SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue3Human cysticercosis in a general hospital in S.Paulo, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Rev. Saúde Pública vol.22 n.3 São Paulo Jun. 1988

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101988000300013 

Encontro de criadouro natural de Aedes (Stegomyia) Albopictus (Skuse), Estado de São Paulo, Brasil

 

 

Almério de Castro GomesI; Gisela R.A.M. MarquesII

IDepartamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo - Av. Dr. Arnaldo, 715 - 01255 - São Paulo, SP - Brasil
IISuperintedência de Controle de Endemias (SUCEN) - Av. 9 de Julho, 372 - 12100 - Taubaté, SP - Brasil

 

 

A reinfestação do Brasil pelo Aedes aegypti ocorreu duas décadas passadas e a este fato soma-se a mais recente presença de Aedes albopictus, cuja identificação inicial foi feita por Forattini2 (1986). No Estado de São Paulo esse mosquito foi primeiramente detectado por Brito1 e col. (1986) no Município de Areias, região do Vale do Paraíba. Sucessivos outros encontros estão anotados na Regional da Superitendência de Controle de Endemias (SUCEN) — Taubaté; todavia, todos eles referem-se a criadouros artificiais e internódio de bambu*. Em abril de 1988, em visita às áreas de ocorrência de Ae.albopictus, naquela região, coletou-se água de oco de duas árvores denominadas flambuaiã (Delonix regia), na localidade de Quintal da Manoela, chácara situada apenas 4,0 km de distância do perímetro urbano da cidade de Tremembé (Fig.). O exame desse material revelou a presença de 19 larvas e 5 pupas de Ae. albopictus. Esse encontro reveste-se de importância epidemiológica por caracterizar hábito silvestre da cepa importada; possibilitar expansão rápida de sua distribuição; ser apenas parcialmente afetado pelo programa de controle de Aedes realizado pela SUCEN, e conseqüente potencial de elevação do risco de ocorrência do dengue na região. Ressalta-se ainda que devido ao caráter singular desta informação em nosso meio há necessidade imediata de estudos da biologia e do comportamento dessa espécie.

 

 

AGRADECIMENTOS

Agradecemos aos membros da Diretoria da SUCEN - Regional Taubaté, por ter proporcionado a oportunidade desta descoberta.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRITO, A. de; MARQUES, G.R.A.M.; MARQUES, C. A.; TUBAKI, R. M. Primeiro encontro de Aedes (Stegomyia) albopictus (Skuse) no Estado de São Paulo, Brasil. Rev. Saúde públ., S. Paulo 20:489, 1986.         [ Links ]

FORATTINI, O. P. Identificação de Aedes (Siegomyia) albopictus (Skuse) no Brasil. Rev. Saúde públ., S. Paulo, 20: 244-5, 1986.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 31/5/1988
Aprovado para publicação em 2/6/1988

 

 

* Informação pessoal de Ana Cláudia C.L. Khuriyeh - Diretora da Regional da Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN) - Taubaté, SP - Brasil.