Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Epidemiologia]]> http://www.scielosp.org/rss.php?pid=1415-790X20110005&lang=en vol. 14 num. lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielosp.org/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielosp.org <![CDATA[<b>National health surveys</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Comparison of estimates for the self-reported chronic conditions among household survey and telephone survey - Campinas (SP), Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi comparar as estimativas obtidas por diferentes modalidades de inquérito para condições crônicas auto-referidas em adultos residentes em Campinas (SP) no ano de 2008. MÉTODOS: Foram utilizados os dados do ISACamp, inquérito domiciliar realizado pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas com apoio da Secretaria Municipal de Saúde, e do VIGITEL - Campinas (SP), inquérito telefônico realizado pelo Ministério da Saúde para Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas na população adulta (18 anos ou mais). Estimativas do auto-relato de hipertensão arterial, diabetes, osteoporose, asma/bronquite/enfisema, foram avaliadas e comparadas por meio do teste t de Student para duas amostras independentes. RESULTADOS: Para as estimativas globais, maior prevalência de hipertensão arterial e osteoporose foram verificadas pelo inquérito telefônico. Diabetes e asma/bronquite/enfisema não apresentaram diferenças estatísticas significantes. Na análise segundo variáveis sócio-demográficas, maior prevalência de hipertensão foi obtida pelo VIGITEL para os homens, entre as pessoas de 18 a 59 anos e nos que referiram 9 ou mais anos de estudo. Maior prevalência de osteoporose entre adultos (18 a 59 anos) foi verificada pelo VIGITEL. Em relação à asma/bronquite/enfisema nos idosos, maior prevalência foi observada pelo ISACamp. CONCLUSÃO: Exceto para hipertensão arterial, os dados obtidos do inquérito telefônico constituíram uma alternativa rápida para disponibilizar estimativas globais da prevalência das condições estudadas na população adulta residente em Campinas (SP).<hr/>OBJECTIVE: To compare the estimates obtained by different methods of population-based surveys for self-reported chronic conditions among adults living in Campinas in the year 2008. METHODS: Data from ISACamp Survey, conducted by the Faculty of Medical Sciences from Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) with support from the County Health Department and VIGITEL (Campinas), a telephone survey conducted by the Brazilian Ministry of Health toward Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic non-communicable Diseases in the adult population (18 years and over) were analyzed. Estimates of self-reported hypertension, diabetes, osteoporosis, and asthma/bronchitis/emphysema were evaluated and compared by the independent (two-sample) Student's t-test. Results: For global estimates, a higher prevalence of hypertension and osteoporosis was ascertained by the telephone survey. Diabetes and asthma/bronchitis/emphysema results showed no statistically significant differences. According to sociodemographic variables, a higher prevalence of hypertension was obtained by VIGITEL for men, among people aged 18 to 59 years, and those who reported nine or more years of schooling. A higher prevalence of osteoporosis among adults (18 to 59 years) was verified by VIGITEL. Concerning asthma/bronchitis/emphysema in the elderly, ISACamp survey showed a higher prevalence. CONCLUSION: Except for the hypertension prevalence, the telephone survey has proven to be a rapid alternative to provide global prevalence estimates of health conditions in the adult population of Campinas. <![CDATA[<b>Validity of data collected by telephone survey</b>: <b>a comparison of VIGITEL 2008 and 'Saúde em Beagá' survey</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Verificar a validade externa das estimativas obtidas por inquérito telefônico, e o impacto do uso do fator de ponderação pós-estratificação na correção das estimativas. MÉTODOS: Foram utilizadas informações de moradores das regiões Oeste e Barreiro de Belo Horizonte (MG), obtidas por inquérito telefônico VIGITEL 2008 (n=440) e por inquérito domiciliar, realizado face a face, Saúde em Beagá (SB) (n=4.048). Estimativas de variáveis relevantes para vigilância epidemiológica foram comparadas entre os estudos, por meio das estatísticas de teste. Inicialmente, compararam-se grupos segundo a posse de linha telefônica fixa e em seguida as estimativas do VIGITEL, com e sem a utilização de peso pós-estratificação, com as estimativas do SB. RESULTADOS: Indivíduos que possuíam telefone fixo residencial apresentaram marcadores de melhores condições econômicas (local de moradia, escolaridade e cor de pele), maior prevalência de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), menor exposição a fatores de risco para DCNT e maior acesso/utilização de serviços de saúde, quando comparados aos demais. A maioria das estimativas do VIGITEL (sem o uso do peso pós-estratificação) foi semelhante às estimativas para a amostra do SB que referiu ter telefone fixo residencial, demonstrando não haver grande impacto da metodologia utilizada na obtenção dos dados (reduzido viés de informação). Mesmo sem utilizar o fator de pós-estratificação, as estimativas do VIGITEL se assemelharam às do SB; após a ponderação, as poucas estimativas viciadas (número de moradores, cor de pele e atividade física) não diferiram mais das obtidas pelo inquérito face a face exceto para a variável "ter plano de saúde", cuja correção da estimativa reduziu a diferença observada, e para as variáveis "consumo de verduras/legumes" e "tabagismo atual", em que não foi possível corrigir as estimativas. CONCLUSÃO: Recomenda-se a vigilância epidemiológica de DCNT por meio de inquéritos telefônicos porque fornecem estimativas aproximadas do que seria esperado para a população total, com menores investimentos financeiros e menor tempo.<hr/>OBJECTIVE: To assess the validity of the estimates obtained through telephone survey and to measure the impact of the post-stratification weighting factor to adjust estimates. METHODS: The same questionnaire was completed by two independent samples of the population living in the municipality of Belo Horizonte city (Barreiro and West regions). One sample (n=440) completed the questionnaire of VIGITEL 2008 (telephone survey), and the other (n=4,048) of Saúde em Beagá (face to face household interview). The results of the two samples for 18 health-related variables were compared by means of test statistics. At first, residents who had a landline telephone line were compared to those who reported not having a telephone line; then, VIGITEL estimates, with and without post-stratification weight, were compared with Saúde em Beagá estimates. RESULTS: Subjects who owned a landline telephone line had indicators for better economic conditions (housing, schooling, and skin color); higher prevalence of chronic diseases; lower exposure to risk factors for chronic diseases; and improved access to health services, compared to the those who reported not having a telephone line. Most VIGITEL estimates (without post-stratification weight) were similar to the sample of Saúde em Beagá that reported owning a residential landline, showing no major impact of the methodology to obtain this data (lower information bias). Even without post-stratification weight, VIGITEL estimates were similar to those of Saúde em Beagá. With post-stratification weight, the estimates of "number of residents", "skin color" and "physical activity" did not differ from those obtained by the face to face survey. CONCLUSION: The results of both surveys were very similar. Because of the lower cost, the telephone interview is a good option in public health for the behavioral risk-factor surveillance system. <![CDATA[<b>Preventive practices of cancer screening in women</b>: <b>comparison of estimates from ISA - Capital survey and the telephonebased Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic Diseases (VIGITEL - São Paulo)</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi comparar estimativas obtidas em inquéritos domiciliar e telefônico, da realização dos exames de Papanicolaou e mamografia em mulheres residentes no município de São Paulo em 2008, segundo características sociodemográficas, bem como dimensionar as diferenças observadas. MÉTODOS: Foram utilizados os dados do ISA - Capital 2008, inquérito domiciliar realizado no município de São Paulo pela Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Secretaria de Estado da Saúde com apoio da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, e do VIGITEL - São Paulo, inquérito telefônico realizado pelo Ministério da Saúde para Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas. Estimativas da realização do exame de Papanicolaou e mamografia na vida, bem como a realização no último ano foram comparadas segundo o tipo de inquérito (domiciliar/telefone) por meio de regressão de Poisson ajustada por idade e escolaridade. RESULTADOS: Não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes entre as estimativas obtidas pelo VIGITEL e ISA - Capital para as prevalências de realização de mamografia no último ano. No entanto, para as estimativas globais de realização do exame de Papanicolaou alguma vez na vida e no último ano e da mamografia na vida, foi possível verificar diferenças estatisticamente significantes, com prevalências de cobertura superiores entre as entrevistadas pelo inquérito telefônico. CONCLUSÃO: Os resultados sinalizam a tendência de superestimação de alguns indicadores de cobertura de mamografia e de exame de Papanicolaou nos dados de pesquisa via telefone, apontando a necessidade de novos estudos que também contribuam para o melhor entendimento das diferenças observadas com o uso de diferentes modalidades de inquéritos.<hr/>OBJECTIVE: The aim of this study was to compare estimates of Pap smear and mammogram screening obtained from household and telephone surveys in women living in São Paulo in 2008, according to sociodemographic characteristics, and to measure the differences observed from those estimates. METHODS: The study compared data from ISA - Capital 2008, a household survey conducted in São Paulo by Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) and the State Health Department with support from the Municipal Health Department, and VIGITEL - São Paulo, a telephone-based Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic Diseases. Estimates of Pap smear and mammography, as well as their realization in the year prior to the interview, were compared according to type of survey (household/telephone) by Poisson regression adjusted for age and education. RESULTS: There were no statistically significant differences between the estimates obtained by VIGITEL and ISA - Capital as to the prevalence of mammography in the year prior to the interview. However, global estimates of the Pap smear at least once in life and in the past year, as well as mammograghy at least once in life, show statistically significant differences, with higher prevalence rates of coverage among those interviewed by telephone. CONCLUSION: The results indicate a tendency to overestimate coverage of mammography and Pap smear in the telephone survey data, which indicates the need for new studies that also contribute to a better understanding of the differences observed by different types of surveys. <![CDATA[<b>Evaluation of food intake markers in the Brazilian surveillance system for chronic diseases - VIGITEL (2007-2009)</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Avaliar as questões marcadoras de consumo alimentar do Sistema Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico e sua evolução temporal. MÉTODOS: Foram avaliados 135.249 indivíduos de 27 cidades brasileiras, entrevistados nos anos de 2007 - 2009. Os marcadores de consumo alimentar foram descritos a partir da frequência de consumo de frutas, hortaliças, feijão, leite integral e desnatado, refrigerante normal e diet/light, e consumo de gordura aparente das carnes e a pele do frango. Avaliou-se a evolução temporal desses marcadores e, adicionalmente, testou-se a elaboração de um escore de alimentação saudável e a identificação de padrões alimentares por meio da análise de cluster. RESULTADOS: Observou-se aumento estatisticamente significativo nas frequências de consumo de feijão, leite integral e refrigerante normal e diminuição no consumo de leite desnatado. Mesmo com aumento de 11 para 13% de indivíduos que referiram consumir feijão diariamente, esses percentuais são baixos; assim como o consumo recomendado de 3 porções de frutas e 3 porções de hortaliças por dia, que foi referido por menos de 15% da população em todos os anos, com queda de 5 para 3% para as hortaliças. O refrigerante não diet foi o item com maior aumento no consumo, passando de 60 para 67%. Os itens avaliados apresentaram fraca correlação e não configuram um constructo único de alimentação saudável. CONCLUSÃO: A qualidade da dieta dos brasileiros tem piorado e é necessária melhor qualificação dos marcadores alimentares considerados de risco para doenças crônicas não-transmissíveis.<hr/>OBJECTIVE: To evaluate markers of food intake of the telephone-based risk factor surveillance system for chronic diseases (VIGITEL) and the trend of these markers. METHODS: A total of 135,249 subjects from 27 Brazilian cities interviewed in the 2007 - 2009 surveys were evaluated. Eating habits were evaluated based on the frequency of intake of fruit, vegetables, beans, whole and skim milk, regular and diet/light soft drinks and visible fat in meat and poultry. These items were used to create a diet quality score and to identify dietary patterns in a cluster analysis. RESULTS: Time trends indicated statistically significant increase in the frequency of intake of beans, whole milk and regular soft drinks and decline in vegetables and skim milk. There was an increase in the frequency of individuals who reported consuming beans daily, from 11 to 13%. Beans are considered as a protective factor and the prevalence of usual intake is still low. Over the past three years, less than 15% of the studied population reported eating the Brazilian recommended number of 3 servings of fruits and 3 servings of vegetables per day. As to the vegetable intake, a decrease from 5 to 3% was reported. The consumption of regular soft drinks had the highest increase, ranging from 60 to 67%. The assessed items showed a weak correlation and did not represent a sole healthy eating construct. CONCLUSION: The diet quality of the Brazilians has gotten worst and eating markers that are associated with high risk of chronic diseases should be better qualified. <![CDATA[<b>Time trends of physical activity in Brazil (2006-2009)</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Analisar as tendências temporais de atividade física (AF) nas capitais brasileiras entre 2006 e 2009. MÉTODOS: A análise apresentada neste artigo é baseada nos dados do VIGITEL, totalizando uma amostra anual aproximada de 54.000 indivíduos. Foram analisados indicadores de AF no tempo livre, trabalho, em casa e no deslocamento, além do tempo assistindo à televisão e de inatividade considerando todos os domínios de AF. A variação dos indicadores no período foi aferida por meio de modelos de regressão de Poisson, tendo como variável explanatória o ano do inquérito. Foi considerada significativa a evolução correspondente a um coeficiente de regressão diferente de zero (p<0,05). RESULTADOS: O percentual de indivíduos ativos no deslocamento passou de 11,7 para 14,4% (p<0,001), enquanto aqueles fisicamente inativos nos quatro domínios passaram de 11,7 para 8,7% (p<0,001). Não foram observadas oscilações significantes nos demais indicadores. As mulheres foram menos ativas em todos os indicadores, exceto nos serviços domésticos. Neste domínio, houve redução das mulheres ativas de 71,4 para 67,1% (p<0,001). Os níveis de AF da população brasileira entre 2006 e 2009 estão estáveis no tempo livre e nas atividades domésticas, mas aumentaram no deslocamento, acarretando uma diminuição no percentual de inativos no país. CONCLUSÃO: A continuidade do monitoramento e o fortalecimento do VIGITEL se colocam como prioridades e a área de AF se insere neste crescimento, e no longo prazo, poderá ter sua evolução temporal novamente avaliada.<hr/>OBJECTIVE: To examine time trends in physical activity (PA) in Brazilian state capitals from 2006 to 2009. METHODS: This analysis is based on data from the Telephone-based Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic Diseases (VIGITEL) accounting for an annual sample of approximately 54,000 individuals. PA indicators were analyzed in free time (leisure), work, home and transportation, time spent in front of the television and inactivity considering all PA domains. Poisson regression models were used to measure the variation of indicators over time. We considered the changes corresponding to a regression coefficient different from zero as being statistically significant (p<0.05). RESULTS: The percentage of active commuters increased from 11.7 to 14.4% (p<0.001) whereas the proportion of physically inactive individuals in the four domains decreased from 11.7 to 8.7% (p<0.001). There were no significant changes in the other indicators. Women were less active than men in all indicators, except for household chores. However, in this indicator the percentage of active women decreased from 71.4 to 67.1% (p<0.001). Between 2006 and 2009, PA levels in the Brazilian population were stable during free time and household chores, but increased in transportation, resulting in a decrease in the percentage of inactive individuals. CONCLUSION: The continued monitoring and strengthening of VIGITEL are public health priorities, and PA is a key part of it. In the long run, PA evolution may be re-evaluated. <![CDATA[<b>Alcoholic beverage consumption among adults</b>: <b>sociodemographic characteristics and trends</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500007&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Estimar o consumo de bebidas alcoólicas, identificar as características sociodemográficas associadas a este consumo em 2006 e avaliar a tendência de consumo de 2006 a 2009. MÉTODOS: Foram avaliados, em 2006, 54.369 adultos residentes nas capitais de estados brasileiros e no Distrito Federal. Considerou-se consumo habitual a ingestão de qualquer quantidade de bebida alcoólica nos últimos 30 dias, e consumo abusivo a ingestão de mais de 5 doses para homens ou mais de 4 doses para mulheres em pelo menos uma ocasião nos últimos 30 dias. RESULTADOS: O consumo habitual de bebidas alcoólicas atingiu 38,1% da população estudada e o de consumo abusivo 16,2%, sendo a frequência dos dois padrões maior em homens do que em mulheres. As variáveis associadas ao consumo de bebidas alcoólicas foram: idade, união conjugal e inserção no mercado de trabalho em ambos os sexos, e cor de pele para mulheres nos dois padrões de consumo; escolaridade associou-se apenas para consumo habitual. CONCLUSÃO: A tendência de consumo abusivo de bebidas alcoólicas é crescente nos dois sexos. Os dados mostram a urgência de políticas públicas nacionais voltadas para a prevenção do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, especialmente junto à população mais jovem.<hr/>OBJECTIVE: To estimate the prevalence of alcohol consumption, identify the associated sociodemographic characteristics in 2006, and evaluate consumption trends from 2006 to 2009. METHODS: We evaluated 54,369 adults living in the 26 Brazilian state capitals and the Federal District. Usual consumption was related to drinking at least one dose of alcohol in the past 30 days, and binge consumption meant 5 or more doses for men and 4 or more for women at least once in the past 30 days. RESULTS: The usual consumers represented 38.1% of the studied population and the binge drinkers were 16.2%; both frequencies were higher among men than women. The variables associated to the usual and abusive alcohol consumption were age, marital status and insertion in the job market for both genders and skin color for women. Schooling was only associated for usual consumers. CONCLUSION: The trend of abusive alcohol consumption increased in both genders. Data endorse the need for national public policies aiming to prevent the abusive consumption of alcohol, mainly among the youngest. <![CDATA[<b>The risk of incidence and persistence of obesity among Brazilian adults according to their nutritional status at the end of adolescence</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500008&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A prevalência da obesidade vem aumentando entre adultos nos países desenvolvidos e em desenvolvimento. No Brasil, a obesidade entre adultos atingiu entre 2008 a 2009 pelo menos 10% da população. OBJETIVOS: Com base nos dados do VIGITEL, neste trabalho, serão estimadas a incidência e a persistência da obesidade entre brasileiros adultos no período de 2006 a 2009. MÉTODOS: Nas amostras de 2006 a 2009, foram utilizados casos com registros demográficos, socioeconômicos e antropométricos completos. As estimativas foram expandidas para a população brasileira em 2007. A estimativa do risco relativo (RR) para incidência e persistência da obesidade ou excesso de peso entre homens e mulheres foi feita com regressão múltipla de Poisson, e ajustada para hábito de fumar, idade e atividade física. RESULTADOS: A incidência do excesso de peso entre indivíduos com peso baixo ou normal, aos 20 anos, é estimada em 40%, no sexo masculino, e em 30%, no feminino. A persistência da obesidade, por sua vez, é estimada em 65%, no sexo masculino, e em 47%, no feminino. O gradiente da obesidade como função da escolarização é virtualmente nulo no sexo masculino. Entre mulheres, o gradiente é negativo, com associações lineares e estatisticamente significantes. CONCLUSÃO: Essas características, associadas à forte expansão da obesidade entre adultos jovens detectada em outros estudos, apontam a urgência da utilização de políticas públicas mais incisivas e efetivas, que reduzam a exposição da população à alimentação com má qualidade nutricional e desenvolvam ações voltadas à promoção da atividade física.<hr/>INTRODUCTION: The prevalence of obesity has increased among adults living in developed or developing countries. In Brazil, obesity among adults affected at least 10% of population from 2008 to 2009. OBJECTIVES: Based on data from VIGITEL, we will estimate the incidence and persistence of obesity among Brazilian adults from 2006 to 2009. METHODS: We used complete cases with demographic, socioeconomic, and anthropometric data of samples from 2006 to 2009. All estimates were adapted for the Brazilian population in 2007. The relative risk (RR) for incidence and persistence of overweight or obesity was estimated by the Poisson multiple regression. All estimates were adjusted for smoking behavior, age, and practice of physical activity. RESULTS: The incidence of overweight among individuals with low or normal weight at the age of 20 is estimated in 40% for males and 30% for females. The persistence of obesity, in turn, is estimated in 65% for males and 47% for females. The gradient of obesity as a function of schooling is virtually inexistent in males. Among females, the gradient is negative, with linear and statistically significant associations. Conclusion: These characteristics, combined with the increase of obesity among young adults found in other studies, show the urgent need to use more effective public policies, which reduce public exposure to foods of poor nutritional quality and develop initiatives to promote physical activity. <![CDATA[<b>Validity and reliability of foods and beverages intake obtained by telephone survey in Belo Horizonte, Brazil</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500009&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: avaliar a reprodutibilidade e validade de indicadores de consumo de alimentos e bebidas levantados por meio de entrevistas telefônicas pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Telefone (VIGITEL). MÉTODOS: A reprodutibilidade foi aferida por meio de entrevistas repetidas com intervalos de 7 a 15 dias a partir da primeira entrevista original do sistema (n=258). A validade foi avaliada usando como padrão ouro 3 entrevistas correspondentes a recordatórios de 24h (R24h) em 3 dias da semana, após 7 a 15 dias da entrevista telefônica original (n=217). No estudo de reprodutibilidade a estatística kappa foi utilizada para medir a concordância entre os resultados das proporções obtidas na primeira e na segunda entrevista. Para a validação, a proporção de referência positiva de alimentos e bebidas na entrevista telefônica original foi comparada àquela obtida nos R24h e sua avaliação foi analisada por meio do cálculo da sensibilidade, especificidade e valor preditivo positivo. RESULTADOS: No estudo de reprodutibilidade, observou-se concordância quase perfeita para o indicador de consumo de leite com teor integral de gordura (0,86); concordância substancial para consumo de frutas (0,67), consumo de frutas e hortaliças, consumo de carne com gordura ou frango com pele e consumo abusivo de bebida alcoólica; concordância moderada para o indicador de consumo de refrigerante; e concordância regular para o indicador do consumo de hortaliças. Com relação ao estudo de validação, observou-se subestimação de indicadores de consumo de frutas, hortaliças e leite integral, exceto para consumo de carne/frango com gordura e bebida alcoólica, quando comparados com a frequência desse consumo estimada a partir dos três R24horas; as diferenças para o consumo de refrigerantes foi inexpressiva. CONCLUSÃO: Verificou-se que os instrumentos utilizados permitem a vigilância de fatores potencialmente associados a doenças não transmissíveis, entretanto, é prioritária a continuidade de estudos de validação em outras populações do sistema, com o objetivo de oferecer maior confiabilidade aos mesmos, sempre considerando as potenciais limitações.<hr/>OBJECTIVE: To evaluate the validity and reproducibility markers of food and beverage intake obtained by means of a telephone-based surveillance system. METHODS: Reproducibility was assessed by means of repeated interviews with a 7-15 day interval after the first interview of the system (n=258). Validity was analyzed based on three interviews corresponding to the 24 hour recall method, used as gold standard, 3 days a week, 7 to 15 days after the original telephone interview (n=217). In the study of reproducibility, kappa statistics was used to measure the similarity between the results of the proportions obtained in the first and second interviews. For validation, the proportion of positive reports regarding foods and beverages at the original telephone interview was compared to that obtained by the 24 hour recall method, and the results was analyzed by calculating sensitivity, specificity and positive predictive value. RESULTS: In the reproducibility study, the agreement was almost perfect for the marker milk consumption (0.86), substantial for fruit consumption (0.67), intake of fruits and vegetables, intake of meat with fat and alcohol abuse. The agreement was moderate for the intake of soft drink, and fair for the consumption of vegetables. Regarding the validity, there was an underestimation of fruit, vegetable and milk consumption, except for meat and alcohol when compared with the consumption frequency estimated from the three 24-hours recalls, differences related to soft drink consumption was inexpressive. CONCLUSION: The instruments enabled the surveillance of factors which were potentially associated with chronic diseases, however, it is a priority to continue with validation studies in other populations to provide greater system reliability, always considering possible limiting factors. <![CDATA[<b>Risk and protection factors for chronic non communicable diseases by telephone survey - VIGITEL - 2009</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500010&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Descrever os fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis resultantes do Sistema de Vigilância por Inquérito Telefônico (VIGITEL) em 2009. METODOLOGIA: Prevalências dos principais fatores de risco e proteção foram estimadas na população >18 anos a partir de entrevistas telefônicas em amostras probabilísticas da população coberta por telefonia fixa nas capitais de estados do Brasil e no Distrito Federal, segundo sexo, faixa etária e escolaridade. RESULTADOS: Foram realizadas 54.367 entrevistas. Fumantes e ex-fumantes corresponderam a 15,5e 22% da população adulta brasileira, respectivamente. O excesso de peso atinge 46,6% dos adultos; 33% relataram consumo de carne com gordura e 18,9% afirmaram consumir bebida alcoólica de forma abusiva. Tais fatores de risco são mais prevalentes em homens e em geral nos indivíduos jovens e de menor escolaridade. A prevalência de atividade física no lazer é de 18,8% (IC95% 17,4-20,1) em homens e de 11,3% (IC95% 10,6-12,0) nas mulheres. A inatividade física atinge 15,6% da população e aumenta com a idade. O consumo de frutas, legumes e verduras e a atividade física no lazer são mais frequentes em homens e mulheres com mais anos de estudo. Diagnóstico de hipertensão arterial foi referido por 21,1% (IC95% 19,6-22,5) dos homens e 27,2% (IC95% 25,8-28,5) das mulheres. A prevalência de diabetes foi de 5,8%. CONCLUSÃO: Os resultados apontaram comportamentos em saúde distintos de acordo com o sexo, idade e escolaridade da população e reforçam a tendência de queda do tabagismo e aumento no excesso de peso no Brasil.<hr/>OBJECTIVE: To describe the risk and protection factors for non communicable diseases with data from Telephone-based Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic Diseases (VIGITEL) in 2009. METHODOLOGY: The prevalence of main risk and protective factors was estimated in adults (>18 years old), by telephone surveys in a probabilistic sample of the population covered by landline telephones in Brazilian state capitals and the Federal District, stratified by gender, age and schooling. RESULTS: Data from 54,367 adults were collected. Smokers and former smokers represented 15.5 and 22% of Brazilian adults, respectively. Excess weight affected 46.6% of adults; 33% reported the consumption of meat with visible fat and reported 18.9% alcohol abuse. These factors were more prevalent among men and, in general, young adults and people with low schooling. The prevalence of physical activity in leisure was 18.8% (95%CI 17.4-20.1) among men and 11.3% (95%CI 10.6-12.0) among women. Physical inactivity affected 15.6% of population and increased with age. Consumption of fruits and vegetables and physical activity in leisure time were more prevalent in men and women with 12 years of schooling or more. Hypertension diagnosis was reported by 21.1% (95%CI 19.6-22.5) of men, and 27.2% (95%CI 25.8-28.5) of women. Prevalence of diabetes was 5.8%. CONCLUSION: The results point to different health behavior according to gender, age and schooling of the population and reinforce the decreasing smoking trend and increasing overweight trend in Brazil. <![CDATA[<b>Trends in smoking among the adult population in Brazilian capitals</b>: <b>a data analysis of telephone surveys from 2006 to 2009</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500011&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi analisar a tendência do tabagismo, da cessação e da intensidade de cigarros diários, entre 2006 a 2009, nas capitais brasileiras. Foram analisados os dados de indivíduos com 18 anos e mais, entrevistados pelo Sistema de Vigilância e Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL), realizado nas capitais brasileiras e Distrito Federal em 2006, 2007, 2008 e 2009. Para cada ano e grandes regiões, foram calculadas as prevalências de tabagismo ajustadas por idade e por grupos etários (18 a 29, 30 a 59 e 60 ou mais anos) estratificados por sexo. Foi calculado ainda o índice de cessação do tabagismo e, para os fumantes atuais, estimou-se a proporção dos que referem fumar 20 ou mais cigarros segundo sexo e grupo etário (18 a 39 e 40 anos e mais). Os resultados mostram leve tendência à queda do tabagismo entre homens e estabilidade para mulheres, com exceção daquelas residentes nas regiões Norte e Nordeste. Em geral, as maiores prevalências entre homens aparecem nos grupos mais jovens; enquanto que, entre as mulheres, são entre as de idade intermediária (30 a 59 anos). A cessação sugere estar ligeiramente aumentando entre os homens; há forte relação inversa entre a prevalência de tabagismo e anos de escolaridade, e a proporção de fumantes de 20 ou mais cigarros diários é maior entre os mais idosos e apresenta padrão diferenciado entre as regiões brasileiras. Os resultados indicam a necessidade da priorização de estratégias de controle do tabagismo que alcancem jovens e mulheres de baixa escolaridade.<hr/>The objective of this study was to analyze the trend of tobacco use and smoking cessation, and the intensity of cigarettes per day from 2006 to 2009 in the Brazilian state capitals. Data were analyzed for 18-year-old individuals or older who were interviewed by the Telephone-based Surveillance of Risk and Protective Factors for Chronic Diseases (VIGITEL), which was performed in the Brazilian State capitals and the Federal District in 2006, 2007, 2008, and 2009. For each year and large areas, age-adjusted prevalence and prevalence according to age groups (18 to 29, 30 to 59 and 60 and older) stratified by sex were calculated. Smoking cessation index was assessed and, for current smokers, the proportion of those who reported smoking 20 or more cigarettes a day was estimated according to gender and age group (18 to 39 and 40 and over). The results show a slight tendency to the reduction of tobacco use among men and stability for women, except for residents from the North and Northeast Regions. In general, the greatest prevalence among men is in younger groups; while amongst women, it is in the intermediary age group (30 to 59 years old). Smoking cessation seems to be slightly higher among men; there is a strong reverse relation between tobacco use and schooling. The proportion of 20 or more cigarettes per day is higher among older people and varies in Brazilian Regions. Results point out the need to prioritize strategies for tobacco control that can reach young individuals and women at low-education level. <![CDATA[<b>Influenza like illness monitoring in adults of the State Capitals and Federal District in Brazil by telephone survey</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500012&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: Com o objetivo de estimar a prevalência da síndrome gripal em adultos das capitais e regiões do Brasil, realizou-se monitoramento da ocorrência de sinais e sintomas compatíveis por inquérito telefônico (VIGITEL) em 2010. MÉTODO: Estudo transversal que contou com 47.876 entrevistas nas capitais dos estados brasileiros e no Distrito Federal, com amostragem probabilística da população >18 anos, residente em domicílios com linha fixa de telefone. Foram analisadas as questões referentes à síndrome gripal e influenza pandêmica (H1N1) 2009, no período de 10 de janeiro a 30 de novembro de 2010. Os percentuais foram calculados para as regiões do país e para o Brasil e ponderados segundo a distribuição sociodemográfica da PNAD 2008. RESULTADOS: A prevalência de indivíduos, com algum sinal ou sintoma de gripe nos 30 dias anteriores à entrevista, foi de 31,2% (IC95% 30,2-32,2%). O relato de síndrome gripal foi mais frequente entre as mulheres, adultos jovens (18 a 29 anos) e aquelas pessoas com 9 a 11 anos de estudo. A maior prevalência de sinais ou sintomas gripais ocorreu na região Norte. Verificou-se tendência crescente com posterior decréscimo em todas as regiões, exceto na Nordeste. A procura pelo serviço de saúde foi relatada por 26,8% (IC95% 25,1-28,5) das pessoas que adoeceram. A suspeita médica de influenza pandêmica (H1N1) 2009 ocorreu em 2,6% (IC95% 1,8-3,4) dos entrevistados que relataram ter procurado o serviço de saúde. CONCLUSÃO: Os resultados deste inquérito forneceram informações oportunas e úteis, as quais não foram captadas pelo sistema de vigilância tradicional, como a ocorrência de sinal ou sintoma gripal e a procura pelo serviço de saúde.<hr/>OBJECTIVES: In order to estimate the prevalence of influenza like illness (ILI) in adults from all state capitals and geographic regions in Brazil, a periodical monitoring of ILI cases by the national telephone survey (VIGITEL) was carried out in 2010. METHOD: A cross-sectional study with 47,876 telephone interviews in the state capitals and Federal District, a probabilistic sample of adult population (>18 years-old) with landline telephone. Questions concerning the results of ILI cases and pandemic influenza (H1N1) 2009, from January 10 to November 30, were analyzed. The proportion of cases stratified by sociodemographic characteristics and Brazilian geographic region was weighted with data from the National Survey with Household Sampling (PNAD) 2008. RESULTS: The prevalence of ILI cases in the last 30 days before interview was 31.2% (95%CI 30.2-32.2%) for all state capitals and the Federal District. This prevalence was higher among women, young adults (18 to 29 years-old) and individuals with 9 to 11 years of schooling. According to the geographic region analysis, Northern Brazil presented the highest prevalence of ILI cases. A tendency to increase with further decrease was observed among the geographic regions, except the Northeast. Need for health care assistance was reported by 26.8% (95%CI 25.1-28.5) from ILI cases. Among ILI cases that sought health care assistance, 2.6% (95%CI 1.8-3.4) reported pandemic influenza (H1N1) 2009 medical suspicion. CONCLUSION: The results of this survey supported influenza surveillance as it provided timeliness and useful surveillance information, which were not captured by the traditional surveillance system, as the occurrence of ILI and need of health care assistance. <![CDATA[<b>Gender and schooling inequalities in risk and protective factors for chronic diseases among Brazilian adults, through telephone survey</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500013&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJECTIVES: To assess risk and protective factors for chronic noncommunicable diseases (CNCD) and to identify social inequalities in their distribution among Brazilian adults. METHODS: The data used were collected in 2007 through VIGITEL, an ongoing population-based telephone survey. This surveillance system was implemented in all of the Brazilian State capitals, over 54,000 interviews were analyzed. Age-adjusted prevalence ratios for trends at different schooling levels were calculated using Poisson regression with linear models. RESULTS: These analyses have shown differences in the prevalence of risk and protective factors for CNCD by gender and schooling. Among men, the prevalence ratios of overweight, consumption of meat with visible fat, and dyslipidemia were higher among men with more schooling, while tobacco use, sedentary lifestyle, and high-blood pressure were lower. Among women, tobacco use, overweight, obesity, high-blood pressure and diabetes were lower among men with more schooling, and consumption of meat with visible fat and sedentary lifestyles were higher. As for protective factors, fruit and vegetables intake and physical activity were higher in both men and women with more schooling. CONCLUSION: Gender and schooling influence on risk and protective factors for CNCD, being the values less favorable for men. vigitel is a useful tool for monitoring these factors amongst the Brazilian population.<hr/>OBJETIVOS: Analisar os fatores de risco e proteção para doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT) e identificar as desigualdades sociais na sua distribuição entre adultos brasileiros. MÉTODOS: Os dados utilizados foram coletados em 2007, por meio do VIGITEL, inquérito telefônico contínuo, em todas as capitais dos estados do Brasil, tendo sido analisadas pouco mais de 54.000 entrevistas. Foi calculada a razão de prevalência ajustada por idade, e as tendências em diversos níveis de escolaridade foram calculadas utilizando a regressão de Poisson com modelos lineares. RESULTADOS: Foram descritas diferenças na prevalência de fatores de risco e proteção para DCNT, por sexo e escolaridade. Entre homens, as prevalências do excesso de peso, consumo de carnes com gordura aparente e dislipidemia foram maiores na faixa de maior escolaridade, enquanto o uso do tabaco, estilo de vida sedentário e hipertensão arterial foram menores. Entre as mulheres, o uso do tabaco, excesso de peso, obesidade, hipertensão e diabetes foram menores na faixa de maior escolaridade. O consumo de carnes com gorduras visíveis e estilos de vida sedentários foram maiores na faixa de maior escolaridade. Quanto aos fatores de proteção, o consumo de frutas e verduras e atividade física aumentaram em homens e mulheres com o aumento da escolaridade. CONCLUSÃO: Sexo e escolaridade exercem influência nos fatores de risco e proteção para DCNT, com valores mais desfavoráveis para os homens. O VIGITEL é uma ferramenta importante no monitoramento destes fatores junto à população brasileira. <![CDATA[<b>Prevalence of alcohol and drug consumption among adolescents</b>: <b>data analysis of the National Survey of School Health</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500014&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Descrever a prevalência do consumo de álcool e outras drogas entre estudantes adolescentes. MÉTODO: Estudo transversal com amostra de conglomerados de 60.973 estudantes do nono ano do Ensino Fundamental de escolas públicas e privadas das capitais dos estados brasileiros e do Distrito Federal, em 2009. Foram analisadas as prevalências e os intervalos de confiança de 95% (IC95%) do consumo de álcool e drogas. RESULTADOS: Para o conjunto dos alunos entrevistados, identificou-se o seguinte: experimentação de bebida alcoólica (71,4%; IC95% 70,8-72,0); consumo regular de álcool (27,3%; IC95% 26,7-28,0); embriaguez na vida (22,1%; IC95% 21,6-22,7); preocupação da família se chegasse bêbado em casa (93,8%; IC95% 93,3-94,2); problemas com uso de álcool (9,0%; IC95% 8,6-9,4) e experimentação de outras drogas (8,7%; IC95% 8,3-9,1). CONCLUSÃO: O estudo demonstra a extensão do problema do uso de álcool e drogas entre adolescentes brasileiros, destacando a facilidade com que os jovens entrevistados tiveram acesso ao álcool em festas, bares, lojas e até em suas próprias casas.<hr/>OBJECTIVE: To describe the prevalence of alcohol and other drugs consumption, among adolescent students. METHODS: A cross-sectional study with conglomerate samples of 60,973 students at freshman year high school in public and private schools in capitals and the Federal District in Brazil, in 2009. The 95% confidence interval and the prevalence of alcohol and drug consumption were analyzed. RESULTS: For the set of surveyed students, the following were identified: experimenting alcoholic beverages (71.4%; 95%CI 70.8-72.0); regular alcoholic beverage consumption (27.3%; 95%CI 26.7-28.0); drunkenness in lifetime (22.1%; 95%CI 21.6-22.7); family is worried when the student gets home drunk (93.8%; 95%CI 93.3-94.2); problems with alcohol use (9.0%; 95%CI 8.6-9.4); consumption of other drugs (8.7%; 95%CI 8.3-9.1). CONCLUSION: This study shows the extension of the alcohol and drugs problem among Brazilian adolescents, with special emphasis on the easy access of students to alcoholic beverages at parties, bars, stores, and at home. <![CDATA[<b>Sexual health of adolescents according to the National Survey of School Health</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500015&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi descrever as situações relacionadas à saúde sexual dos adolescentes, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Trata-se de um estudo transversal, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde, que envolveu 60.973 escolares e 1.453 escolas públicas e privadas. A análise dos dados aponta que 30,5% (IC95% 29,9-31,2) dos adolescentes já tiveram relação sexual alguma vez na vida, sendo mais frequente em meninos (43,7%; IC95% 42,7-44,7) do que em meninas (18,7%; IC95% 18,0-19,4), naqueles que estudam em escola pública (33,1%; IC95% 32,4-33,9), com idade acima de 15 anos (47,3%; IC95% 45,7-48,9) e aos 16 anos (63,5%; IC95% 61,5-65,4). A idade de iniciação sexual foi precoce e 40,1% dos adolescentes (IC95% 38,8-41,4) relataram ter tido um único parceiro na vida. O uso do preservativo na ultima relação sexual foi elevado tanto para proteção (75,9%; IC95% 74,8-76,9), como também para método contraceptivo na última relação sexual (74,7%; IC95% 73,6-75,7). Torna-se necessário enfatizar ações de promoção à saúde sexual voltadas aos adolescentes, visando minimizar vulnerabilidades.<hr/>The objective of this study was to describe situations related to sexual health of adolescents, according to the National Survey of School Health (PeNSE). It is a cross-sectional study performed by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE), in partnership with the Ministry of Health that involved 60,973 students and 1,453 public and private schools. Data analysis points out that 30.5% (95%CI 29.9-31.2) of the adolescents had already had sexual relations sometime in their lives, being more frequent for males (43.7%; 95%CI 42.7-44.7) than females (18.7%; 95%CI 18.0-19.4), especially those who go to public schools (33.1%; 95%CI 32.4-33.9), aged 15 years or older (47.3%; 95%CI 45.7-48.9) and 16 years (63.5%; 95%CI 61,5-65.4). The sexual initiation age was early and 40.1% (95%CI 38.8-41.4) reported having had only one partner in life. The use of condoms in the last sexual relation was high both for protective (75.9%; CI95% 74.8-76.9) and contraceptive methods (74.7%; 95%CI 73.6-75.7). It is necessary to emphasize actions for promoting sexual health towards adolescents in order to minimize vulnerabilities. <![CDATA[<b>Temporal variation in the prevalence of weight and obesity excess in adults</b>: <b>Brazil, 2006 to 2009</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500016&lng=en&nrm=iso&tlng=en Excesso de peso e obesidade são problemas de saúde pública que atingem parcela importante da população mundial. Este estudo tem o objetivo de descrever as tendências nas prevalências do excesso de peso e da obesidade, no período de 2006 e 2009, obtidas por meio de entrevistas telefônicas em 27 cidades brasileiras com uma população de 18 anos ou mais. O índice de massa corporal (IMC) foi calculado a partir do peso e altura referidos; o excesso de peso e obesidade foram definidos por IMC >25 kg/m² e >30 kg/m², respectivamente. A variação temporal das prevalências do excesso e peso e de obesidade é apresentada para homens e mulheres, de acordo com grupo etário, escolaridade, união estável e cor da pele. A regressão de Poisson foi utilizada na análise. As prevalências do excesso de peso foram 43,0, 42,7, 44,2 e 46,6%, para cada ano do período de 2006 a 2009, respectivamente. Para obesidade, no mesmo período, foram encontradas as seguintes prevalências: 11,4, 12,7, 13,2 e 13,8%. A tendência temporal variou em relação às variáveis demográficas e econômicas. O aumento nas prevalências ocorreu nas mulheres e entre os mais jovens. A tendência temporal foi independente do estado civil dos entrevistados, mas o aumento nas prevalências ocorreu em mulheres brancas e com menor escolaridade. Os resultados do presente estudo confirmam a urgência da necessidade de medidas efetivas de prevenção e controle, uma vez que a tendência do aumento está ocorrendo em um curto intervalo de tempo, especialmente entre os jovens.<hr/>Overweight and obesity are public health issues that affect an important part of the world population. This study aims at describing the trends in overweight and obesity prevalence rates from 2006 to 2009, by means of telephone surveys in 27 Brazilian cities, with a population aged 18 years or older. The body mass index (BMI) was calculated by the reported height and weight; overweight and obesity were considered as BMI >25 kg/m² and >30 kg/m², respectively. Temporal variation in overweight and obesity prevalence is presented for men and women, according to age group, schooling, stable relationship, and skin color. Poisson regression was used for the analysis. Overweight prevalence was 43.0, 42.7, 44.2 and 46.6%,for each year of the period from 2006 to 2009, respectively. For obesity, in the same period, the trend was: 11.4, 12.7, 13.2 and 13.8%. The temporal trend varied in relation to some demographic and socioeconomic variables. The prevalence was higher among women and young adults. The temporal trend was independent of the relationship status of the interviewees, but the prevalence was higher among white women and those with less years of schooling. The results in this study confirmed the urgent need for effective prevention and control measures, as the increasing trend is occurring in a short period of time, especially among youngsters. <![CDATA[<b>Family and the protection from use of tobacco, alcohol, and drugs in adolescents, National School Health Survey</b>]]> http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2011000500017&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo avalia a associação entre o consumo de tabaco, bebidas alcoólicas e drogas ilícitas e os fatores de proteção familiar. Foram analisados dados referentes da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), em uma amostra de 60.973 escolares do nono ano do Ensino Fundamental de escolas públicas e privadas das 26 capitais dos estados brasileiros e Distrito Federal. A maioria dos adolescentes vive com o pai e a mãe e cerca de um terço reside em lares apenas com a presença da mãe. Metade dos pais ou responsáveis sabe o que os adolescentes fazem no tempo livre. Residir com ambos os pais tem efeito protetor nos hábitos de fumar, beber e usar drogas. Além disto, a supervisão familiar também é importante na prevenção destes hábitos. Práticas como fazer pelo menos uma refeição com pais ou responsáveis, na maioria dos dias da semana, e o fato de os pais ou responsáveis saberem o que os adolescentes fazem no tempo livre nos últimos 30 dias tem efeito protetor. Os alunos que faltam às aulas sem avisar aos pais têm maior chance de fumar, beber e experimentar drogas. O papel da família é essencial na prevenção de riscos, tais como: tabaco, álcool e drogas e na promoção à saúde dos adolescentes.<hr/>This study evaluates the relation between the use of tobacco, alcoholic beverages and illicit drugs and family protective factors. Data from the National School Health Survey (PeNSE) were analyzed in a sample of 60,973 students at the freshman year of high school, from public and private schools of Brazilian state capitals. Most adolescents lived with both their parents and about a third lived in households only with their mothers. Half the parents or responsible parties are aware of what adolescents do in their free time. Living with both parents is a protective factor for smoking, drinking, and drug use. Family supervision is also important for the prevention of such behavior. Sharing a meal with parents or responsible parties most days of the week and the fact that the parents know what the adolescents have done in their free time in the past 30 days are also protective factors. Students that miss classes without telling their parents have higher chances of using tobacco, alcohol, and drugs. The family plays an essential role to prevent tobacco, alcohol, and drug use, and to promote health among teenagers.