SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 issue4  suppl.Daily sources of stress among HIV-positive womenThe meaning of fidelity and Aids prevention strategies among married men author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

On-line version ISSN 1518-8787Print version ISSN 0034-8910

Abstract

ALVES, Rozilda Neves; KOVACS, Maria Júlia; STALL, Ron  and  PAIVA, Vera. Fatores psicossociais e a infecção por HIV em mulheres, Maringá, PR. Rev. Saúde Pública [online]. 2002, vol.36, n.4, suppl., pp.32-39. ISSN 1518-8787.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102002000500006.

OBJETIVO: Analisar a percepção do risco de infecção em mulheres infectadas pelo HIV, antes de elas receberem o resultado positivo para essa patologia. MÉTODOS: Estudo exploratório com entrevistas em profundidade em amostra de conveniência constituída de 26 mulheres que freqüentavam o ambulatório de um centro regional de saúde em Maringá, PR. A entrevista foi semidirigida com um roteiro de perguntas fechadas e abertas sobre características sociodemográficos, conhecimento sobre prevenção primária e secundária, percepção de risco antes do teste positivo para HIV, impacto do resultado em suas vidas ¾ inclusive a sexual ¾ depois de saberem ser portadoras do vírus. Os resultados foram analisados pela metodologia de análise de conteúdo. RESULTADOS: Apesar de ter consciência de que essa doença pode atingir qualquer um, nenhuma das 26 mulheres estudadas acreditava estar infectada pelo HIV/Aids. Os mecanismos psicológicos, "negação", "evitação", "onipotência do pensamento" e "projeção" foram os que puderam ser identificados como aqueles que as mulheres mais utilizaram para lidar com as dificuldades e as ansiedades decorrentes da percepção de risco e das normas e relações de gêneros hegemônicas presentes na cultura brasileira. Verificou-se que, se o uso desses mecanismos alivia a angústia, por outro lado aumenta a vulnerabilidade das mulheres. Elas se sentem incapazes de atuar, e muitas mantêm relações sexuais desprotegidas com os parceiros, expondo-se à gravidez indesejada e à reinfecção. CONCLUSÕES: Os programas de prevenção do HIV devem considerar também aspectos psicológicos, socioeconômicos e culturais que interferem na vulnerabilidade das mulheres, antes e depois da infecção. Para haver maior alcance de suas ações, os programas devem ir além da distribuição massiva de informações e usar abordagens psicoeducativas em pequenos grupos que estimulem a conscientização das mulheres para além das informações biomédicas.

Keywords : Mulheres; Síndrome de imunodeficiência adquirida [prevenção]; Síndrome de imunodeficiência adquirida [psicologia]; Conhecimentos, atitudes e prática; HIV; Percepção; Soropositividade para HIV; Fatores socioeconômicos; Risco; Impacto psicossocial; Infecções por HIV.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )