SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 issue2Program for the prevention and control of childhood acute respiratory infections in Santiago, ChileData on birth weight in developing countries: can surveys help author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

DISCACCIATI, José Augusto César; SANDER, Herbert Haueisen; CASTILHO, Lia Silva de  and  RESENDE, Vera Lúcia Silva. Verificação da dispersão de respingos durante o trabalho do cirurgião-dentista. Rev Panam Salud Publica [online]. 1998, vol.3, n.2, pp. 84-87. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49891998000200003.

Todas as pessoas envolvidas em um atendimento odontológico estão sujeitas à contaminação por bactérias, vírus e fungos que podem causar diversas enfermidades, dentre as quais se destacam a hepatite, a tuberculose, o herpes e a AIDS. Sabe-se que, durante um atendimento, há possibilidade de ocorrer dispersão de respingos e aerossóis contendo microrganismos patogênicos. No entanto, algumas clínicas odontológicas são projetadas com vários consultórios no mesmo ambiente, sem divisórias entre eles. O objetivo deste trabalho foi verificar qual o alcance dos respingos provenientes da utilização de seringa tríplice e turbina de alta rotação em cinco atendimentos clínicos simulados em uma clínica de atendimento coletivo, considerando que estes respingos podem conter saliva e sangue do paciente. Para isso, anilina de diferentes cores (rosa, azul, amarela, verde e marrom) foi adicionada à água do reservatório de cada um dos cinco equipamentos. Todo o ambiente físico, assim como a roupa do operador e do paciente, foram cobertos com papel crepom branco. Constatou-se grande concentração de respingos sobre as cadeiras, sobre o operador, sobre o piso, cadeiras vizinhas e bandejas clínicas das unidades vizinhas. A distância máxima atingida pelos respingos foi de 1,82 m, medindo-se a partir do ponto correspondente à boca do paciente. Durante um atendimento real, coletivo e simultâneo nesta clínica, as cadeiras vizinhas e seus respectivos pacientes e operadores, bem como as bandejas clínicas contendo instrumental esterilizado situam-se dentro da área de abrangência dos respingos. Portanto, existe uma possibilidade real de ocorrer contaminação cruzada, havendo necessidade de colocação de barreiras físicas entre os equipamentos. O estudo evidenciou também a necessidade de proteção de toda a face, o corpo, o cabelo e os braços do operador, uma vez que estas foram regiões muito atingidas pelos respingos.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese