SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue9Social inequality in morbidity and mortality from oral and oropharyngeal cancer in the city of São Paulo, Brazil: 1997-2008Leprosy diagnosis in municipalities other than the patients' place of residence: spatial analysis, 2001-2009 author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Cadernos de Saúde Pública

Print version ISSN 0102-311X

Abstract

LIMA, Margareth Guimarães; BARROS, Marilisa Berti de Azevedo  and  ALVES, Maria Cecília Goi Porto. Duração do sono e estado de saúde autorreferido (SF-36) em idosos: estudo de base populacional (ISA-Camp 2008). Cad. Saúde Pública [online]. 2012, vol.28, n.9, pp. 1674-1684. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000900007.

Avaliar a associação da duração do sono com o estado de saúde autorreferido em idosos. Estudo de base populacional que utilizou dados do Inquérito de Saúde de Campinas, São Paulo, Brasil (ISA-Camp 2008), com 1.418 idosos. Modelos de regressão linear foram usados para verificar a associação entre as escalas do SF-36 versão 2 e os dois componentes de medida, com a duração do sono. Homens idosos que dormem 6 horas ou menos apresentam as menores médias dos escores do SF-36, comparando com os que dormem 7 a 8 horas, nos domínios de vitalidade e saúde mental. Todas as escalas apresentaram associação negativa com a duração do sono de 10 horas ou mais, exceto em dor. Nas mulheres, o tempo de sono > 5 horas se associou à pior situação nas escalas de saúde mental, aspectos emocionais e vitalidade. Saúde mental se associou negativamente com a duração do sono de 10 horas ou mais nessa população. A privação do sono e o excesso se associaram ao pior estado de saúde nos idosos, de maneira diferente entre os sexos, principalmente considerando o sono longo.

Keywords : Qualidade de Vida; Sono; Saúde do Idoso; Nível de Saúde.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English