SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 issue5The use of capture-recapture methods to monitor diabetes in Dominica, West IndiesRisk factors for low birthweight author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

COSTA, Juvenal Soares Dias da; D'ELIA, Paula Berenhauser; MANZOLLI, Patrícia  and  MOREIRA, Mônica Regina. Cobertura do exame citopatológico na cidade de Pelotas, Brasil. Rev Panam Salud Publica [online]. 1998, vol.3, n.5, pp. 308-313. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49891998000500004.

Em 1995, o câncer de colo de útero foi a quarta causa de morte mais prevalente para o sexo feminino no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Tendo em vista que não existem estudos disponíveis sobre a cobertura do exame citopatológico na cidade de Pelotas ¾ a principal cidade da região sul do estado do Rio Grande do Sul ¾ , em 1992 realizou-se uma pesquisa transversal, de base populacional, entre mulheres de 20 a 69 anos residentes na zona urbana da cidade de Pelotas. O objetivo do estudo foi verificar a realização do exame citopatológico nos 3 anos anteriores à pesquisa; determinar o índice de cobertura deste exame na cidade de Pelotas; e identificar fatores associados à realização do exame. A classe social foi definida como variável sobredeterminante. Na operacionalização de classe social duas classificações foram utilizadas: a classificação de Bronfman e a classificação preconizada pela Associação Brasileira de Institutos de Pesquisa de Mercado. Das 934 mulheres entrevistadas, 606 (65%) haviam feito o exame citopatológico nos 3 anos que antecederam a pesquisa. A análise multivariada revelou diferenças quanto à realização do exame citopatológico em relação à classe social, idade e freqüência anual de consultas. Não foram encontradas diferenças em relação à escolaridade, tipo de serviço de saúde utilizado e hospitalizações no ano anterior à pesquisa. O estudo conclui que a cobertura do exame citopatológico para mulheres entre 20 e 69 anos em Pelotas é superior à cobertura encontrada em outras partes do país e do mundo. No entanto, nas classes mais baixas, o índice de cobertura ficou entre 52 e 56%. Estes dados podem contribuir para a elaboração de medidas que visem ao aumento da cobertura para setores específicos.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese