SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue1Polarization of dental caries in a Brazilian city without fluoridated waterIgM-ELISA for diagnosis of schistosomiasis mansoni in low endemic areas author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Cadernos de Saúde Pública

Print version ISSN 0102-311X

Abstract

SANTOS, Werbena Aguiar dos et al. Associação entre tabagismo e paracoccidioidomicose: um estudo de caso-controle no Estado do Espírito Santo, Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2003, vol.19, n.1, pp. 245-253. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000100027.

A paracoccidioidomicose é a principal micose sistêmica em nosso meio, que exige tratamento prolongado, de alto custo, e que deixa seqüelas graves nos pulmões, órgãos mais freqüentemente acometidos e sujeitos ainda às agressões de fatores de risco externos, como o tabaco. Investigou-se, por meio de um estudo caso-controle, a influência do tabagismo e do alcoolismo no desenvolvimento da forma crônica da paracoccidioidomicose. Dados sobre a ocupação, moradia e hábitos de vida foram obtidos de 70 doentes e 180 controles. Os doentes fumavam e bebiam mais que os controles. A chance de adoecer foi 14 vezes maior entre os fumantes e 3,6 vezes maior entre os que bebiam acima de 50g/dia de álcool. Na regressão logística, foram significativas as variáveis consumo de tabaco por mais de 20 anos (OR = 10,1), consumo de cigarros industrializados (OR = 4,8) e consumo de álcool acima de 50g/dia (OR = 2,9). Os doentes que fumavam 20 ou mais cigarros/dia adoeceram em média oito anos antes que os demais (p = 0,002). O consumo de álcool acima de 50g/dia não influenciou na idade de adoecimento (p = 0,78). Conclui-se que o tabagismo constitui fator de risco para o desenvolvimento da paracoccidioidomicose; o alcoolismo atuaria como um co-fator, associado ao tabagismo.

Keywords : Paracoccidioidomicose; Tabagismo; Alcoolismo; Fatores de Risco.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese