SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue3Feeding preferences of Culicidae mosquitoes in the Ribeira Valley, S.Paulo State, BrazilEpidemiological investigation into cases of yellow fever in the North- west region of S. Paulo State, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Services on Demand

Article

  • pdf in Portuguese
  • Article in xml format
  • Article references
  • How to cite this article
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation
  • Send this article by e-mail

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Rev. Saúde Pública vol.21 n.3 São Paulo Jun. 1987

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101987000300003 

ARTIGO ORIGINAL

 

Freqüência domiciliar e endofilia de mosquitos Culicidae no Vale do Ribeira, São Paulo, Brasil

 

Developing domiciliarity of Ribeira Valley mosquitoes, S. Paulo, Brazil

 

 

Oswaldo Paulo Forattini; Almério de Castro Gomes; Délsio Natal; Iná Kakitani; Daniel Marucci

Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo - Av. Dr. Arnaldo, 715 - 01255 - São Paulo, SP - Brasil

 

 


RESUMO

Apresentam-se os resultados obtidos na coleta dos culicídeos nos ecótopos, domiciliar e peridomiciliar, de duas localidades do Vale do Ribeira, Estado de São Paulo, Brasil, onde o ambiente se apresenta acentuadamente alterado pelas atividades agropecuárias. Em se tratando de comunidades tropicamente relacionadas, os índices de diversidade e o quociente de similaridade podem fornecer esclarecimentos sobre a relação entre os recursos alimentares e sua distribuição, considerados como importantes na avaliação de possível endofilia. Os dados obtidos sugerem a possível existência de comportamento endófilo em evolução, por parte de Ae. scapularis, Cx. ribeirensis e Cx. sacchettae. Todavia as evidências indicam a influência exercida pela presença de hospedeiros domésticos de grande porte e do comportamento humano nos ambientes domiciliar e alterado. Conclui-se pela possível existência de variações desse comportamento nas três citadas espécies.

Unitermos: Culicidae, Vale do Ribeira, SP, Brasil. Endofilia. Domiciliação. Aedes scapularis. Culex ribeirensis. Culex sacchettae. Insetos vetores.


ABSTRACT

Results of mosquito collections in two Ribeira Valley localities are presented. These places represents environments highly modified by agrarian and cattle raising activities. The collections were made by the aspiration method, in the search for resting mosquitoes, in all the domiciliary and peridomiciliary compounds, in the early morning. The use of the diversity index and similarity quotient on communities such as these that are tropically related gives some insight into resources and their distribution. So they are considered of great value for the endophily studies. Data obtained suggest that there is some degree of endophilic evolution in Ae. scapularis, Cx. ribeirensis and Cx. sacchettae. This behavior is subject to the influence of some extrinsic factors such as the density of cattle or other large domestic animals, and human behaviour in the management of the environment.

Uniterms: Mosquitoes. Ribeira Valley, SP, Brazil. Endophily. Domiciliation. Aedes scapularis. Culex ribeirensis. Culex sacchettae. Insect vectors.


 

 

INTRODUÇÃO

Nos estudos sobre os hábitos endófilos de Culicidae em nosso meio, não tem merecido a devida atenção a influência que pode ser exercida por múltiplos fatores, tanto intrínsecos como extrínsecos, às populações de mosquitos focalizadas. Daí a dificuldade que atualmente existe em avaliar, para determinada região e local, a endofilia desses insetos como indício de possível tendência à sua domiciliação. A escassez ou a abundância reveladas pelas coletas no ambiente domiciliar, de per si pouco significam se não forem analisadas à luz desses fatores, que trazem a probabilidade da ocorrência de considerável gama de variações. Em estudos levados a efeito em regiões da África com representantes de Anopheles vetores de malária evidenciou-se a influência da mobilidade e mortalidade pós-pandriais, levando a uma redistribuição dos espécimens em seus locais de abrigo e à redução no rendimento das coletas quando efetuadas nas horas seguintes ao repasto (Garrett-Jones3, 1964; Garrett-Jones e col.4, 1980; Boreham e Port1, 1982). Tais aspectos, embora assinalados como responsáveis por alterações no levantamento do índice de sangue humano ("human blood index"), são também passíveis de outras interpretações. Dentre estas, a possível tendência da população culicídea em permanecer no abrigo onde realizou seu repasto sangüíneo. No caso daquele ser representado pelo ambiente domiciliar, claro está que isso poderá traduzir algum grau de endofilia.

Em trabalho anterior, pode-se relatar os resultados obtidos com as tentativas de identificação do sangue ingerido por mosquitos, encontrados naturalmente ingurgitados em várias localidades e situações, do Vale do Ribeira, Estado de São Paulo, Brasil (Forattini e col.6, 1987). Tais observações permitiram, como primeira aproximação, o delineamento de possíveis perfis alimentares de algumas espécies e gêneros. Ao mesmo tempo possibilitaram, graças às coletas levadas a efeito no meio domiciliar, algum subsídio sobre a evolução de possível endofilia ou mesmo domiciliação por parte dos representantes encontrados com maior freqüência. São esses dados que constituem o objeto do presente trabalho.

 

REGIÃO ESTUDADA E METODOLOGIA

Os dados apresentados correspondem às pesquisas levadas a efeito nas Estações correspondentes à Fazenda Experimental de Pariquera-Açú e ao Bairro de Pariquera-Mirim, já descritas na supracitada publicação anterior (Forratini e col.6, 1987). A metodologia adotada consistiu na realização de coletas intra e peridomiciliares, em horário das 07:00 às 08:00h e com ritmo bimensal nas casas alí existentes. Face a problemas decorrentes de recusas e de mudanças por parte dos moradores, o número de habitações trabalhadas durante o período de observações sofreu alguma variação. Na Fazenda Experimental, das 5 casas inicialmente utilizadas, 4 chegaram ao final do trabalho. Em Pariquera-Mirim, das 7 pelas quais se começaram as atividades de coleta, em apenas 3 foi possível levar a efeito as coletas até o término das observações. A técnica utilizada foi a da aspiração, percorrendo-se todos os possíveis locais de abrigo e coletando-se todos os espécimens alí existentes (Figura).

 

 

Ao distinguir as duas classes de ecótopos, levou-se em conta os critérios que consideram os destinados ao pernoite humano (H) e os que servem de abrigo para animais domésticos e outras finalidades como armazenamento e guarda de implementos diversos (O). Nas localidades trabalhadas, essas duas classes corresponderam ao domicílio, incluindo o seu ambiente interno, e ao peridomicílio, incluindo as edificações anexas (Bruce-Chwatt e col.2, 1966).

Para a estimativa da diversidade utilizou-se os índices de Fisher e col. e o de Mergalef, e para a da similaridade empregou-se o quociente de Sorensen (Service8, 1976).

 

RESULTADOS

No período de maio de 1984 a janeiro de 1986, foram coletados 1.410 mosquitos, cuja distribuição pelas Estações e respectivos ecótopos encontra-se exposta na Tabela 1. Apresentam-se alí os dados referentes às espécies e grupos mais freqüentes, no domicílio e no peridomicílio. Entendeu-se como mais freqüentes aqueles cujo percentual sobre o respectivo total geral, no ecótopo, não foi inferior a 1,0% para as espécies e a 5,0% para os grupos. Os demais mosquitos foram considerados como menos freqüentes, e assim sua presença foi apenas assinalada na relação anexa à mencionada na Tabela 1.

 

 

Pôde-se verificar que 75,8% dos espécimens encontrados nas coletas foi constituído por representantes de Culex (Culex) com 29,0%, de Coquillettidia com 24,4%, de Culex (Melanoconion) com 14,8% e de Aedes scapularis com 7,6%, totalizando 18 espécies e dois grupos sem identificação específica. Os restantes 24,2% distribuíram-se por 37 espécies e 11 grupos com representantes para os quais não se atingiu identificação até o nível de espécie. Cerca de 52,0% deste total geral foi representado, em ordem decrescente, por Cq. chrysonotum, Cx. quinquefasciatus, Cq. venezuelensis, Ae. scapularis, Cx. bastagarius e Cx. corniger.

Considerando-se separadamente os dois tipos de ecótos, verificou-se participação bastante dispar por parte das espécies encontradas. Deixando de lado a Cx. quinquefasciatus, mosquito reconhecidamente domiciliado, pôde-se registrar os aspetos descritos a seguir.

No ambiente domiciliar da Fazenda Experimental preponderou o encontro de Cq. chrysonotum, Ae. scapularis, Cq. venezuelensis, Ps. albigenu e Cx. ribeirensis. Todavia, no meio peridomiciliar dessa mesma localidade destacou-se o encontro de vários Cx. (Melanoconion), como Cx. theobaldi, Cx. sacchettae, Cx. oedipus, Cx. aureonotatus e Cx. ribeirensis, além da presença de Ae. scapularis, embora em número bem menor do que no domicílio.

Quanto ao Bairro de Pariquera-Mirim, no domicílio a maior freqüência nas coletas coube a Cq. chrysonotum, Cq. venezuelensis e Ae. scapularis, enquanto no peridomicílio destacou-se Cq. venezuelensis, Cx. bastagarius e Cx. oedipus, Cx. corniger, Cx. mollis e Cx declarator tendo o Ae. scapularis sido encontrado em número inferior ao do domiciliar.

A medida dos índices de diversidade, para os dois ecótopos, forneceu os resultados que constam da Tabela 2.

 

 

Quanto ao quociente de similaridade entre os dois ecótopos, foi igual para as duas localidades, correspondendo a 50,0%, tanto na Fazenda Experimental como em Pariquera-Mirim.

 

COMENTÁRIOS

Como foi mencionado na parte introdutória deste trabalho, o tipo de coleta utilizado permitiu obter dados que sugerem o desenvolvimento de possível hábito endófilo por parte de populações culicídeas. Claro está que esse comportamento sofrerá a influência de múltiplos fatores, como os referentes aos hábitos dos moradores, e a endofilia poderá representar apenas a procura de abrigo pós-pandrial depois de a hematofagia ter sido exercida sobre hospedeiros distintos. Aspectos como esses foram evidenciados principalmente para as espécies de anofelinos a exemplo de, mais recentemente, para Anopheles gambiae s.s. com grau de zoofilia coletado dentro das habitações e com mobilidade à procura de abrigos, uma vez realizado o repasto sangüíneo. As evidências indicaram movimentação desse mosquito de casa para casa e do peridomicílio para o domicílio, antes do repouso pós-pandrial (Boreham e Port1, 1982). Assim, os períodos de presença e de ausência das pessoas moradoras devem exercer poderosa influência sobre os mosquitos dotados de alguma antropofilia, no sentido de procurarem penetrar no domicílio, alí realizarem seu repasto sangüíneo e alí também encontrarem seus locais de abrigo e de repouso.

Assim sendo, e para se poder avaliar a existência de certo grau de endofilia, torna-se necessário controlar a ação de múltiplas variáveis, o que se reveste de considerável dificuldade. As coletas realizadas no início do período matutino tendem a selecionar os mosquitos que permaneceram no ecótopo durante a noite. Embora não eliminando totalmente o caráter de simples visita, por parte dos espécimens, o seu encontro, somado à maior freqüência, fornece inegavelmente resultados mais sugestivos. Acresce a comparação entre os dois ecótopos, ou seja, o domicílio e o periodomicílio, e que poderá prestar outras informações valiosas.

Em observações anteriormente realizadas na mesma Região do Vale do Ribeira, os resultados referentes às coletas domiciliares e peridomiciliares em locais modificados revelaram, em linhas gerais, quadro semelhante ao obtido nas presentes observações (Forattini e col.5, 1978). Nas áreas dessa região com elevada alteração de origem antrópica, Cq. chrysonotum, Cq. venezuelensis, Ae. scapularis, Cx. ribeirensis, Cx. sacchettae, Cx. theobaldi, além de, naturalmente, Cx. quinquefasciatus, constituem as espécies mais freqüentemente coletadas no domicílio e peridomicílio (Tabela 1). Em região geograficamente semelhante e correspondente ao litoral do Estado do Rio de Janeiro, Ae. scapularis foi apenas ocasionalmente encontrado nos domicílios (Oliveira e Heyden7, 1986). Tal fato poderá ser atribuído a condições locais diferentes, tais como tipo de atividade humana e de conseqüente alteração ambiental, além de outras a serem devidamente pesquisadas. As duas localidades que sediaram as presentes observações constituem áreas de ambiente acentuadamente alterado. O meio alí primitivamente existente encontra-se na atualidade reduzido a matas residuais de limitadas dimensões. Na Fazenda Experimental predominam as atividades agrícolas, com a utilização do solo para plantações de variados tipos. Em Pariquera-Mirim predominam as atividades da pequena, mas extremamente variada, pecuária, estando o terreno extensivamente ocupado com a formação de pastagens.

Para ambas, os quocientes de similaridade de Sorensen revelaram valores correspondentes a 50,0%. Isso pode ser interpretado como revelando que as comunidades freqüentadoras dos dois ecótopos diferiram em metade das espécies, ou seja, as comuns a ambos não ultrapassaram essa cifra do total. Em outras palavras, metade das espécies de mosquitos abrigaram-se tanto nos peri como nos domicílios. Por sua vez, os índices de diversidade, tanto o de Fisher e col. como o de Mergalef, indicaram pouca diferença entre os dois ecótopos, na Fazenda Experimental. O mesmo porém não se pode dizer dos pesquisados em Pariquera-Mirim, onde a diversidade de espécies no peridomicílio foi praticamente o dobro da observada no domicílio. Isso leva a supor a provável atuação seletiva deste último, em relação aos mosquitos inicialmente atraídos pela considerável população de animais domésticos no peri e extradomicílio. Tal influência de seleção, se existente, poderá ser devida à possível antropofilia ou à utilização da casa como local de abrigo pós-pandrial. Em ambos os casos, é de se levantar a hipótese do desenvolvimento de algum grau de endofilia.

Nessa ordem de idéias, e deixando de levar em conta o encontro de Cx. quinquefasciatus como população reconhecidamente domiciliada, merece ponderação a ocorrência de Ae. scapularis e de espécies de Cx. (Melanoconion). No que concerne ao primeiro, a sua elevada presença domiciliar na Fazenda Experimental, que chegou a mais de 24,0% dos espécimens alí encontrados, pode ter sido estimulada pela escassez de animais domésticos, de grande porte, na localidade. A esse resultado, aliou-se a elevada proporção de sangue humano ingerido (Forattini e col.6, 1987). Em Pariquera-Mirim, embora com o coeficiente reduzido a 3,6%, esse mosquito penetrou no domicílio a despeito da abundância de fontes sangüíneas peridomiciliares. Quanto aos outros, merecem atenção Cx. ribeirensis e Cx. sacchettae encontrados no domicílio na Fazenda Experimental, embora mais freqüentes no periodomicílio, e Cx. theobaldi, Cx. aureonotatus, Cx. bastagarius, Cx. oedipus no peridomicílio de Pariquera-Mirim. Isso leva à suposição da possível influência da densidade de animais domésticos. Com relação ao gênero Coquillettidia destacam-se Cq. chrysonotum e Cq. venezuelensis, embora sua atividade e dispersão devam sofrer a influência acentuada das características peculiares de seus locais de criação.

Evidentemente, estes resultados não são suficientes para evidenciar a existência concreta de endofilia por parte das espécies supramencionadas. Todavia, e notadamente para Ae. scapularis, Cx. ribeirenses e Cx. sacchettae, o seu encontro domiciliar permite levantar hipóteses no sentido do desenvolvimento desse hábito. Os índices de diversidade, calculados para os dados obtidos, revelam possível tendência nesse sentido. Em especial ao se atentar que, neste caso, sua aplicação incluiu-se como a de amostras tróficamente relacionadas, permitindo alguma orientação sobre a distribuição de recursos alimentares para essas comunidades (Southwood9, 1978). Nesse particular, pois, confirma-se, nestas observações, os resultados obtidos nas realizadas anteriormente, na mesma região (Forattini e col.5, 1978).

 

CONCLUSÕES

Face aos resultados supradescritos, é de se concluir o que segue.

1 - A coleta, nas primeiras horas matutinas, efetuada no ambiente humano representado pelo domicílio e peridomicílio, permite avaliação inicial da freqüência com que os culicídeos permanecem nesse meio, utilizando-o para abrigo pós-pandrial.

2 - A aplicação dos índices de diversidade nestes casos permite considerá-los como referentes a populações trópicamente relacionadas, ou seja, as de mosquitos e de suas fontes sangüíneas. Esse aspecto possibilita obter informações sobre os recursos alimentares e sua distribuição a qual, no caso em foco, seria endófila.

3 - Confirmando observações anteriormente feitas na mesma região, destacou-se a presença domiciliar de Ae. scapularis, Cx. ribeirensis e Cx. sacchettae, além de espécies de Coquillettidia. Todavia, a ocorrência das três primeiras assume particular significado, dado seu en-demismo e persistência favorecida pela alteração antrópica do ambiente.

4 - A possível endofilia das supracitadas espécies possivelmente constitui fenômeno em evolução e que sofre influência acentuada por parte das atividades humanas. A disponibilidade de hospedeiros domésticos de grande porte e a utilização humana do ambiente domiciliar parecem ter especial significado nessa possível variação regional.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BOREHAM, P.F.L. & PORT, G.R. The distribution and movement of engorged females of Anopheles gambiae Giles (Diptera: Culicidae) in a Gambian Village. Bull. ent. Res., 72:489-95, 1982.        [ Links ]

2. BRUCE-CHWATT, L.J.; GARRET-JONES C.; WEITZ, B.Ten years study (1955-64) of host selection by anopheline mosquitos. Bull.Wld Hlth Org., 35: 405-39, 1966.        [ Links ]

3. GARRET-JONES, C. The human blood index of malaria vectors in relation to epidemiological assessment. Bull. Wld Hlth Org., 30: 241-61, 1964.        [ Links ]

4. GARRET-JONES, C.; BOREHAM, P.F.L.; PANT, C.P. Feedding habits of anophelines (Diptera: Culicidae) in 1971-78, with reference to the human blood index: a review. Bull. ent. Res.,70: 165-85,1980.        [ Links ]

5. FORATTINI, O.P.; GOMES, A. de C.; GALATI, E.A.B.; RABELLO, E. X.; IVERSSON, L.B. Estudos ecológicos sobre mosquitos Culicidae no Sistema da Serra do Mar, Brasil. 2- Observações no ambiente domiciliar. Rev.Saúde públ., S. Paulo, 12: 476-96, 1978.        [ Links ]

6. FORATTINI, O.P.; GOMES, A. de C.; NATAL, D.;KAKITANI, I.; MARUCCI, D. Preferências alimentares de mosquitos Culicidae no Vale do Ribeira, São Paulo, Brasil. Rev. Saúde públ., S. Paulo, 21:171-87, 1987.        [ Links ]

7. OLIVEIRA, R.L. de & HEYDEN, R. Alguns aspectos da ecologia dos mosquitos (Diptera: Culicidae) de uma área de planície (Granjas Calábria), em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. IV-Preferências alimentares quanto ao hospedeiro e freqüência domiciliar. Mem. Inst. Osvaldo Cruz, Rio de Janeiro, 81: 15-27, 1986.        [ Links ]

8. SERVICE, M.W. Mosquito ecology: field sampling methods. London, Applied Science Publ., 1976.        [ Links ]

9. SOUTHWOOD, T.R.E. Ecological methods. 2nd ed., New York, John Wiley & Sons, 1978.        [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 12/2/1987
Aprovado para publicação em 27/4/1987
Realizado com auxílio financeiro da "National Academy of Sciences" USA (Grant n.o MVR-BR-2-84-6).