SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

GARBIN, Andréia De Conto  and  FISCHER, Frida Marina. Assédio moral no trabalho e suas representações na mídia jornalística. Rev. Saúde Pública [online]. 2012, vol.46, n.3, pp. 417-424.  Epub Apr 24, 2012. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012005000035.

    1. Adams A. Bullying at work: how to confront and overcome it. London: Virago Press; 1992. [ Links ]

    2. Arendt H. Sobre a violência. Rio de Janeiro: Relume Dumará; 1994. [ Links ]

    3. Barreto MMS. Violência, saúde, trabalho: uma jornada de humilhações. São Paulo: EDUC; 2003. [ Links ]

    4. Bernardo MH. Trabalho duro, discurso flexível: uma análise das contradições do toyotismo a partir da vivência de trabalhadores. São Paulo: Expressão Popular; 2009. [ Links ]

    5. Cassito MG, Fattorini E, Gilioli R, Rengo C. Raising awareness of psychological harassment at work: advice to health professionals, decision makers, managers, human resources directors, legal community, unions and workers. Geneva: World Health Organization; 2003. (Protecting Workers' Health Serie, 4). [ Links ]

    6. Freitas ME. Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Rev Adm Empres. 2001;41(2):8-19. DOI:10.1590/S0034-75902001000200002 [ Links ]

    7. Freitas ME, Heloani JRM, Barreto M. Assédio moral no trabalho. São Paulo: Cengage; 2008. [ Links ]

    8. Gonçalves-Filho JM. Humilhação Social: um problema político em Psicologia. Psicol USP. 1998;9(2):11-67. DOI:10.1590/S0103-65641998000200002 [ Links ]

    9. Heloani JRM. Vivendo no limite: quem são nossos formadores de opinião. Rev USP. 2005;65:148-68. [ Links ]

    10. Hirigoyen MF. Assédio moral: a violência perversa no cotidiano. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 2005. [ Links ]

    11. Hirigoyen MF. Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio moral. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 2005. [ Links ]

    12. Íñiguez L. Manual de análise do discurso em Ciências Sociais. Petrópolis: Vozes; 2005. [ Links ]

    13. Khalef A. ¿Es la violencia en el trabajo una fatalidad? In: Khalef A. La violencia en el trabajo. Educ Obrera. 2003[citado 2007 out 19];133:13-19. Disponível em: http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/—ed_dialogue/—actrav/documents/publication/wcms_117581.pdf [ Links ]

    14. Lazarus RS, Folkman S. Stress, appraisal and coping. Nova York: Springer; 1984. [ Links ]

    15. Leymann, H. The content and development of mobbing at work. Eur J Work Organ Psychol. 1996;15(2):165-84. DOI:10.1080/13594329608414853 [ Links ]

    16. Minayo MCS. Violência e saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006. [ Links ]

    17. Rey FLG. A violência: gênese, manipulação e ocultamento social. In. Spink MJ, Spink P. Práticas cotidianas e a naturalização da desigualdade: uma semana de notícias nos jornais. São Paulo: Cortez; 2006. p. 143-64. [ Links ]

    18. Sennet R. Corrosão do caráter. São Paulo: Record; 2001. [ Links ]

    19. Silva EMA. Notícias da violência urbana: um estudo antropológico. Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense; 2010. [ Links ]

    20. Soboll LAP. Assédio Moral/Organizacional: uma análise da organização do trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2008. [ Links ]

    21. Spink MJP, Medrado B. Produção de sentidos no cotidiano: uma abordagem teórico-metodológica para análise das práticas discursivas. In: Spink MJP, organizador. Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez; 1999. p.41-61. [ Links ]

    22. Thompson JB. Ideologia e Cultura Moderna. Petrópolis: Vozes; 1995. [ Links ]

    23. Vieira MPA, Peixoto MRC, Khoury YMA. A pesquisa em história. São Paulo: Ática; 2007. [ Links ]