SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número10Análise de aglomerados espaço-temporais da leishmaniose visceral americana em Bauru, São Paulo, BrasilPapanicolaou na pós-menopausa: fatores associados a sua não realização índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Page  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0102-311X

Resumo

ANDRADE, Fabiola Bof de et al. Fatores associados à autopercepção de saúde bucal ruim entre idosos não institucionalizados do Município de São Paulo, Brasil . Cad. Saúde Pública [online]. 2012, vol.28, n.10, pp. 1965-1975. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012001000014.

Este estudo avaliou a prevalência de autopercepção de saúde bucal como ruim em idosos de São Paulo, Brasil, e investigou sua relação com a saúde bucal, saúde geral e fatores socioeconômicos. A amostra foi composta por 871 idosos do estudo de coorte Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento. A autopercepção da saúde bucal foi medida pela pergunta: "Como você classifica a sua saúde bucal?". A maioria dos idosos apresentou autoavaliação de saúde bucal boa. A autopercepção de saúde bucal como ruim, entre indivíduos dentados, foi relacionada à depressão, autoavaliação de saúde ruim, check-up odontológico, tratamento dentário e dimensão psicossocial do Geriatric Oral Health Assessment Index. Desdentados com autoavaliação de saúde ruim apresentaram maior probabilidade de relatar saúde bucal ruim, enquanto aqueles com maior pontuação na dimensão psicossocial tiveram menor chance de autoavaliação ruim. A autoavaliação de saúde bucal ruim foi associada com fatores de saúde geral e com o impacto psicossocial da saúde bucal na qualidade de vida, independentemente de medidas socioeconômicas e clínicas de saúde bucal.

Palavras-chave : Saúde Bucal; Qualidade de Vida; Idoso.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês