SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue2Effectiveness of weekly iron sulfate in the Family Health Program in Caruaru, Pernambuco State, BrazilValidation of a tool for assessing the quality of pharmaceutical services author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Cadernos de Saúde Pública

Print version ISSN 0102-311X

Abstract

MARTINS JR., Davi Félix  and  BARRETO, Maurício L.. Aspectos macroepidemiológicos da esquistossomose mansônica: análise da relação da irrigação no perfil espacial da endemia no Estado da Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2003, vol.19, n.2, pp. 383-393. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000200005.

Estudos na África, de forma enfática, têm mostrado a associação entre a implantação de perímetros de irrigação e o aumento ou expansão da ocorrência esquistossomose mansônica ou hematóbica. O objetivo deste estudo foi verificar a associação entre a prática de irrigação no território do Estado da Bahia e a ocorrência e a difusão da infecção pelo Schistosoma mansoni. O desenvolvimento da irrigação no Estado da Bahia assume duas formas: a primeira é intensiva em capital e mecanizada, voltada para produção agrícola de exportação e necessitando de pouca mão-de-obra. Na segunda forma, caracteriza-se pelo baixo grau de mecanização e utilização intensiva de mão-de-obra. O estudo mostrou que os municípios com as maiores áreas irrigadas não são aqueles que registram as mais altas taxas de prevalência da infecção. Na maior parte desses municípios a irrigação é intensiva em termos de capital e tecnologia. Os achados concluem que diferentemente do observado na África, no Estado da Bahia, a irrigação tem tido pequena influência na definição do perfil espacial da endemia.

Keywords : Esquistossomose; Schistosoma mansoni; Recursos Hídricos; Distribuição Espacial.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese