Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Epidemiologia]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1415-790X20040002&lang=en vol. 7 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<B>Editorial</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Special Session</B>: <B>6th Brazilian Congress of Epidemiology</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Space-time analysis of lung cancer mortality in Southern Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en As neoplasias representam a segunda causa mais comum de mortalidade no Brasil, juntamente com as chamadas causas externas. Dentre as neoplasias, o câncer de pulmão é um dos mais freqüentes, tanto em homens quanto em mulheres, e é também um dos que apresentam maior letalidade. Além disso, o risco atribuível do tabagismo como agente etiológico deste câncer é bastante alto, o que o torna potencialmente susceptível a medidas preventivas de saúde pública. O objetivo deste trabalho foi analisar os padrões espaço-temporais de câncer de pulmão em quatro Estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo), no período de 1996 a 2000. Os valores observados foram obtidos do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde. Os valores esperados foram calculados utilizando-se a técnica de padronização indireta segundo sexo e faixa etária. As unidades geográficas utilizadas foram microrregiões definidas pelo IBGE. Foi utilizado um modelo bayesiano que permite interação espaço-temporal, ajustado através do software WinBUGS. Os resultados encontrados mostraram que no sul do Brasil existe um padrão em "U" nas razões de mortalidade por câncer de pulmão para homens, além de indicar áreas específicas que apresentaram riscos mais elevados e/ou maior ritmo de crescimento. A principal hipótese para este resultado seria diferentes incidências de tabagismo, mas a inexistência desta informação de abrangência regional impediu que esta variável fosse incluída na análise. Os resultados deste artigo podem ser utilizados para instruir políticas públicas voltadas para a redução do tabagismo e da mortalidade por câncer de pulmão.<hr/>Neoplasms are the second most common mortality cause in Brazil, together with injuries and accidents. Amongst the neoplasms, lung cancer is one of most frequent in men and in women, and it is also one of the most lethal. Moreover, the attributed risk of tobacco as an etiologic agent of this type of cancer is considerably high, making it potentially susceptible to preventive public health measures. The objective of this work was to analyze spatial and temporal patterns of lung cancer in four Brazilian States (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná and São Paulo), from 1996 to 2000. The observed values were obtained from the Brazilian Ministry of Health Mortality Information System (SIM-MS). The expected values were calculated using indirect standardization according to sex and age groups (SMR). The geographic units analyzed were micro-regions defined by the Brazilian Census Bureau (IBGE). A Bayesian model that allowed for space-time interaction was used, using WinBUGS software. Adjusted SMR showed that in Southern Brazil there was a "U" pattern in lung cancer mortality for men, and indicated specific areas that had higher SMR and/or greater SMR growth. The main hypothesis for this result would be different tobacco use incidences, but the absence of this information at a regional level in Brazil did not permit including this variable in our analysis. The results of this paper can be used to guide public policies directed towards reducing the use of tobacco and of mortality from lung cancer. <![CDATA[<B>Reliability and validity of oral health surveys</B>: <B>dental caries in the city of Sao Paulo, 2002</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo visa descrever o processo de avaliação da precisão e validade do levantamento de cárie dentária realizado na cidade de São Paulo em 2002, integrado ao Projeto SB2000 do Ministério da Saúde. Para essa finalidade, foi empregada metodologia padronizada internacionalmente pela Organização Mundial da Saúde. Durante o treinamento dos cirurgiões-dentistas que participaram do levantamento, foi realizado exercício de calibração envolvendo nove examinadores e dois grupos de 20 escolares, para a aferição de concordância interobservadores. A validação dos exames bucais usou como critério de "gold standard" a indicação do coordenador do levantamento como examinador padrão. Além disso, durante a coleta de dados, 58 escolares foram reexaminados pelos mesmos profissionais para o cálculo dos indicadores de precisão intra-observador. Foram estimados elevados indicadores sintéticos de precisão para o levantamento: respectivamente, 99,83% e 96,45% de porcentagem geral de concordância intra e interobservadores e 0,996 e 0,943 os correspondentes valores da estatística kappa. A validade do estudo também foi avaliada positivamente, com elevados indicadores globais de sensibilidade (0,972) e especificidade (0,978). A avaliação de precisão e validade para cada observador produziu indicadores igualmente elevados e satisfatórios. A descrição dos procedimentos adotados para avaliação de precisão e validade, bem como a apresentação dos resultados obtidos, podem fornecer indicações metodológicas para estudos subseqüentes dessa natureza.<hr/>The present study aims at describing the assessment of the reliability and accuracy of a survey of dental caries performed in the city of São Paulo in 2002, as part of the SB2000 Project of the Ministry of Health. The appraisal of indexes used methodology internationally standardized by the World Health Organization. During the training of examiners participating in the survey, an exercise of calibration was conducted for the gauging of inter-observer agreement, which involved nine dental surgeons and two groups of 20 schoolchildren. The coordinator of the survey was assigned as the gold Standard for the validation of the oral examination records in the calibration process. Furthermore, during the gathering of data, 58 schoolchildren were reexamined by the same professionals, for the assessment of intra-observer agreement. We calculated high synthetic indicators of reliability for the survey: respectively 99.83% and 96.45% for the percentage of overall intra- and inter-observer agreement, and 0.996 and 0.943 for the corresponding values of kappa statistics. The validity of the study was also evaluated positively, with high global indicators of sensitivity (0.972) and specificity (0.978). The evaluation of reliability and accuracy for each observer produced high and satisfactory indicators. The description of the procedures chosen for the assessment of reliability and accuracy, as well as the presentation of results, can provide methodological indications for subsequent studies of dental caries distribution. <![CDATA[<B>Application of estimation methods for the hidden prevalence of leprosy in the State of Mato Grosso</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Uma questão desafiadora para a eliminação da hanseníase como problema de saúde pública é o conhecimento da sua real prevalência. Este estudo tem por objetivo comparar os resultados de dois métodos publicados como propostas de estimativa de prevalência oculta de hanseníase, a tendência definida pelo Ministério da Saúde, e a estimativa realizada pela Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) para a implantação do programa "Tolerância Zero: Mato Grosso sem hanseníase", tendo como parâmetro o número de casos novos detectados em 2001. Fez-se a aplicação dos métodos e da tendência, utilizando-se a série de casos de hanseníase detectados no período de 1996 a 2000 para todos os municípios do Estado. Definiu-se como nível endêmico a média aritmética ajustada aos casos novos detectados no mesmo período. Verificou-se que todas as estimativas mostraram associação positiva maior que 75% com o número de casos detectados em 2001. A maior associação foi verificada entre a meta ou estimativa da SES/MT (r²=0,895), que por outro lado não é observada com a exclusão do nível endêmico. Concluímos que os métodos publicados apenas sugerem a presença de reservatórios de casos em áreas com detecção tardia. Operacionalmente, parece mais adequado basear-se em séries históricas segundo idade, classificação operacional, grau de incapacidade física e número de lesões no momento do diagnóstico para a identificação de áreas de risco e, conseqüentemente, eliminação da hanseníase.<hr/>One of the challenges to eliminate leprosy as a public health problem is to know its real prevalence. This study compares the results of two published methods which propose to estimate the hidden prevalence of leprosy, the trends defined by the Ministry of Health and the estimate made by the State Secretary of Health of Mato Grosso (SES/MT) to implement the program "Tolerância Zero: Mato Grosso sem hanseníase" (Zero Tolerance: Mato Grosso Without Leprosy), based on the number of new cases detected in 2001. The methods and the trend were applied using the cases of leprosy detected in the period from 1996 to 2000 for all the municipalities of the state. The endemic level was defined as the arithmetic mean adjusted to the new cases detected in the same period. All estimates showed a positive association higher than 75% with the number of cases detected in 2001. The strongest association was obtained between the estimate of SES/MT (r²=0,895), which, in contrast, does not exclude the endemic level. We conclude that the published methods only suggest the presence of reservoirs of cases in areas with delayed detection. Operationally, it seems more adequate to rely on historical series according to age, operational classification, degree of physical incapacitation, and number of lesions at the time of diagnosis to identify the areas of risk and, consequently, eliminate leprosy. <![CDATA[<B>TP53 mutation in malignant breast tumors</B>: <B>association with risk factors and clinical-pathological characteristics, including risk of death, in patients from Rio de Janeiro</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en No Brasil, o câncer de mama é a primeira causa de óbito por câncer entre mulheres, sendo o Rio de Janeiro o Estado que apresenta o maior coeficiente de mortalidade do país. Estudos que avaliam a sobrevida por câncer de mama têm indicado que vários fatores de ordem genética e molecular podem influenciar a evolução dos casos. O objetivo deste trabalho foi descrever mutações no gene TP53 em 120 pacientes com diagnóstico de carcinoma invasivo de mama, recrutadas no Instituto Nacional de Câncer (INCA), Rio de Janeiro, entre 1995 a 1997, e analisar as possíveis associações entre fatores de risco e presença de mutação e entre características do tumor, incluindo estas mutações e o risco de óbito. A análise molecular detectou 24 mutações no gene TP53 em 22 casos (18,3%), sendo que 2 casos apresentaram 2 mutações cada e, em um caso observamos o polimorfismo no éxon 6. As mutações encontradas eram: 14 com troca de sentido; 2 sem sentido; 2 silenciosas; 2 deleções; 1 inserção e 3 localizadas em íntron. Em relação aos fatores de risco estudados em associação à presença de mutação, observou-se que apenas o consumo de tabaco mostrou associação negativa (OR ajustado= 0,24 (0,06-0,88)). A análise multivariada utilizada para avaliar as características tumorais associadas ao risco de óbito mostrou que apenas a agressividade do tumor apresentou OR indicativo de risco (3,98, IC 95% 1,25-12,72). Estes resultados corroboram outros estudos que mostram que a mutação no gene TP53 pode ser um indicador de tumores de mama biologicamente mais agressivos, apesar de não ser o único parâmetro a ser considerado.<hr/>Breast cancer is the leading cause of death due to cancer among women in Brazil and, the State of Rio de Janeiro presents the highest mortality coefficient of this disease in the country. Studies have shown that many genetic and molecular factors may be related to the outcome of cases. The aim of this study was to describe the frequency and types of mutations in the tumor suppressor gene TP53 in 120 patients with diagnosis of invasive breast carcinoma recruited from the Instituto Nacional de Câncer (INCA), Rio de Janeiro from1995 to 1997, and to analyze the associations between these mutations and risk factors, and tumor characteristics, including the presence of TP53 mutations, and risk of death. The molecular analysis detected TP53 alterations in 22 cases (18.3%), of which 2 cases presented 2 mutations each; a polymorphism in exon 6 was observed in 1 case. The mutations found were: 14 missense, 2 nonsense, 2 silent, 2 deletions, 1 insertion and 3 located in introns which probably did not change the protein. The analysis of risk factors in relation to TP53 mutations showed that only tobacco consumption had an association (adjusted OR = 0.24 (0.06-0.88)). Multivariate analysis showed that only tumor aggressiveness showed an OR indicative of risk (3.98, IC 95% 1.25-12.72).These results are in agreement with previous studies, which report that the presence of TP53 mutations may indicate more aggressive breast tumors biologically although this is not the only parameter to be considered. <![CDATA[<B>Serum creatinine levels</B>: <B>hypercreatinemia in a segment of the adult population of Salvador, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A prevalência da doença renal crônica (DRC) vem aumentando, seu impacto social é importante e a creatinina um dos seus marcadores. OBJETIVO: Estimar a prevalência da hipercreatininemia em segmento da população adulta de Salvador, explorar a sua associação com fatores de risco cardiovascular e delinear os grupos de maior risco para a DRC. METODOLOGIA: Foram entrevistados em domicílio 2.298 adultos a partir dos 20 anos de idade, sendo 1.439 analisados nesse estudo. Foram efetuadas medidas da pressão arterial, antropométricas e realizados exames bioquímicos. Creatinina sérica =1.3mg/dl foi considerada anormal para ambos os sexos. A análise foi exploratória, incluindo análise bivariada e regressão logística múltipla. RESULTADOS: foram observados: prevalência de hipercreatininemia de 3,1%, (5,2% nos homens e 1,6% nas mulheres), maiores prevalências em idades a partir dos 60 anos, com 12,9%, IC 95% (4,3; 20,3) em homens e 7,9%, IC 95% (3,0; 12,8) em mulheres. Os OR ajustados foram significantes para homens, para idosos, negros em relação aos pardos, hipertensos e história passada de acidente vascular cerebral. Associações positivas não significantes foram observadas para diabetes e história familiar de DRC. Isoladamente, a hipercreatininemia só ocorreu em homens, 2,6%. CONCLUSÃO: Na atualidade, os inquéritos sobre prevalência de hipercreatininemia na população são desnecessários, embora seja altamente recomendada a triagem para hipercreatininemia nos grupos de alto risco para a DRC na prática médica de rotina.<hr/>The prevalence of chronic kidney disease (CKD) has been increasing, its social impact is great and creatinine is one of its markers. OBJECTIVE: To estimate the prevalence of hypercreatinemia in a segment of the adult population of Salvador in order to investigate its association with cardiovascular risk factors, and to identify the groups at greatest risk of developing CKD. METHODS: A home interview was carried out in a sample of 2,298 individuals 20 years of age and over and a segment of 1,439 was tested for elevated serum creatinine. Blood pressure and anthropometric measurements were taken. Serum creatinine levels =1.3mg/dl were considered abnormal for either sex. Exploratory analysis included bivariate analysis and multiple logistic regression. RESULTS: The total prevalence of hypercreatinemia was 3.1% (5.2% in men and 1.6% in women). In patients 60 years of age and older, prevalence was 12.9%, 95% CI (4.3; 20.3) in men and 7.9%, 95% CI (3.0; 12.8) in women. Adjusted OR were found to be significant for the elderly, Afro-Brazilians, hypertensive patients and those with a past history of stroke. Non-significant associations were found for diabetes and family history of CKD. Isolated hypercreatininemia occurred in 2.6% of men, 95% CI (1.9; 3.1). CONCLUSION: At the present time, population surveys of hypercreatininemia are unnecessary, although serum creatinine screening should be strongly recommended within routine medical practice for individuals at higher risk for developing CKD. <![CDATA[<B>Risk factors associated with postpartum weight gain and retention</B>: <B>a systematic review</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A retenção de peso após o parto é um dos determinantes da obesidade em mulheres. Seu desenvolvimento está relacionado com o ganho de peso gestacional, paridade, idade, situação marital, consumo energético, atividade física e lactação, mas as associações encontradas têm se mostrado inconclusivas e contraditórias. Objetivos: Avaliar estudos que identificaram fatores preditores da retenção e ganho de peso após o parto. MATERIAL E MÉTODOS: Foi realizada uma revisão de literatura na Base de Dados LILACS e MEDLINE, referente aos anos de 1993 a 2003. RESULTADOS: Vinte e oito artigos foram identificados, sendo 23 estudos de coorte, quatro estudos transversais e um estudo caso-controle. A maioria dos estudos foi realizada nos EUA e o tempo de acompanhamento após o parto ocorreu principalmente entre seis semanas e 24 meses. Cerca de 25% dos estudos apresentaram perdas superiores a 30%, 61% incluíram adolescentes na amostra e 75% não aferiram o peso pré-gestacional. Sete estudos foram considerados de melhor qualidade, pois utilizaram o peso pré-gestacional medido, incluíram grupo de comparação, excluíram adolescentes, apresentaram perdas de seguimento inferiores a 30% e controlaram para variáveis de confundimento. CONCLUSÃO: Ganho de peso gestacional, raça negra e paridade estão associados positivamente com a retenção de peso pós-parto. As evidências são contraditórias para a variável lactação e insuficientes para as variáveis consumo alimentar e atividade física. São necessários estudos cuidadosamente desenhados para esclarecer estas questões.<hr/>BACKGROUND: Postpartum weight retention is a trigger for developing obesity in women. It is often associated with weight gain during pregnancy, parity, age, marital status, food intake, physical activity and lactation. However, the associations found have proven to be inconclusive or contradictory. OBJECTIVES: The purpose of this review was to study risk factors associated with postpartum weight gain and retention. METHODS: A systematic review of the literature between January 1993 and June 2003 was performed through Medline and LILACS databases. RESULTS: Twenty-eight studies were found: 23 cohort studies, four cross-sectional studies and one case-control study. Most studies were performed in the US and the postpartum follow-up time was mainly between six weeks and 24 months. Twenty five percent of the studies had loss to follow-up above 30%, 61% included adolescents and 75% used self-reported pregravid body weights. The most reliable results came from seven studies, whose strengths were: use of measured pregravid body weight and comparison groups, exclusion of adolescents, loss to follow-up rates below 30% and adequate control for confounders. CONCLUSION: Gestational weight gain, black women and parity are positively associated with postpartum weight retention. The effect of lactation on weight retention is still controversial and there is lack of evidence on physical activity and food intake. Improved longitudinal studies are needed to clarify theses issues. <![CDATA[<B>Prevalence of overweight and its association with the area of residence among 6-year-old children enrolled in public childcare centers in Florianópolis, Brazil</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estudos internacionais têm mostrado que o incremento da prevalência de sobrepeso em crianças tem se tornado um problema de saúde pública. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência de sobrepeso em crianças menores de 6 anos matriculadas em creches públicas do Município de Florianópolis/SC. Além disso, testou-se a hipótese de que a prevalência de crianças com sobrepeso é maior nas áreas com melhores condições socioeconômicas do que em áreas com condições socioeconômicas desfavoráveis. Adotou-se um desenho da amostra probabilístico em dois estágios e o tamanho final da amostra incluiu 638 crianças pré-escolares. O estudo coletou dados sobre medidas antropométricas de peso e estatura, sexo, idade, peso ao nascer, idade gestacional, área de residência e número de refeições servidas na creche. Foram obtidos diagnósticos de déficit de estatura (índice estatura para idade) e de sobrepeso (índice de peso para a estatura), utilizando-se a distribuição do NCHS como referência. Análises univariada e de regressão logística multivariada não condicional foram aplicadas para testar a hipótese. A prevalência de sobrepeso foi de 8,6% (IC 95% 6,4-10,8). O modelo de regressão logística final mostrou que as crianças residentes em áreas não carentes apresentaram maior risco de desenvolver sobrepeso (OR= 1,94 (IC 95% 1,10-3,42) quando comparadas com crianças residentes em áreas carentes. Este resultado foi controlado pelo sexo das crianças, a única das co-variáveis analisadas que mostrou associação com o desfecho em estudo. Os programas de Nutrição em Saúde Pública que tenham em vista prevenir o excesso de peso devem ser dirigidos particularmente a grupos infantis destas populações residentes em áreas economicamente mais favorecidas, visto que estão mais expostos ao desenvolvimento do sobrepeso.<hr/>International studies have shown that the increase in the prevalence of overweight children has become a public health problem. The aim of this study was to assess the prevalence of overweight in preschool children aged from 0 to 6 years enrolled in public daycare centers in Florianópolis, Southern Brazil. In addition, we tested the hypothesis that the prevalence of overweight children is higher in areas with better socio-economic conditions than in deprived areas. A multi-stage random sampling procedure was performed and the final sample included 638 pre-schoolchildren. Anthropometric measures, sex, age, birth weight, gestational age, stature deficit, child residential area (affluent or deprived), and daily number of free meals in the daycare centers were the variables collected by a trained and calibrated team. The outcome overweight was obtained by the weight/height index, following the NCHS criteria. Univariate and multiple logistic regression analyses were performed to test the hypothesis. The prevalence of obesity was 8.6% (CI 95% 6.4-10.8). The final logistic model showed that children living in affluent areas present OR 1.94 (CI 95% 1.10-3.42) when compared to children living in deprived areas. This result was adjusted for possible confounders such as child gender. Children living in affluent areas are considered a risk group for overweight. Consequently, nutritional public health programs must target this population. <![CDATA[<B>Weekly iron supplementation reduces anemia prevalence by 1/3 in preschool children</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A weekly medication scheme, followed by nutritional guidance on diets in child-care centers, was evaluated in order to make it feasible for routine use. The study was conducted in six child-care centers in the town of Cuiabá - Brazil. The supplement (6 mg/kg) was provided on a weekly basis to all children (n=178) less than three years old during four months at the institution by the classroom staff. After this initial phase, nutritional guidance was provided regarding the child-care center's normal diet as a way to control hemoglobin levels. This is an intervention study whose individuals were examined at three different periods: at the beginning of treatment (T0); after four months of iron supplementation (T1) and after five months of nutritional guidance (T2). Hemoglobin measurements were obtained using a portable hemoglobinometer - HemoCue. A significant improvement was observed in the hemoglobin levels of anemic children after controlling for age and initial hemoglobin. The hemoglobin concentration of these children improved an average of 0.1 g/l after each dose of iron sulfate. At the end of four months there was an average gain of 1.6 g/l, and prevalence of anemia reduced by 1/3, sufficient to meet the United Nations target adopted by Brazil. At the end of nine months (four months of weekly drug intervention followed by 5 months of nutritional guidance) the prevalence of anemia dropped by 1/4 in the child-care centers. The intervention proved to be feasible for child-care centers and pre-school population.<hr/>Um esquema terapêutico semanal, seguido de orientação alimentar aos cardápios, foi avaliado com o intuito de verificar viabilidade como rotina em creches. O estudo foi realizado em seis creches no município de Cuiabá. O suplemento (6 mg/kg) foi oferecido semanalmente a todas as crianças (n=178) menores de 3 anos durante 4 meses, na própria Instituição, pelas funcionárias. Após essa primeira etapa seguiram-se orientações alimentares ao cardápio da creche, como forma de controle desses níveis de hemoglobina. Este é um estudo de intervenção, onde os indivíduos foram avaliados em três momentos: no início do tratamento (T0), após a primeira etapa (T1) e após a segunda etapa (T2). Para avaliação da hemoglobina foi utilizado hemoglobinômetro portátil - HemoCue. Houve um acréscimo significativo na hemoglobina, após controle para idade e hemoglobina inicial. A concentração de hemoglobina aumentou em média 0,1 g/l após cada dose de sulfato ferroso. Ao final de quatro meses de suplementação houve um acréscimo médio de 1,6 g/l, e a prevalência de anemia reduziu para 1/3, suficiente para atingir a meta das Nações Unidas adotada pelo Brasil. Ao final de nove meses (quatro meses de suplementação medicamentosa semanal, seguida de cinco meses de orientação alimentar), a prevalência de anemia reduziu para 1/4. A intervenção mostrou-se viável para utilização em diferentes creches e em pré-escolares. <![CDATA[<B>Respiratory disease hospitalization in the elderly in the state of São Paulo and the influenza vaccine intervention</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200011&lng=en&nrm=iso&tlng=en As doenças respiratórias, particularmente as pneumonias e gripes, são importante causa de internação e óbito entre os idosos. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento da morbidade hospitalar por doenças respiratórias na população idosa do Estado de São Paulo, no período de 1995 a 2002, examinando-se a tendência das internações após a intervenção vacinal contra a influenza. Foram utilizadas as bases de dados de Autorizações de Internação Hospitalar do Ministério da Saúde. Os indicadores de morbidade, referentes às causas respiratórias selecionadas, foram: taxa de internação hospitalar por 1000 habitantes; proporção de internações por tais causas entre o total de internações; e razão entre internações mensais e o número de leitos de clínica médica disponíveis mensalmente. No Estado de São Paulo, observou-se mudança nos indicadores de morbidade após a vacinação, em ambos os sexos, com diferentes padrões entre as faixas etárias, sugerindo impacto positivo na prevenção de internações em idosos.<hr/>Respiratory diseases, specially pneumonia and flu-like syndromes are important causes of hospitalization and death in the population over 60 years old. The aim of this work is to evaluate nosocomial respiratory morbidity in the elderly in the state of São Paulo, from 1995 to 2002. Hospitalization trends were analyzed after the influenza vaccine intervention. The Health Ministry database on Hospitalization Authorizations (AIH) was used. Morbidity indicators for selected respiratory causes were: nosocomial hospitalization rates per 1,000 inhabitants; proportion of hospitalizations in relation to total in-patients; proportion of these causes in relation to internal medicine beds available monthly. Data suggested that influenza vaccine campaigns have changed hospitalization patterns in both genders and in age groups in the state of São Paulo. <![CDATA[<B>Current direct costs of hospital admissions due to external causes</B>: <B>analysis in the State of São Paulo, 2000</B>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000200012&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: No Brasil, vem ocorrendo importante crescimento das causas externas, afetando a morbimortalidade da sua população. Essas causas impõem ônus econômicos e sociais elevados, incluindo gastos hospitalares. OBJETIVO: conhecer as internações por lesões e envenenamentos em hospitais próprios ou conveniados com o SUS no Estado de São Paulo, buscando determinar o custo dessas hospitalizações para o poder público, segundo algumas variáveis consideradas importantes. MATERIAL: internações hospitalares em hospitais próprios ou conveniados com o SUS, no ano 2000, obtidas no Banco de Dados do Datasus para o Brasil e o Estado de São Paulo. RESULTADOS E CONCLUSÕES: comparando causas naturais (excluídas gravidez, parto e puerpério) e causas externas, as últimas representaram menos de 10% do total de internações, tiveram permanência menor e gastaram cerca de 10% do valor total pago para todas as internações. Embora a permanência seja menor, os gastos do SUS medidos pelo custo-dia e gasto médio, foram superiores aos das internações por causas naturais. As causas mais freqüentes de internação foram quedas e acidentes de transporte e apresentaram custo-dia e gasto médio superior às médias obtidas. Segundo o desfecho, os que vieram a falecer durante a internação tiveram gastos triplicados se comparados aos que receberam alta hospitalar.<hr/>INTRODUCTION: Important growth in external causes has been occurring in Brazil and affects the morbimortality of its population. These causes impose heavy economic and social burdens, including hospital costs. OBJECTIVE: to analyze the hospitalizations for injuries and poisonings in SUS or SUS-licensed hospitals in the state of São Paulo and to determine the cost of these hospitalizations to the government, taking some important variables into consideration. METHOD: hospitalizations in SUS hospitals or SUS-licensed hospitals in 2000: information obtained in the Datasus database for Brazil and the state of São Paulo. RESULTS AND CONCLUSIONS: comparing natural causes - excluding pregnancy, delivery, and puerperium - and external causes, the latter make up around 10% of total hospitalizations, required shorter stay periods, and were responsible for around 10% of the total amount paid for all the hospitalizations. Although stay may be shorter, SUS expenditures measured by cost per day and average cost were higher than hospitalizations for natural causes. Most frequent causes of hospitalization were falls and transportation accidents; these had cost-per day and average cost higher than the averages obtained. With regard to discharge conditions, costs tripled for those who died during hospitalization, compared to those in condition to be discharged.