SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue6Cesarean sections in a birth centerViolence behavior and factors associated among students of Central-West Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

SILVA, Elisabete Pereira; LUDERMIR, Ana Bernarda; ARAUJO, Thália Velho Barreto de  and  VALONGUEIRO, Sandra Alves. Freqüência e padrão da violência por parceiro íntimo antes, durante e depois da gravidez. Rev. Saúde Pública [online]. 2011, vol.45, n.6, pp. 1044-1053.  Epub Oct 14, 2011. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011005000074.

OBJETIVO: Estimar a prevalência e analisar o padrão da violência por parceiro íntimo antes e durante a gestação e no pós-parto. MÉTODOS: Estudo de coorte realizado com 960 mulheres de 18 a 49 anos, cadastradas no Programa Saúde da Família da cidade do Recife, PE, entre 2005 e 2006. As mulheres foram entrevistadas durante a gestação e no puerpério, utilizando-se um questionário adaptado do Estudo Multipaíses sobre a Saúde da Mulher e Violência Doméstica da Organização Mundial da Saúde. Para avaliar o padrão de ocorrência da violência por parceiro íntimo, entre um determinado período e o subseqüente, o odds ratio foi calculado com intervalos de 95% de confiança (IC95%). RESULTADOS: A prevalência de violência por parceiro íntimo antes, durante e/ou depois da gestação foi estimada em 47,4% e, para cada período isolado, em 32,4%, 31,0% e 22,6%, respectivamente. As mulheres que relataram violência antes da gravidez tiveram chance 11,6 vezes maior (IC95%: 8,3;16,2) de relatar violência durante a gravidez. Quando as mulheres relataram violência durante a gravidez, a chance de relatos no pós-parto foi 8,2 vezes maior (IC95%: 5,1;11,7). A violência psicológica foi a de maior prevalência, principalmente durante a gestação (28,8%; IC95%: 26,0%;31,7%); a sexual, a menos prevalente, especialmente no pós-parto (3,7%; IC95%: 2,6%;5,0%); e a física diminuiu quase 50% durante a gestação em comparação com o período anterior. CONCLUSÕES: Parcela significativa das mulheres em idade reprodutiva vivencia situações de violência por parceiro íntimo. Os períodos de consultas de pré-natal e de puericultura são oportunidades para que o profissional de saúde possa identificar situações de violência.

Keywords : Violência contra a Mulher; Gestantes; Período Pós-Parto; Maus-Tratos Conjugais; Estudo de coortes.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese