SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

SILVA, Andréa Tenório Correia da et al. Núcleos de Apoio à Saúde da Família: desafios e potencialidades na visão dos profissionais da Atenção Primária do Município de São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2012, vol.28, n.11, pp. 2076-2084. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012001100007.

    1. Ministério da Saúde. Atenção básica e saúde da família. http://189.28.128.99/dab/abnumeros.php#mapas.pdf (acessado em 20/Abr/2012). [ Links ]

    2. Ministério da Saúde. Portaria n. 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil 2008; 25 jan. [ Links ]

    3. Ministério da Saúde. Portaria GM n. 2488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União 2011; 24 out. [ Links ]

    4. Bousquat A, Cohn A, Elias PEA. Implantação do Programa Saúde da Família e exclusão socioespacial no Município de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública 2006; 22:1935-43. [ Links ]

    5. Brentani AV, Silva ATC, Dourado AD, Santos IS, Eluf Neto J, Elias PEM, et al. Cadernos Região Oeste: condições socioeconômicas e de saúde. São Paulo: Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo; 2009. [ Links ]

    6. Cunha GT, Campos GWS. Apoio matricial e atenção primária em saúde. Saúde Soc 2011; 20: 961-70. [ Links ]

    7. Minayo MCS. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 3 Ed. São Paulo: Editora Hucitec/Rio de Janeiro: ABRASCO; 1994. [ Links ]

    8. Geertz C. Interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor; 1978. [ Links ]

    9. Schraiber L. Pesquisa qualitativa em saúde: reflexões metodológicas do relato oral e produção de narrativas em estudo sobre a profissão médica. Rev Saúde Pública 1995; 29:63-74. [ Links ]

    10. Bernstein RJ. Beyond objectivism and relativism: science, hermeneutics and praxis. Philadelphia: University of Pennsylvania Press; 1983. [ Links ]

    11. Gadamer H-G. O mistério da saúde? O cuidado da saúde e a arte da Medicina. Lisboa: Edições 70; 2002. [ Links ]

    12. Barros JAC. Pensando o processo saúde doença: a que responde o modelo biomédico? Saúde Soc 2002; 11:67-84. [ Links ]

    13. Vosgerau MZS, Soares DA, Sousa RKT, Matsuo T, Carvalho GS. Consumo de medicamentos entre adultos na área de abrangência de uma Unidade de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva 2011; 16:1629-38. [ Links ]

    14. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Sistema de indicadores de percepção social. http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/SIPS/110207_sipssaude.pdf (acessado em 20/Mar/2011). [ Links ]

    15. Conselho Nacional de Educação, Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais dos cursos de graduação em enfermagem, medicina e nutrição. http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/ces1133.pdf (acessado em 20/Mar/2011). [ Links ]

    16. Barbosa EG, Ferreira DLS, Furbino SAR, Ribeiro EEN. Experiência da fisioterapia no Núcleo de Apoio à Saúde da Família em Governador Valadares. Fisioter Mov 2010; 23:323-30. [ Links ]

    17. Nascimento DDG, Oliveira MAC. Reflexões sobre as competências profissionais para o processo de trabalho nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Mundo Saúde (Impr.) 2010; 34:92-6. [ Links ]

    18. Pires MRGM, Gottems LBD, Martins CMF, Guilhem D, Alves ED. Oferta e demanda por média complexidade/SUS: relação com atenção básica. Ciênc Saúde Coletiva 2010; 15:1009-19. [ Links ]

    19. Schraiber LB, Mendes-Gonçalves RB. Necessidades de saúde e atenção primária. In: Schraiber LB, Nemes MIB, Mendes-Gonçalves RB, organizadores. Saúde do adulto na unidade básica. 2 Ed. São Paulo: Editora Hucitec; 1996. p. 29-47. [ Links ]

    20. Sucupira ACS, Ferrer APS. Uma experiência de ensino de propedêutica pediátrica em ambulatório. Pediatria (São Paulo) 2000; 22:105-12. [ Links ]

    21. Coordenação da Atenção Básica, Secretaria de Saúde, Prefeitura de São Paulo. Diretrizes e parâmetros norteadores das ações dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família. http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/esf/diretrizes_nasf.pdf (acessado em 20/Mai/2010). [ Links ]

    22. Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde, Ministério da Saúde. Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio à Saúde da Família. http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad27.pdf (acessado em 10/Out/2010). [ Links ]

    23. Mendes RMJ, Lewgoy AMB, Silveira EC. Saúde e interdisciplinaridade: mundo vasto mundo. Revista Ciência & Saúde 2008; 1:24-32. [ Links ]

    24. Morin E. Ciência com consciência. 8 Ed. Rio de Janeiro: Berthand Brasil; 1999. [ Links ]

    25. Campos GWS, Dominitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad Saúde Pública 2007; 23:399-407. [ Links ]

    26. Ministério da Saúde. A educação permanente entra na roda: polos de educação permanente em saúde. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicaçoes/educacao_permanente_entra_na_roda.pdf (acessado em 20/Out/2010). [ Links ]

    27. Rios IC. Caminhos da humanização – prática e reflexão. São Paulo: Áurea; 2009. [ Links ]