SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue8The challenge of decentralization of the Unified National Health System in large cities: the case of São Paulo, BrazilStrategies for disclosing HIV status to sexual partners and their relationship to healthcare provision author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Cadernos de Saúde Pública

Print version ISSN 0102-311X

Abstract

NASCIMENTO, Luiz Fernando C.  and  MOREIRA, Douglas A.. Os poluentes ambientais são fatores de risco para o baixo peso ao nascer?. Cad. Saúde Pública [online]. 2009, vol.25, n.8, pp. 1791-1796. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000800015.

O objetivo foi estimar o papel de poluentes no baixo peso ao nascer numa cidade de porte médio. Foi um estudo ecológico com dados obtidos da Declaração de Nascido Vivo relativos a São José dos Campos, São Paulo, Brasil. Os dados ambientais foram fornecidos pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (CETESB). Foram incluídos no estudo recém-nascidos a termo, com mães entre 20 e 34 anos de idade, segundo grau completo, sete ou mais consultas realizadas no pré-natal, gravidez única e parto normal, para minimizar o efeito de confusão destas variáveis. Utilizou-se regressão logística para estimar o efeito de cada poluente. Baixo peso ao nascer foi considerado aquele inferior a 2.500g. Foram incluídos 2.529 dados de 2001 que atenderam aos critérios de inclusão (25,6% do total). Identificamos 99 recém-nascidos (3,95% dessa amostra) com baixo peso e os poluentes dióxido de enxofre e ozônio como associados ao baixo peso ao nascer. O modelo final foi À(x) = -1,79 + 1,30 (SO2) + 1,26 (O3). Assim, identificou-se o dióxido de enxofre e ozônio como responsáveis pelo baixo peso ao nascer numa cidade de porte médio do Sudeste brasileiro.

Keywords : Dióxido de Enxofre; Poluentes Ambientais; Baixo Peso ao Nascer.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English