SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue4The relationship between socioeconomic factors and maternal and infant health programs in 13 Argentine provincesHealth in Cuba and the Millennium Development Goals author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

DETSCH, Cíntia et al. Prevalência de alterações posturais em escolares do ensino médio em uma cidade no Sul do Brasil. Rev Panam Salud Publica [online]. 2007, vol.21, n.4, pp. 231-238. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892007000300006.

OBJETIVOS: Estimar a prevalência de alterações posturais laterais e ântero-posteriores em adolescentes do sexo feminino e verificar se determinados fatores socioeconômicos, demográficos, antropométricos e comportamentais estão associados a essas alterações posturais. MÉTODOS:  Inquérito epidemiológico com amostra representativa de 495 estudantes do ensino médio regular diurno, com idade de 14 a 18 anos na Cidade de São Leopoldo, Brasil. As estudantes foram avaliadas nos meses de outubro e novembro de 2004. As alterações posturais foram definidas como alterações nas curvas fisiológicas da coluna vertebral, identificadas através de avaliação postural não-invasiva. RESULTADOS:  Observou-se uma prevalência de 66% (IC95%: 61,5 a 70,0) para as alterações laterais e de 70% (IC95%: 65,2 a 73,5) para as alterações ântero-posteriores. As alterações laterais foram mais prevalentes nas alunas com índice de massa corporal normal (razão de prevalência, ou RP = 1,32; IC95%: 1,09 a 1,59) e nas que assistiam à televisão por mais de 10 horas semanais (RP = 1,16; IC95%: 1,02 a 1,32). A prevalência de alterações ântero-posteriores foi maior nas alunas cujos responsáveis estudaram até o nível fundamental (responsáveis femininos, RP = 1,30; IC95%: 1,09 a 1,55; e responsáveis masculinos, RP = 1,20; IC95%: 1,02 a 1,40) e nas alunas com sobrepeso ou obesidade (RP = 1,33; IC95%: 1,19 a 1,48). CONCLUSÕES:  Preocupa a alta prevalência de alterações na postura das adolescentes, uma vez que essas alterações podem gerar problemas na coluna vertebral a médio e longo prazo. É importante que profissionais da área da saúde, inclusive professores de educação física, estejam aptos a realizar avaliações posturais, e que esse procedimento seja realizado rotineiramente nas escolas.

Keywords : Coluna vertebral; postura; epidemiologia; saúde do adolescente; saúde escolar; Brasil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese