SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue1Prevention of mother-to-child transmission of HIV in HaitiCost-benefit of a prevention and treatment program to reduce iron deficiency in Argentina author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Panamericana de Salud Pública

On-line version ISSN 1680-5348Print version ISSN 1020-4989

Abstract

RODRIGUES-JUNIOR, Antonio Luiz  and  CASTILHO, Euclides Ayres de. A AIDS nas regiões de fronteira no Brasil de 1990 a 2003. Rev Panam Salud Publica [online]. 2009, vol.25, n.1, pp.31-38. ISSN 1680-5348.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892009000100005.

OBJETIVO: Estudar a epidemia de aids na faixa de fronteira no Brasil, com enfoque espacial e temporal. MÉTODOS: Trata-se de um estudo ecológico no qual os casos de AIDS notificados ao Ministério da Saúde de 1990 a 2003 foram agrupados conforme as áreas de fome estabelecidas por Josué de Castro nos anos 1940 e conforme 19 sub-regiões culturais. A avaliação espacial foi feita com base nos coeficientes de incidência para os municípios da faixa de fronteira; a avaliação temporal considerou o número absoluto de casos em períodos trimestrais de 1990 a 2003 em cada área de fome considerada (Extremo Sul, Centro-Oeste e Amazônica). RESULTADOS: Foram notificados 7 973 casos de AIDS na faixa de fronteira brasileira: 648 na área Amazônica, 1 579 no Centro-Oeste e 5746 no Extremo Sul (população de 668098, 895489 e 2769361 habitantes, respectivamente). As sub-regiões com os maiores coeficientes de incidência de AIDS, em cada área, estavam localizadas nas fronteiras tríplices entre o Brasil e outros países da América do Sul. Houve predominância da transmissão por via sexual, sendo a transmissão heterossexual a categoria mais freqüente, seguida pela de transmissão por homens que fazem sexo com outros homens. Essas duas categorias representaram 87,2% dos casos notificados. Quanto à análise temporal, as estimativas do parâmetro de tendência foram 0,53 (P < 0,0001), 0,83 (P < 0,0001) e 3,47 (P < 0,0001), respectivamente, para a área Amazônica, Centro-Oeste e Extremo Sul. CONCLUSÃO: O aperfeiçoamento dos serviços de saúde na faixa de fronteira brasileira, em toda a sua extensão, pode ser uma estratégia de integração territorial e de enfrentamento da epidemia de AIDS, desde que as diferenças sociais, econômicas e culturais sejam consideradas.

Keywords : HIV; síndrome de imunodeficiência adquirida; áreas de fronteira; estudos ecológicos; Brasil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )