SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue1Physical activity patterns in pregnant women attending the family health program of Campina Grande - PBTuberculosis infection and the length of stay of County Jails prisoners in the western sector of the city of São Paulo author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Brasileira de Epidemiologia

Print version ISSN 1415-790X

Abstract

FONTES, Ana Cláudia Dias  and  VIANNA, Rodrigo Pinheiro Toledo. Prevalência e fatores associados ao baixo nível de atividade física entre estudantes universitários de uma universidade pública da região Nordeste - Brasil. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2009, vol.12, n.1, pp. 20-29. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2009000100003.

Os baixos níveis de atividade física estão relacionados com o aumento da ocorrência de doenças crônicas e a redução da qualidade de vida da população. Este estudo buscou estimar a prevalência de baixo nível de atividade física entre estudantes de graduação da Universidade Federal da Paraíba, bem como encontrar fatores associados a esta condição. Trata-se de um estudo seccional estratificado por Centro, com partilha proporcional em função do ano de ingresso, do curso e do turno de estudo. A coleta de dados ocorreu no período no primeiro semestre de 2007, com a participação de 1.503 estudantes. Foram investigadas questões relativas a dados pessoais, caracterização socioeconômica, estilo de vida e saúde, avaliação nutricional e atividade física. Para mensurar nível de atividade física utilizou-se a versão longa IPAQ. A prevalência observada de baixo nível de atividade física foi de 31,2%. Os estudantes com maior tempo de ingresso na universidade, os que estudam no período noturno e aqueles que passam menos tempo na universidade tiveram maior prevalência de baixo nível de atividade física. Também maior renda e classe social mostraram-se associados a maior prevalência de baixa atividade física. Considerando os riscos do baixo nível de atividade física para saúde e a importância da fase universitária como uma transição da etapa adolescente para a vida adulta, faz-se necessário o incentivo à prática de atividades físicas na universidade como medida preventiva para doenças crônicas não transmissíveis e para a melhoria da qualidade de vida na fase adulta e na velhice.

Keywords : Atividade física; Epidemiologia; Saúde do jovem.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese