SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 suppl.From repression to prevention against violence: a challenge posed to civil society and the health sectorLarge-group psychodynamics and massive violence author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Ciência & Saúde Coletiva

Print version ISSN 1413-8123

Abstract

PEDERSEN, Duncan. Reformulando a violência política e efeitos na saúde mental: esboçando uma agenda de pesquisa e ação para a América Latina e região do Caribe. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2006, vol.11, suppl., pp. 1189-1198. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000500009.

Em décadas recentes, o número de pessoas expostas a eventos traumáticos tem aumentado significativamente, bem como formas de violência como guerras e revoluções políticas, que subjugam populações civis em todo o mundo. Apesar da disseminação dos conflitos armados, guerrilhas e violência política na América Latina e Caribe, atenção insuficiente tem sido dada para avaliar o impacto psicológico a médio e longo prazo e o peso das doenças, mortes, e invalidez provocadas pela violência e guerra contra populações civis. Algumas perguntas centrais são levantadas, a partir de revisão da literatura: qual o impacto na saúde da população, a curto, médio e longo prazo, por vivenciar violências extremas e continuadas? Como a violência política se relaciona com pobre saúde mental individual e coletiva? As desordens relacionadas aos traumas são conseqüências universais da violência extrema e continuada? Essas perguntas nos levam a reformular a análise da violência política e de suas conseqüências sobre a saúde mental e a reexaminar as noções de trauma e a agenda da pesquisa e ação para a região. Ao fim, são apresentados alguns princípios básicos que podem ser úteis ao se projetar intervenções psicosociais.

Keywords : Violência política; Trauma da guerra; TEPT; Saúde mental; América Latina e Caribe.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese