SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 número5Atitudes e conhecimentos de agentes comunitários de saúde e suas relações com idososBionomia de Culex quinquefasciatus em áreas urbanas no Rio de Janeiro, RJ índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Page  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0034-8910

Resumo

CEDIEL, Natalia et al. Percepção de risco sobre zoonoses em trabalhadores imigrantes e italianos no Noroeste da Itália. Rev. Saúde Pública [online]. 2012, vol.46, n.5, pp. 850-857. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012000500012.

OBJECTIVE: Analisar fatores associados à baixa percepção de risco de zoonoses e identificar as lacunas no conhecimento sobre a transmissão e prevenção de zoonoses em trabalhadores imigrantes e italianos. METHODS: Estudo transversal com 175 trabalhadores da indústria agropecuária e agroalimentar em Piemonte, Itália. Os dados foram obtidos por meio de questionário semiestruturado baseado em estudo sobre conhecimentos, atitudes e práticas. Foram calculadas proporções, com uso de teste qui-quadrado e odds ratio para estimar associações. Oito entrevistas individuais com informantes-chave em matéria de imigração e saúde pública foram realizadas. RESULTS: Cerca de 47% dos trabalhadores eram italianos e 53%, imigrantes, provenientes da Romênia, Marrocos, Albânia, Índia, China, Argentina, Peru, Macedônia, Costa do Marfim, Ucrânia e Colômbia. Houve diferenças significativas na menor percepção do risco no trabalho (p = 0,001). Observou-se associação entre falta de conhecimentos corretos sobre zoonoses e ser imigrante (OR = 4,1; IC95% 1,7;9,8; p ≤ 0,01), trabalhar na indústria pecuária (OR = 2,9; IC95% 1,2;6,8; p = 0,01) e ser um trabalhador não qualificado (OR = 4,4; IC95% 1,2;15,4; p = 0,01). Outra forte associação ocorreu entre ser imigrante e ter emprego de baixa qualificação (OR = 6,7; IC95% 2,9;15,4; p ≤ 0,01). Maior frequência de comportamentos de risco e menor nível de conhecimento sobre zoonoses foram encontrados no grupo dos imigrantes asiáticos. CONCLUSIONS: Foram observadas diferenças na percepção de risco de zoonoses entre os grupos participantes. O status de imigrante pode ser considerado fator de risco para ter baixa percepção de risco e menor nível de conhecimento das zoonoses no trabalho. Existe relação entre esse conhecimento específico de zoonoses e falta de formação e instrução entre as populações migrantes. É necessário desenvolver programas de educação sobre a prevenção de zoonoses entre a população imigrante.

Palavras-chave : Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde, Criação de Animais Domésticos, Zoonoses; Percepção; Riscos Ocupacionais; Estudos Transversais.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · pdf em Inglês