SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 suppl.1Sexual risk behavior: factors associated to the number of sexual partners and condom use in adolescentsPrenatal exposure to organochlorine pesticides and cryptorchidism author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Ciência & Saúde Coletiva

Print version ISSN 1413-8123

Abstract

REIHLING, Hanspeter. Rejeitar ou priorizar a vida? Ambiguidades da biopolítica da aids no Uruguai. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2010, vol.15, suppl.1, pp. 1159-1168. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000700024.

A biopolítica da aids no Uruguai encontra-se entre dois grandes polos: o investimento e a rejeição à vida. O lado produtivo se manifesta no tratamento de crianças que contraíram a doença através da relação mãe-filho. Para estas crianças, o HIV, em parte, se converte num recurso até que se tornem adolescentes. Observa-se pouco interesse em adolescentes soropositivos, fato que se revela na ausência de formas de apoio especificamente destinadas a eles. Argumentamos que isso é o resultado de uma economia moral que marca a estigmatização particular de pessoas que contraíram a doença por via sexual. Especialmente as mães soropositivas são vistas como irresponsáveis, em contraposição às crianças "puras". A opinião moralista não se dá conta do amplo contexto em que estas mulheres se tornam HIV positivas ou da maneira como tinham que manter o tratamento antirretroviral. Apresentamos uma história de vida para refletir sobre as formas de inclusão e exclusão de pessoas que viveram com a enfermidade desde o começo da epidemia no Uruguai. Apesar de não ser um caso representativo, identifica dinâmicas no sistema de saúde uruguaio que são difíceis de discernir através de métodos mais convencionais.

Keywords : Biopolítica; HIV/aids; Cidadania; Adolescência.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese