SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 issue5Pap smear screening: sensations reported by nursing professionals when submitted to this testMyths and beliefs surrounding breastfeeding author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Ciência & Saúde Coletiva

Print version ISSN 1413-8123

Abstract

GOMES, Patrícia Delage et al. Contracepção hormonal: uma comparação entre pacientes das redes pública e privada de saúde. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2011, vol.16, n.5, pp. 2453-2460. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000500014.

O objetivo deste artigo é avaliar o perfil de pacientes usuárias de contraceptivos hormonais no setor público e fazer a comparação com o serviço privado de saúde, bem como verificar a frequência de efeitos colaterais e a aderência ao tratamento. Realizou-se um estudo de corte transversal com 240 pacientes, sendo 120 da rede privada e 120 da rede pública de saúde. No grupo privado, a dosagem hormonal mais frequentemente prescrita foi a de 15 ou 20 microgramas de etinil-estradiol (EE), associados a gestodeno, desogestrel ou levonogestrel (36,7%). No grupo público, a combinação de 30 microgramas de EE associados a gestodeno, levonogestrel ou desogestrel (48,3%) foi a principal medicação contraceptiva prescrita. Não houve diferença entre a frequência dos efeitos colaterais nos dois grupos pesquisados (p>0,05). A aderência ao tratamento foi maior nas pacientes do grupo privado (p<0,05). Concluiu-se que o método contraceptivo mais utilizado foi o oral com baixa dosagem de EE, não havendo diferença entre a frequência dos efeitos colaterais. A aderência ao tratamento foi maior no grupo privado, o que pode estar associado ao fator sociocultural das pacientes estudadas.

Keywords : Contracepção; Indicação; Aderência.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese