SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número3Magnitude e tendência da Leishmaniose Tegumentar Americana no Estado de São Paulo, Brasil, 1975 a 2008Resultados do monitoramento dos Fatores de risco e Proteção para Doenças Crônicas Não Transmissíveis nas capitais brasileiras por inquérito telefônico, 2008 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Page  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790X

Resumo

RODRIGUES NETO, João; CUBAS, Marcia Regina; KUSMA, Solena Ziemer  e  OLANDOSKI, Marcia. Prevalência da hepatite viral C em adultos usuários de serviço público de saúde do município de São José dos Pinhais - Paraná. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2012, vol.15, n.3, pp. 627-638. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2012000300016.

OBJETIVOS: Investigar a prevalência da Hepatite Viral C em adultos usuários de serviço público de saúde do município de São José dos Pinhais, Paraná. MÉTODO: Inquérito epidemiológico com amostra probabilística e estratificada de 5.017 pessoas voluntárias, submetidas a questionário e teste rápido anti-HCV. Os dados foram organizados no programa Epi-info 3.5.1. A associação entre a presença ou não da doença e os fatores de interesse foram avaliados pelo teste Qui-quadrado. Para análise conjunta dos fatores de risco ajustou-se um modelo de Regressão Logística e considerou-se o teste de Wald para a tomada de decisão sobre a importância dos fatores. RESULTADOS: A frequência absoluta foi de 13 positivos, com prevalência de 0,30%, (IC = 0,12% - 0,40%). A maior probabilidade da doença foi no sexo masculino (p = 0,008) e no estado civil solteiros, separados ou viúvos (p = 0,045); com história de manifestação prévia de sintomas (p < 0,001) e de hemotransfusão (p < 0,001); e com presença de tatuagem (p = 0,033). Independente de sexo, idade e estado civil, uso de drogas, hemotransfusão e idade superior a 40 anos aumentou o risco à doença. CONCLUSÃO: Encontrou-se baixa prevalência, entretanto, esperada para a região sul do país. Os resultados não diferiram de outros estudos quanto aos riscos de contaminação. Este estudo poderá contribuir para alertar sobre a importância do agravo, a necessidade de implementação de estratégias de enfrentamento e o estímulo para melhor compreensão da Hepatite C.

Palavras-chave : Hepatite C; Prevalência; Fatores de risco.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês