Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Epidemiologia]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1415-790X20020003&lang=en vol. 5 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<B>Presentation</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Editorial</B>: <B>Brazilian endemic and epidemic diseases - prospects of scientific investigation</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>The emergence of emerging diseases and emerging and reemerging infectious diseases in Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo discute a emergência do conceito de doenças infecciosas emergentes e reemergentes. Postula-se que o conceito surge frente às limitações da teoria da transição epidemiológica em explicar as tendências recentes da morbidade e mortalidade. São discutidas as bases da teoria da transição epidemiológica e as razões de sua superação. Em seguida, são apresentados o conceito de doenças emergentes e reemergentes, os fatores relacionados à emergência das doenças infecciosas e as principais ocorrências no Brasil. Por fim, são abordados os desafios colocados pela emergência e reemergência das doenças infecciosas, e propostas para o seu enfrentamento.<hr/>This article discusses the emergence of the concept of emerging and reemerging infectious diseases. It argues that the concept surfaces due to the limits of the epidemiologic transition theory in explaining the current trends in morbidity and mortality. The bases of the epidemiologic transition theory are discussed, as well as the reasons for its limits. Then, the concept of emerging and reemerging infectious diseases, the factors related to them, and the major episodes of emergence and reemergence of diseases in Brazil are presented. Finally, the article discusses the challenges brought by the emergence and reemergence of infectious diseases, and the proposals to face them. <![CDATA[<B>Yellow fever</B>: <B>reflections on the disease, prospects for the century and risk of re-urbanization</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo é realizada revisão dos principais aspectos fisiopatológicos, clínicos, epidemiológicos e laboratoriais da febre amarela no Brasil, e também se abordam as linhas gerais do tratamento da doença. São ainda analisados e discutidos os mais recentes surtos e epidemias de febre amarela ocorridos no Brasil, bem como as suas causas e as conseqüências de eventual reurbanização da doença no país, risco que cresce a cada ano à medida que crescem os índices de infestação de Aedes aegypti e a crescente dispersão e transmissão do dengue no país. Finalmente, são comentadas as perspectivas da febre amarela para o século XXI no Brasil.<hr/>This paper reviews the main epidemiological, clinical, laboratorial and pathological aspects of yellow fever. It also discusses the general guidelines for the treatment of yellow fever, as well as the most recent outbreaks and epidemics of the disease in Brazil. Finally, the author discusses the risk of the re-urbanization of yellow fever, taking into account the high levels and dispersion of the urban vector Aedes aegypti mosquito, and comments the prospects of yellow fever in the 21st Century in Brazil. <![CDATA[<B>Entomological surveillance and control of dengue fever vectors</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O texto discorre sobre a ecologia do Aedes aegypti, apontando questões relevantes para a transmissão do dengue e para o seu controle. Indica temas a serem investigados na atual conjuntura epidemiológica da doença no Brasil, procurando apontar algumas lacunas da compreensão da ecologia dos mosquitos, que poderiam contribuir para o aprimoramento e revisão dos programas de controle desses vetores no país. Foi abordada a influência das condições climáticas (temperatura, pluviosidade, altitude) no ciclo vital dos vetores, além da adaptação das espécies a diferentes contextos ecológicos e sociais, de relevância para a vigilância entomológica. Também foram revistas as principais investigações sobre a domiciliação, dispersão, repasto e reprodução dos vetores do dengue, além da competência e capacidade vetorial, chaves na compreensão da disseminação da doença e na organização das medidas de controle. Foi também abordada a resistência do Aedes aegypti, cujo tema tem sido pesquisado em várias partes do mundo. Ressaltou-se a importância do monitoramento sistemático do tratamento químico durante as ações de campo. Foram apresentadas de forma resumida, as alternativas mais comumente utilizadas no controle físico, químico e biológico pelos programas de controle de Aedes aegypti no país.<hr/>This paper is about the ecology of Aedes aegypti and addresses some relevant questions on dengue fever transmission and control. It identifies issues to be investigated, considering the current epidemiological context of dengue fever in Brazil. Another aim of this text was to detect gaps in the understanding of the ecology of Aedes aegypti, which could be important to improve and review vector control programs in the country. This paper reviewed studies that show the influence of climatic conditions (temperature, rainfall, and altitude) in insect file cycle. It also identified scientific investigations on the dispersion, domestic habits, blood feeding, reproduction, and vector competence of the Aedes aegypti. It discusses the relevance of this information on the dissemination of the disease and organization of control measures. Vector insecticide resistance has been studied in many parts of the world, so this study also emphasizes the importance of systematic monitoring of chemical utilization in the field. It briefly presents some common physical, chemical, and biological alternative control measures used in Brazil. <![CDATA[<B>Brazilian endemisms and epidemics, challenges and prospects for scientific investigation</B>: <B>leprosy</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A endemia hansênica apresenta-se, na virada do milênio, no limiar da sua eliminação como problema global de saúde pública. O Brasil é o único país da América Latina onde a doença não foi eliminada, tendo sido a meta de eliminação postergada para 2005. Neste artigo discute-se o declínio da prevalência após a introdução da poliquimioterapia (PQT) para o tratamento da hanseníase, não acompanhada pela redução da incidência no mesmo período. Os progressos na área de imunologia, biologia molecular e seqüenciamento genômico do M. leprae são apresentados enquanto perspectivas de pesquisa e de aplicação potencial para diagnóstico, prognóstico e vigilância na hanseníase. Apesar do êxito das atuais estratégias de controle tem-se observado com preocupação a redução do interesse e do apoio financeiro em pesquisa na hanseníase e na desestruturação dos serviços de saúde frente ao atual cenário de eliminação. A exclusão da hanseníase da lista de doenças prioritárias é prematura, representando um perigo concreto de não se eliminar a doença, mas a pesquisa em hanseníase. Fica evidente a necessidade de investir na produção de conhecimentos de áreas básica e aplicada que viabilizem uma maior compreensão dos mecanismos de transmissão da infecção, da efetividade dos métodos de prevenção e controle, serão essenciais na "erradicação" da infecção pelo M. leprae.<hr/>At the beginning of the millennium the elimination of leprosy as a public health problem was considered an attainable goal worldwide. Brazil is the only Latin American country where leprosy is still endemic and the elimination goal has been postponed to 2005. In this review, we discuss the currently declining prevalence after the implementation of multi-drug therapy (MDT), without the reduction in incidence in the same period. The progress in the fields of immunology, molecular biology and the recent accomplishment of M. leprae genomic sequence indicate the new tools potentially applicable to leprosy diagnosis, prognosis and surveillance. Despite the success of the current public health strategy there is a global concern about the lack of interest and financial support for leprosy research, for the maintenance and improvement of field expertise in public health. The exclusion of leprosy among public health priorities was premature and represents a real threat of not eliminating leprosy, but leprosy research. It is necessary to generate knowledge on basic and applied research for understanding the mechanism of transmission of the infection, and to test new preventive and therapeutic tools in order to achieve the "eradication" of the M. leprae infection. Maintenance and field expertise are essential for leprosy surveillance during and after its elimination. <![CDATA[<B>AIDS in the State of São Paulo</B>: <B>changes in the profile of the epidemic and prospects for epidemiological surveillance</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O HIV, inicialmente vinculado a homens que fazem sexo com homens (HSH), particularmente nos países industrializados e na América Latina, disseminou-se rapidamente entre os diversos segmentos, alcançando mulheres, homens com prática heterossexual e crianças. A crescente desigualdade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento reflete-se, tanto na magnitude da propagação do HIV, quanto na mortalidade por aids. Na medida em que se acentuam as diferenças de acesso ao tratamento, diminui a mortalidade por aids nos países mais ricos e aumenta nos países mais pobres, exceção feita ao Brasil, um dos poucos países que adotaram a política de distribuição gratuita de anti-retrovirais. Aqui, a mortalidade vem apresentando queda acentuada a partir de 1996 e o uso de anti-retrovirais, entre outros, é um dos principais fatores associados a esta diminuição. No presente artigo foram analisados os dados do Sistema de Vigilância Epidemiológica de DST/aids do Estado de São Paulo, com o intuito de descrever o perfil da epidemia e discutir os termos juvenilização, pauperização, heterossexualização e feminização, introduzidos no discurso sobre a epidemia, para acompanhar as mudanças de seu padrão epidemiológico. Até 31/12/2001, no Estado de São Paulo, foram notificados 106.873 casos da doença, o que representa cerca de 50% do total de notificações do país. Os maiores coeficientes de incidência aparecem nos indivíduos de 30 a 39 anos, sendo que tanto o número de casos como o de óbitos mostra um ligeiro aumento nas idades mais avançadas, indicando um leve "envelhecimento" da epidemia. A aids aparece em todas as camadas sociais. Ao longo dos anos tem havido um aumento do número de casos entre pessoas de menor escolaridade, com ocupações menos qualificadas. O crescimento do número de casos entre homens heterossexuais, junto ao marcante predomínio desta forma de transmissão na população feminina, corrobora a hipótese de heterossexualização da epidemia. O atual sistema de vigilância epidemiológica de aids é baseado principalmente na notificação de casos e tem sido utilizado como principal fonte de informação para observação das tendências da epidemia e para o planejamento das atividades de prevenção e assistência, assim como para divulgação da doença para a população em geral. Reflete uma situação de vários anos após a infecção ter acontecido, e este intervalo de tempo tende a aumentar em virtude de diversos fatores, tais como a introdução dos anti-retrovirais, entre outros, levando ao aumento do tempo para os casos entrarem no sistema de informação, fazendo com que as informações do sistema atual fiquem cada vez mais distantes da real magnitude da infecção pelo HIV. Dessa forma, outras estratégias têm sido implementadas para se avaliar as tendências da infecção pelo HIV e para subsidiar novas atividades de prevenção e controle, tais como: a notificação compulsória de gestantes HIV positivas e crianças expostas ao HIV; notificação dos portadores assintomáticos do HIV; aprimoramento da investigação sobre a situação de risco dos casos de HIV/aids e incorporação do quesito cor/raça na notificação de casos de aids para subsidiar a definição de grupos de risco acrescido e de maior vulnerabilidade; assim como os sistemas de vigilância de segunda geração, que objetivam identificar as tendências do comportamento e de prevalência da infecção.<hr/>HIV, initially associated with men who have sex with men, mainly in industrialized countries and Latin America, spread quickly reaching women, heterosexual men and children. The increasing inequalities between industrialized and developing countries become apparent in rates of HIV infection and AIDS mortality. As the differences in access to AIDS treatment grow, mortality due to AIDS decreases in richer countries and increases in poorer countries, with the exception of Brazil, one of the few countries in the world that has free distribution of combination antiretroviral therapy. In Brazil, AIDS mortality has been falling since 1996, and has been substantially affected by access to AIDS treatment. In this paper, data on STD and AIDS, collected from the epidemiological surveillance system of the State of São Paulo, were analyzed with the purpose of describing the profile of the AIDS epidemic, and discussing the way this disease affects women and young, poor and heterosexual persons. Until 12/31/2001, 106,873 cases were reported in the State of São Paulo, which was about 50% of the cases reported in the country as a whole. The highest incidence rates occur among individuals between 30 and 39 years of age. The number of cases and deaths has grown slightly in older individuals. AIDS affects all, the rich and the poor, but in past years it has been increasing in individuals with fewer years of education and non-qualified occupations. The increase in cases among heterosexual men and the fact that this mode of exposure is the most frequent among women corroborates the importance of heterosexual transmission in the AIDS epidemic. The STD and AIDS epidemiological surveillance system in Brazil is based mainly upon cases reported, and it has been used as the main source of information on the AIDS epidemic. These epidemiological surveillance data support the study of trends, prevention and care planning, and provides the means to promote information on AIDS to the population. Such data reflect the status of HIV several years after infection occurred, and this gap tends to grow due to many factors, such as antiretroviral therapy and others. In this manner, data take longer to enter the information system, and therefore, such information becomes increasingly distant from the actual magnitude of HIV infection. Other strategies for acknowledging trends of HIV infections are necessary in order to make its control more effective. Examples are reporting HIV infection in pregnant women and their children, and in people living with HIV (without AIDS); and implementing information from case reports, by introducing data on color or race, investigating forms of exposure to HIV infection, defining risks and vulnerability of population groups and by using the strategies of second generation epidemiological surveillance. <![CDATA[<B>Correction</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2002000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O HIV, inicialmente vinculado a homens que fazem sexo com homens (HSH), particularmente nos países industrializados e na América Latina, disseminou-se rapidamente entre os diversos segmentos, alcançando mulheres, homens com prática heterossexual e crianças. A crescente desigualdade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento reflete-se, tanto na magnitude da propagação do HIV, quanto na mortalidade por aids. Na medida em que se acentuam as diferenças de acesso ao tratamento, diminui a mortalidade por aids nos países mais ricos e aumenta nos países mais pobres, exceção feita ao Brasil, um dos poucos países que adotaram a política de distribuição gratuita de anti-retrovirais. Aqui, a mortalidade vem apresentando queda acentuada a partir de 1996 e o uso de anti-retrovirais, entre outros, é um dos principais fatores associados a esta diminuição. No presente artigo foram analisados os dados do Sistema de Vigilância Epidemiológica de DST/aids do Estado de São Paulo, com o intuito de descrever o perfil da epidemia e discutir os termos juvenilização, pauperização, heterossexualização e feminização, introduzidos no discurso sobre a epidemia, para acompanhar as mudanças de seu padrão epidemiológico. Até 31/12/2001, no Estado de São Paulo, foram notificados 106.873 casos da doença, o que representa cerca de 50% do total de notificações do país. Os maiores coeficientes de incidência aparecem nos indivíduos de 30 a 39 anos, sendo que tanto o número de casos como o de óbitos mostra um ligeiro aumento nas idades mais avançadas, indicando um leve "envelhecimento" da epidemia. A aids aparece em todas as camadas sociais. Ao longo dos anos tem havido um aumento do número de casos entre pessoas de menor escolaridade, com ocupações menos qualificadas. O crescimento do número de casos entre homens heterossexuais, junto ao marcante predomínio desta forma de transmissão na população feminina, corrobora a hipótese de heterossexualização da epidemia. O atual sistema de vigilância epidemiológica de aids é baseado principalmente na notificação de casos e tem sido utilizado como principal fonte de informação para observação das tendências da epidemia e para o planejamento das atividades de prevenção e assistência, assim como para divulgação da doença para a população em geral. Reflete uma situação de vários anos após a infecção ter acontecido, e este intervalo de tempo tende a aumentar em virtude de diversos fatores, tais como a introdução dos anti-retrovirais, entre outros, levando ao aumento do tempo para os casos entrarem no sistema de informação, fazendo com que as informações do sistema atual fiquem cada vez mais distantes da real magnitude da infecção pelo HIV. Dessa forma, outras estratégias têm sido implementadas para se avaliar as tendências da infecção pelo HIV e para subsidiar novas atividades de prevenção e controle, tais como: a notificação compulsória de gestantes HIV positivas e crianças expostas ao HIV; notificação dos portadores assintomáticos do HIV; aprimoramento da investigação sobre a situação de risco dos casos de HIV/aids e incorporação do quesito cor/raça na notificação de casos de aids para subsidiar a definição de grupos de risco acrescido e de maior vulnerabilidade; assim como os sistemas de vigilância de segunda geração, que objetivam identificar as tendências do comportamento e de prevalência da infecção.<hr/>HIV, initially associated with men who have sex with men, mainly in industrialized countries and Latin America, spread quickly reaching women, heterosexual men and children. The increasing inequalities between industrialized and developing countries become apparent in rates of HIV infection and AIDS mortality. As the differences in access to AIDS treatment grow, mortality due to AIDS decreases in richer countries and increases in poorer countries, with the exception of Brazil, one of the few countries in the world that has free distribution of combination antiretroviral therapy. In Brazil, AIDS mortality has been falling since 1996, and has been substantially affected by access to AIDS treatment. In this paper, data on STD and AIDS, collected from the epidemiological surveillance system of the State of São Paulo, were analyzed with the purpose of describing the profile of the AIDS epidemic, and discussing the way this disease affects women and young, poor and heterosexual persons. Until 12/31/2001, 106,873 cases were reported in the State of São Paulo, which was about 50% of the cases reported in the country as a whole. The highest incidence rates occur among individuals between 30 and 39 years of age. The number of cases and deaths has grown slightly in older individuals. AIDS affects all, the rich and the poor, but in past years it has been increasing in individuals with fewer years of education and non-qualified occupations. The increase in cases among heterosexual men and the fact that this mode of exposure is the most frequent among women corroborates the importance of heterosexual transmission in the AIDS epidemic. The STD and AIDS epidemiological surveillance system in Brazil is based mainly upon cases reported, and it has been used as the main source of information on the AIDS epidemic. These epidemiological surveillance data support the study of trends, prevention and care planning, and provides the means to promote information on AIDS to the population. Such data reflect the status of HIV several years after infection occurred, and this gap tends to grow due to many factors, such as antiretroviral therapy and others. In this manner, data take longer to enter the information system, and therefore, such information becomes increasingly distant from the actual magnitude of HIV infection. Other strategies for acknowledging trends of HIV infections are necessary in order to make its control more effective. Examples are reporting HIV infection in pregnant women and their children, and in people living with HIV (without AIDS); and implementing information from case reports, by introducing data on color or race, investigating forms of exposure to HIV infection, defining risks and vulnerability of population groups and by using the strategies of second generation epidemiological surveillance.