SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 issue5CD4 cell counts in adults with newly diagnosed HIV infection in BarbadosAzlocillin plus amikacin: an alternative therapy for sepsis caused by resistant staphylococci? author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

VELASQUEZ-MELENDEZ, Gustavo; PIMENTA, Adriano M.  and  KAC, Gilberto. Epidemiologia do sobrepeso e da obesidade e seus fatores determinantes em Belo Horizonte (MG), Brasil: estudo transversal de base populacional. Rev Panam Salud Publica [online]. 2004, vol.16, n.5, pp. 308-314. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892004001100003.

OBJETIVO: Determinar a prevalência do sobrepeso e da obesidade e investigar os fatores de risco na população maior de 18 anos residente na região metropolitana de Belo Horizonte, Brasil. MÉTODOS: Foram analisados dados obtidos pela pesquisa sobre padrões de vida realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística entre 1996 e 1997 a partir de uma amostra probabilística de 1 105 indivíduos. Medidas de peso e altura foram realizadas por equipes treinadas. O sobrepeso (índice de massa corporal >25,0 kg/m2) e a obesidade (índice de massa corporal > 30,0 kg/m2) foram definidos como variáveis dependentes. Os potenciais fatores associados foram estudados a partir de análises bivariadas e da técnica de regressão logística multivariada. RESULTADOS: A prevalência do sobrepeso e da obesidade foi de 31,1% (IC95%: 27,3 a 35,2) e 5,7% (IC95%: 4,0 a 8,1) nos homens e 25,9% (IC95%: 22,4 a 29,8) e 14,7% (IC95%: 11,9 a 17,9) nas mulheres. Na análise multivariada, a idade e o estado marital permaneceram como fatores de risco independentes para o sobrepeso, enquanto a idade, o sexo e a escolaridade permaneceram como fatores independentes para a obesidade. A interação entre o sexo feminino e a alta escolaridade constituiu-se em fator protetor para o sobrepeso (OR = 0,52; IC95%: 0,33 a 0,83), mas não para a obesidade. As mulheres de baixa escolaridade apresentaram alto risco (OR = 5,95; IC95%: 2,51 a 14,12) de desenvolver obesidade em comparação aos homens. CONCLUSÕES: Os resultados indicam que o sobrepeso e a obesidade podem vir a se tornar um sério problema de saúde pública na região metropolitana de Belo Horizonte. É importante desenvolver estudos que enfoquem a relação entre o sobrepeso e a obesidade e variáveis comportamentais, como o fumo e o consumo de álcool.

Keywords : Adulto; escolaridade; índice de massa corporal.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese