SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue4Hospital care financing in BrazilThe relationship between hospitals and health plans organizations in the scope of ANS Health Insurance Qualification Program author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Ciência & Saúde Coletiva

Print version ISSN 1413-8123

Abstract

TREVISAN, Leonardo Nelmi  and  JUNQUEIRA, Luciano Antonio Prates. Construindo o "pacto de gestão" no SUS: da descentralização tutelada à gestão em rede. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2007, vol.12, n.4, pp. 893-902. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000400011.

Observada na distância do tempo, a implantação do SUS enfrenta descompassos gerenciais. Primeiro, as pressões, sempre maiores, por reforma do Estado que minimalize custos afetam a proposta de atendimento universal do sistema. Depois, a difícil convivência entre o princípio da descentralização com o conceito de rede, aqui entendida não só como ligação entre esferas diferenciadas de gestão, mas o modo pelo qual o acesso a um direito é exercido em rede, desde o planejamento. Por outro lado, decisões operacionais sobre a saúde foram descentralizadas, mas o repasse das verbas para efetivar tais decisões não foi. No aspecto administrativo, a descentralização da gestão de saúde sofreu solução de continuidade com a edição da Norma Operacional de Assistência à Saúde 01/2001. No aspecto gerencial, a implantação do conceito de rede, a arma mais eficiente para enfrentar a verticalização de estruturas decisórias, enfrenta "gargalos" operacionais e financeiros que impedem os diferentes atores das diferentes organizações de falarem a mesma "linguagem", o meio mais eficaz para gerar "vínculos" interorganizacionais. Porém, a efetiva interação de linguagens só será obtida no processo de construção de pactos de gestão.

Keywords : Descentralização; Gestão; Rede social; Sistema Único de Saúde; SUS; Universalização; Vínculo interorganizacional.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese