SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 issue3External evaluation of analytical quality in hematology: a necessity in Latin AmericaDental care associated with an outbreak of HIV infection among dialysis patients author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

BRANQUINHO, Maria Stela et al. Infecção do Anopheles (Kerteszia) cruzii por Plasmodium vivax e Plasmodium vivax variante VK247 nos Municípios de São Vicente e Juquitiba, São Paulo. Rev Panam Salud Publica [online]. 1997, vol.2, n.3, pp. 189-193. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49891997000900004.

O Estado de São Paulo, situado na região Sudeste do Brasil, apresenta esporadicamente casos autóctones de malária que se caracterizam pela presença de quadro clínico benigno com parasitemias baixas e sintomatologia branda, identificados como malária vivax. Pouco se sabe a respeito da sintomatologia e resposta imune desenvolvidas pelo ser humano para as variantes Plasmodium vivax VK247 e Plasmodium vivax-like humano. Estas variantes são transmitidas pelo mosquito Anopheles (Kerteszia) cruzii, uma das espécies mais abundantes no Sudeste brasileiro. O objetivo deste trabalho foi verificar a infecção em anofelinos desta região, através do teste imunoenzimático ELISA com utilização de anticorpos monoclonais específicos dirigidos contra as regiões repetitivas da proteína circunsporozoíta de P. vivax clássico, P. brasilianum/P. malariae e P. vivax VK247. Coletas entomológicas foram realizadas no período de 1991 a 1993 em São Vicente e Juquitiba, municípios localizados em área remanescente da Mata Atlântica do Estado de São Paulo. A Mata Atlântica é rica em plantas da família Bromeliaceae, criadouros de formas imaturas de anofelinos do subgênero Kerteszia. De um total de 1117 espécimes de An. (Ker.) cruzii capturados no Município de São Vicente, 0,179% foram positivos para P. vivax clássico. Em Juquitiba, dentre 1161 An. (Ker.) cruzii pesquisados, 0,086% foram positivos para o P. vivax VK247, o que demonstra a presença da variante na região. Embora o índice de infecção encontrado seja baixo, a alta densidade destes mosquitos e sua voracidade (picam durante as 24 h do dia) poderiam compensar a baixa porcentagem de espécimes infectados.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese