SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue5Blood donation: knowledge and attitudes of a university population in ChilePostpartum women in the Honduran health system: folic acid knowledge, attitudes, and practices author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

NEUMANN, Africa Isabel Cruz Perez; MARTINS, Ignez Salas; MARCOPITO, Luiz Francisco  and  ARAUJO, Eutalia Aparecida Candido. Padrões alimentares associados a fatores de risco para doenças cardiovasculares entre residentes de um município brasileiro. Rev Panam Salud Publica [online]. 2007, vol.22, n.5, pp. 329-339. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892007001000006.

OBJETIVO: Identificar os padrões de consumo alimentar dos residentes da área urbana do Município de São Paulo, Brasil, e investigar a associação desses padrões com fatores de risco biológicos, sociodemográficos e comportamentais para doenças cardiovasculares (DCV). MÉTODO: Realizou-se um inquérito epidemiológico de delineamento transversal, com amostra probabilística de base populacional. Os 2 100 participantes de ambos os sexos tinham entre 15 e 59 anos. Em uma sub-amostra sistemática de 700 pessoas, aplicou-se um inquérito sociodemográfico, comportamental, clínico e alimentar. Obtiveram-se os padrões alimentares por análise fatorial a partir de um questionário de freqüência alimentar. As associações dos padrões alimentares com as variáveis sociodemográficas e comportamentais foram determinadas por meio de análise de covariância; e com os fatores biológicos, por regressão linear múltipla. RESULTADOS: Identificaram-se quatro padrões alimentares: "cafeteria" (açúcares simples e gorduras saturadas) associou-se com área de homogeneidade sociodemográfica e ambiental média, escolaridade média e superior e consumo de álcool. Associou-se ainda positivamente com a pressão sistólica (PAS), diastólica (PAD), índice de massa corporal (IMC) e relação cintura-quadril (RCQ) e negativamente com o HDL. O segundo padrão, "tradicional" (cereais, feijões e infusões), predominou entre mulheres e na idade superior a 50 anos; associou-se com consumo de álcool, renda superior e área de homogeneidade média. Associou-se de modo positivo com glicemia e IMC e de modo negativo com triglicérides e RCQ. O padrão "moderno" (baixos teores de gordura de açúcares simples; consumo de peixes), predominou entre os indivíduos de áreas de homogeneidade alta, com maior renda e escolaridade superior. Associou-se negativamente com PAD, colesterol total, glicemia e LDL. O padrão "aterogênico" (gorduras saturadas, adição de sal na comida depois de pronta e bebidas alcoólicas) predominou entre os homens. Associou-se com escolaridade fundamental, tabagismo, consumo de álcool e áreas de homogeneidade média e baixa. Associou-se de modo positivo com colesterol total, triglicérides, glicemia, IMC e RCQ. CONCLUSÕES: Os resultados apontam para tendências desfavoráveis do padrão alimentar na população estudada, visto que três dos quatro padrões de consumo identificados (cafeteria, tradicional e aterogênico) associaram-se de forma significativa com fatores de risco para DCV.

Keywords : Análise fatorial; consumo de alimentos; doenças cardiovasculares; Brasil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese