Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Epidemiologia]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1415-790X19980002&lang=en vol. 1 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<B>Editorial</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Epidemiology of chronic non-infectious disease</B>: <B>current status and future perspective</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>For an epidemiology of the collective health</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Pillars for assessing validity in epidemiological studies</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abordagem da questão da validade dos estudos epidemiológicos. Distinguem-se seis tipos de validade. Na validade conceitual enfocam-se os elementos que sustentam a construção de um modelo teórico explicativo do fenômeno de interesse, articulado no plano do discurso e conceitos abstratos. Na validade operacional discutem-se os processos nos quais os conceitos que compõem as diferentes dimensões do modelo teórico são reduzidos a variáveis e indicadores, viabilizando sua instrumentação no nível empírico. À apresentação da validade de domínio, levanta-se a questão da intercambialidade dos indivíduos da população alvo e da população de estudo como sustentação para a generalização dos resultados. A validade de comparação dos grupos de estudo gira em torno da identificação das circunstâncias que rompem a estrutura de comparabilidade, a saber, a situação de confusão e a exclusão seletiva de elementos. À abordagem da validade de informação, aprofundam-se os problemas referentes à aferição/mensuração e os conseqüentes viéses. Visando algumas diretrizes para avaliação da validade de informação, explora-se os fundamentos das relações temporais envolvendo as ocorrências e os processos de coleta. Por fim, apresentam-se algumas importantes questões relacionadas à escolha e validade de especificação do modelo estatístico, bem como comentários sobre as estratégias mais utilizadas na seleção de variáveis e diagnóstico de modelo. Na parte final, sustenta-se que um enfrentamento sistemático das questões de validade pode servir como um dos pilares para a construção do conhecimento em epidemiologia.<hr/>The article outlines several validity issues in epidemiological studies. Six types of validity are covered. Conceptual validity concerns the elements sustaining a theoretical explanatory model, which, by definition, exists only on an abstract and discursive level. Operational validity concerns the processes by which concept-pertaining dimensions at a theoretical level are reduced to variables and indicators, enabling empirical testing. In validity of domain, focus is shed on the exchangeability between subjects of the target population and those of the study population as a basis for generalizing results. Comparison validity concerns the identification of circumstances that rupture the comparability structure between groups, namely, confounding and selective exclusion of subjects. Information validity relates to data collection and ensuing biases. Attention is drawn to the problems of timing and order of measurement related to events and data collection procedures. Finally, focus is placed on some important issues related to specification validity of statistical models, identifying guidelines for selecting those models. In the final part, systematic handling of validity issues is contended as a possible building block for attaining knowledge in epidemiology. <![CDATA[<B>Recent migration, petrochemical industry jobs and alcohol consumption</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Objetivou-se testar testar a hipótese de uma associação entre migração recente, trabalho na indústria petroquímica e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, avaliando o papel de variáveis socioeconômicas e demográficas como confundidores ou modificadores de efeito. Foi empregada uma amostra aleatória de 452 chefes de família entre 18 e 60 anos de idade, proveniente de um inquérito de saúde conduzido com famílias que residiam em uma área industrial da Região Metropolitana de Salvador, Bahia, Brasil. Apenas os trabalhadores do setor industrial foram incluídos na análise (n = 299). Consumidores de bebidas alcoólicas foram identificados com o Questionário de Morbidade Psiquiátrica de Adultos, QMPA, aplicado por entrevistadores treinados a informantes chave de cada família selecionada. Migrantes recentes foram definidos como aqueles que tinham até dois anos de residência no local. A prevalência de consumo exagerado de álcool foi maior entre trabalhadores da indústria petroquímica e entre migrantes recentes, em comparação aos trabalhadores de outras indústrias e não migrantes recentes, respectivamente. Petroquímicos migrantes recentes apresentaram uma prevalência de consumo de bebidas alcoólicas 3,4 vezes superior ao grupo de referência. Migração recente e trabalho na indústria petroquímica são fatores de risco potenciais para o consumo de bebidas alcoólicas, por um efeito sinérgico entre essas duas variáveis. Os resultados sugerem a escolaridade como fator de proteção para o consumo de álcool, apenas entre não migrantes recentes nessa população de estudo.<hr/>This study is aimed at to evaluate the hypothesis that recent migration and work in the petrochemical industry are associated with heavy alcohol consumption, and that education and family income are relevant effect modifiers of this association. The study was based on a random sample of 452 head of families, from 18-60 years of age, drawn from a household health survey conducted in an industrial area of Bahia, Brazil. Only those who reported to have a job in the industry were eligible for this study (n = 299). Individuals with heavy alcohol consumption were identified based on the Questionário de Morbidade Psiquiátrica de Adultos (Questionnaire of Adult Psychiatric Morbidity), QMPA, completed by trained interviewers with key-informants in each family. Recent migrants were defined as those with less than two years of residency at the research site. The prevalence of alcohol abuse was significantly higher among petrochemical workers and recent migrants. The subgroup of recent migrant petrochemical workers had a prevalence 3.4 times higher than the comparison group of workers. Both recent migration and petrochemical jobs are potential risk factors for alcohol abuse. Apparently, there is a synergistic effect between these two variables for alcohol abuse. Results suggested that education may be protective only among non-recent migrants. <![CDATA[<B>Using the concepts of gender and/or sex in epidemiology</B>: <B>an example in the hierarchical approach conceptual framework</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho tem como objetivo oferecer subsídios para a discussão sobre a operacionalização da categoria gênero em estudos epidemiológicos. Mostra que ao se trabalhar com estudos multivariados, as variáveis sexo e/ou gênero representam objetos diferentes e como tal devem ser tratados. Inicialmente é feita uma descrição da análise de modelos hierarquizados de análise, utilizando-se os determinantes da desnutrição infantil. Após, através de um exemplo simplificado da determinação da obesidade em adultos, cria-se uma situação para diferenciar o uso e a aplicação das variáveis sexo e gênero. São também utilizados alguns conceitos epidemiológicos tais como causas suficientes, componentes e necessárias, fatores de confusão, efeito de modificação e classificação de variáveis, na tentativa de ajudar a complexa tarefa dos epidemiologistas em operacionalizar este atributo social em uma variável que embora sendo uma categoria ampla apresenta sua origem na diferença genética.<hr/>The present paper aims to contribute to the current discussion on how to make gender category operative in epidemiological studies. We argue that when working with multivariate analysis, the variables "sex" and "gender" represent distinct objectives and should thus be treated differently. We begin with a description of hierarchical approaches to analysis, using determinants for infant malnutrition as an example. Thereafter, through a simple example from data on obesity in adults, we posit the analytical difference in the application of sex and gender variables. The paper also points out the relevance of certain epidemiological concepts for this discussion, such as: sufficient, component, and necessary cause; confounding factors; modifying effect; and the classification of variables. We conclude by attempting to help in the complex epidemiological task of making the wide-ranging social aspects of "gender", which originated from a genetically-based differentiation. <![CDATA[<B>Validation of four AIDS-case definitions in HIV-infected intravenous drug users in Barcelona, Spain</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en The objective of the study is to assess the sensitivity and specificity of four epidemiological AIDS-Case Definitions (CDC-87, CDC-93, Europe-93 and Revised Caracas) in HIV-infected intravenous drug users (IDU). The authors carried out a cross-sectional study with 136 IDUs, HIV-infected from a Men Penitentiary Center and from a drug addiction treatment center of Barcelona, Spain, between October/93 and April/94. A protocol, including demographic, clinical and laboratory variables was used by one doctor and the laboratory tests were done in the same institution. After that, the patients were classified in the four Epidemiological AIDS-Case Definitions used by this study. As gold standard we used the CD4 Cell Count (out point 200 or 14% CD4+). The number of AIDS cases varied between 31 and 84 according to the type of AIDS definition. The CDC-93 AIDS definition implied an increase of 170.9% in the number of cases in relation to CDC-87 AIDS-Case Definition. The sensitivities of the CDC-87, CDC-93, Europe-93 and Revised Caracas Epidemiological AIDS - Case Definitions were 34.2, 88.6, 45.6 and 56.9% while the specificities were 93.0, 75.4, 75.4 and 77.2%, respectively. The positive predictive values were between 72.0% (Europe-93) and 87.1% (CDC-87) and the negative predictive values were between 50.0% (Europe-93) and 82.7% (CDC-93). The authors concluded: the sensitivity and specificity of Caracas Revised Epidemiological AIDS-Case Definition was better than Europe-93 AIDS Case Definition. So this Definition can be very useful in countries and situations where the CD4 Cell Count is not available for technical or economical reasons.<hr/>O objetivo do estudo é observar a sensibilidade e a especificidade de 4 definições epidemiológicas de Caso de Aids ("CDC-87", "CDC-93", "Europa-93"e "Caracas Revisada") em usuários de drogas (ilícitas) intravenosas, infectados pelo HIV/VIH. Os autores realizaram um estudo com 136 usuários, infectados pelo HIV/VIH, de um centro penitenciário para homens e de um centro de tratamento de usuários de drogas de Barcelona, Espanha, entre Outubro/1993 e Abril 1994. Um protocolo, incluindo variáveis demográficas, clínicas e laboratoriais, foi usado pelo mesmo médico e os testes laboratoriais, necessários à investigação, realizados na mesma instituição. Em seguida, os pacientes da amostra foram classificados nas 4 definições de Caso de Aids usados pelo estudo. Como padrão foi usada a contagem de CD4+. O número de casos de Aids variou entre 31 e 84 segundo a definição de Caso de aids utilizada. O uso de Definição CDC-93 implicou no aumento de 170,9% no número de casos com relação a Definição CDC-87. As sensibilidades das definições de Caso de Aids - CDC-87, CDC-93, Europa-93 e Caracas Revisada foram respectivamente, 34,2, 88,6, 45,6 e 56,9%, enquanto as especificidades foram, respectivamente, 93,0, 75,4, 75,4 e 77,2%. Os valores predictivos positivos estiveram entre 72,0% (Definição Europa-93) e 87,1% ("CDC-87") e os valores predictivos negativos se apresentaram entre 50,0% ("Europa-93) e 82,7% ("CDC-93"). Os autores concluíram que a Definição Epidemiológica de Caso de Aids "Caracas Revisada" apresentou melhor sensibilidade e especificidade que as apresentadas pela Definição de Caso de Aids "Europa-93". Por este motivo, a Definição de Caso "Caracas Revisada" pode ser útil em países e situação onde a contagem de células CD4+; por razões técnicas ou econômicas, não é disponível. <![CDATA[<B>Epidemiological study in oral health</B>: <B>analysis of the methodology proposed by World Health Organization</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os levantamentos epidemiológicos são importantes para o conhecimento da prevalência e tipologia das doenças bucais, podendo-se a partir dos dados coletados, planejar, executar e avaliar ações de saúde. É necessário, no entanto, que haja rigor metodológico que garanta reprodutibilidade, validade e confiabilidade, e que haja uniformidade de procedimentos para permitir comparações nacionais e internacionais. A iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) na assessoria à realização de levantamentos tem se mostrado extremamente útil, estimulando o estabelecimento de padrões de procedimentos que podem ser utilizados em todos os países. Em 1991 foi publicada a edição em português da terceira edição do "Oral Health Surveys - basic methods", de 1987, um manual que objetiva fornecer instruções para a realização de levantamentos epidemiológicos e tal publicação passou a servir de base a estudos realizados em diversos locais do Brasil e do mundo. O objetivo deste trabalho, é analisar criticamente a metodologia para Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal da OMS, na tentativa de contribuir para o aperfeiçoamento da mesma. De acordo com a presente análise, foram encontrados pontos relevantes para consideração, referentes à amostragem, à calibração dos examinadores e aos critérios para a avaliação de saúde bucal e necessidades de tratamento. Concluiu-se, em nível de recomendação, que, devido ao caráter dinâmico do conhecimento científico e, levando-se em consideração as diferenças regionais com relação ao padrão de desenvolvimento das doenças bucais, as propostas de padronização de levantamentos devem ser periodicamente revisadas. É provável, ainda, que outros pontos importantes não tenham sido detectados nesta análise, tornando-se premente ampliar esta discussão para toda a comunidade odontológica.<hr/>Epidemiological surveys are important for obtaining information on the prevalence and etiology of mouth diseases, since the data collected permit health actions to be planned, performed, and assessed. Methodological uniformity is necessary, however, to maintain reproductibility, validity, and reliability, and to allow national and international comparisons. The initiative of the World Health Organization (WHO) as an advisor in ongoing surveys has been extremely useful, stimulating standardization in all countries. In 1991, a Portuguese version of the 1987 third edition of "Oral Health Surveys - basic methods", an instruction manual for performing epidemiological surveys, was published and became a reference for many parts of Brazil and the World. The present analysis found conflicting points in relation to the sample size, calibration of the examiners, and criteria for evaluating oral health and treatment needs. In conclusion, due to the dynamic characteristics of scientific knowledge and, considering the regional differences in relation to the development of oral diseases, we recommend that proposals for standardizing surveys be checked periodically. Other important issues may have not been detected in this analysis, urging a thorough discussion within the dentistry community as a whole. <![CDATA[<B>Injecting drug users and the Human Immunodeficiency Virus infection</B>: <B>epidemiology and perspectives of intervention</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X1998000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Dos cerca de 130 mil casos de aids notificados no Brasil entre 1980 e fevereiro de 1998, 21% estão diretamente relacionados ao uso de drogas injetáveis. Este artigo revisa aspectos da epidemiologia da infecção pelo HIV e outros patógenos de transmissão sangüínea, entre usuários de drogas injetáveis (UDI), visando a subsidiar as pesquisas e a implementação de propostas de intervenção em nosso meio. A população de UDI é heterogênea e, ao contrário do estereótipo, nem todos os UDI provêm de minorias masculinas das grandes áreas urbanas. Esta população está em contínua transformação, com mudanças marcantes ao longo do tempo na sua composição, hábitos e padrões de consumo. A estimativa precisa do número de UDI em uma dada localidade constitui tarefa difícil, embora disponha-se de novas metodologias, como o método de captura-recaptura. A combinação de dados provenientes de diversas fontes se mostra também indispensável. Estudos no sentido de monitorizar os padrões e tendências do uso de drogas injetáveis, segundo diferentes níveis de agregação e em intervalos regulares, permitem estimar prováveis aumentos ou decréscimos desta população e detectar mudanças relevantes nos seus comportamentos, contribuindo para orientar as estratégias de intervenção e alocação ótima de recursos. Evidências recentes demonstram que, devido à exposição parenteral e sexual aos diferentes patógenos, as infecções nesta população ocorrem precocemente, demandando intervenções prontas e abrangentes quanto aos UDI em atividade, e esforços no sentido de minimizar a transição para a via injetável e oferecimento de alternativas de tratamento clínico e para o abuso de drogas.<hr/>As of February, 1998 about 130 thousand AIDS cases were reported in Brazil; 21% of them among injecting drug users (IDUs). The present paper reviews the main findings of the HIV epidemiology and other blood-borne pathogens infection among IDUs, in Brazil and abroad, to foster the ongoing research and preventive initiatives carried out in Brazil. Data have shown that, far from the stereotype of a male population living in the main metropolitan areas, IDU population is rather heterogeneous. This population is under continuous turnover, with relevant changes in its very composition, habits and drug consume patterns. An accurate estimation of the size of IDU population in different settings and places is a puzzling task, although recent methodologies, e.g. capture-recapture methods, seem to be a reliable strategy. The use of combined data from different sources is also very useful in the process of population size estimation. Comprehensive researches carried out in different settings, using data from distinct and complementary aggregation levels, under regular follow-up, are essential to monitor patterns and trends of the drug users population and drug consume patterns, especially the injection of illicit drugs. These data are essential to the implementation and permanent evaluation of preventive strategies, as well as tools for the optimal allocation of scarce resources. Due to the double risks to which IDUs are exposed - parenteral and sexual - different infections are frequent in this population, taking place in an early moment of their drug use "career". Successful interventions must be precocious and comprehensive, providing counseling, testing for different pathogens, and access to condoms and sterile injection equipment. Another core interventions set involves the prevention of the transition from non-injecting to injecting routes, and efforts to offer low-threshold and available anonymous treatment at no cost for either their clinical problems and harms secondary to drug abuse.