SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue2Evaluation of continuity of use of female condoms among users of the Brazilian National Health System (SUS): longitudinal analysis in units in the metropolitan region of São Paulo, BrazilIntegrality of healthcare to cardiovascular diseases and diabetes mellitus: the role regionalization of the Unified Health System in the State of São Paulo author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Brasileira de Epidemiologia

Print version ISSN 1415-790X

Abstract

MARCOLINO, Alinne Beserra Lucena et al. Avaliação do acesso às ações de controle da tuberculose no contexto das equipes de saúde da família de Bayeux - PB. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2009, vol.12, n.2, pp. 144-157. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2009000200005.

A descentralização das ações de controle da Tuberculose para o âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS), vem impondo reorientação da prática das Equipes de Saúde da Família (ESF) e requerendo metodologias que avaliem em que medida os componentes da APS estão sendo alcançados. Este estudo toma como recorte um componente da APS-acesso, com o objetivo de avaliar as ações de controle da Tuberculose no contexto das ESF em Bayeux-PB. Pesquisa avaliativa, de abordagem quantitativa, que envolveu 82 profissionais de saúde. O instrumento utilizado continha sete perguntas fechadas, segundo possibilidades produzidas por escala intervalar tipo Likert. Os dados foram tabulados utilizando-se o programa - Statistical Package for the Social Sciences e analisados segundo frequência e mediana. Os resultados revelaram fragilidades e potencialidades de acesso às ações de controle da Tuberculose (TB). Quanto às potencialidades, constatou-se que a descentralização do tratamento dos casos de TB vem se estabelecendo na prática das ESF: 92,7% dos entrevistados mencionaram que os doentes de TB sempre conseguem consulta nas unidades, sendo possível para 82,9% obtê-la no prazo de 24 horas; os medicamentos específicos apresentaram-se acessíveis para 64,6% das ESF. Como fragilidades, verificou-se que 61% dos entrevistados não realizaram coleta de escarro; 54,9% das unidades não oferecem atendimento no horário de almoço; 89,8% dos entrevistados não contam com auxílio transporte; apenas 40,2% das unidades adotam regularmente a visitação domiciliar. Recomenda-se a adoção de mecanismos de gestão que viabilizem a uniformização e utilização dos recursos existentes, ampliando a capacidade resolutiva das ESF, promovendo eficiência na prestação de serviços e assegurando o acesso da população.

Keywords : Tuberculose; Atenção Primária à Saúde; Saúde da Família.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese