SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 issue2Atraumatic restorative treatment: a dental alternative well-received by childrenHealth: an adaptive complex system author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

SANTOS, Maria Angelica Borges dos; MORAES, Ricardo Montes de; HOLGUIN, Tássia Gazé  and  PALIS, Rebeca de La Rocque. Participação das atividades de saúde na economia brasileira: informações da Conta de Saúde de 2000 a 2007. Rev Panam Salud Publica [online]. 2012, vol.31, n.2, pp. 153-160. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892012000200010.

OBJETIVO: Descrever a participação das atividades de saúde na economia brasileira entre 2000 e 2007 em termos de valor adicionado e geração de postos de trabalho. MÉTODOS: Foram utilizados dados secundários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para os anos de 2000 a 2007. Foram analisadas as seguintes atividades: saúde pública, produção de serviços de saúde e serviços sociais privados, planos de saúde, indústria farmacêutica, indústria de equipamentos médicos e comércio de produtos farmacêuticos. Foi calculada a participação de cada atividade no total da economia e no setor saúde, a participação percentual dos componentes do valor adicionado na ótica da renda para as atividades de saúde e o crescimento real do valor adicionado por atividade de saúde. Para complementar as análises, foram levantados os rendimentos médios do trabalho e o número de postos de trabalho por atividade. RESULTADOS: A participação do setor saúde na economia variou de 5,2 a 5,8%. Cresceu a participação da saúde pública (de 1,7 para 2,0%) e caiu a dos serviços de saúde privados (de 2,4 para 2,2%). O crescimento médio anual do setor (3,5%) foi próximo ao da economia (3,4%). A participação do comércio de produtos farmacêuticos no setor aumentou de 9,1 para 13,2%. As atividades com maior crescimento acumulado foram: fabricação de aparelhos médico-hospitalares (42,7%), saúde pública (39,4%) e planos e seguros de saúde (35,8%). A saúde representou 4,1% dos postos de trabalho da economia em 2000 e 4,4% em 2007, com 1 milhão de novos postos. Os rendimentos do trabalho representaram 6,7% do total da economia em 2000 e 7,5% em 2007. CONCLUSÕES: O setor saúde tem uma participação importante na economia brasileira, embora essa participação ainda seja inferior àquela observada em países de alta renda. O aumento da participação dos serviços públicos no valor adicionado setorial, o crescimento das margens de comercialização dos produtos farmacêuticos e o crescimento real inferior à média setorial da indústria farmacêutica devem ser monitorados.

Keywords : Economia; setor de assistência à saúde; indústria farmacêutica; serviços de saúde; Brasil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese