SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue2Biting activity of Aedes scapularis (Rondani) and Haemagogus mosquitoes in Southern Brazil (Diptera: Culicidae)Biology of Anopheles (Kerteszia) neivai H., D. & K., 1913 (Diptera: Culicidae) on the Pacific Coast of Colombia: II. Adult population fluctuation author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

MURILLO B., César; ASTAIZA V., Rodrigo  and  FAJARDO O., Paulina. Biologia de Anopheles (Kerteszia) neivai H., D. & K,, 1913 (Diptera: Culicidae) na costa do Pacífico Colombiano: I. Flutuação da população larval e características dos seus berçários (criadouros). Rev. Saúde Pública [online]. 1988, vol.22, n.2, pp. 94-100. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101988000200004.

Em Charambirá, localidade do Município de Istmina (Chocó), na costa do Pacífico Colombiano, localidade endêmica de malária, estudou-se a flutuação da população larval e as características dos locais de criação do Anopheles (Kerteszia) neivai, espécie considerada como possível vector da malária naquela região do país. A vegetação circundante foi dividida em três estratos segundo seu grau de cobertura foliar. Demarcaram-se quadrantes de 100 m² para a amostragem de plantas epífitas da família Bromeliaceae, nas quais se encontram coleções de água que funcionam como criadouros dessa espécie de anofelino. Tomaram-se dados de temperatura, pH e volume da água contida em cada bromélia. O maior número de larvas foi detectado no estrato 1 (manguezal) em uma altitude inferior a 4 m, porém não se teve evidência significativa de estratificação vertical da população larval de A. neivai até os 8 m de altitude. Evidenciou-se uma correlação linear positiva do número de larvas com o volume de água contida em cada uma das bromélias; por outro lado, observou-se também uma correlação direta de precipitação mensal acumulada com a flutuação populacional dessa espécie. Os índices larvais mais altos foram observados nos meses de março a abril e de julho a agosto. A mortalidade larval foi alta no primeiro estádio (43,5%), sendo que 23,7% sobreviveram até o quarto estádio.

Keywords : Anopheles neivai [crescimento]; Ecologia de vetores; Larva; Malária [incidência].

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · pdf in Spanish