SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue1Usefulness for surveillance of hypertension prevalence studies in Latin America and the Caribbean: the past 10 yearsTuberculosis testing among populations with high HIV risk in Tijuana, Baja California, Mexico author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Panamericana de Salud Pública

Print version ISSN 1020-4989

Abstract

PALMIER, Andréa Clemente et al. Indicadores socioeconômicos e serviços odontológicos em uma região brasileira desfavorecida. Rev Panam Salud Publica [online]. 2012, vol.32, n.1, pp. 22-29. ISSN 1020-4989.  http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892012000700004.

OBJETIVO: Avaliar a associação entre proporção de exodontias, indicadores socioeconômicos e oferta de serviços odontológicos em uma região desfavorecida do Brasil. MÉTODOS: Um estudo ecológico foi realizado em 52 municípios do Estado de Minas Gerais, Brasil. Os indicadores socioeconômicos utilizados foram os critérios de alocação de recursos financeiros destinados à saúde, os índices de desenvolvimento humano municipal, de Theil e de Gini e as condições de saneamento. Em relação à oferta de serviços de saúde bucal, foram considerados o número de habitantes, o número de cirurgiões-dentistas residentes no município, o número de dentistas que trabalhavam no serviço público e o número de equipes de saúde bucal. A utilização de serviços foi avaliada pelos indicadores de saúde bucal preconizados pelo Pacto da Atenção Básica e pelo número de procedimentos realizados na atenção primária. As 17 variáveis avaliadas foram agrupadas em componentes. Analisou-se a relação entre esses componentes fatoriais e a variável dependente, proporção de exodontias. RESULTADOS: As variáveis foram agrupadas em seis componentes (condições socioeconômicas, desigualdades sociais, indicadores do Pacto da Atenção Básica, número de procedimentos realizados, razão dentistas:população, cobertura da Estratégia Saúde da Família) que explicaram, no conjunto, 73,5% da variância total. As desigualdades na distribuição de renda (P = 0,031) e a cobertura da Estratégia Saúde da Família (P = 0,015) tiveram significativamente maior peso para explicar a diferença na proporção de exodontias realizadas nos municípios estudados. CONCLUSÕES: Os fatores socioeconômicos e de organização dos serviços de saúde bucal explicam grande parte da mutilação dentária nessa região.

Keywords : Serviços de saúde bucal; assistência odontológica; desigualdades em saúde; fatores socioeconômicos; Brasil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese