[<B>Unbalanced human resources systems in health</B>: <B>the Peruvian case, 1990-2005</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400027&lng=en&nrm=iso&tlng=en El artículo concluye que el Perú es hoy un ejemplo de un sistema descentrado de recursos humanos en salud, por haber vivido un ciclo largo de deterioro, que empezó en la década de los 90, que lo ha llevado a un dislocamiento entre la oferta y demanda de recursos humanos en salud, la no gobernabilidad de la formación en salud y un trade off entre el desempeño y la precarización salarial y laboral del personal. Se analizan cinco cambios: a) el dislocamiento entre el mundo del trabajo y el mundo de la formación en salud; b) la ampliación de la producción de servicios de salud, a partir de un mayor rendimiento de la fuerza laboral; c) el cambio del régimen laboral, la pauperización del personal y afectación del status de las profesiones de salud; d) la "revolución de las capacidades" del personal de salud y su viraje a la formación de postgrado, la educación continua y al gerencialismo; y e) el reemplazo de la gobernanza y gobernabilidad por la autorregulación, en un contexto de ausencia de un punto de equilibrio del sistema de recursos humanos que promueva rectificaciones. Se concluye que las políticas de recursos humanos desean desarrollar competencias y desempeño sin promover el desarrollo humano de la fuerza laboral en salud.<hr/>This article concludes that today Peru is an example for an unbalanced policy of human resources in health for having lived a long cycle of decline that began in the 90s. This led to a situation characterized by an unbalance between offer and demand of human resources in health, the non-governability of health training and a trade-off between performance and unstable wages and labor conditions for the health personnel. Five key-points are analyzed: a) the dissociation between health work and health education; b) the increase of the productivity of health services based on a higher performance of the health personnel; c) the change of the labor regime from the system of appointments to the system of contracts and the pauperization and insecurity of the health personnel and the status of the health professional; d) the "revolution of the health staff's capacities" claiming for post-degree training, continued education and management; and e) the replacement of governance and governability by self-regulation in a context lacking a point of equilibrium allowing for corrections in the system. We suggest that the human resources policies in health adopted in Peru and many other Latin-American countries were trying to develop competences and performance without promoting the development of human resources in the health area. <![CDATA[<B>Validation of qualitative alternative methods in the detection of food-born pathogens</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400028&lng=en&nrm=iso&tlng=en As Doenças de Origem Alimentar (DOA) são um perigo de grande relevância para a saúde humana e para a economia dos indivíduos, famílias e nações. O risco de disseminação de microrganismos patogênicos vem crescendo continuamente, e programas de controle de qualidade microbiológica são empregados em toda a cadeia de produção alimentar a fim de minimizar o risco de infecção e/ou intoxicação. A utilização de métodos de detecção alternativos de microrganismos é uma das ferramentas que podem ser utilizadas para garantir a segurança microbiológica dos produtos. Contudo, para que a metodologia utilizada forneça resultados confiáveis é necessário que ela seja validada. A validação deve garantir, por meio de estudos experimentais, que o método atenda às exigências das aplicações analíticas, assegurando a confiabilidade dos resultados, devendo apresentar níveis adequados de acurácia, precisão, limite de detecção, robustez, repetitividade, reprodutibilidade, especificidade, linearidade e exatidão. Embora existam diversos guias descrevendo a validação de métodos analíticos, comparativamente, pouco se tem dito a respeito da validação de métodos microbiológicos e, menos ainda, de métodos moleculares. O objetivo deste trabalho é fazer uma revisão dos parâmetros necessários para validação de métodos alternativos qualitativos na detecção de patógenos alimentares.<hr/>Food-Born Diseases (FBD) are a considered an important hazard for human health and the economy on individual, family and national level. The risk of dissemination of pathogens increases continuously and microbiological quality control programs are employed in the entire food chain in order to minimize the risk of infection and/or intoxication. The use of alternative methods for the detection of microorganisms is one of the tools for granting the microbiological safety of the products. For obtaining reliable results however the method needs to be validated. The purpose of the validation is to ensure through experimental studies that the method is meeting the requirements of analytical applications, ensuring the reliability of results and adequate levels of accuracy, precision, detection limit, solidity, repeatability, reproducibility, specificity, linearity and exactness. Although there are some guides describing the validation of analytical methods, comparatively little has been said regarding validation of microbiological methods and even less with respect to molecular methods. The aim of this work is to review the parameters necessary for validating qualitative alternative methods in the detection of food-born diseases. <![CDATA[<B>The meanings and destinies of caregiving in the preparation of caregivers for the old-aged</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400029&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste trabalho apresentamos alguns pressupostos teóricos que informam a preparação de cuidadores de idosos, proposta por dois cursos realizados na cidade do Rio de Janeiro. Utilizamos uma metodologia qualitativa adotando como instrumentos de coleta de dados a observação participante e gravação das aulas, entrevistas com os coordenadores e, como fontes documentais, os programas, apostilas e referências bibliográficas. Os dados, ordenados em categorias descritivas, foram analisados à luz da literatura. Concluímos com uma reflexão acerca dos pressupostos que têm referenciado a preparação dos cuidadores de idosos e suas conseqüências para o cuidar, inclusive o debate entre estes e a enfermagem. Destacamos: a oposição entre cuidados invisíveis, cuidados visíveis e cuidados técnicos; a naturalização do cuidar como um valor em detrimento de um aprendizado técnico; e as concepções de cuidado social e cuidado com a saúde. Consideramos que tanto a ênfase no cuidado social, ao afastar a figura médica da doença, quanto a ênfase no cuidado à saúde, que tem a doença como mote reflexivo, ao desconsiderarem a importância do cuidado técnico, podem, com isso, não levar em consideração a complexidade dos aspectos subjetivos e físicos ligados à existência concreta do enfermo idoso.<hr/>In this paper we present some theoretical presuppositions with respect to the qualification of old-age caregivers proposed by two courses of the city of Rio de Janeiro. We adopted a qualitative methodology, using as instruments for data collection direct observation, tape recording of the ministered classes and interviews with the course managers. Documental sources were the course programs, texts and lists of source materials. The data were ordered in descriptive categories that were compared with the literature. We emphasize: the difference between invisible care, visible care and technical care; the idea of care as a natural value with no need for technical qualification and the concepts of social care and health care. We believe that on giving emphasis to social care (moving away from the figure of disease) or to health care (whose core subject is disease) without paying attention to the importance of technical care, we are not considering the complexity of the subjective and physical aspects of the concrete existence of the old-aged sick individual. <![CDATA[<B>Subjectivity as anomaly</B>: <B>epistemological contributions for a criticism of the biomedical model</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400030&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo tem como proposta estabelecer uma discussão sobre a biomedicina trazendo à tona uma reflexão sobre o lugar que os fenômenos subjetivos relacionados ao adoecimento ocupam nesse modelo. Utilizaremos como principal instrumento de análise a epistemologia, com destaque especial a Thomas Kuhn e às noções de "paradigma e anomalia", e à contribuição de Ludwick Fleck com os conceitos de "exceções das teorias e a tendência à persistência nos sistemas de idéias". Acreditamos que a presente reflexão possa vir a ser um exercício fundamental e oportuno para a otimização/transformação do paradigma biomédico, na medida em que é consensual o alto grau de subjetividade que envolve a prática médica.<hr/>The purpose of this paper is to open a discussion on biomedicine focused on a reflection about the role subjective phenomena related to the experience of illness are playing in that model. We use epistemology as our main analytic tool, with emphasis to the work of Thomas Kuhn and his ideas of paradigm and anomaly and the contributions of Ludwik Fleck and his concepts of exceptions to theories and the persistence of thought styles. We believe that the reflections presented here can become a fundamental and suitable exercise for improving/transforming the biomedical paradigm, principally in view of the high degree of subjectivity involved in the medical practice. <![CDATA[<B>Labor Medicine</B>: <B>sub-science or subserviency? An epistemological