SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 issue6Culicidae in bromeliads: diversity of species by anthropic environments, coastal area of Southeastern BrazilMethods for estimating prevalence ratios in cross-sectional studies author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

ZEIDLER, Julianna Dias; ACOSTA, Pablo Oscar Amézaga; BARRETO, Priscila Pereira  and  CORDEIRO, Joel da Silva. Vírus dengue em larvas de Aedes aegypti e sua dinâmica de infestação, Roraima, Brasil. Rev. Saúde Pública [online]. 2008, vol.42, n.6, pp. 986-991.  Epub Oct 03, 2008. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102008005000055.

OBJETIVO: Identificar a presença do vírus dengue em formas larvais de Aedes aegypti e relacionar a presença do vetor com índice pluviométrico e número de casos de dengue. MÉTODOS: Dezoito domicílios foram selecionados aleatoriamente para coleta de ovos em um bairro da cidade de Boa Vista (RR). Foram instaladas duas ovitrampas por domicílio e removidas após uma semana, mensalmente, de novembro de 2006 a maio de 2007. Foram calculados o índice de positividade de ovitrampa e o índice de densidade dos ovos. Após eclosão de 1.422 ovos coletados, foram formados 44 pools de no máximo 30 larvas para teste de presença do vírus dengue por meio de RT-PCR e hemi-nested PCR. O índice de incidência de dengue no período foi correlacionado com a precipitação pluvial. A associação entre essas variáveis e número de ovos coletados foi analisada pelo coeficiente de Pearson. RESULTADOS: Nenhum dos pools apresentou positividade para o vírus dengue, apesar do bairro ter apresentado elevados índices de incidência de dengue no período estudado. A densidade da população de Ae. aegypti aumentou conforme a pluviosidade, mas não apresentou correlação com índices de incidência de casos de dengue. CONCLUSÕES: Os resultados sugerem que a transmissão transovariana do vírus em mosquitos ocorre a uma freqüência muito baixa e por isso sua persistência em meio urbano pode não depender desse fenômeno. A população do mosquito aumentou no período de chuvas devido à formação de criadouros; a não-correlação com o índice de incidência de dengue deve-se à possibilidade desse dado ser subestimado em períodos de epidemia.

Keywords : Dengue [transmissão]; Aedes; Insetos Vetores; Entomologia; Vigilância Epidemiológica.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese