SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue8The challenge of decentralization of the Unified National Health System in large cities: the case of São Paulo, BrazilStrategies for disclosing HIV status to sexual partners and their relationship to healthcare provision author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Cadernos de Saúde Pública

On-line version ISSN 1678-4464

Abstract

NASCIMENTO, Luiz Fernando C.  and  MOREIRA, Douglas A.. Os poluentes ambientais são fatores de risco para o baixo peso ao nascer?. Cad. Saúde Pública [online]. 2009, vol.25, n.8, pp. 1791-1796. ISSN 1678-4464.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000800015.

O objetivo foi estimar o papel de poluentes no baixo peso ao nascer numa cidade de porte médio. Foi um estudo ecológico com dados obtidos da Declaração de Nascido Vivo relativos a São José dos Campos, São Paulo, Brasil. Os dados ambientais foram fornecidos pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (CETESB). Foram incluídos no estudo recém-nascidos a termo, com mães entre 20 e 34 anos de idade, segundo grau completo, sete ou mais consultas realizadas no pré-natal, gravidez única e parto normal, para minimizar o efeito de confusão destas variáveis. Utilizou-se regressão logística para estimar o efeito de cada poluente. Baixo peso ao nascer foi considerado aquele inferior a 2.500g. Foram incluídos 2.529 dados de 2001 que atenderam aos critérios de inclusão (25,6% do total). Identificamos 99 recém-nascidos (3,95% dessa amostra) com baixo peso e os poluentes dióxido de enxofre e ozônio como associados ao baixo peso ao nascer. O modelo final foi À(x) = -1,79 + 1,30 (SO2) + 1,26 (O3). Assim, identificou-se o dióxido de enxofre e ozônio como responsáveis pelo baixo peso ao nascer numa cidade de porte médio do Sudeste brasileiro.

Keywords : Dióxido de Enxofre; Poluentes Ambientais; Baixo Peso ao Nascer.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )