SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 issue3Attitudes and beliefs about environmental hazards in three diverse communities in Texas on the border with MexicoSeroprevalence of Chagas' disease in Ushuaia, Argentina, an area without triatomines author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

BRANDAO, Ajacio Bandeira de Mello; FUCHS, Sandra Costa; SILVA, Mauro Alberto dos Anjos  and  EMER, Letícia Fanck. Diagnóstico da hepatite C na prática médica: revisão da literatura. Rev Panam Salud Publica [online]. 2001, vol.9, n.3, pp. 161-168. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892001000300005.

Objetivo. O objetivo do presente estudo foi revisar a literatura a respeito dos testes laboratoriais para diagnóstico da infecção pelo vírus da hepatite C, disponíveis desde 1989. O diagnóstico da hepatite C é baseado em métodos serológicos e em técnicas de biologia molecular. O método serológico, que utiliza pesquisa de anticorpos contra o vírus da hepatite C, é o mais freqüentemente empregado para identificar a infecção, presente ou passada. Existem dois tipos de testes serológicos: os que adotam a técnica ELISA, de alta sensibilidade, usados no rastreamento da infecção; e os que utilizam a técnica immunoblot, de maior especificidade, denominados por isso suplementares ou confirmatórios. Em relação às técnicas de biologia molecular, existem vários testes. Um deles possibilita a detecção do RNA do vírus C, sendo útil para estabelecer o diagnóstico de infecção em situações específicas, como na fase inicial da infecção, em pacientes imunossuprimidos ou com baixa probabilidade de estarem infectados. Também são recomendados antes de se iniciar o tratamento com interferon e ribavirina e para monitorizar a resposta terapêutica. Outros testes de biologia molecular possibilitam determinar a carga viral, mediante amplificação do alvo, como na reação em cadeia de polimerase, ou amplificação de um sinal, como no DNA ramificado. A determinação do genótipo do vírus da hepatite C pode ser feita por metodologias de biologia molecular ou de serotipagem. A determinação da carga viral e do genótipo do vírus C servem para definir a duração do tratamento da hepatite crônica com interferon e ribavirina. Em geral, pode-se dizer que na última década houve grandes avanços no diagnóstico da hepatite C, com melhora na sensibilidade e especificidade dos testes utilizados para detecção de anticorpos, o que permitiu diagnósticos mais rápidos e relativamente mais baratos. Contudo, é necessário desenvolver testes de maior acurácia para avaliar grupos determinados, como pacientes imunossuprimidos ou com hepatite aguda.

Keywords : Hepatite C; serôlogia; ELISA; immunoblot; reação em cadeia de polimerase.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese