SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue6Evaluation of three antigenically different rabies virus strains in mice: II -Study of the viral dissemination in different organsVerification of the antagonism between larvae of Schistosoma mansoni and those of other Digenea in Biomphalaria tenagophila, a planorbid molusc from a natural breeding ground in the region of Campinas, SP, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Rev. Saúde Pública vol.22 n.6 São Paulo Dec. 1988

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101988000600002 

Viabilidade de miracídios de Schistosoma mansoni, obtidos de fezes e de granulomas hepáticos de camundongos experimentalmente infectados com a linhagem BH*

 

Viability of Schislosoma mansoni miracidia obtained from feces and liver granuloma of experimental mice infected with the BH strain

 

 

Eliana Maria Zanotti-MagalhãesI; Sônia Minervino de PaivaII; Luiz Augusto MagalhãesI; José Ferreira de CarvalhoIII

IDepartamento de Parasitologia do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Caixa Postal 6109 — 13081 — Campinas, SP — Brasil
IIDepartamento de Histologia do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) — Caixa Postal 6109 — 13081 — Campinas, SP — Brasil
IIIDepartamento de Estatística do Instituto de Matemática, Estatística e Ciências da Computação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) — Caixa Postal 6109 — 13081 — Campinas, SP — Brasil

 

 


RESUMO

Estudou-se comparativamente a viabilidade, em moluscos hospedeiros, de miracídios de Schistosoma mansoni de duas origens: de ovos eliminados com as fezes e de granulomas hepáticos. Procurou-se saber se havia efeito da origem sobre o número total de cercárias obtidas e sobre o período de eliminação de cercárias. Foram também verificados o período pré-patente da infecção dos moluscos, a sobrevivência do caramujo após a infecção e o sexo das cercárias eliminadas. Concluiu-se que: a) o período pré-patente foi maior nos moluscos infectados por miracídios provenientes de granulomas hepáticos; b) a sobrevivência dos moluscos após a infecção foi maior naqueles infectados por miracídios provenientes de granulomas hepáticos; c) o número de cercadas eliminadas por molusco infectado com miracídios provenientes de granulomas hepáticos foi três vezes maior que o número de cercárias eliminadas por moluscos infectados com miracídios provenientes de ovos eliminados com as fezes.

Unitermos: Schistosoma mansoni. Relações hospedeiro-parasita. Biomphalaria glabrata, parasitologia. Camundongos, parasitologia.


ABSTRACT

The viability of Schistosoma mansoni miracidia in host molluscs, obtained from two origins is examined: from eggs eliminated with feces of the definitive hosts and liver granuloma eggs. The effect of the origin of the miracidia on the number of cercariae and on the time of cercariae elimination was investigated. The prepatent period of cercariae elimination, snail survival after infection and the sex of the eliminated cercariae were also observed. The following results were obtained: a) snails infected with miracidia from liver granuloma eggs took longer to begin to eliminate cercariae; b) snail survival after infection was longer in the group infected with miracidia from liver granuloma eggs; c) the total number of cercariae produced by the snail group infected with miracidia from liver granuloma eggs was three times that of the group infected with miracidia from eggs eliminated with feces.

Uniterms: Schistosoma mansoni. Host-parasite relations. Biomphalaria glabrata, parasitology. Mice, parasitology.


 

 

INTRODUÇÃO

Na manutenção do ciclo biológico de Schistosoma mansoni, em laboratório, são utilizadas comumente duas técnicas para obtenção de miracídios: extração das larvas de ovos colhidos nas fezes ou em granulomas hepáticos.

Procurando testar a eficiência desses métodos, estudamos a viabilidade de miracídios provenientes de fezes e de granulomas hepáticos de camundongos albinos, experimentalmente infectados por S. mansoni da linhagem BH (Paraense e Corrêa10, 1963).

 

MATERIAL E MÉTODOS

Obtenção dos miracídios provenientes de ovos colhidos nas fezes

Camundongos albinos Swiss, heterogenéticos, com aproximadamente 60 dias de infecção, foram colocados em gaiolas com tampa de tela. As gaiolas contendo os camundongos foram depositadas, com a tampa de tela voltada para baixo, sobre bandejas forradas com papel umidecido. As fezes foram obtidas, por esse procedimento, durante a noite.

As fezes depositadas nas bandejas foram recolhidas, misturadas em água desclorada e sedimentada no escuro, no interior de um refrigerador, por aproximadamente 3 horas (Souza e cols.12, 1981).

O sedimento após ser lavado em água foi exposto à ação da luz e do calor (aproximadamente 28°C) fornecidos por lâmpada elétrica incandescente de 60 W.

Assim que os miracídios eclodiram, foram transportados, individualmente, com pipeta, para pequenos frascos que continham um molusco Biomphalaria glabrata albino de 7 a 9mm de diâmetro.

Cada molusco foi colocado em contacto com 10 miracídios e exposto à luz e ao calor por cerca de 12 h.

Foram utilizados 50 moluscos. Decorridos 30 dias de exposição aos miracídios, os moluscos foram examinados semanalmente para a verificação da liberação de cercárias.

A contagem das cercárias foi feita semanalmente, enquanto o molusco permanecia vivo. Isto significa que os valores que expressam o número de cercárias eliminadas refletem, também, o período de sobrevivência do molusco.

As cercárias foram obtidas pela exposição dos moluscos à luz e ao calor fornecidos por lâmpada elétrica (aproximadamente 28° C) durante 2 h. As cercárias foram contadas em placas de Petri com fundo quadriculado.

Anotaram-se o primeiro e o último dia da eliminação de cercárias e o dia da morte do molusco.

Obtenção de miracídios provenientes de granulomas hepáticos

Camundongos com aproximadamente 60 dias de infecção foram sacrificados e deles extraído o fígado. O órgão foi triturado em liquidificador doméstico (Pellegrino e Brener11, 1956) com água desclorada e recolhido em copo de sedimentação, que foi mantido em refrigerador, por aproximadamente 3 h. O sedimento obtido, após ser lavado em água, foi depositado em placa de Petri e exposto à ação da luz e do calor, fornecidos por lâmpada elétrica de 60 W. Logo após a eclosão, os miracídios foram colocados frente a exemplares de B. glabrata albinos de 7 a 9mm de diâmetro. Cada molusco foi colocado em contacto com 10 miracídios. Foram utilizados 50 moluscos. A partir deste momento, procedeu-se da mesma maneira já mencionada e referente a miracídios obtidos de ovos eliminados pelas fezes.

Determinação do sexo das cercárias

As cercárias obtidas de cada molusco foram utilizadas para a infecção de camundongos albinos (100 cercárias por roedor). Os camundongos foram infectados através da exposição da cauda dos animais à suspensão cercariana. Após 60 dias da data de infecção, os roedores foram sacrificados para a determinação do sexo dos esquistossomos.

Análise estatística

O experimento foi conduzido de forma completamente aleatorizada, com dois tratamentos: obtenção de miracídios das fezes e obtenção de miracídios do fígado. Como descrito anteriormente, tomaram-se 100 moluscos, que foram divididos aleatoriamente em dois grupos de 50.

As respostas de interesse foram: o total de cercárias obtidas, o tempo de produção de cercárias, a taxa de infecção dos moluscos e a sobrevida dos moluscos após a eliminação de cercárias. A análise das duas primeiras respostas e da sobrevida dos moluscos foi baseada em procedimento de análises de variância, ajustando-se modelos lineares, com uma bateria de análises de resíduos, para verificação da validade do modelo. Valores aberrantes foram eliminados pela análise de resíduos. A taxa de infecção foi analisada através de procedimentos para tabelas de freqüências, usando-se estatísticas qui-quadrado de Pearson.

Os cálculos foram feitos com o SAS (Statistical Analysis System), em computador IBM/370-155 do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, sob OS-VS.

 

RESULTADOS

Os resultados estão contidos nas Tabelas 1 e 2.

 

 

 

 

Dos moluscos expostos a miracídios provenientes de granulomas hepáticos infectaram-se 29 exemplares (58%), e dos moluscos expostos a miracídios provenientes de ovos eliminados com as fezes infectaram-se 28 (56%). Estas taxas de infecção foram consideradas equivalentes.

A análise do efeito dos métodos de obtenção de miracídios sobre a mortalidade dos moluscos e a eliminação de cercárias foi feita usando o método de Grizzle e cols.7 (1969). Não foram observadas diferenças nas distribuições do cruzamento de mortalidade com eliminação entre os dois métodos (p = 0,35).

A taxa de mortalidade foi obtida durante o período de realização do experimento, ao longo de 11 meses. Ao fim desse período, nos dois moluscos sobreviventes que tinham sido submetidos aos miracídios oriundos de ovos colhidos nas fezes, e nos seis moluscos sobreviventes que tinham sido submetidos aos miracídios oriundos de granulomas hepáticos e que nunca apresentaram eliminação de cercárias, não se observaram esporocistos em desenvolvimento após observação em lupa estereoscópica.

Verificou-se que houve efeito de origem, quanto ao período pré-patente, quanto à sobrevivência do molusco submetido à infecção e quanto ao número de cercárias eliminadas.

Não foi observado efeito de origem dos miracídios quanto ao período de eliminação de cercanas.

Na maior parte das vezes, os moluscos, quer infectados por miracídios de fezes quer por miracídios de granulomas hepáticos, apresentaram eliminação de cercárias dos dois sexos.

Em alguns casos não foi possível a determinação do sexo das cercárias, ou porque as cercárias foram insuficientes para a infecção dos camundongos, ou porque os camundongos infectados morreram antes que fosse possível a verificação do sexo dos vermes.

 

DISCUSSÃO

Frandsen5 (1979) lembrou que dependendo da espécie de hospedeiro vertebrado utilizado para manutenção do ciclo, o S. mansoni sofre pressões seletivas diversas e tem, por este motivo, seu comportamento diversificado.

Taylor e cols.13 (1977) assinalaram que essas pressões seletivas aumentam quando são utilizados para a infecção de moluscos, miracídios provenientes de ovos eliminados pelas fezes.

Em nosso experimento, os miracídios provenientes do fígado não pareceram ter sofrido qualquer ação por parte do hospedeiro vertebrado e que tivesse afetado sua viabilidade, uma vez que o grupo de moluscos infectados com miracídios oriundos do fígado apresentou maior número de cercárias eliminadas e maior sobrevivência dos moluscos.

São numerosas as pesquisas que demonstram a presença de mecanismos imunológicos do molusco, agindo contra as larvas de S. mansoni (Michelson9, 1964; Lie e col.8, 1980; Bayne e col.4, 1980; Abdul-Salam & Michelson1,2,3, 1980, 1983; Granath & Yoshino6, 1984).

Sabe-se que a larva do S. mansoni, no molusco, pode escapar a esta ação de caráter imunológico por estar envolta com material do próprio molusco, não sendo assim reconhecida pelos amebócitos como corpo estranho.

O retardamento do desenvolvimento dos esporocistos, oriundos dos miracídios obtidos de granulomas hepáticos, verificado em nosso experimento, pode dever-se à presença de determinantes antigênicos adquiridos pelo miracídio durante a permanência do ovo no parênquima hepático. Estes determinantes poderiam ocasionar uma maior ação amebocitária, o que retardaria o desenvolvimento dos esporocistos.

O menor número de cercárias eliminadas pelo grupo de moluscos infectados com miracídios provenientes de ovos colhidos nas fezes poderia ser uma conseqüência da menor viabilidade dos miracídios causadas pelos produtos tóxicos presentes nas fezes e urina dos camundongos.

A eliminação de cercárias dos dois sexos pelos moluscos mostrou que os planorbídeos submetidos à infecção por vários miracídios podem ser infectados por mais de uma larva e que os esporocistos formados podem desenvolver-se concomitantemente até sua completa maturação.

 

CONCLUSÕES

1) A taxa de infecção dos moluscos infectados por miracídios das duas origens foi equivalente.

2) O período pré-patente foi maior nos moluscos infectados por miracídios provenientes de granulomas hepáticos.

3) A sobrevivência dos moluscos, após a infecção, foi maior naqueles infectados por miracídios provenientes de granulomas hepáticos.

4) No final do experimento, a quantidade de cercárias obtidas de moluscos infectados por miracídios oriundos de granulomas hepáticos foi cerca de três vezes maior do que a obtida de moluscos infectados com miracídios provenientes de ovos eliminados com as fezes.

É importante lembrar que a obtenção de miracídios de granulomas hepáticos apresenta o inconveniente do sacrifício do camundongo, fonte produtora das larvas.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. ABDUL-SALAM, J.M. & MICHELSON, E.H. B. glabrata amoebocytes: effects of S. mansoni infection on in vitro phagocytosis. J. Invertebr. Pathol., 35:241-8, 1980.         [ Links ]

2. ABDUL-SALAM, J.M. & MICHELSON, E.H. B. glabrata amoebocytes: assay of factors influencing in vitro phagocytosis. J. Invertebr. Pathol., 36:56-9, 1980.         [ Links ]

3. ABDUL-SALAM, J.M. & MICHELSON, E.H. Schistosoma mansoni: immunofluorescent detection of its antigen reacting with Biomphalaria glabrata amoebocytes. Exp. Parasit., 55:132-7, 1983.         [ Links ]

4. BAYNE, C.J.; BUCKLEY, P.M.; DEWAN, P.C. Schistosoma mansoni: cytotoxicity of hemocytes from susceptible snail host for sporocysts in plasma from resistant Biomphalaria glabrata. Exp. Parasit., 50:409-16, 1980.         [ Links ]

5. FRANDSEN, F. Discussion of the relationship between Schistosoma and their intermediate hosts, assessment of the degree of host-parasite compatibility and evoluation of Schistosome taxonomy. Z. Parasitenkd., 58:275-96, 1979.         [ Links ]

6. GRANATH Jr., W.O. & YOSHINO, T.P. Schistosoma mansoni: passive transfer of resistance by serum in the vector snail, Biomphalaria glabrata. Exp. Parasit. 58:188-93, 1984.         [ Links ]

7. GRIZZLE, J.E.; STARMER, C.F.; KOCH, G.G. Analysis of categorical data by linear models. Biometrics, 25:489-504, 1969.         [ Links ]

8. LIE, K.J.; JEONG, K.H.; HEYNEMAN, D. Tissue reactions induced by Schistosoma mansoni in Biomphalaria glabrata. Ann. trop. Med. Parasit., 74:157-66, 1980.         [ Links ]

9. MICHELSON, E.H. Miracidia-immobilizing substances in extracts prepared from snails infected with Schistosoma mansoni. Amer. J. trop. Med. Hyg., 13:36-42, 1964.         [ Links ]

10. PARAENSE, W.L. & CORRÊA, L. Susceptibility of Australorbis tenagophilus to infection with Schistosoma mansoni. Rev. Inst. Med. Trop. S. Paulo, 5:23-9, 1963.         [ Links ]

11. PELLEGRINO, J. & BRENER, Z. Method for isolating Schistosoma mansoni granulomas from mouse liver. J. Parasit., 42:564, 1956.         [ Links ]

12. SOUZA, C.P.; RODRIGUES, M.S.; AZEVEDO, M.L.L.; ARAÚJO, N. Estudo comparativo de duas técnicas para obtenção de miracídios de Schistosoma mansoni em fezes humanas. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo, 23:251-5, 1981.         [ Links ]

13. TAYLOR, M.G.; JAMES, E.R.; NELSON, G.S.; BICKLEY, Q.; DUNNE, D.W.; DOBINSON, A.R.; DARGIE, J.D.; BERRY, C.; HUSSEIN, M.F. Modification of pathogenicity of Schistosoma mattheei for sheep by passage of parasite in hamsters. J. Helminthol., 51:337-45, 1977.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 3/2/1988
Reapresentado em 2/9/1988
Aprovado para publicação em 8/9/1988

 

 

* Realizado com auxílio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq — Proc. no 403797/82).