SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

FARIAS, Rejane Santos  and  CAVALCANTI, Ludmila Fontenele. Atuação diante das situações de aborto legal na perspectiva dos profissionais de saúde do Hospital Municipal Fernando Magalhães. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2012, vol.17, n.7, pp. 1755-1763. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000700014.

    1. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Prevenção e Tratamento dos Agravos Resultantes da Violência Sexual contra Mulheres e Adolescentes: Norma Técnica. Brasília: MS; 2005. [ Links ]

    2. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Atenção humanizada ao Aborto: Norma Técnica. Brasília: MS; 2005. [ Links ]

    3. Diniz D, Côrrea M. Aborto e Saúde Pública - 20 anos de pesquisa no Brasil. Relatório Preliminar. Brasília: MS; 2008. [ Links ]

    4. Galli B. Violência sexual, gravidez indesejada e acesso ao aborto legal: uma abordagem de direitos humanos e igualdade de gênero. Rio de Janeiro: Ipas Brasil; 2005. [acessado 2008 maio 09]. Disponível em: http://www.ipas.org.br/arquivos/caso_out2005.doc [ Links ]

    5. World Health Organization (WHO). World report on violence and health. Geneva: WHO; 2002. [ Links ]

    6. Travassos C, Martins M. Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utilização de serviços de saúde. Cad Saude Publica 2004; 20(2):27-34. [ Links ]

    7. Soares G. Profissionais de saúde frente ao aborto legal no Brasil: desafios, conflitos e significados. Cad Saude Publica 2003; 19(2):399-406. [ Links ]

    8. D'Oliveira AF, Schraiber LB. Violência de gênero, saúde reprodutiva e serviços. In: Giffin K, Costa SH, organizadores. Questões de saúde reprodutiva. Rio de Janeiro: Fiocruz; 1999. p. 337-355. [ Links ]

    9. Adesse L, Almeida LCR. Utilizando princípios de direitos humanos para promover qualidade nos serviços de aborto no Brasil. Revista questões de saúde reprodutiva 2006; 1(1):114-117. [ Links ]

    10. Talib RA, Citeli MT. Serviços de Aborto Legal em Hospitais Públicos Brasileiros (1989-2004) Dossiê. Cadernos n13. São Paulo: Católicas pelo Direito de Decidir; 2005. [ Links ]

    11. Leocádio EMA. Aborto pós-estupro: uma trama (des)conhecida entre o direito e a política de assistência à saúde da mulher [dissertação]. Distrito Federal: Universidade Federal de Brasília; 2006. [ Links ]

    12. Souza ER, Minayo MCS, Deslandes SF, Veiga JPC. Construção dos instrumentos qualitativos e quantitativos. In: Minayo MCS, Assis SG, Souza ER, organizadores. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005. p. 133-155. [ Links ]

    13. Sessions G. Avaliação em HIV/AIDS: uma perspectiva internacional. Rio de Janeiro: ABIA; 2001. (Coleção Fundamentos de Avaliação, n 2) [ Links ]

    14. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 3 ed. São Paulo, Rio de Janeiro: Hucitec; 1996. [ Links ]

    15. Gomes R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: Deslandes SF, Neto CO, Gomes R, Minayo MCS, organizadores. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes; 1994. p. 67-80. [ Links ]

    16. Cavalcanti LF. Ações da assistência pré-natal voltadas para a prevenção da violência sexual: representações e práticas dos profissionais de saúde [tese]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz; 2004. [ Links ]

    17. Faúndes A, Simoneti RM, Duarte GA, Andalaft-Neto J. Factors associated to knowledge and opinion of gynecologists and obstetricians about the Brazilian legislation on abortion. Rev. bras. epidemiol. 2007; 10(1):6-18. [ Links ]

    18. Cavalcanti LF. Projeto de Pesquisa Avaliação dos núcleos de atenção às mulheres em situação de violência sexual nas maternidades municipais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Núcleo de Estudos e Ações em Saúde Reprodutiva e Trabalho Feminino da Escola de Serviço Social da UFRJ; 2008. [ Links ]

    19. Faúndes A, Barzelatto J. O drama do aborto em busca de um consenso. São Paulo: Komedi; 2004. [ Links ]

    20. Porto RM. Objeção de consciência, aborto e religiosidade: práticas e comportamentos dos profissionais de saúde em Lisboa. Estudos Feministas 2008; 16(2):661-666. [ Links ]