approach</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400031&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo traz ao debate um tema inquietante na área de saúde do trabalhador, qual seja, o papel do médico do trabalho, no contexto de uma mudança de paradigma das políticas dirigidas às relações saúde-trabalho, a partir do advento do Sistema Único de Saúde. Buscando ater-se às questões epistemológicas de ser ou não a medicina uma ciência, analisa-se o papel da Medicina do Trabalho neste contexto, dentro de uma breve análise histórica de seu desenvolvimento, sua apropriação pela lógica dos sistemas produtivos e sua trajetória institucional, desde o surgimento do primeiro médico de fábrica. Conclui-se pela interpretação de que a Medicina do Trabalho não atende aos postulados éticos e científicos que se requer historicamente da medicina e de suas especialidades médicas, entendendo aquela como prática subserviente a outras variáveis, hegemônicas e não científicas. Além disto, remete o debate às contradições conceituais que envolvem a construção da área de saúde do trabalhador no Brasil.<hr/>This article discusses a disquieting issue in the field of workers' health, the mission of the labor physician in the context of a change in the model of public politics with regard to the relation health and work that began with the establishment of the new Unified Health System in Brazil. The paper focuses on epistemological questions like Medicine being or not a science and analyzes the mission of Labor Medicine on the basis of a short historical analysis of its development and its appropriation by the production systems and institutional trajectory since the appearance of the first factory physician. The study comes to the conclusion that Labor Medicine is not on a level with the ethical and scientific principles traditionally expected from Medicine and its special fields, understanding this branch of medicine as a practice subordinated to other hegemonic and not scientific variables. Finally, this article remits to the debate about the contradictions involving the construction of the field of workers' health in Brazil. <![CDATA[<B>Gender differentials and health impacts in the teaching profession</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400032&lng=en&nrm=iso&tlng=en Em diferentes áreas disciplinares, os homens têm sido considerados o padrão-ouro, com o qual as mulheres vêm sendo comparadas. A generalização de achados obtidos em estudos conduzidos em homens para a realidade vivenciada pelas mulheres pode não ser adequada. Este estudo avaliou a hipótese de que, no interior da escola, reproduzem-se as relações de gênero observadas na sociedade, persistindo diferenças de atribuições e de valorização social do trabalho segundo o gênero. Realizou-se estudo epidemiológico censitário, do tipo corte transversal com 794 professores (47 homens e 747 mulheres) da rede municipal de ensino de Vitória da Conquista (BA). As mulheres tinham menor nível de escolaridade do que os homens (p=0,001); estavam há mais tempo na docência (10,6 contra 5,8 anos; p=0,001), apresentaram maior carga horária semanal de trabalho (p=0,027); tinham maior proporção de alta sobrecarga doméstica (33% contra 2,3%; p=0,0001) e referiram menor nível de participação no processo decisório do que os homens; porém tinham menor número de turmas (2,3 contra 4,3; p=0,001). Os problemas de saúde estudados foram mais freqüentes entre as mulheres, com exceção do consumo abusivo de álcool. A escola possui claras diferenciações no que se refere ao gênero, mantendo relações que destinam às mulheres atividades de menor qualificação.<hr/>Men have been taken as the Golden Standard to which women should be compared in a variety of areas. A generalization of results obtained in studies carried out in male populations applied to the reality experienced by women however does not seem suitable. This study investigated the hypothesis of the same gender differentials prevailing in the society being reproduced in the school environment, characterized by different duties and gender-related social valorization of the work. A cross-sectional study investigated 794 teachers (47 men and 747 women) from municipal schools in Vitória da Conquista, State of Bahia, Brazil. The women had a lower educational level than the men (p=0.001), have been teaching for a longer time (10.6 against 5.8 years; p=0.001), referred a higher number of work hours per week (p=0.02), had higher domestic workload (33% against 2.3%; p=0.0001) less participation in the decision-making process but attended a lower number of classes than the men (2.3 against 4.3; p=0.0001). With exception to alcohol abuse, women presented more frequently with health problems than men. We observed clear gender-related differentiations in the school environment, with women being engaged in less qualified activities. http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400033&lng=en&nrm=iso&tlng=en