SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número2Reações adversas a medicamentos levando crianças a atendimento na emergência hospitalarCâncer nos Açores: primeiros resultados de um registro oncológico de base populacional recentemente criado índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Page  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790X

Resumo

RODRIGUES, Mirella et al. Diferenciais na adequação das informações de eventos vitais nos municípios de Pernambuco, 2006-2008. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2012, vol.15, n.2, pp. 275-284. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2012000200005.

OBJETIVO: Avaliar os diferenciais da adequação das informações de nascimentos e óbitos do Ministério da Saúde para o cálculo da mortalidade infantil nos municípios do Estado de Pernambuco, 2006-2008. MÉTODOS: Estudo ecológico, cujas fontes de dados foram os sistemas de informação sobre nascidos vivos e mortalidade. Foram utilizados os indicadores: coeficiente de mortalidade geral padronizado por idade, desvio médio relativo do coeficiente de mortalidade geral, razão entre nascidos vivos informados e estimados, desvio médio relativo da taxa de natalidade e proporção de óbitos sem definição de causa básica. Estes indicadores foram agregados em três dimensões: mortalidade, natalidade e mal definidos. Utilizando critérios pré-estabelecidos, os municípios foram classificados como: informações vitais consolidadas, em fase de consolidação e não consolidadas. Os dados foram analisados através do programa Epiinfo e do Terraview para elaboração dos mapas. RESULTADOS: Dos 185 municípios do Estado, 141 (76,2%) foram classificados como informações vitais consolidadas, agregando aproximadamente 85% da população residente e 17 (9,2%) como não consolidadas, categoria na qual reside apenas 4,9% da população. Os municípios com 50.000 habitantes ou mais têm informações de melhor qualidade. CONCLUSÃO: O método utilizado mostrou-se potencial para classificar a qualidade das informações vitais em Pernambuco, identificando as desigualdades, que se constituem em desafios para o Estado, no sentido de possibilitar a análise destas informações a partir de dados diretos dos sistemas no âmbito municipal. Apenas dessa forma torna-se possível avaliar os investimentos realizados para a redução da mortalidade infantil em Pernambuco de forma realística.

Palavras-chave : Sistemas de Informação; Óbito; Nascido Vivo; Mortalidade Infantil; Estatísticas Vitais.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês