SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 suppl.1Risk and protection factors for chronic non communicable diseases by telephone survey - VIGITEL - 2009Influenza like illness monitoring in adults of the State Capitals and Federal District in Brazil by telephone survey author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Revista Brasileira de Epidemiologia

Print version ISSN 1415-790X

Abstract

SILVA, Gulnar Azevedo e; VALENTE, Joaquim Gonçalves  and  MALTA, Deborah Carvalho. Tendências do tabagismo na população adulta das capitais Brasileiras: uma análise dos dados de inquéritos telefônicos de 2006 a 2009. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2011, vol.14, suppl.1, pp. 103-114. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2011000500011.

O objetivo deste estudo foi analisar a tendência do tabagismo, da cessação e da intensidade de cigarros diários, entre 2006 a 2009, nas capitais brasileiras. Foram analisados os dados de indivíduos com 18 anos e mais, entrevistados pelo Sistema de Vigilância e Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL), realizado nas capitais brasileiras e Distrito Federal em 2006, 2007, 2008 e 2009. Para cada ano e grandes regiões, foram calculadas as prevalências de tabagismo ajustadas por idade e por grupos etários (18 a 29, 30 a 59 e 60 ou mais anos) estratificados por sexo. Foi calculado ainda o índice de cessação do tabagismo e, para os fumantes atuais, estimou-se a proporção dos que referem fumar 20 ou mais cigarros segundo sexo e grupo etário (18 a 39 e 40 anos e mais). Os resultados mostram leve tendência à queda do tabagismo entre homens e estabilidade para mulheres, com exceção daquelas residentes nas regiões Norte e Nordeste. Em geral, as maiores prevalências entre homens aparecem nos grupos mais jovens; enquanto que, entre as mulheres, são entre as de idade intermediária (30 a 59 anos). A cessação sugere estar ligeiramente aumentando entre os homens; há forte relação inversa entre a prevalência de tabagismo e anos de escolaridade, e a proporção de fumantes de 20 ou mais cigarros diários é maior entre os mais idosos e apresenta padrão diferenciado entre as regiões brasileiras. Os resultados indicam a necessidade da priorização de estratégias de controle do tabagismo que alcancem jovens e mulheres de baixa escolaridade.

Keywords : tabagismo; entrevista por telefone; escolaridade; inquéritos de saúde; cessação de tabagismo; consumo diário de cigarro; Brasil.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese