SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue5Food-poisoning from Minas-type cheese, contamined with Staphylococcus aureus author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

DIAS, Luiz Candido de Souza et al. Epidemiologia e controle da esquistossomose mansônica em área onde o hospedeiro intermediário é Biomphalaria tenagophila. Rev. Saúde Pública [online]. 1988, vol.22, n.5, pp. 462-463. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101988000500011.

Desde 1980, está-se estudando a epidemiologia e o controle da esquistossomose mansônica no Município de Pedro de Toledo (Estado de São Paulo, Brasil). Em 1980 a prevalência avaliada por exame de fezes (método de Kato-Katz) foi de 22,8%. Estatisticamente, ao nível de 5%, não houve diferença nas prêvalencias observadas nas zonas rural e urbana. A intensidade de infecção foi baixa (média geométrica de 58,5 ovos por grama de fezes). As maiores prevalências e intensidades de infecção foram registradas na faixa etária de 5 a 29 anos. Geralmente a transmissão da endemia verificou-se durante o lazer. Apenas 0,4% de B. tenagophila mostraram-se positivos para cercárias de S. mansoni. A maioria dos portadores era assintomático. O programa de controle foi intensificado após avaliação dos dados de 1980, resultando em diminuição acentuada da prevalência de 22,8% em 1980 para 6%. Esta prevalência residual vem se mantendo até 1987. Agora iniciamos estudos para investigar as possíveis causas dessa prevalência residual.

Keywords : Esquistossomose mansônica [prevalência]; Biomphalaria tenagophila; Schistosoma mansoni; Inquéritos epidemiológicos.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English