SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 issue5-6Social inequality and child malnutrition in four Andean countriesInformation for health equity in Chile author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Panamericana de Salud Pública

On-line version ISSN 1680-5348Print version ISSN 1020-4989

Abstract

TRAVASSOS, Cláudia; VIACAVA, Francisco; PINHEIRO, Rejane  and  BRITO, Alexandre. Utilização dos serviços de saúde no Brasil: gênero, características familiares e condição social. Rev Panam Salud Publica [online]. 2002, vol.11, n.5-6, pp.365-373. ISSN 1680-5348.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892002000500011.

Objetivo. Investigar o perfil de utilização de serviços de saúde por homens e mulheres no Brasil. Métodos. Utilizaram-se os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios realizada em 1998. Foram desenvolvidos modelos de regressão logística para analisar as informações relativas a homens e mulheres com e sem restrição de atividades por motivos de saúde nos 15 dias que antecederam a pesquisa. As variáveis individuais foram: posição no mercado de trabalho, escolaridade e raça. Também foram analisadas variáveis relativas à família: renda familiar per capita, tamanho da família e escolaridade e posição do chefe da família no mercado de trabalho. Nos modelos em dois níveis (variáveis individuais e familiares) evidenciou-se um efeito de família que, entretanto, não foi captado pelas variáveis analisadas. Resultados. As mulheres utilizaram mais os serviços de saúde, mesmo quando controlado o efeito da restrição de atividades por motivo de saúde. O uso de serviços de saúde por homens e mulheres dependeu do poder aquisitivo das famílias e das características sociais do próprio indivíduo, definindo um perfil de desigualdades sociais. Observaram-se diferenças no perfil de desigualdade nos gêneros entre pessoas que referiram e não referiram restrição de atividades. As variáveis familiares tiveram maior importância na explicação do consumo de serviços por pessoas sem restrição de atividade. Conclusões. A formulação de políticas voltadas para a redução das desigualdades no consumo de serviços de saúde deve considerar as diferenças entre mulheres e homens, além da importância das características familiares. Ressalta-se a necessidade de incluir as dimensões gênero e família na especificação dos modelos de uso de serviços de saúde.

Keywords : Acesso aos serviços de saúde; utilização de serviços de saúde.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )