SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue2Citizenship and modernity: the emergence of the social issue on the public agenda author indexsubject indexarticles search
Home Page  

Cadernos de Saúde Pública

Print version ISSN 0102-311X

Cad. Saúde Pública vol.13 n.2 Rio de Janeiro Apr. 1997

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1997000200001 

EDITORIAL EDITORIAL

 

Renovando a estratégia de saúde para todos

 

 

Há vinte anos a trigésima Assembléia Mundial de Saúde decidiu que até o ano 2000 a meta de saúde para todos os cidadãos do mundo deveria ser atingida. Essa decisão refletia a certeza de que os meios para alcaçá-la estavam, já desde aquele momento, à disposição da maioria dos Estados. Ao longo destes anos aconteceram, em muitos países, profundas reformas em seus sistemas de saúde, segundo estratégias da Organização Mundial de Saúde, embora com características e ritmos nacionais próprios, para que alcançassem a meta pretendida.

Contudo é evidente que, atualmente, a situação de saúde da maior parte da população mundial continua em níveis precários ou, em algumas áreas, em deterioração. Uma parte significativa das instituições e pessoas que trabalham em saúde coletiva consideram que as mudanças na prioridade política real e no financiamento público da saúde coletiva contribuem decisivamente para essa situação. Em 1998 a OMS completará 50 anos de fundação, e mesmo distante de cumprir a meta proposta pretende avaliar e elaborar uma nova política global de saúde, com base nos princípios de eqüidade e solidariedade.

Assim no mês de maio último, a Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) juntamente com a Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco), Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e a Associación Latinoamericana y del Caribe de Educación en Salud Pública (Alaesp) organizaram o Seminário Internacional Renovando a Estratégia de Saúde para Todos. Participaram dos três dias do evento vinte e sete diretores de escolas de saúde pública que compõem a Alaesp, representantes da Opas, Ministério da Saúde, Secretaria de Saúde, professores, pesquisadores e alunos de pós-graduação da Fiocruz e de outras instituições.

O principal objetivo do seminário foi analisar, a partir da reforma do Estado no contexto da globalização, a possibilidade de uma política de saúde para todos nos termos em que se pretende renová-la com maior ênfase na participação social, na intersetorialidade e na promoção de comunidades saudáveis, assim como discutir o papel que os organismos internacionais teriam na promoção do crescimento econômico sem desemprego e como estimuladores da definição e implantação de políticas de bem-estar para as sociedades latino-americanas.

Organizado na forma de painéis e de debates em plenário, o primeiro dia transcorreu com enfoque na situação brasileira, onde posicionaram-se representantes do Ministério da Saúde, Opas, Conass e Conasems, discutindo-se a Reforma Setorial na Saúde e sua visão pelos distintos níveis dos sistemas. Deu-se também nesse dia o debate sobre as propostas de "funções essenciais de saúde pública". Nos dias seguintes os debates centraram-se no papel representado pelas escolas de saúde pública latino-americanas e a visão de representantes da Opas e dos países sobre avaliação e perspectivas das estratégias de saúde para todos no continente.

A Ensp fará publicar relatório, aprovado em assembléia, bem como a Declaración de Alaesp, assinada pelas escolas de saúde pública da América-latina e Caribe, em que se renova o compromisso com a proposta de saúde para todos por se entender que assim se deve direcionar a prática sanitária, reafirmando-se princípios e valores de eqüidade, solidariedade, democracia e justiça social e sustentabilidade da saúde, entendida como promoção da vida.

 

Adauto Araújo
Diretor - Escola Nacional de Saúde Pública /Fiocruz Presidente - Alaesp

José Iturri
Coordenador do Seminário Renovando a Estratégia de Saúde para Todos

 

 

Renewing the Health for All Strategy

 

Health for all the citizens of the world by the year 2000 was the goal set by the participants of the XXX World Health Assembly 20 years ago. This decision reflected the certainty that the means to attain such an end were already available to the majority of nations. In order to meet the challenge, according to the World Health Organization, the years that followed were marked by profound health systems reforms in many countries, albeit each at its own pace and with particular national characteristics.

At present, however, it is evident that the health situation for most of the world's population is still precarious; indeed, in some areas it is even deteriorating. A considerable number of public health institutions and professionals believe that in policy priorities and public health spending have greatly contributed toward such a situation. In 1988 the World Health Organization will be completing its 50th anniversary, and although far from accomplishing the proposed goal of health for all, its members intend to evaluate and elaborate a new global health policy based on the principles of equity and solidarity.

Thus, the National School of Public Health (Escola Nacional de Saúde Pública - Ensp) of the Oswaldo Cruz Foundation (Fiocruz) organized this past May the International Seminar Renewing the Health for All Strategy, in conjunction with the Brazilian Association of Graduate Studies in Public Health (Abrasco), the Pan-American Health Organization (PAHO), and the Latin American and Caribbean Association for Education in Public Health (Alaesp). The three-day event was attended by 27 directors of public health schools that comprise the Alaesp, representatives of the PAHO and the Health Ministry, as well as professors, researchers, and graduate students of Fiocruz and other institutions.

The principal objective was to analyze the possibility of a healthy for all policy with greater emphasis upon social participation, intersectoriality, and the promotion of health communities, based upon State reform within the context of globalization. Another important matter on the agenda was the discussion on the role of international agencies in promoting economic growth without unemployment and stimulating the definition and implantation of well-being policies for Latin American societies.

Organized in panels and debates in plenary sessions, the seminar focused on the Brazilian situation on the first day of the meeting, when representatives of the Health Ministry, PAHO, and others discussed sectorial reform in health as seen from different levels of the systems. In addition, debates were conducted on the "Essential Tasks of Public Health". On the following days, discussion centered about the role of public health schools in Latin America as well as the evaluation of health for all strategies and perspectives for the continent as seen by representatives of PAHO and participating countries.

The National School of Public Health shall publish a final report, approved in a general assembly, and a "Decoration of the Alaesp", signed by the public health schools of Latin American and the Caribbean, where commitment to the proposal of health for all is renewed as the essence of public health actions, reaffirming the principles of equity, solidarity, democracy, social justice, and the sustainability of health, understood here as the promotion of life.

 

Adauto J. G. Araújo
Director - The National School of public Health - Fiocruz
President Latin American and Caribbean Association for Education in Pueblo Health

José Iturri
Seminar Coordinator
Renewing the Health for All Strategy