Scielo RSS <![CDATA[Ciência & Saúde Coletiva]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1413-812320060005&lang=en vol. 11 num. lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<B>Violence in contemporary society and its repercussions on collective health</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Violence today</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo o autor busca conceituar a violência contemporânea mostrando as mais diferentes perspectivas com que ela aparece, inclusive o terrorismo e suas novas formas de expressão que utilizam os mais recentes desenvolvimentos da biologia, da bacterologia, da química e da física nuclear. A idéia central é de que a violência muda, mudam suas percepções e os comportamentos em realação a ela. No texto, além de uma contextualização histórica, são analisadas 1) as grandes transformações do mundo: o fim da Guerra Fria, a reestruturação produtiva e suas conseqüências para o declínio do movimento operário e a globalização e as novas formas de vitimização; 2) a seguir são apontadas as novas formas de abordagem e a caracterização de novos sujeitos, consonantes com a contemporaneidade.<hr/>In this paper, the author seeks to approach contemporary violence in its most different expressions, including the use of the most recent developments in biology, bacteriology, chemistry and nuclear physics. The central idea is that violence changes, and with it the way it is perceived and how we react to it. The text, besides putting violence into a historical context, analyzes 1) the big transformation(s) in the world: the end of the Cold War, the new industrial structure and its consequences for the decline of the labor movement, globalization and the new forms of victimization; 2) in the second part, the author points to new approaches and characterizes novel contemporary subjects. <![CDATA[<B>Violence in real time</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo o autor busca conceituar a violência contemporânea mostrando as mais diferentes perspectivas com que ela aparece, inclusive o terrorismo e suas novas formas de expressão que utilizam os mais recentes desenvolvimentos da biologia, da bacterologia, da química e da física nuclear. A idéia central é de que a violência muda, mudam suas percepções e os comportamentos em realação a ela. No texto, além de uma contextualização histórica, são analisadas 1) as grandes transformações do mundo: o fim da Guerra Fria, a reestruturação produtiva e suas conseqüências para o declínio do movimento operário e a globalização e as novas formas de vitimização; 2) a seguir são apontadas as novas formas de abordagem e a caracterização de novos sujeitos, consonantes com a contemporaneidade.<hr/>In this paper, the author seeks to approach contemporary violence in its most different expressions, including the use of the most recent developments in biology, bacteriology, chemistry and nuclear physics. The central idea is that violence changes, and with it the way it is perceived and how we react to it. The text, besides putting violence into a historical context, analyzes 1) the big transformation(s) in the world: the end of the Cold War, the new industrial structure and its consequences for the decline of the labor movement, globalization and the new forms of victimization; 2) in the second part, the author points to new approaches and characterizes novel contemporary subjects. <![CDATA[<B>The deterritorrialization of violence</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo o autor busca conceituar a violência contemporânea mostrando as mais diferentes perspectivas com que ela aparece, inclusive o terrorismo e suas novas formas de expressão que utilizam os mais recentes desenvolvimentos da biologia, da bacterologia, da química e da física nuclear. A idéia central é de que a violência muda, mudam suas percepções e os comportamentos em realação a ela. No texto, além de uma contextualização histórica, são analisadas 1) as grandes transformações do mundo: o fim da Guerra Fria, a reestruturação produtiva e suas conseqüências para o declínio do movimento operário e a globalização e as novas formas de vitimização; 2) a seguir são apontadas as novas formas de abordagem e a caracterização de novos sujeitos, consonantes com a contemporaneidade.<hr/>In this paper, the author seeks to approach contemporary violence in its most different expressions, including the use of the most recent developments in biology, bacteriology, chemistry and nuclear physics. The central idea is that violence changes, and with it the way it is perceived and how we react to it. The text, besides putting violence into a historical context, analyzes 1) the big transformation(s) in the world: the end of the Cold War, the new industrial structure and its consequences for the decline of the labor movement, globalization and the new forms of victimization; 2) in the second part, the author points to new approaches and characterizes novel contemporary subjects. <![CDATA[<B>About "Violence today"</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo o autor busca conceituar a violência contemporânea mostrando as mais diferentes perspectivas com que ela aparece, inclusive o terrorismo e suas novas formas de expressão que utilizam os mais recentes desenvolvimentos da biologia, da bacterologia, da química e da física nuclear. A idéia central é de que a violência muda, mudam suas percepções e os comportamentos em realação a ela. No texto, além de uma contextualização histórica, são analisadas 1) as grandes transformações do mundo: o fim da Guerra Fria, a reestruturação produtiva e suas conseqüências para o declínio do movimento operário e a globalização e as novas formas de vitimização; 2) a seguir são apontadas as novas formas de abordagem e a caracterização de novos sujeitos, consonantes com a contemporaneidade.<hr/>In this paper, the author seeks to approach contemporary violence in its most different expressions, including the use of the most recent developments in biology, bacteriology, chemistry and nuclear physics. The central idea is that violence changes, and with it the way it is perceived and how we react to it. The text, besides putting violence into a historical context, analyzes 1) the big transformation(s) in the world: the end of the Cold War, the new industrial structure and its consequences for the decline of the labor movement, globalization and the new forms of victimization; 2) in the second part, the author points to new approaches and characterizes novel contemporary subjects. <![CDATA[<B>Whose death is it, anyway?</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo o autor busca conceituar a violência contemporânea mostrando as mais diferentes perspectivas com que ela aparece, inclusive o terrorismo e suas novas formas de expressão que utilizam os mais recentes desenvolvimentos da biologia, da bacterologia, da química e da física nuclear. A idéia central é de que a violência muda, mudam suas percepções e os comportamentos em realação a ela. No texto, além de uma contextualização histórica, são analisadas 1) as grandes transformações do mundo: o fim da Guerra Fria, a reestruturação produtiva e suas conseqüências para o declínio do movimento operário e a globalização e as novas formas de vitimização; 2) a seguir são apontadas as novas formas de abordagem e a caracterização de novos sujeitos, consonantes com a contemporaneidade.<hr/>In this paper, the author seeks to approach contemporary violence in its most different expressions, including the use of the most recent developments in biology, bacteriology, chemistry and nuclear physics. The central idea is that violence changes, and with it the way it is perceived and how we react to it. The text, besides putting violence into a historical context, analyzes 1) the big transformation(s) in the world: the end of the Cold War, the new industrial structure and its consequences for the decline of the labor movement, globalization and the new forms of victimization; 2) in the second part, the author points to new approaches and characterizes novel contemporary subjects. <![CDATA[<B>Violence</B>: <B>a global public health problem</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo é uma versão do que foi publicado no Informe Mundial sobre Violência e Saúde, da Organização Mundial de Saúde (OMS), como introdução ao tema. Apresenta uma descrição geral da problemática e a posição da OMS. Nele, os autores se dedicam a responder algumas questões básicas: o estado do conhecimento sobre o assunto; os conceitos e definições com os quais a OMS trabalha; a natureza e a tipologia sobre violência; as formas de abordagem quantitativa e qualitativa em um modelo ecológico; o lugar e o papel da saúde pública e sua potencialidade com vistas a contribuir para prevenir e diminuir a violência no mundo; as responsabilidades das nações e dos gestores em todos os níveis; os obstáculos para atuação e os desafios para o setor.<hr/>This article is a version of the Introduction to the World Report on Violence and Health, published by the World Health Organization (WHO). It presents a general description about this phenomenon and points some basic questions: concepts and definitions about the theme; the state of knowledge about it; nature and typology on violence; proposal of a quantitative and qualitative approach of an ecological model; responsibilities and functions of the public health sector and its potentiality to prevent and reduce violence in the world; the responsibilities of the nations and the policy makers in a intersetorial point of view; difficulties and obstacles for actuation and challenges for the health sector. <![CDATA[<B>From repression to prevention against violence</B>: <B>a challenge posed to civil society and the health sector</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo trata da proposta da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) para a prevenção da violência, seguindo as orientações do Informe Mundial sobre Violência e Saúde da Organização Mundial de Saúde (OMS). Por meio dessa reflexão, os autores diferenciam a abordagem da segurança pública (geralmente fundamentada na repressão) do foco com que a Saúde Pública trata do tema, com os tradicionais conceitos que constituem seu patrimônio: promoção da saúde, prevenção de lesões e de traumas físicos e emocionais, e fortalecimento da cidadania. Os autores mostram que o setor saúde já vem definitivamente assumindo o tema, mas falta ainda muito para que adquira um lugar de destaque como outros agravos à saúde da população contemporânea. O texto termina articulando a prevenção da violência com as metas do milênio que, em última instância, concitam a sociedade para os direitos humanos, a solidariedade e a qualidade de vida.<hr/>This article deals with the proposal of the Pan American Health Organization for the prevention against violence, following the precepts of the World Report on Violence and Health of the WHO. In this analysis the authors distinguish the approach of public safety (generally based on repression) from the way public health approaches this issue, based on the traditional concepts that constitute its patrimony: promotion of health, prevention against lesions and physical and emotional injury, and the strengthening of citizenship. The authors show that the health sector has already embraced the issue definitively but that even so the problem is still far from occupying the outstanding place it deserves in the public health agenda, together with other health problems of the contemporaneous populations. The text concludes with establishing a link between prevention against violence and the millennium development goals, which in principle urge society for taking action towards human rights, solidarity and quality of life. <![CDATA[<B>Reframing political violence and mental health outcomes</B>: <B>outlining a research and action agenda for Latin America and the Caribbean region</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Em décadas recentes, o número de pessoas expostas a eventos traumáticos tem aumentado significativamente, bem como formas de violência como guerras e revoluções políticas, que subjugam populações civis em todo o mundo. Apesar da disseminação dos conflitos armados, guerrilhas e violência política na América Latina e Caribe, atenção insuficiente tem sido dada para avaliar o impacto psicológico a médio e longo prazo e o peso das doenças, mortes, e invalidez provocadas pela violência e guerra contra populações civis. Algumas perguntas centrais são levantadas, a partir de revisão da literatura: qual o impacto na saúde da população, a curto, médio e longo prazo, por vivenciar violências extremas e continuadas? Como a violência política se relaciona com pobre saúde mental individual e coletiva? As desordens relacionadas aos traumas são conseqüências universais da violência extrema e continuada? Essas perguntas nos levam a reformular a análise da violência política e de suas conseqüências sobre a saúde mental e a reexaminar as noções de trauma e a agenda da pesquisa e ação para a região. Ao fim, são apresentados alguns princípios básicos que podem ser úteis ao se projetar intervenções psicosociais.<hr/>In recent decades, the number of people exposed to traumatic events has significantly increased as various forms of violence, including war and political upheaval, engulf civilian populations worldwide. In spite of widespread armed conflict, guerrilla warfare and political violence in the Latin American and Caribbean region, insufficient attention had been paid in assessing the medium and long-term psychological impact and additional burden of disease, death, and disability caused by violence and wars amongst civilian populations. Following a review of the literature, a few central questions are raised: What is the short, medium and long-term health impact of extreme and sustained forms of violence in a given population? How political violence is linked to poor mental health outcomes at the individual and collective levels? Are trauma-related disorders, universal outcomes of extreme and sustained violence? These questions lead us to reframe the analysis of political violence and mental health outcomes, and reexamine the notions of trauma, after which a research and action agenda for the region is outlined. In the concluding sections, some basic principles that may prove useful when designing psychosocial interventions in post-conflict situations are reviewed. <![CDATA[<B>Large-group psychodynamics and massive violence</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de Freud, as teorias psicanalistas sobre grandes grupos focalizam, principalmente, as percepções e os significados que, psicologicamente, os indivíduos atribuem a eles. Este texto analisa alguns aspectos sobre a psicologia dos grandes grupos e sua psicodinâmica interna e específica. Toma como referência grupos étnicos, nacionais, religiosos e ideológicos cujo pertencimento dos sujeitos iniciou-se na infância. O autor faz uma comparação entre o processo de luto em indivíduos e o processo de luto em grandes grupos para ilustrar por que é necessário investir no conhecimento da psicologia destes últimos como um objeto específico. O autor descreve, ainda, sinais e sintomas de regressão em grandes grupos. Quando há ameaça à identidade coletiva, pode ocorrer um processo de violência de massas que obviamente influencia a saúde pública.<hr/>Beginning with Freud, psychoanalytic theories concerning large groups have mainly focused on individuals' perceptions of what their large groups psychologically mean to them. This text examines some aspects of large-group psychology in its own right and studies psychodynamics of ethnic, national, religious or ideological groups, the membership of which originates in childhood. I will compare the mourning process in individuals with the mourning process in large groups to illustrate why we need to study large-group psychology as a subject in itself. As part of this discussion I will also describe signs and symptoms of large-group regression.When there is a threat against a large-group's identity, massive violence may be initiated and this violence in turn, has an obvious impact on public health. <![CDATA[<B>The panorama of urban violence in Brazil and its Capitals</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo, faz-se uma análise epidemiológica descritiva da morbidade e da mortalidade por acidentes e violência no Brasil e suas capitais, em anos mais recentes para os quais as informações estão disponíveis. Usam-se dados dos Sistemas de Informações sobre Mortalidade e de Internações Hospitalares, do Ministério da Saúde; da Secretaria Nacional de Segurança, do Ministério da Justiça; e do Departamento Nacional de Trânsito, do Ministério das Cidades. Os dados populacionais de 2002 e 2003 são os disponibilizados pelo Datasus/MS. Destacam-se algumas situações que persistem no Brasil: elevadas taxas de homicídios e de mortes por acidentes de trânsito; concentração dos eventos na população jovem, negra e do sexo masculino; e a complexidade e multideterminação desses fenômenos. Como novo, aponta-se um processo de disseminação de homicídios para outros municípios das regiões metropolitanas e do interior dos Estados, com destaque para a magnitude da morbidade em relação à mortalidade. Porto Velho, Macapá, Vitória, Rio de Janeiro e Cuiabá apresentam os maiores indicadores de violência intencional - elevadas taxas de homicídios e de lesões corporais. Em Palmas ocorrem altas taxas de mortalidade por acidentes de transporte e de vítimas não fatais por 10 mil veículos.<hr/>This article presents a descriptive epidemiological analysis of accidents and violence in Brazil and in the Brazilian capitals in recent years. The data used were made available by several sources: the Mortality Information System and the Hospital Information System of the Ministry of Health; the National Safety Department of the Ministry of Justice and the National Department of Transit of the Ministry of the Cities. The population data for the years 2002 and 2003 were made available by the DATASUS of the Ministry of Health. The authors emphasize some already known aspects: the high homicide rates and high death rates due to traffic accidents, the concentration of these events in the population of young black males and the complexity and multiplicity of determinants of these phenomena. The text points to a new scenery involving the spreading of homicides to neighbor communities of metropolitan areas and to the inner regions of the States. They further verify higher morbidity than mortality rates. It calls attention to Porto Velho,Macapá,Vitória, Rio de Janeiro and Cuiabá with the highest indicators for intentional violence - high rates of homicides and injuries - and to Palmas, with high death rates from traffic accidents and non-fatal victims per 10 thousand vehicles. <![CDATA[<B>Violence in Venezuela</B>: <B>oil rent and political crisis</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500012&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo analisa as mudanças na violência ocorridas na Venezuela nos últimos quarenta anos, relacionadas com os altos e baixos da renda petroleira e com a crise política no país, fatos que contribuíram para um aumento nas taxas de homicídios: de 7 por cem mil habitantes em 1970 a 12 em 1990; 19 em 1998; e 50 no ano de 2003. O artigo caracteriza a Venezuela como sociedade rentista e, a partir daí, faz uma retrospecção cobrindo desde a violência rural até os inícios da violência urbana, o movimento guerrilheiro dos anos 60, a criminalidade resultando da abundância dos recursos petroleiros e a violência em decorrência da revolta popular e dos saques ocorridos em 1989 em Caracas. Em seguida são analisados os golpes de Estado de 1992 e o impacto que a violência política exerceu sobre a violência criminal. Descrevemos as mudanças políticas e partidárias no país e sua influência sobre a estabilização das taxas de homicídios em meados dos anos 90, assim como seu considerável aumento durante o governo Chávez. O artigo conclui com uma análise da situação atual, fala sobre a proibição de publicar dados estatísticos sobre homicídios e faz uma reflexão sobre a perspectiva de ainda mais violência na Venezuela.<hr/>This article analyzes the changes in violence in Venezuela during the last forty years. It links the ups and downs of the oil revenues and the political crisis of the country to the changes in the homicide rates, which increased from 7 per 100 thousand inhabitants in 1970 to 12 in 1990; 19 in 1998; and 50 in 2003. The article characterizes Venezuela as a rentist society and shows its trajectory from rural violence to the beginning of urban violence, the guerilla movements of the 60s, the delinquent violence related to the abundance of oil revenues and the violence during the popular revolt and the sackings of 1989 in Caracas. After this, we analyze the coups d'état of 1992 and the influence the political violence exerted upon criminal violence.We describe the political and party changes in the country, their influence upon the stabilization of homicide rates since the mid-90s and their remarkable increase during the H. Chávez government. The article finishes with an analysis of the current situation, the official prohibition to publish statistics on homicides and with some thoughts about the perspective of greater violence in Venezuela. <![CDATA[<B>Firearm-related deaths and crime in the autonomous city of Buenos Aires, 2002</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A violência se constitui em um dos problemas mais graves da América Latina. O uso de pequenas e leves armas de fogo é considerado o principal responsável por esse fato. O objetivo do presente trabalhoé descobrir, a partir de dados do setor de saúde, justiça e polícia, o número de mortes e crimes envolvendo armas de fogo ocorridos na cidade de Buenos Aires, em 2002. Os dados sobre mortalidade e crimes foram obtidos dos Sistemas Nacionais de Estatísticas Vitais e Informação Criminal, e os dados sobre apreensão de armas de fogo foram disponibilizados pela Polícia Federal Argentina.Utilizaram-se também dados de uma investigação anterior, realizada por meio de entrevistas domiciliares a respeito de vitimização por armas de fogo. Durante o período, ocorreram 1.304 mortes violentas, das quais 23,7% foram provocadas por armas de fogo. Dos 171 indiciamentos policiais por homicídio doloso, 60% haviam sido cometidos com armas de fogo. Das 2.108 pessoas entrevistadas, 6,7% haviam sido vítimas de crimes cometidos com arma de fogo. Foram apreendidas 1.887 armas de fogo. A taxa de eventos violentos registrados foi maior nas delegacias da zona sudoeste da cidade, que se caracteriza por condições de vida mais precárias. O impacto da violência e sua relação com armas de fogo constituemse em um tema relevante da agenda pública.<hr/>Abstract Violence is one of the most serious challenges in Latin American societies. Possession and use of small arms and light weapons are considered to be among the main factors behind it. The aim of this paper is to describe deaths and crimes involving the use of a firearm in the City of Buenos Aires in 2002, focusing the health, justice and police sectors. Data on mortality and crimes were obtained from the National Systems for vital statistics and criminal information; data on firearm seizures were supplied by the Argentine Federal Police. Household interviews conducted for a previous research on firearmrelated victimization were also used. An index of violent incidents was developed by police station. There were 1,304 deaths from violence, of which 23.7% were caused by a firearm. The police filed 171 proceedings on the charge of homicides with criminal intent, of which 60% had been committed with a firearm. Of the 2,108 interviewed individuals, 6.7% were victims of a crime committed with a firearm. In 9.6% of surveyed households there was a firearm. Seized firearms added up to 1,887. The index of violent incidents was higher in police stations in the southwestern area of the city that has worse living conditions. The impact of violence and its relation to firearms features as a major issue in the public agenda. <![CDATA[<B>The effects of the armed conflict on the life and health in Colombia</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500014&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente trabalho trata das conseqüências do conflito armado interno (CAI) que a Colômbia tem vivido durante as últimas quatro décadas. Começa identificando o contexto e o momento atual do conflito. A seguir, são descritas algumas das formas, expressões e conseqüências do conflito armado interno, com maior impacto sobre a vida, a qualidade de vida, a saúde e as doenças da população e sobre os serviços de saúde no país. Especial ênfase é dada às altas taxas de mortalidade por homicídio, ao fenômeno do deslocamento forçado pela violência, aos seqüestros e às minas antipessoais. Entre os grupos populacionais mais afetados, destacam-se homens jovens, mulheres, crianças e as minorias étnicas indígenas e afrodescendentes. Esta análise também se refere ao sério problema das contínuas infrações da Lei Internacional Humanitária e aos ataques contra a Missão Médica, assim como às conseqüências negativas do conflito sobre a prestação de serviços de saúde. Para concluir, são feitos alguns comentários gerais sobre a situação descrita e dadas algumas sugestões para o estudo do problema e possíveis ações partindo do setor saúde.<hr/>This article is an approach to the consequences of the internal armed conflict that Colombia has lived during the last four decades. It starts with the identification of the conflict's context and its current characteristics. It then focuses on the different manifestations and consequences of the conflict and on their deep impact on the life, quality of life, health,disease, and health services of the population. In special we refer to the high homicide rates, forced internal displacement, kidnapping and the use of antipersonnel mines. Among the most affected groups are young men, women, children, and ethnic minorities such as indigenous and afro-american people. This analysis also refers to the frequent violations of International Human Rights and to the negative impact of violence on the provision of health services. Finally, general conclusions are drawn, and alternatives for studies on the problem and for possible solutions from the standpoint of the health sector are proposed. <![CDATA[<B>The inclusion of violence in the health agenda</B>: <B>historical trajectory</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500015&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste texto, busco sistematizar e registrar a trajetória histórica de legitimação do tema dos acidentes e da violência na área da saúde. Mostro que se trata de um processo inconcluso, que ocorre pela pressão de atores e pela força dos acontecimentos. Inicialmente o tema se inclui de forma reduzida, por meio dos conceitos de "acidentes, lesões e traumas". Já a partir da segunda metade do século 20, há a incorporação da pauta de direitos de vários sujeitos sociais, que vai desde a entrada da observação e notificação da violência contra crianças, mulheres e idosos, até a discussão da violência social, no seu sentido mais amplo, afetando a saúde das populações. No Brasil, esse processo, sem dúvida lento e intermitente, tem alguns logros e pioneirismos encenados pelo Ministério da Saúde, com a colaboração e a pressão de movimentos sociais, acadêmicos e profissionais: um documento de diagnóstico da situação de morbimortalidade por todos os tipos de violência; documento de uma Política Nacional de Redução de Acidentes e Violências e um Plano de Ação Nacional.<hr/>In this article, I seek to provide a systematic record of the historical trajectory of the inclusion of accidents and violence as a legitimate issue of the health area. It will be shown that the process is not concluded, and that it is going on under the pressure of actors and by force of the circumstances. In the beginning, the issue finds a restricted space in the health agenda through the concepts "accidents, injuries and traumas". Since the second half of the 20th century, the rights of different social subjects are incorporated, ranging from observation and notification of violent acts against children,women, the elderly, to the discussion of social violence in its broadest sense, affecting the health of populations. In Brazil, this doubtlessly slow and intermittent process shows some attempts and a pioneer action of the Ministry of Health, carried out in cooperation with and under pressure of social, academic and professional movements: a diagnosis of morbidity and mortality from all kinds of violence, documenting a national policy towards reduction of accidents and violence on national level. <![CDATA[<B>The injury surveillance system based on sentinel health services</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500016&lng=en&nrm=iso&tlng=en No Brasil, as bases de dados oficiais permitem o monitoramento da mortalidade e internações no SUS, decorrentes dos acidentes e violências. É preciso conhecer a magnitude e o perfil dessas causas que demandam os serviços de emergência, bem como identificar alguns problemas ocultos tais como as violências doméstica e sexual. O propósito deste artigo é apresentar a proposta do Ministério da Saúde de implantação da Rede de Serviços Sentinela de Vigilância de Violências e Acidentes - Rede VIVA, iniciada em 2006, que visa complementar o sistema de informações existente para a vigilância dessas causas. Para obter um quadro mais completo do problema e atender à legislação vigente no País, foram estabelecidos dois componentes: 1) Vigilância de acidentes e violências em emergências hospitalares selecionadas: coleta em um mês a cada ano, através de uma amostra; 2) Vigilância das violências sexual, doméstica e/ou outras violências interpessoais em serviços de referência: coleta universal e contínua. O estabelecimento da Rede VIVA foi realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde a partir de critérios previamente estabelecidos. A adesão ao projeto foi acima das expectativas, todas as regiões do Brasil foram representadas.<hr/>In Brazil, the official data sets allow monitoring the impact of injury deaths and injury hospitalization in the public health system. But it is necessary to gather more information about the magnitude and the characteristics of injuries at Emergency Departments (ED), as well as to identify some hidden problems, such as domestic and sexual violence. The purpose of this article is to present the new Injury Surveillance System based on Sentinel Health Services, carried out by the Ministry of Health in order to broaden the knowledge of these causes.To have a more accurate picture of injuries and to enforce the law which made mandatory the information about violence against women in the country, the measures to be taken were twofold: 1) injury surveillance in ED, carried out in chosen services, collecting one-month data yearly, through a sample; 2) domestic, sexual and interpersonal violence surveillance carried out in violence reference services, through universal and continuous data collection, involving a larger number of services. The implementation of that Health Sentinel Services Network has been conducted by the Ministry of Health in partnership with the State and Municipal Health Departments based on pre-established criteria. The adherence to the project has been taken place all over Brazil. <![CDATA[<B>Diagnostic characterization of services providing care to victims of accidents and violence in five Brazilian state capitals</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500017&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo caracteriza serviços que atendem as vítimas em capitais das cinco regiões brasileiras com altos índices de violências e acidentes.Analisam-se atividades e estratégias de atendimento, perfil das equipes, condições das instalações, equipamentos e insumos, serviços integrados de atenção e de registro de agravos e a ótica de gestores de saúde sobre demandas e necessidades para uma atenção de qualidade às vítimas. O acervo se constitui de 103 serviços: 34 de Recife, 25 do Rio de Janeiro, 18 de Manaus, 18 de Curitiba e 8 de Brasília. Os resultados ainda preliminares indicam: menor número de serviços com atendimentos voltados a idosos; pouco investimento em ações de prevenção; suporte social, atendimento ambulatorial, hospitalar e psicológico são as principais ações empreendidas; encaminhamentos das unidades básicas de saúde requerem atenção nas comunidades e famílias; necessidade de investimentos na capacitação dos profissionais para atendimento; registros precários e feitos manualmente. O texto da Política Nacional de Redução de Morbimortalidade por Acidentes e Violências é pouco conhecido e há desarticulação inter e intra-institucional e entre atendimento pré-hospitalar e de emergência. Em todas as cidades há insuficiência de serviços de reabilitação.<hr/>This article characterizes the services providing care to victims in five Brazilian regions with high violence and accident rates. It analyzes care activities and strategies, the profile of the teams, the conditions of installations, equipment and supplies, integrated care and registration services and the opinion of health managers with respect to the needs and requirements for a better care to the victims. The sample is composed by 103 services: 34 from Recife, 25 from Rio de Janeiro, 18 from Manaus, 18 from Curitiba and 8 from Brasília. The still preliminary results indicate: lower number of services focusing on the elderly; scarce investment in preventive actions; the principal actions carried out are social assistance, ambulatory and hospital care and psychological assistance; patients received from Basic Health Units require attention of the communities and families; need for investment in capacity building programs for professionals; precarious registries, data handled manually. The wording of the National Policy for Reduction ofMorbidity and Mortality from Accidents and Violence is not well-known and there is a lack of articulation among and inside sectors and between prehospital and emergency care services. Rehabilitation services are insufficient in all cities. <![CDATA[<B>Success and limitations in the prevention of violence</B>: <B>a case study of nine Brazilian experiences</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500018&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo tem como objetivo analisar os êxitos e os limites de experiências nacionais na prevenção da violência e indicar possibilidades de enfrentamento do problema.A pesquisa que dá origem ao artigo consistiu em um estudo de caso de nove experiências, seguindo princípios da triangulação de métodos. Foram aplicados questionários quantitativos e realizadas entrevistas (individuais e grupais). Os resultados apontam que os principaisêxitos relatados são: informação para a cidadania; preparação para o trabalho; envolvimento de crianças e adolescentes em atividades lúdicas e educativas e o fortalecimento da auto-estima dos jovens e crianças participantes. As maiores dificuldades das experiências são a manutenção financeira e a articulação de suas propostas com as de outros grupos e instituições. O estudo leva a concluir que essas experiências, ainda que não sejam as únicas bem-sucedidas no País, apontam para um horizonte novo pela forma como atuam, inovando e criando uma práxis diferenciada na abordagem da violência.<hr/>The present study analyzes the success of Brazilian experiences engaged in prevention of violence as well as their limitations, and seeks to show ways for a solution of the problem. The investigation underlying this article consisted in a case study of nine experiences, using triangulation of methods. For this purpose, we used questionnaires and interviewed individuals and groups. Successful results were mainly: informed citizenship,work preparation, involvement of children and adolescents in recreating and educative activities, and increased self-esteem of the children and teens involved in the experiences. The greatest difficulties found were the lack of funds and of articulation of proposals with other groups and institutions. These experiences are not the only successful ones carried out in the country, but they point to a new horizon by innovating and creating a different practical approach to violence. <![CDATA[<B>Brazilian responses to violence and new forms of mediation</B>: <B>the case of the Grupo Cultural AfroReggae and the experience of the project Youth and the Police</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500019&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo discute aspectos das respostas brasileiras à violência urbana, focalizando tanto políticas governamentais de segurança pública como ações da sociedade civil. Identifica e inexistência de uma política nacional de segurança pública, indica experiências governamentais bem-sucedidas em estados e municípios e focaliza a atuação das polícias. Ao analisar as respostas da sociedade civil, destaca a experiência da campanha do desarmamento e o papel da mídia. O trabalho situa o surgimento de grupos de jovens de favelas organizados em torno de experiências culturais que, em vários aspectos, se caracterizam como "novos mediadores" na sociedade. Esses grupos tematizam a violência e procuram construir novos estereótipos que dissociem os jovens de periferia das imagens de criminalidade. O artigo descreve em particular o caso do grupo cultural AfroReggae, do Rio de Janeiro, e a experiência piloto em batalhões da Polícia Militar de Minas Gerais, o projeto Juventude e Polícia. Argumentase que o grupo AfroReggae é tipicamente um novo mediador e que a iniciativa de realizar um projeto com a polícia abre novas perspectivas no campo da reduzida tradição participativa de organizações da sociedade civil na esfera da segurança pública e em projetos de cooperação com a polícia.<hr/>This article points out some aspects of the Brazilian's response to the urban violence, focusing both official policies of public security and civil society's actions. Identifies a lack on the national policy of public security, indicates successful governmental experiences carried out on some states and counties, and concentrates on the Police's actions. Analyzing the responses of the civil society, points out the experience of the Campaign for Disarmament and the role of the media. The paper shows the rising of groups of young people living in the favelas that became organized around cultural experiences that, in multiple aspects, characterize them as "new mediators" in the society. Those groups talk about violence and try to build new stereotypes that disassociate them from the criminal type. The article describes, in particular, the cases of the Grupo Cultural AfroReggae, from Rio de Janeiro, and the pilotexperience experienced with Minas Gerais State Military Police, called Project Youth and Police. The grupo AfroReggae is typically a "new mediator" and the initiative to carry out a work with the Police shows new perspectives in the traditional low profile participation of the civil organizations related to public security and projects of cooperation with the Police. <![CDATA[<B>Networks for prevention of violence</B>: <B>from utopia to action</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500020&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo objetiva discutir a experiência de redes de proteção a pessoas em situação de violência ou redes de prevenção. Baseia-se no conceito de rede de Castells, que define a sociedade da informação. O estudo é parte da pesquisa Experiências exitosas em prevenção da violência, realizada pelo Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli/ENSP-IFF/Fiocruz, junto com a Secretaria de Vigilância à Saúde do Ministério da Saúde. O presente artigo analisa as potencialidades e os limites para a construção de redes de prevenção à violência, buscando apreender o sentido das ações e do movimento em rede. O método utilizado é o estudo de caso de duas iniciativas em rede da Região Sul do País. Os resultados evidenciam que, diante das dificuldades para a atuação em rede, faz-se necessário: romper com a lógica do trabalho setorizado e verticalizado; promover o exercício constante de comunicação e de troca de informações; capacitar permanentemente profissionais e pessoas que se envolvem na rede; incorporar a família nas ações de proteção e de prevenção e promover a participação de amplos setores sociais. Concluindo, pode-se afirmar que a construção de uma rede de proteção demanda etapas complexas, um novo olhar para o mesmo problema e a utopia para plantar soluções.<hr/>This article aims to discuss the experience of networks for the protection of people exposed to situations of violence or prevention networks. It is based on the concept created by Castells, who defines the information age. This study is part of the investigation Successful Experiences in the Prevention of Violence, carried out by the Latin-American Center for Studies on Violence Jorge Careli/ENSP-IFF/Fiocruz, in cooperation with the Secretariat for Health Survey of the Ministry ofHealth. The article analyzes the possibilities and limitations in the construction of networks for the prevention of violence, seeking to understand the sense of actions and movements carried out in networks. The method we used is a case study of two network initiatives in the southern region of the country. In terms of results, in face of the difficulties of working in networks, we found it to be necessary: to break with sectorial and vertical actions; to promote constant communication and interchange of information; to permanently train the professionals and persons involved in the network, incorporating them into the protective and preventive actions; and to promote the participation of wide social sectors. In conclusion, one can affirm that the construction of a protection network involves complex steps, looking to the same problem with new eyes and a new vision for planting solutions. <![CDATA[<B>Gender conceptions related to violence against women among men and women of low income and low educational level, Sao Paulo, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500021&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho aborda como homens e mulheres de baixa renda e escolaridade, da cidade de São Paulo, Brasil, pensam suas relações afetivo-familiares e os diferentes contextos de violência que vivenciam. Trata-se de estudo qualitativo, utilizando grupos focais, com vistas a subsidiar estudo mais global acerca de violência contra a mulher e saúde. Foram realizados quatro grupos focais (dois com mulheres e dois com homens, na faixa etária de 25 a 35 anos), abordando as representações, livres e instigadas por ditos populares, de: homem e mulher ideais; as relações afetivo- sexuais e familiares; os concretamente vividos; e a violência doméstica. Usa-se a análise temática. Os resultados apontam para cisões entre atributos físicos e condutas morais na mulher ideal referida pelos homens, já aquela referida pelas mulheres define uma autonomia controlada. Os homens tiveram dificuldades em definir o homem ideal, já para as mulheres o ideal é o homem-família. Quanto à violência, é em princípio sempre condenável. É tolerável e instintiva para homens; e fatalidade ou destino, pela natureza masculina, para mulheres, tornando-se evento natural e trivial dos cotidianos de ambos. O referencial de gênero permite compreensão da violência como ocorrência comum, mas de sentidos diferentes entre gêneros.<hr/>This article discusses how men and women of low income and educational level, living in São Paulo City, think their affective and familiar relationships and the different violent contexts they live in. It consists of a qualitative study, based on focus groups and subsiding a more global study on violence against women and health. It has been conducted four groups (two with men and two with women, aging 25 to 35 years) broaching, free and instigated by popular sayings, conceptions on: the ideal man and woman, concretely experienced sexual affective and familiar relationships and on domestic violence. Thematic analysis was used. The results point in the direction of the division between physical attributes and moral conduct in the ideal woman referred by men, whereas the one referred by women defines a controlled autonomy. Men had difficulties in defining the ideal men, while, for women, this ideal is the family man. Violence is, in principle, always condonable. It is tolerable and instintictive for men, and fatality or destiny, because of masculine nature, for women, becoming a natural and trivial event in both of them day-to-day lives. The gender frame allows the comprehension of violence as a common occurrence, but in different senses for each of the genders <![CDATA[<B>The impact of suicide on morbidity and mortality in the population of Itabira</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500022&lng=en&nrm=iso&tlng=en As taxas de suicídio em Itabira, município com cerca de 100. 000 habitantes, são mais elevadas do que as da população brasileira. Para entender esse fenômeno, investigou-se a morbimortalidade da população por meio de estudo epidemiológico descritivo, com ênfase nas causas externas e subgrupos específicos, destacando-se o suicídio, segundo características das vítimas e dos eventos, no período de 1990 a 2001 com base no Sistema de Informações sobre Mortalidade; e internações, por meio das Autorizações de Internações Hospitalares para 2000. Fez-se busca ativa das informações sobre suicídios no cartório e no batalhão de polícia militar locais, no período de 1996 a 2001, segundo sexo, idade e ocupação da vítima, mês de ocorrência e meio usado no suicídio consumado e nas tentativas. Calcularam-se proporções, taxas e médias referentes a esses dados. As populações usadas no cálculo das taxas foram extraídas do site do Datasus. Os resultados apontam para tendência de aumento de suicídios entre homens, coincidindo com a reestruturação produtiva que ocorreu nesta cidade monocultora da mineração de ferro. As tentativas são crescentes para donas de casa, domésticas e estudantes. Os suicídios se dão principalmente por enforcamento e armas de fogo. Nas tentativas são relevantes substâncias não-medicinais, drogas e medicamentos.<hr/>The suicide rates in Itabira, a city, with 100, 000 inhabitants, are higher than those of the Brazilian population in general. To understand this phenomenon we investigated morbidity and mortality in this population through a descriptive epidemiological study, with emphasis to external causes and specific subgroups. Suicide was studied according to the characteristics of victims and events. The period under study was 1990-2001. Mortality data were collected from the Mortality Information System (MIS) and morbidity data for the year 2000 from the Hospital Admission Authorization System (HAA). An active data search on suicide over the period 1996- 2001 based on sex, age and occupation of the victim, month of occurrence and method used in completed and attempted suicides was conducted at the local notary's office and at the state police headquarters. Based on these data we calculated proportions, rates and mean values. The populations used for calculating the rates were extracted from the Datasus base. Results indicated an increasing tendency to suicide among men, coinciding with the economical crisis caused by the reorganization of the iron production process in this mono-industrial city. Suicide attempts were more frequent among housewives, housekeepers and students. The mostly used methods were hanging and firearms. Relevant means used in suicide attempts were nonmedicinal substances, drugs and medicaments. <![CDATA[<B>Violence against children</B>: <B>a global report</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000500023&lng=en&nrm=iso&tlng=en As taxas de suicídio em Itabira, município com cerca de 100. 000 habitantes, são mais elevadas do que as da população brasileira. Para entender esse fenômeno, investigou-se a morbimortalidade da população por meio de estudo epidemiológico descritivo, com ênfase nas causas externas e subgrupos específicos, destacando-se o suicídio, segundo características das vítimas e dos eventos, no período de 1990 a 2001 com base no Sistema de Informações sobre Mortalidade; e internações, por meio das Autorizações de Internações Hospitalares para 2000. Fez-se busca ativa das informações sobre suicídios no cartório e no batalhão de polícia militar locais, no período de 1996 a 2001, segundo sexo, idade e ocupação da vítima, mês de ocorrência e meio usado no suicídio consumado e nas tentativas. Calcularam-se proporções, taxas e médias referentes a esses dados. As populações usadas no cálculo das taxas foram extraídas do site do Datasus. Os resultados apontam para tendência de aumento de suicídios entre homens, coincidindo com a reestruturação produtiva que ocorreu nesta cidade monocultora da mineração de ferro. As tentativas são crescentes para donas de casa, domésticas e estudantes. Os suicídios se dão principalmente por enforcamento e armas de fogo. Nas tentativas são relevantes substâncias não-medicinais, drogas e medicamentos.<hr/>The suicide rates in Itabira, a city, with 100, 000 inhabitants, are higher than those of the Brazilian population in general. To understand this phenomenon we investigated morbidity and mortality in this population through a descriptive epidemiological study, with emphasis to external causes and specific subgroups. Suicide was studied according to the characteristics of victims and events. The period under study was 1990-2001. Mortality data were collected from the Mortality Information System (MIS) and morbidity data for the year 2000 from the Hospital Admission Authorization System (HAA). An active data search on suicide over the period 1996- 2001 based on sex, age and occupation of the victim, month of occurrence and method used in completed and attempted suicides was conducted at the local notary's office and at the state police headquarters. Based on these data we calculated proportions, rates and mean values. The populations used for calculating the rates were extracted from the Datasus base. Results indicated an increasing tendency to suicide among men, coinciding with the economical crisis caused by the reorganization of the iron production process in this mono-industrial city. Suicide attempts were more frequent among housewives, housekeepers and students. The mostly used methods were hanging and firearms. Relevant means used in suicide attempts were nonmedicinal substances, drugs and medicaments.